História I'm A Good Boy! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Felipe "Febatista" Batista, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Alan Ferreira, Felipe "Febatista" Batista, Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Cellbit, Cellke, Cellmitw, Celltw, Mike, Mike Professor, Mitw, Pac, Pactw, Professor, Professor X Aluno
Exibições 121
Palavras 1.614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU VOLTEEEEEEEI! Eu disse que ia atualizar todas as fics nesse mês, não disse? Tá, eu disse no Twitter mas tá valendo. E ainda vai sair fic Cellke e... AGORA ESSA FIC É CELLMITW PORRA! Agradeçam pra Akise, essa pessoa maravilhosa que me sugeriu isso! Vão no Twitter dela (ou não, eu não mando em vcs ;u;) e digam: AKISE SUA LINDA TE AMO BRIGADA/O (Twitter dela é @pacstawrs)
Bem, é isso, espero que gostem desse capítulo pq eu amei.

Capítulo 4 - Jeremy


Tarik não conseguia contar nos dedos quantos garotos e garotas ele já iludiu apenas para conseguir algo ou ter um pouco de diversão. Sinceramente? Ele parou de contar no vigésimo quarto.

No começo era divertido, registrar em um caderninho o nome de cada pessoa com a qual ele ficou, porém, depois ele percebeu que estava dando valor demais para pessoas descartáveis para as quais não ligava e com as quais jamais falaria novamente.

Não eram só pessoas da escola, também eram pessoas da igreja, que ele conhecia na rua, de outras escolas e até pessoas mais velhas como alunos de faculdade ou que ele conhecia em baladas. Foi em um desses casos de uma noite que ele perdeu a amizade de sua melhor amiga, ou melhor, Alisson.

Flashback On

O garoto novo passou pelas portas da escola junto a um grande grupo de alunos, porém, o ruivo se destacava naquela multidão.

Tarik se apaixonou pelos olhos verde esmeralda e se encantou com os cabelos laranja avermelhados. As sardas espalhadas por seu rosto eram um charme a mais e o sorriso dele era o que completava o pacote, deixando-o mais irresistível e encantador.

Com Alisson não foi nem de longe diferente. Ela adorou tudo no garoto e já podia imaginar como seria tê-lo como namorado. Olhou pra Tarik e o amigo olhou para ela. Fingiram que nada estava acontecendo e foram para a sala de aula.

Dentro da pequena salinha, trocavam olhares com o garoto, sorrindo simpáticos. Nenhum dos dois sabia que o outro estava gostando do garoto ruivo.

- Eu tenho que te contar algo… - Falou Alisson para Tarik na hora do intervalo.

- Eu também tenho algo pra contar. - Eles sentaram-se sob a sombra de uma grande árvore do jardim dos fundos. Respiraram fundo e falaram ao mesmo tempo:

- Eu estou gostando do Jeremy. - Ficaram calados por longos segundos que assemelhavam-se a horas. Então, Alisson falou:

- Isso é um problema. - Tarik assentiu. - Não podemos os dois gostar do mesmo garoto.

- Pra mim sua amizade vale mais que um garoto novato, Ali. - Falou Pacagnan sorrindo para ela de forma fofa, um sorriso ao qual a garota retribuiu.

- Digo o mesmo. Então, vamos fazer um acordo. Nada de garotos ou garotas atrapalhando nossa amizade, fechado? - Ela estendeu uma das mãos.

- E nada de tentar algo com o Jeremy. - Continuou Tarik.

- Fechado. - Falou a menina, sorrindo de forma doce, com dedos cruzados atrás das costas e apertando a mão de Tarik com a outra mão.

Não demorou muito para que ambos esquecessem a paixonite platônica pelo novato; ou pelo menos era isso que parecia ter acontecido.

Tarik estava andando pelos corredores de forma despreocupada, a mochila pendurada em um dos ombros e alguns cadernos na mão. Ele procurava a amiga para que ambos pudessem marcar de ir para a sorveteria. Assim que avistou os longos cabelos loiros com uma mecha rosa, sorriu e apertou o passo.

Parou alguns metros antes de Alisson. Na frente da garota estava Jeremy, rindo enquanto Ali enrolava uma mecha de cabelo no dedo e sorria, provavelmente tinha acabo de contar-lhe uma piada. Pacagnan sentiu-se destruído, traído. Como ela pôde? Sua melhor amiga havia o traído, quebrado uma promessa e ainda tinha mentido para ele na cara dura.

Porém, diferente do que podem pensar, Tarik não sentiu-se triste. Tudo que ele sentia naquele momento era raiva, muita raiva, e uma sede de vingança insaciável. Respirou fundo e, sorrindo, desviou seu caminho, dando as costas para o casal. Ele sabia que a vingança era um prato que se comia frio, e ele podia esperar o prato congelar apenas para ter a melhor vingança possível.

Foi isso que ele fez, esperou um mês inteiro. Fingia não ver Jeremy e Alisson juntos e conseguia sorrir para ela como se nada tivesse acontecido. Quando assumiram abertamente o namoro, ele soube que era a hora certa para que sua vingança começasse.

Alisson inventou mil e uma mentiras para ele. Disse que Jeremy foi até ela, disse que eles tiveram um primeiro encontro incrível num parque, que se beijaram quando ele deixou-a na frente de casa no terceiro encontro, mas Tarik sabia que era mentira. Sabia que apenas uma semana depois da promessa eles já estavam aos beijos, e aquilo apenas fez com que a vontade de vingar-se dela aumentasse mais e mais.

Tudo estava indo de acordo com o plano. Ele apareceu de surpresa na casa dela quando os pais da mesma viajaram. Sabia que Jeremy estava lá e também sabia que iriam estudar para química. Dois dias antes ele tirou o livro da bolsa dela e escondeu sob a cama de uma amiga deles quando foram para lá, apenas para que a garota os deixasse sozinhos. Assim que Alisson saiu, a melhor parte de seu plano entrou em prática.

Ele olhou para Jeremy sorrindo de forma inocente, mexeu nos cabelos do garoto e elogiou seus olhos. Tinha certeza de que iria funcionar, ele simplesmente não perdia em nada, era um vencedor de nascença, e até quando perdia dava um jeito de ganhar. Não demorou muito e já sabia que o garoto estava encantado com ele.

Levantou-se da cama e foi até a estante inclinado-se para pegar um livro, apenas como um pretexto para que ficasse com a bunda empinada. Ele sabia que Jeremy estava olhando-o e era exatamente isso que ele esperava. Voltou até a cama com o livro em mãos e olhou o garoto. Os olhos verdes fitando-o, as bochechas repletas de sardas estavam avermelhadas. Tarik pegou as mãos do garoto e levou-as até perto de sua cintura.

- Você quer? - Jeremy assentiu, como já era de se esperar e Tarik colocou as mãos do ruivo em seus quadris.

O ruivo acariciou a área de forma hesitante e, ainda com as mãos sobre as do garoto de olhos verdes, Tarik moveu-as mais para trás, até que tocassem sua bunda. Jeremy ficou mais corado, porém, não hesitou em apertar o local, arrancando um sorriso de Pacagnan.

O moreno seguro a nuca de Jeremy e aproximou-se mais com a intenção de sentar no colo do ruivo. Quando o de olhos verdes não fez objeções, Tarik apenas sentou-se e o garoto que estava na cama apenas ficou mais vermelho enquanto mordia o lábio inferior.

Logo os lábios de Pacagnan estavam contra o pescoço de Jeremy. Ele fazia uma trilha de beijos por todo o pescoço e pelos ombros, baixando a manga da camisa, deixando a área exposta.

Seus pais deveriam estar em casa pensando que seu filhinho de 14 anos estava assistindo desenhos na casa da amiga. Certamente não ficariam muito orgulhosos em saber a verdade.

Logo Tarik ouviu a porta de baixo abrir, agradeceu ao céus que Jeremy estava muito focado em aumentar o contato da boca de Tarik contra si para prestar atenção nisso. Quando Pac ouviu os passos da garota na escada, colocou as mãos do ruivo em sua bunda e deu-lhe um beijo, em seguida, jogando a cabeça para o lado, pedindo para que o maior beijasse a área de seu pescoço, ele o fez.

Mal tiveram tempo para raciocinar. Assim que Alisson abriu a porta, viu seu melhor amigo no colo de seu namorado, que beijava o pescoço de Tarik e segurava sua bunda. O ruivo se afastou rápido de Pac e praticamente jogou-o de lado.

Tarik era inegavelmente um ótimo ator, pois sua expressão de choque e medo era absurdamente real, porém, no fundo ele apenas queria rir da situação. Alisson gritou e xingou ambos os meninos, expulsando-os de casa logo em seguida.

- Eu odeio vocês! - Gritou ela. - Eu nunca mais quero te ver, Jeremy! E você, Tarik…

- Ali, por favor… - Ele fazia sua melhor cara de triste.

- Não me chame de Ali! Você não tem esse direito sua puta! Eu não quero te ver nunca mais! Você é a pior pessoa do mundo, uma vadia oportunista e manipuladora! Eu me arrependo te ter sido sua amiga, Tarik! - Ela gritou enquanto as lágrimas escorriam pelo rosto do menino. - Eu te odeio. Vai pro inferno!

Assim que a menina entrou, Tarik se afastou cabisbaixo e começou a rir de forma doentia, enxugando as lágrimas. Apenas parou quando ouviu Jeremy chamá-lo. O ruivo abraçou ele por trás e beijou seu pescoço.

- Podemos continuar aquilo… Agora não temos mais a Alisson para atrapalhar as coisas. - Tarik sorriu.

Ele poderia ter recusado, dito que aquilo tudo era um plano de vingança e que Jeremy era para ele um completo nada, descartável, porém, que mal fazia um pouco de diversão, certo?

Jeremy era um completo canalha, ele não podia negar; não valia nada, mas Tarik valia? Por mais que fosse um completo idiota, ele ainda tinha belos olhos verdes e, pelo que sabia assistindo os treinos de natação, o garoto tinha um belo corpo, não era de se jogar fora.

- Eu… - Tarik se virou para ele. - Você acabou de terminar com minha melhor amiga, eu não sei se devia. - Disse de forma manhosa e inocente.

- Qual é, você não se importou que estávamos namorando quando fez aquilo. - Jeremy colocou uma mecha de seu cabelo atrás da orelha.

- Hm… O que vamos fazer? - Tarik perguntou, brincando com a gola da camisa do maior.

- Apenas… Nos divertir um pouquinho. Nada demais. Vamos lá!

- Eu não sei, isso não é algo legal de fazer. - Ele apenas estava fazendo cu doce proposital para que Jeremy implorasse, ele adorava quando as pessoas imploravam.

- Ah, você também não é dos melhores pelo que eu percebi. - Tarik riu fraco.

- Tá bem, podemos ir. Que mal faz? - Jeremy sorriu vitorioso e abraçou a cintura do menor.

- Isso aí, garotinho mal.

- Hey, eu sou um bom garoto. - Ele sorriu.


Notas Finais


PAN PAN PAN PAN EU PAN (que lixo)
Cês gostaram? Eu quase chorei de tão vadia que o Pac foi. FOI PRA ISSO QUE EU TE CRIEI FILHÃO! UHUL! Bem, é isso pessoas!
Até o próximo e aguardem a aparição do segunda vadia dessa história. CELLBITCH AI MEU CU


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...