História (im) perfeitos - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lucius Malfoy, Minerva Mcgonagall, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Ronald Weasley, Tom Riddle Sr.
Tags Dramione, Romance
Exibições 170
Palavras 770
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem a demora mas estou com alguns problemas. Obg por não desistirem da fic =')

Capítulo 8 - Hospital


HERMIONE 

Minha cabeça dói. O cheiro de álcool com desinfetante invade minhas narinas fazendo meu estômago embrulhar. Onde estou? Forço meus olhos a abrirem. Um quarto branco. Um som de "bip bip" constante. E as lembranças do pior dia da minha vida começa a penetrar minha mente... 

" - o que aconteceu com ela? uma voz feminina desconhecida fala

-os pais morreram naquele acidente,passou na TV você não viu? Outra responde 

- a do jornal das nove? Pergunta a primeira

-sim, esse mesmo. Pobrezinha... "

Calem a boca! Calem a boca! Quero dizer a elas, quero gritar pra elas!Elas pensam que estou dormindo, elas pensam que não posso ouvir. Meus olhos estão fechados não consigo abri-los, quanto mais me esforço não consigo... Parem de falar dos meus pais, eles eram mais do que o casal que morreu na estrada, mais do que as pessoas do noticiário das nove... Parem de falar! Parem! Parem! Fiquem em silêncio! Eu não quero ouvir... Eu não quero ouvir... Não quero... Por favor... Por favor... 

- Hermione?! uma voz grossa parecendo alterada me chama. Quem é? Eu acho que já ouvi essa voz antes... Não ouvi? 

-Hermione! Seu tom é firme agora e a lembrança se desvanece como a espuma do mar quando chega a areia. Olhos cinzas me fitam 

Draco... 

-você está bem? Ele pergunta

-balance a cabeça. Por favor. Seu tom é suave agora. Faço um gesto de escrever com a mão e ele me entegra seu celular ao invés de papel e caneta

"quero ir embora" escrevo 

-você não pode ir, é melhor que eles façam mais alguns exames para garantir que esteja realmente tudo bem.Faço que não com a cabeça repetidas vezes e escrevo

"não! Não posso ficar aqui! Por favor me leve embora!" antes que ele diga alguma coisa dois médicos e uma enfermeira entram no quarto 

-acordou isso é ótimo. Seu marido estava muito preocupado, quase tivemos que chamar a segurança do hospital mas felizmente... Paro de ouvir. Meus dedos agarram com força os lençóis brancos da cama. Tão frios. Tão frios. 

-... Vamos apenas fazer alguns exames por precaução.. Sua voz volta e ele se aproxima de onde estou. Não.. Não...  Agarro a camisa de Draco e vejo seus olhos arregalarem. Ele segura minha mão e seja o que for ele ele ver em meu rosto o faz empalidecer 

-senhora seu marido não vai embora, fique tranquila. A voz feminina diz. Aperto ainda mais minhas mãos em sua roupa. 

Por favor... Por favor... Imploro silênciosamente 

-eu vou leva-la para casa. Sua voz é meio incerta mas mesmo assim firme

-é melhor ela ficar essa noite. Diz o doutor e meu coração bate forte e de repente sinto vontade de chora, de vomitar, de sair correndo... 

-respire, respire, eu vou levar você para casa.. Apenas respire... Me acalmo e tento respirar fundo, 1...,2...3...

-isso mesmo... 

-senhor ela não pode ir. Diz o segundo médico 

-vou leva-la. Isso não está em discussão aqui. Draco diz com voz fria sem desviar os olhos dos meus

-eu irei chamar o médico. Você não me disse que o ferimento foi superficial? 

-sim, mas... O medico tentar argumentar e draco o encara 

-eu assumo a responsabilidade por minha esposa e como eu já havia dito há poucos segundos eu irei chamar o médico. Eles parecem medir o olhar mas nesse jogo Draco é o melhor

-ok. Se ela sentir náuseas a traga imediatamente. Draco concorda. 

-pronta? Sua pergunta é suave, tão suave que me faz pensar se realmente era ele o dono da voz gélida a poucos minutos.Balanço a cabeça (sim). Ele pega o celular que estava na cama e o coloca no bolço

-vamos. Ele diz antes de me erguer. Seu corpo está tão quente que me aconchego nele enterrando minha cabeça no seu pescoço. Fecho os olhos e me concentro apenas naquele calor, nesse cheiro inebriante de madeira e seu próprio aroma único 

-estamos quase lá. O ouço depois de alguns minutos. Chegamos no estacionamento do horpital e Draco me coloca dentro do carro

-você está bem? Ele olha para mim e parece preocupado e me pergunto por que de repente ele esta assim comigo... Não, ele só quer ser gentil. Faço outro "sim" 

-vou colocar seu sinto. Ele se inclina sobre mim e prendo a respiração quendo seu cabelo rosça em minha pele. Meu coracão acelera e duvido que seja pelo hospital dessa vez.. Ele olha para mim e seu nariz está a um fio de tocar o meu

-você... Ele diz e algo em seu tom faz minha pele arrepiar

-... Vai ficar bem. Ele volta para o banco de motorista e liga o carro. 

Espere, ele disse que eu era sua esposa? 


Continua... 






Notas Finais


Obrigada por lerem ^_^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...