História I'm a Vampire - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas
Personagens Personagens Originais
Tags Ficção, Romance, Sobrenatural, Vampiro
Exibições 16
Palavras 1.637
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Capítulo 6 - Um Erro Um Destino


Fanfic / Fanfiction I'm a Vampire - Capítulo 6 - Um Erro Um Destino

   Quanto mais eu andava mais pescoço eu via, era como se estivesse falando comigo para pegar todos, estava andando pela rua tentando não sentir esse cheiro que estava me sufocando, eu estou me segurando tanto que se eu pegar um não conseguiria parar.
   Já está anoitecendo e ainda estou na rua, nunca fiquei tão tarde assim, paro em um praça em pé mesmo até que um homem acompanhado passa ao meu lado - nem percebeu eu aqui parada, esse cheiro, o seu sangue ficou na minha mente - acho que até revirei os olhos de prazer, minhas presas começaram a coçar, virei e vi ele se despedindo, comecei a segui - lo olhei ao redor tinha poucas pessoas, só corri em direção dele peguei seu pescoço e joguei ele em um beco qualquer:
   - Meu Deus! Quem é você? O que você quer?  Dinheiro?
   - Dinheiro? - ri irônica.
   - Quero algo que você nunca vai conseguir pagar!
   - Seus ... seus olhos - falou ele assustado e com medo também.
   Meus olhos estavam completamente diferente, eu percebi mesmo não vendo.
   - Você é um demônio!
   Eu disse mais nada e só fui em direção dele, que estava indo para trás mas não tem saida, além que ele estava fazendo um sinal da cruz com o dedo comecei a rir meu Deus!
   - Isso não vai te salvar.
   Peguei ele, segurei seu pescoço com minha mãos e cravei meu dentes, aquele sangue descendo em minha garganta, um sabor diferente do primeiro homem que matei, eu estava faminta morrendo de fome, não de comida humana e sim disto.
   - Socorro … socoorro - gritou ele já sem forças.
   Fiquei aqui sugando o seu sangue e umas imagens apareceu diante aos meus olhos, uma menina que provavelmente tem a mesma idade que eu e bem bonita, e uma mulher parecida com ela talvez fosse sua filha … entendo eles eram uma família feliz, não me pergunte como eu sei, eu só sei que vi e senti. Tem uma casa grande também, e eles estão dentro dela - devem ser ricos, é toda branca e bem grande diria que é uma mansão, tem uma entrada muito linda com gramado.
   Algo está errado, tiro os meus dentes ele está pálido e seco, entendi acabou o sangue dele:
    - Amigo você acabou muito rápido!
   Deixo o seu corpo ali mesmo me levanto uau é como se eu estivesse aliviada isso foi tão bom ... Vou voltando limpando a minha boca, não fiz muita bagunça mas é sempre bom revidar. Estava novinha em folha, fui andando não sei qual direção mas depois eu começo a correr em alta velocidade. Paro bruscamente em uma casa a qual eu vi antes daquele homem morrer, pulei esse portão enorme e fui em direção a porta da casa, respirei fundo e senti cheiro de sangue. Apertei a campainha e aquela menina bonita apareceu abrindo a porta:
   - Sim?
   - Oi eu posso entrar? Eu queria ver a sua mãe. - menti
   - Claro entra, O mãe é pra você! - gritou ela.
   Logo que entrei peguei seu pescoço não dando tempo para ela reagir ou fazer qualquer outra coisa, e meus dentes apareceram novamente, cravei - os naquele pescoço que me chamava. Fiquei lá até o sangue acabar.
   - Quee-m é  voo-cêê? - Ouvi uma voz tremendo descendo a escada.
   Joguei o corpo dessa adolescente, e olhei a mãe dela - provavelmente ela é mãe.
   - Sua família tem um ótimo sabor, não se preocupe, vocês vão para o mesmo lugar. - falei isso indo em sua direção, ela estava tentando correr mas peguei seu cabelo é joguei para trás a fazendo cair:
   - Porque? O que você quer?
   - Mais uma vez, o que eu quero você nunca vai conseguir pagar!
Falei isso é fui de encontro ao seu pescoço cravando meus dentes. Fiquei aqui uns minutos muito pouco para você saber.
   - SAIA DELA!!! - Gritou um homem e só ouvi um tiro de uma arma!
Olho em sua direção e vejo um homem, talvez tenha quase 40 anos, olhei para meu braço:
   - Acho que já terminei aqui.
   Falei isso é sai correndo, praticamente voando com a minha velocidade, no começo ele estava me seguindo mas logo não me acompanhou
    - Querido eu não sou humana. - pensei.
   Vi o muro a qual eu pulei - essa casa é muito grande, quando eu estava pulando alguma coisa acertou em mim, me desequilíbrio ao pisar no chão do lado de fora, e olho o meu braço vejo uma bala -pensou que fosse alguma estaca de madeira? Tiro ela rapidamente, e logo se cicatriza.
   Vou indo a direção que eu estava antes aquela praça, respiro fundo novamente e um cheiro de sangue, mas esse é diferente, tem um cheiro muito mais gostoso viro e vejo uma mulher clara com cabelo preto e um corpo escultural, quando dei um passo para ir atrás dela alguém segura meu braço:
   - Hey! O que pensa que está fazendo? - pergunto me virando indignada.
   - Você não precisa fazer isso, amanhã você irá se arrepender!
   - E quem é você? E porque diabos eu me arrependeria amanhã?
   - Eu sou o Liam … Liam Steve.
   - E eu te conheço?  - quem esse cara pensa que é? Embora ele me parece familiar.
   - Eu sou um novo aqui, nos conhecemos na escola hoje de manhã, você se lembra disso?
   - Você é aquele que estava com o … qual era mesmo o nome dele?
   - Você que dizer o Jack e o Alec?
   - Isso, você estava com eles não é? - aquele Alec, não gostei nadinha dele.
   - Isso mesmo, e isso já saiu do controle, se você matar mais uma pessoa ou aquela mulher você irá se arrepender e eu vou ser castigado por pensar que você tinha controle!
   - Quem você pensa que é? - falei tirando as mãos dele de mim.
   - Olha eu sou o Liam Steve Jobs Úvula! Se você não sabe o real motivo deste nome não é digna do seu próprio reinado!
   - Ok eu vou com você! - falei por fim, as pessoas estavam começando a olhar  a nossa 'conversa/briga'
   Mas eu iria? Não, não mesmo, me arrependeria no outro dia? Não sei talvez quem sabe, mas agora eu me sinto uma pessoa completamente difetente e nesse exato momento só consigo sentir esse cheiro de sangue que está passando rasgando em minha garganta. Comecei a segui - lo mas mais uma vez esse sangue, ainda estamos nessa praça - ela é um pouco extensa.
   - Me desculpe mas preciso fazer uma coisa primeiro. - falei me virando não dando tempo para ele reagir ou até mesmo pensar.
   Falei isso é sai o mais rápido que pude atrás da garota - acho que ele foi atras de mim nao sei, mas meus olhos estão diferentes não sei como,  vejo ela conversando com outras pessoas - devem ser amigos. Chego nela bruscamente:
   - Hey! - falou ela com certeza com raiva, o que melhorou ainda mais o seu sangue
   Peguei ela pela perna coloquei no meu ombro e sai correndo o mais rapido, não dando chance dela falar ou qualquer outra pessoa ali:
   - Me sooltaa!! SOCOORRO!! - gritou ela.
   Joguei ela acho que foi no mesmo beco com aquele homem.
   - Quem é você, o que quer?
   - As mesmas perguntas, vocês não se cansa?
   Peguei seu pescoço e ataquei, aquele sangue doce, ele não era como o do homem e sim diferente, quanto mais eu sugava mais eu queria:
    - Socoo … - acho que não deu para ela falar o resto da palavra, ela estava morrendo e eu sabia disso e isso me deixa mais alegre, ver eles sofrendo a tristeza que sua família pode passar, ou até alívio quem sabe né?
    Um sangue completamente diferente; doce ou amargo ou até mesmo os dois .. um sabor indecifrável de tão gostoso que estava. Dela não vi nada, não entendi porque eu via dos outros e o dela não.
   Larguei aquele corpo que agora não tinha mais nenhuma gota de sangue, acho que estou satisfeita - na verdade estava faz tempo mas eu precisava desse sangue. Saio desse beco, olho para trás e vejo dois corpos mortos, e uma sensação de felicidade e até mesmo alegria percorreu ao meu corpo:
    - O que? Porque?  - perguntei para mim mesma por todos esses sentimentos que agora estão confusos.
   - Isso porque você não me obedeceu. - falou uma voz, aquela mesma voz de dias atrás.
   - Ótimo agora estou ouvindo vozes.
   - Não você não está! - ouvi novamente essa voz mas atrás de mim viro rapidamente e vejo um homem, aquele mesmo homem que vi em minha casa. Espera, eu tenho casa, uma família esperando por mim.
   - E quem é você?  -falei me afastando.
   - Eu sou Sebastian, e você deve ser a Srt. Laurent Vlad, estou errado? Veja como você cresceu! Esta pronta para seguir o reinado que te espera?
    - E como você me conhece? Que coisa é essa? - esses olhos …
    - Fui eu quem te criou Srt. Laurent Vlad.
    - O q-ue? Coo-mo ass-im? - eu gaguejando? Sério?
    - Saia de perto dela!!! - Gritou Liam vindo em nossa direção.
    Ele ficou na minha frente e começou a … rosnar?
    - Eu estou avisando, não irei falar de novo! - falou isso é foi em direção dele, suas unhas cresceram, ele levantou suas mãos mas logo logo Sebastian sumiu das cinzas, literalmente das cinzas.
   - Quem é ele Liam?
   - Uma pessoa a qual você não precisa conhecer. - falou ele, com um tom de voz diferente, e raivoso?
   Ele falou isso é algo fincou no meu pescoço e minha visão foi escurecendo aos poucos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...