História I'm Not Okay (Hiatus) - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB), My Chemical Romance, Pierce The Veil, Sleeping With Sirens
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Purdy, Bob Bryar, Christian "CC" Coma, Frank Iero, Gabe Berham, Gerard Way, Jack Fowler, Jacob "Jake" Pitts, Jaime Preciado, Jeremy "Jinxx" Ferguson, Jesse Lawson, Justin Hills, Kellin Quinn, Mike Fuentes, Mikey Way, Personagens Originais, Ray Toro, Tony Perry, Vic Fuentes
Tags Andy Biersack, Breeane Hills, Breerard, Denis Shaforostov, Kellin Quinn, Vic Fuentes
Visualizações 29
Palavras 3.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooi, não me matem agora kkk
Sei que demorei e tals, sei que o cap deve estar meio chato mas aproveitem essa chatisse e calmaria desse e dos próximos dois capítulos, pq eu pretendo fazer muita merda \o/
Mentira kkkk

( A garotinha na foto é a Dália❤)

Capítulo 19 - Meu psicólogo


Fanfic / Fanfiction I'm Not Okay (Hiatus) - Capítulo 19 - Meu psicólogo

P.O.V. JOHN

- Hey garotão, que tal ir para casa?- Jackie falou batendo em meu ombro. Eu estava super cansado, aquele caso estava sugando minhas energias. A um tempo que eu não via meus filhos, e não via Charlotte. Mas eu preciso... Ah droga, eu preciso dormir.

- Você assume aqui?

- É claro, eu já dormi, já tenho muito café... Vai logo embora, você tem uma mulher e filhos te esperando.- Ela disse sorrindo.

- Vamos pegar esse desgraçado pequena Jackie, nós vamos.- Falei pegando meu casaco. - Boa noite.

- Boa noite "chefe"!- Sorri e saí dali.

(...)

Eu quase dormi no volante duas vezes, e fiquei aliviado quando estacionei na garagem da casa da minha noiva. Peguei meu celular, mandando uma mensagem para Breeane e saí do meu carro. Fui até a porta peguei as chaves que estavam em meu bolso, abri a porta e Olhei para a esquerda e vi a luz da sala apagada, mas a TV estava ligada. Tranquei a porta e fui andando até lá, Charlotte estava quase dormindo.

- Oi meu amor.- Falei me sentando ao seu lado.

- Oi...- Disse com uma voz fraca.- Não sabia que voltava hoje.- Falou e ficou sentada no sofá.

- Jackie me obrigou a voltar para casa.

- Hm, aquela menina é um anjo.- Falou acariciando minha bochecha.

- Você também é meu amor.- Falei e a beijei, eu estava com saudades de beija-la.- Vem, você deve estar cansada.- Disse e a peguei no colo.

- Não mais do que você... - Falou. Desliguei a TV e fui subir as escadas.
E quando virei o corredor, escutei umas vozes fofas.

- Eles ainda estão acordados?- Sussurrei para ela.

- Eu os botei para dormir, só sai do quarto de cada um quando estavam dormindo.- Sussurou de volta.
Fui com calma até a porta do quarto de Dália, e a cena que eu vi foi uma das mais fofas do mundo.
Dália com seu pijaminha laranja e com os cabelos ruivinhos bagunçados sendo abraçada por Curt, que estava concentrado na história que Troy estava contando.

- A princesa legal pegou a espada e cortou a cabeça do dragão, que caiu mortinho no chão. Olhou para o príncipe e disse: - Eu não preciso de nenhum homem para me salvar,eu sou uma mulher independente e sozinha consigo dizimar exércitos!!

- Ela não bateu no príncipe machista?- Dália perguntou com a voz fraca.

- Ela não se rebaixou a isso querida.- Troy disse e se levantou, dando um beijo na testa de Curt e Dália.- Boa noite pestinhas.

- Boa noite Jack Frost!- Troy riu e se dirigiu a porta, mas congelou quando nos viu, eu e Charlotte com sorrisos bobos nos lábios.

- O-Oi pai, oi mãe.

- Eu jurava que a princesa legal ia dar uma surra no príncipe machista.- Charlotte disse saindo do meu colo.

- Oi mamãe! Oi papai!- Dália disse e se levantou em um pulo e veio nos abraçar. Nos soltou e olhou atrás de nós.- A minha irmã não veio?- Perguntou um pouco triste.

- Ela não veio hoje... Talvez amanhã vocês se vejam, olha vamos fazer um trato?- Perguntei me abaixando.

- Hm, continue.

- Todos vocês vão dormir agora, e amanhã todos nós vamos passar o dia juntos. Eu, sua mãe, você, Curt, Troy e a Bree. Que tal?

- Fechado!

P.O.V. GERARD

6:37 A.M.

Droga, eu havia dormido no sofá, de novo.

Tentei me levantar mas senti um aperto em minha cintura e um peso sobre mim. Arregalei meus olhos e olhei para ela, que estava dormindo em cima de mim. Como?! Eu me lembro muito bem de ter botado ela na cama, como ela veio parar aqui?!
Olhei para seu rosto, tão branquinho, a pele macia, o lábio inferior com o piercing no lado esquerdo ... Como alguém conseguia ser tão... Assim. Ela é linda de mais até para existir, era um pecado de tão perfeita...

Mas que porra está acontecendo comigo?! Por que ela mexe tanto assim comigo?! Eu, não. Eu não posso estar gostando dela... Ou posso? Eu não sei!! Droga, eu estou gostando dela. ( Avá Gerard, é mesmo?)

Passei meus dedos por seus cabelos, e percebi um pequeno sorrisinho da parte dela. E então lembrei de nossa conversa de ontem, como alguém pôde ter a coragem de machucar ela? Lógico, eram crianças, mas isso não justifica!! E porra, os cabelos dela são lindos!!

- Uhn...- ela resmungou e foi abrindo os olhos devagar. Eu olhei para aqueles olhos tão verdes e tão claros que pareciam ser transparentes e, definitivamente, eu estava apaixonado por aqueles olhos.

- Oi...- disse e levantou metade de seu corpo, eu fiquei imóvel porque, agora ela estava sentada no meu colo. Ela pareceu perceber e arregalou os olhos , ficando também imóvel.

- Hmm... Eh... Eu...

- Shh.- ela botou o indicador na frente de meus lábios e eu fiquei quieto. E ela sorriu, e que sorriso maravilhoso.- Desculpa. Eu acabei voltando pra cá e dormi.

- Você, veio pra cá quando?- Perguntei quando ela tirou seu dedo dos meus lábios.

- Quando eu fui abraçar alguma coisa e caí no chão.- Disse e riu, aquela risada era contagiante.

- Se machucou?

- Não, eu caí de cara no tapete. Não doeu.- ela disse como se aquilo fosse a coisa mais normal do mundo, me fazendo rir.

- Está com fome?

- Não...

- Como não?!

- Eu só não quero comer mesmo.

- Pelo menos aceita um café?

- Isso eu aceito!

(...)

E adivinha quem esqueceu que o irmão iria vir junto com a futura mulher para a casa dele? Eu! Palmas para mim!!

- Gerard, eu tenho que ir...- Breeane saiu já vestida com as suas roupas do banheiro.

- Hum, quer que eu te dê carona?

- Não precisa... Eu só vou ver minha irmã e ir para a casa da minha mã... Madrasta.- se enrolou com as palavras e eu me lembrei, a sua irmã.- Eu sei que não vai poder ir comigo visitar ela...

- Me desculpe...

- Tudo bem, o cemitério está quase sempre aberto então...

- Cemitério?!- Perguntei, ela pareceu se lembrar de algo.

- Ah, é mesmo, esqueci de te falar. Ela morreu quando eu tinha nove anos...- E então tudo começou a fazer um pouco mais de sentido.

- Então foi por isso que... Você não foi mais ...

- Patinar no gelo, isso mesmo. E também por isso que meus pais se separaram, foi por isso que nós nos mudamos, por isso que eu fiz a música Marry Cyd e etc...

- Fez para ela...- Falei mais para mim mesmo. Eu não imaginava aquilo, ela falava da irmã com tanto carinho, tanto amor...- Eu não imaginava isso... Nossa.- Falei tentando absorver as informações.

- Tudo bem...

- Você sonha com ela?- Falei sem pensar, ela ficou sem expressão alguma.

- Sim. E tenho pesadelos com a morte dela muitas vezes... E sei onde quer chegar, e eu te aconselho, pare.- Falou seca. Me arrependi profundamente.

- Me descul...

- Tchau Gerard.- Falou indo até a porta, eu fui atrás.

- Me desculpa! Eu não sou seu psicólogo, não tinha o direito de fazer aquela pergunta!- Falei segurando seu pulso. Ela virou devagar sua cabeça em direção a mim. Com os olhos marejados.

- Verdade, você não é meu psicológico, e não tinha o direito de fazer aquela pergunta!- disse puxando seu pulso e abrindo a porta, saindo. Eu não deixaria que ela saísse antes de me desculpar. Eu a peguei pelos ombros e a virei para mim.

- Me solta!

- Não!- Ela arregalou seus olhos.- Quer dizer... Não antes de você me perdoar. Olha, eu juro que nunca mais toco no assunto, mas por favor, me perdoa?- Quase implorei , percebendo só agora a mínima distância de nossos lábios.
Ela não disse nada apenas olhou em meus olhos, segurou em minha nuca e me beijou.







Ela me beijou...







Ela me beijou?





Sim!







Ela está me beijando!



Segurei em sua cintura, ainda um pouco assustado pela iniciativa e fechei meus olhos, aprofundando o beijo. Ela estava quase se desequilibrando por estar nas pontinhas dos pés, abracei sua cintura e a levantei.
Sua língua fazia uma leve massagem sobre a minha, seus lábios deslizavam sobre os meus e eu sentia seu gosto, era tão bom. Ela baguncou meus cabelos passando seus dedos por eles e eu sinceramente estava amando aquele momento. Nos separamos por falta de ar e nos encaramos.
Ela me olhou nos olhos, botou as mãos em meus ombros e pulou em meu colo, abraçando minha cintura com suas pernas, voltando a me beijar.
Cambaleei para trás, batendo minhas costas na parede do corredor. Ela botou suas mãos uma de cada lado do meu rosto e mordeu meu lábio, o puxando levemente.
Nos separamos e ela me olhou de uma forma diferente, de uma forma... Apaixonada?

- Acho que... Eu te desculpo.- Falou. Eu sorri botando uma mecha de seu cabelo atrás de sua orelha.

- Você tem mesmo que ir?- Perguntei.- Mikey e Alicia vão vir para cá...

- Tipo, agora?- Perguntou.

- Tipo agora.- Quando eu falei , escutamos o som do elevador, arregalamos os olhos e ela em um segundo já estava no chão, no outro lado do corredor. E as portas do elevador se abriram.

- E aí irmão, o que você faz a... Bree?- Mikey, reparador como sempre, notou aquela ruivinha encolhida no corredor.

- Oi Mikey...- Falou de cabeça baixa. E logo Alicia foi correndo até ela com um sorriso enorme.

- Você que é a Breeane?!

- S-Sim...

- Prazer em finalmente te conhecer! Eu sou a Alicia, mas pode me chamar de Aly!- Falou rápido, Breeane ergueu a cabeça e sorriu com as bochechas totalmente coradas, até já imagino o porquê.

- Pode me chamar de Bree, ou Breean, como quiser!

(...)

P.O.V. BREEANE

Alicia era realmente divertida, Mikey tem sorte por poder casar com ela.
Eu estava ao lado dela, quando escutei o começo de Kick Me tocar, era meu pai. E sim. Eu havia configurado essa música como toque, mas só quando ele ligava. Pedi licença e atendi me levantando.

- Olá senhor Daniels Hills.

- Oi Bree!

- Dália?

- Aonde você está? Nós fomos até a casa do papai e você não estava lá.

- Eh... É que eu... Sai, eu saí meu amorzinho, vocês ainda estão aí?

- Sim. O papai disse que hoje todos nós iríamos ficar juntos!

- Ele disse né...- Me virei e os três estavam olhando para mim.- Está bem, eu já estou voltando tá? E diz pro Curt que eu tenho uma coisa pra falar com ele!- Falei e sorri.

- Tá bom! Nós vamos esperar sim! Tchau, te amo Bree!- Disse e eu senti meus olhos marejados. Que fofura!

- Tchau minha ruivinha... Eu também te amo. - Falei e ela desligou, eu ainda não estava acreditando... Ela disse que me amava. Foi tão fofo.- Meu deus...

- Você já vai?- Alicia Perguntou.

- Tenho que ir... Meus irmãos estão me esperando... Meu deus...

- Quer que eu te leve?- Gerard Perguntou já se levantando.

- Não precisa...- Cruzei meus braços. Sim, eu sou muito teimosa, pior que criança, como Etan diz.

- Breeane...

- Gerard!- Falei, nós nos encaramos e eu fiquei parada ... Merda, ele também está parado... Filho da...- Droga.

- Vem logo.- Falou rindo e pegou suas chaves. Alicia estava prendendo o riso, na verdade acho que ela está morrendo.

- Alicia... Pode rir.- Falei e ela soltou uma gargalhada.

- Vocês são tão bonitinhos cara.- Falou, e eu logo olhei para Mikey.

- O que você deu pra ela?- Perguntei séria. Porque não é normal alguém falar como um drogado naturalmente.

- Acho que ela tomou alguma coisa antes de sair de casa.- Ele Falou balançando a cabeça negativamente.

- Bom, cuida dela, tchau Mikey.

- Tá... Ah, Bree!

- Sim?

- Eu e ela vamos mandar o seu convite pelo Gerard, pode ser?

- Espera, convite do casamento de vocês?

- Sim.- Falou.

- Nossa, mas já?

- Pois é, queremos nos casar o quanto antes.- Falou sorrindo, sinceramente, esses dois tem sorte.

- Tudo bem... E lembrando que...

- É, lembrando que você vai ser nossa madrinha de casamento porque foi você que me deu a ideia ideal de como pedir e blá blá blá, eu sei disso.- Falou e eu sorri.- Tchau, vai logo porque o Gerard tá com uma cara de quem quer matar alguém.- Falou e eu olhei para Gerard, corre Daniels Hills!!
Fiz uma corridinha gay até ele é passei pela porta.

- Não botem fogo no meu apartamento, tchau.- Falou se referindo a Mikey e Alicia e fechou a porta.- Vamos?

- Vamos.- Falei, fomos caminhando até o elevador e entramos. Ele apertou um botão e a porta fechou.

Me virei para o espelho do elevador e fiquei me olhando, eu estava com o moletom de Gerard ainda, olhei para o meu pescoço, puxei um pouco a gola do moletom para baixo e encarei a pele branca.

- Gerard, que tatuagem você acha que ficaria boa aqui?- Perguntei me virando para ele.

- Talvez algo com fogo, como uma...

- Fênix?!- Falei.

- Isso, ficaria bom... Ou algo com a cor azul, iria se destacar bem.- Falou tocando meu pescoço. Sorri e dei um passo para frente, ficando a milímetros de distância dele. Antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, a porta abriu e ele se distanciou .

- Vem.- Falou pegando na minha mão, nossas mãos eram de diferentes tamanhos, mas ficavam lindas juntas.

(...)

Hoje eu não iria visitar minha irmã, acho que ainda não estou preparada para ter mais pesadelos e ver coisas.
Gerard ainda se lembrava do caminho até minha casa, já que ele havia me levado para casa quando eu estava morrendo por causa de uma ressaca. E também não sei como, ele conseguiu trazer meus livros, eu havia me esquecido completamente deles.
Ele parou o carro na frente da minha casa, e eu sorri ao ver o rostinho de Dália quase colado a janela, provavelmente me esperando.

- Tchau, até, amanhã?- Perguntei a ele, pegando meus livros.

- Até amanhã.- Falou, me virei para a porta e a abri minimamente , olhei para fora e pensei um pouco... Cara, se eu já beijei ele antes, por que não agora?
Me aproximei rápido dele, segurei em seu queixo e selei nossos lábios.

- Até amanhã!- Falei sorrindo me separando dele, saí do carro e fechei a porta. Virei para frente e Dália me viu, deu um sorriso é saiu rápido da janela, fui correndo até as escadas, atravessando o jardim, subi as escadas e ela abriu a porta.

- Bree!- Gritou e pulou em mim.

- Oi ruivinha.- Falei tentando segurar ela é meus livros, o que não deu muito certo, já que meus livros caíram das minhas mãos.

- Desculpa.- Falou se separando de mim.

- Não tem problema.- Falei para não preocupar ela, porque porra! Os livros são do Adam Fucking Woods! Eu amo esse cara! E sou apaixonada por seus livros!
Me abaixei tentando pegar todos, mas alguém pegou o resto deles.

- Que intelectual, Queen.-

- Bleh, nada a ver, eu sempre li.- Falei e fiquei de pé, olhando para Troy. - Oi!- Falei e ele riu.- Qual é a graça?

- Seu sotaque... É adorável.- Falou e minhas bochechas coraram.

- Eu tenho mesmo sotaque?

- Tem!- Curt brotou na sala do nada.- Sotaque Francês! É bem legal.

- Tá bom, talvez eu tenha um pouco.- Falei e lembrei de meu pai.- Segura.- Falei botando os meus livros em seus braços. Fui passando pela sala e mexi nos cabelos de Curt.- Oi Curt, depois tem uma pessoa que quer falar com você!

- Oi! Que pessoa?

- Surpresa.- Falei saindo da sala e entrando na cozinha. Onde Charlotte estava sentada no balcão e meu pai estava na sua frente, que fofo, eles estavam se beijando.- Ooi gente.- Falei e eles se separaram.- Pai, antes de você me dar uma bronca deixa eu explicar, eu não bebi, não me droguei, não pari um filho nem nada, eu só sai com a banda, a "trabalho", conseguimos um show para quarta feira em um bar, e vamos ganhar um bom dinheiro por esse mini show, e eu só não dormi em casa porque já era muito tarde para voltar sozinha, por isso eu dormi na casa de um amigo...

- Aonde fica esse bar?

- Fica mais pro centro da cidade.

- Ata, sei onde é.- Falou.

- Mesmo?

- Sim, seu tio vai lá de manhã e a noite, eu já até perdi a conta de quantas vezes eu tive que buscar ele lá por ele estar bêbado.- Falou e eu ri.

- Mais um show que eu vou perder.- Charlotte Falou meio pra baixo.

- Nada a ver! Você pode ver o ensaio, é exclusivo viu?- Falei e nós rimos.

- Está bem!- Falou ela descendo da bancada.- Agora senhorita Breeane, vá se arrumar porque hoje todos nós vamos passar o dia, tarde e noite juntos!- Falou sorrindo passando seus dedos por meus cabelos.

Era tão louco, eu posso ver nitidamente os traços de Marry em seu rosto. Seus olhos azuis , o cabelo loiro, a pele clarinha... Igual a minha também. Ela é mais parecida comigo do que Clarisse. Eu nunca enxerguei Clarisse como uma mãe, eu apenas via ela como uma mulher que me deixava morar em sua casa, nos nunca tivemos uma real "conexão de mãe e filha", nem nada disso. E se parar pra pensar e analisar... Clarisse não tinha nenhuma característica que eu e Marry tínhamos, ela tem cabelos castanhos, eu e Marry cabelos ruivos e loiros, eu tenho olhos verdes, Marry tinha olhos azuis, nos duas tínhamos peles claras... Clarisse tinha pele morena e olhos castanhos.
Naquele momento eu me assustei, e se...

- Tá, eu vou tomar um banho e me arrumar... Já volto.- Falei , dei um abraço nela, saí da cozinha e fui em direção das escadas.- Dália?

- Sim?

- Vem comigo!

Continua...


Notas Finais


Cap meio sem graça , tirando o bjo Breerard ❤✨🌈
Cara, qual pode ser o Shipp?
Breerard ou Geeane?
Ou comentem um Shipp bom pra eles😹😹
Bjs da Tay❤✨🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...