História I'm Not GAY! - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lay, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Suho, V, Xiumin
Tags Chanbaek, Clichê, Filmes Americanos, Jikook, Kaisoo, Kidoh, Namjin, Vhope
Exibições 80
Palavras 808
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei
Demorei, mas voltei

Eu trouxe um capítulo bem clichê mesmo, focado no Namjoon e como ele se encaixa ou n na fanfic
Clássico Namjoon das droga e que n quer saber da vida, sou clichê sim obg
N tenho mais nada a declarar então boa leitura ;u;

Capítulo 3 - III. Dope


Fanfic / Fanfiction I'm Not GAY! - Capítulo 3 - III. Dope

Kim Namjoon POV

Cigarros estavam jogados ao solo, algumas latinhas de bebidas alcoólicas estavam jogadas por ai. . . Vazando.

— Você tem que ir para escola. – Minha guardiã batia loucamente na porta, queria garantir meu futuro. — Kim Namjoon abra essa droga de porta!

O cheiro de podre era forte, mas eu me acostumei. Minha cama estava com uma grossa camada de roupas sujas e restos de comida, quem sabe um animal perdido lá no meio. Minha cômoda estava quebrada com as gavetas no chão vazias.
Meu quarto era um lixão.

Fui para o banheiro dentro do meu quarto e me joguei no chão sujo, acendi outro cigarro e liguei o chuveiro na água quente para ocultar o cheiro, sempre funciona.

    — Kim Namjoon não finja que está tomando banho eu sei que você está fumando seu vagabundo! – Ela voltou a gritar e esmurrar loucamente a porta.

                Minha guardiã. . . Meus pais estavam divorciados, minha mãe estava em algum lugar do mundo fazendo alguma coisa produtiva tipo salvando alguém e nos meus aniversários me mandava uma carta com alguma quantia em dinheiro e uma carta escrita “Parabéns”, meu pai era só um bêbado que não saia de casa e adorava ficar vendo filmes de romance com esperança de minha mãe voltar.
Eu sou um acidente.

Minha mãe não queria ter um filho, mas uma noite de jogos e bebedeira ela acabou engravidando, ela partilhava da mesma ideologia que eu.
 “Liberdade sem ter raízes, filhos são problemas”.

— Você é um vagabundo mesmo – Ela berrou tentando baixar minha autoestima que nem existe mais. – Eu não sei por que peguei sua guarda. Se sentir fome eu já fiz o almoço.

 

 

Passaram-se algumas horas e o número de cigarros no chão aumento, a banheira começou a vazar e o chão pareceu ficar mais limpo. Yoongi me enviou algumas mensagens notificando-me sobre uma festa que ele queria ir, ele alega que seria bom para “beijar umas bocas” ou “arranjar uns amigos”.
Por que Kim Namjoon está encalhado e não tem amigos.

Min Yoongi, meu único amigo e praticamente um irmão, filho biológico da minha guardiã e “Aumentador da autoestima do Kim Namjoon licenciado”.  Pessoalmente ele não tão positivo assim.
Esse albino maldito me apresentou as drogas em momentos de fraqueza além de convencer sua mãe a brigar na justiça pela minha guarda quando eu tinha tipo quatorze anos.

 

Será que eu deveria cortar os pulsos e fazer poemas de dor e sofrimento?

Um maço de cigarros para ficar feliz, um copo de cianureto para embarcar na maravilhosa jornada da morte. Vou virar um daqueles pensadores que fazem coisas extraordinárias e depois morrem ou só virar um vagabundo qualquer começar a namorar, casar e ter um casal de filhos lindos e depois morrer por câncer no pulmão.
Sempre vai acabar do mesmo jeito, minha morte.

Eu preciso parar de ter esses comportamentos perturbados, fico parecendo àquelas pessoas que ficam falando/postando em redes sociais “Queria estar morto”.

 

/ APP MODE ON /

Açúcar: Caralho Namjoon sai dessa merda de quarto, não escutou minha Omma berrar você?

Eu: Estou na minha crise de dor e sofrimento, me deixa sou emo.

Açúcar: Menos

Tô te esperando aqui fora para ir fazer alguma coisa. Sai desse quarto viado E PARA DE FOGO

Eu: Você é um doce.

/ APP MODE OFF /

 

Sai do banheiro lutando contra a luz que a minha janela entreaberta emanava, estava embriagado pelo tempo que fiquei dentro daquele recinto, minhas pernas estavam dormentes e pesadas graças ao tecido extremamente ensopado de minhas calças. Olhei-me do espelho e minha situação não estava tão ruim, meus olhos estavam levemente avermelhados e meu cabelo estava jogado para o lado.
Coloquei uma calça rasgada no joelho – E eu não comprei assim, e eu me pergunto todo dia como eu consegui rasgar – E uma blusa branca com uma estampa abstrata.

Finalmente sai do meu quarto, o corredor estava com certa luz natural emanada pelas diversas janelas através de sua extensão, estava decorado com vários quadros de Yoongi criança e algumas minhas que JiSoo conseguiu ao decorrer dos anos.
Ela é a melhor guardiã que eu poderia ter.

 

Finalmente a princesa chegou. – Pronunciou Yoongi com sarcasmo.

— Para onde vamos? – Respondi revirando os olhos.

— Para uma farmácia comprar coisas.

— Tipo?

— Você vai ver. – Retrucou confiante.

 

 

ROUBAR?! CÊ TA LOCO MIN YOONGI? – Berrei enquanto tentava recuperar o fôlego.

                Era mais ou menos oito horas e nós havíamos acabado de sair de uma farmácia às pressas, graças a Min Yoongi que teve a maravilhosa ideia de roubar alguns cigarros e itens diversos como alguns doces. O segurança do local agora nos perseguia loucamente pelas ruas da cidade, mas não iriamos para casa e nem iriamos parar ou pelo menos eu não.

— Parecia uma boa ideia na minha cabeça – Ele falou em meio a sua respiração alterada.

— VOCÊ TEM PROBLEMAS? – Gritei novamente



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...