História I'm Like All - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Emilia Clarke, Justin Bieber
Tags Assassinato, Drama, Horror, Terror
Exibições 6
Palavras 1.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hi girls.

Capítulo 1 - Chapter I


Fanfic / Fanfiction I'm Like All - Capítulo 1 - Chapter I

Me lembro perfeitamente,eu tinha 6 anos de idade quando ela,minha mãe,se casou pela quinta vez e foi aí que todo o caos e a destruição de uma vida começou.Robert,chamado de Rob pelos mais íntimos,"meu padrasto",vivia dentro do quarto trancado o dia todo,era oque eu pensava,eu realmente achava que era timidez ou algo que ele tinha com a casa,mas aos poucos fui descobrindo o real motivo dele ficar no quarto trancado.Foi num fim de tarde,eu precisa de uma autorização para um passeio na escola,andei até o quarto vendo a porta encostada com uma fresta aberta,me dando a visão de suas costas e um de seus braços atuando em movimentos rápidos abaixo de sua cintura.Naquela idade eu não sabia o que aquilo significava,foi quando ele se virou,me fazendo arregalar os olhos,ele estava com seu membro para fora da calça.

-O que você quer?-Perguntou-me arrogante.

-Eu queria uma autorização para um passeio escolar.-Eu era tão inocente,tão dócil a ponto de pensar que aquilo não era nada.

-Você sabe o que é isso?-Ele realmente não se importou com a autorização,eu só balançei a cabeça negativamente.

-Quer saber?-Vi um sorrisinho em seu rosto,me fazendo balançar a cabeça novamente.

-Por que não?Eu mando em você!Você faz o que eu quero.-Seu comportamento mudou de forma repentina,olhei em volta do quarto parando o olhar em cima de uma mesinha onde haviam fileiras de um pó branco.

-Aquilo é só açúcar de confeiteiro,Scarlett,eu quero que você deite na cama.-Não dei importância à "açúcar de confeiteiro.",mas também não me deitei na cama.

-Você é surda ou o quê?-Aumentou o volume de sua voz e me puxou,jogando-me na cama.

-Eu quero que você fique calada e quieta.-Foi aí que ele me violentou,me violentou sexualmente,pra mim com certeza isso foi a pior coisa da minha vida,eu chorava tanto,eu tentava tanto segurar o choro,eu sentia tanta dor a ponto de pensar em coisas absurdas,até mesmo como a morte.Depois de seu trabalho,mandou-me ir para meu quarto,onde demarrei mais lágrimas.
Ao longo do tempo ele me violentava,e minha mãe,Débora,me fazia perceber algo de errado nela.Ela como médica,se ausentava o dia todo,e ele não,ele ficava no quarto.Aos meu 10 anos tomei coragem e pedi para que minha mãe trocasse o meu turno na escola e me colocasse no turno da tarde,talvez assim ele parava,mas foi diferente.Todas as manhãs depois de minha mãe sair para trabalhar e sustentar esse verme,ele repetia as violências.Eu pedia,eu suplicava,para ele parar,mas simplesmente ele não me escutava.
Uma vez eu ouvi a história do seu passado,Robert era um "vagabundo",sem emprego,sustentado pela mãe,agora sustentado pela minha mãe,e que tinha um filho,sua mulher fugiu com seu filho para o Canadá por medo do que ele fizesse com o mesmo.Maria,mãe de Robert viu no que seu filho se tornou e o expulsou de casa.Depois eu não sei o que aconteceu,mas desejaria que ele não conhecesse minha mãe.Comecei a fazer oposições e procurar alguma coisa que ocupasse a maior parte do tempo que eu ficava em casa,Estava tudo indo bem até que ele foi até minha mãe,dizendo para a mesma que eu não ia para as minhas aulas de dança e que eu ficava na rua com meus amigos,minha mãe,tão tola acreditou e me tirou da aula sem nem ao menos pensar na minha idade eu ainda tinha 10 anos como poderia fazer isso?Depois desses 4 anos sendo violentada,passei a ter um inimigo,eu nunca pensei que eu teria um ódio tão grande no meu coração,quando pensei em uma coisa que acabaria com o meu sofrimento.Peguei alguns comprimidos de minha mãe os quebrando até parecerem o pó que Robert usava,deixei no lugar do pó verdadeiro e esperei dentro do guarda-roupas.
Vi o mesmo inalar tudo,e consumir uma garrafa inteira de bebida alcoólica,seu corpo tremia e saia uma espuma de sua boca.O resultado disso foi 50 comprimidos de Bromazepan misturados com 29 de Rivotril triturados e inalodos,metade de uma garrafa de Uísque e um corpo caído no chão do quarto.Fiquei ali olhando para o seu corpo sem vida e eu sorria vitoriosa.Depois de um tempo ouvi minha mãe chegando e chamando pelo meu nome,eu não estava ligando pra nada do que acontecia fora dos meus pensamentos,mas eu via as sirenes,os vizinhos,todos me olhando enquanto eu estava sendo levada até um daqueles carros,"viaturas";

[...]

E hoje com 18 anos eu sou taxada como louca,como assassina;Hoje nós moramos no Canadá,e tudo o que acontecia era "Parabéns Scarlett!",na verdade eu não sei para que serviam os parabéns,aquilo era só mais um mês de psicólogos e mais psicólogos falando as mesmas coisas sútis,

-Scarlett?-Ouço minha mãe chamar-me.

-O que é?-Pergunto seca.

-O senhor Brandon está falando com você.-

-Fala.-

-Meus parabéns,pequena Scarlett Johansson.-Escuto sua voz rouca e lenta ecoar pelos meus ouvidos,fico olhando para a sua mesma aparência de sempre,calvo,grisalio,baixo,magrinho, corpo relaxado e um óculos de armação redonda e pequena caída na ponta de seu nariz.

-Obrigado,Senhor Brandon.-Sorrio sem graça e com desprezo.Volto o meu caminho até em casa abrindo a porta de forma bruta.Subo para o meu quarto me jogando na cama e ligando o som.

                      -Point of View-

Justin Bieber
Exactly 00:50 A.M

Todo os dias a mesma discussão,as mesmas falas,as mesmas ordens.

-Dá pra você calar a merda dessa boca?!-Falo alto.

-Justin,eu simplesmente te odeio,eu queria que você estivesse morto!-Ela adorava me desejar a morte.Pego minha arma mirando em sua cabeça e atirando, logo depois vendo seu corpo cair sem vida no chão,eu ria,mas na verdade é que eu não sei por que estou rindo,ela era minha namorada.Eu a matei,mas isso foi como se fosse uma pedra retirada do meu sapato.

-Preciso me livrar disso.-Falo para mim mesmo,e saio puxando seu corpo até o lado de fora da casa seguindo caminho até o meu carro,abro o porta-malas jogando o corpo no mesmo.Fecho a porta entrando na minha BMW e seguindo caminho até o lago.Desço e pego seu corpo jogando-o no lago.

-Durma bem,querida.-Digo as mesmas palavras de todas as noites e dou um sorrisinho psicopata,volto para casa me jogando no sofá.

                       -Point of View-

Scarlett Johansson
Exactly 1:50 A.M

Estava no meu quarto,quanto escuto uma gritaria na sala,desço as escadas me sentando em um dos primeiros degraus.vejo uma pessoa discutindo com a minha mãe.

-Pare,pense na Scarlett.ela é uma menina com problemas,não ficará muito tempo sozinha,ela não conseguirá.-Ouvi a mesma falar sobre mim,arqueio uma das sombrancelhas e vejo a pessoa de preto levantar um machado acertando diretamente em sua cabeça,dividindo-a em duas partes.

-Filha da puta!-Exclamo baixo.-Eu quem iria matá-la.-Cerro os punhos.
Desço as escadas vendo que a pessoa havia sumido,olho para os lados e sinto alguma coisa bater em minha cabeça e logo apago.

[...]

Acordo assustada e vejo sirenes.

-Puta merda.-

Falo para mim mesma,corro até meu guarda-roupas pegando minha mochila com algumas coisas dentro.Corro até a janela vendo muitas viaturas em frente a casa,corro até as portas dos fundos que dava direito para o lado de fora,corro por aquela calçada o mais rápido possível.Ouço um som abafado de pessoas e música,vindos de uma boate que havia ali,ando até a mesma adentrando-a.Olho para os lados e esbarro em alguém.

-Oh desculpa,eu estava distraída.-Levanto o olhar vendo um garoto,um homem muito bonito,seus olhos eram de uma cor caramelizada,loiro,e com um sorrisinho em sua boca.

-Tudo bem,gata.-Sua voz rouca e muito sexy faz com eu mordo meu lábio inferior e sorrio.

-Sou Scarlett Johansson,prazer.-Estendo a mão.

-Justin Bieber,prazer só na cama.-Tento segurar o riso mas não consigo.

-Prazer só na cama.-Falo do mesmo jeito e depois caio na gargalhada.

-Qual foi,princesa?-Chegou perto me intimidando.

-Ah chega pra lá,acha que com esse vocabulário de "malandro" vai me assustar ou algo do tipo?A me poupe né.-Faço aspas com meus dedos.

-A vai pro inferno.-Disse e saiu andando.

-Posso te mostrar que o verdadeiro inferno sou eu.-Falo um pouco alto e vejo o mesmo olhar pra trás e sorrir,porra que cara gostoso!Passo minhas mãos nos meus cabelos e ando até o bar pedindo uma Vodka,e consumindo até a última gota.
Depois do meu décimo copo de Vodka eu via tudo embaçado,pego meu celular vendo que era exatamente 4:08 A.M. levanto desengonçada da cadeira seguindo caminho até a saída cambaleando pros lados.Chego perto de um banquinho que havia ali e me sento no mesmo,deito apoiando minha cabeça em minhas mãos logo adormecendo.


Notas Finais


Espero que gostem ❣
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...