História I'm pregnant, Jungkook - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Kookmin, Namjin, Taeyoonseok, Vhope, Yoonseok
Visualizações 145
Palavras 2.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AE CACETE EU DISSE QUE IA VOLTAR ESSA SEMANA, SEXTA FEIRA CAMBADA.
Queria pedir desculpa pela demora e dizer que amo vocês.

Boa leitura!

Capítulo 4 - Um bebê, hyung


Jungkook resolveu naquela manhã ensolarada de domingo que levantar da cama não seria lá uma escolha muito inteligente. Pelo menos não quando havia um Park Jimin grudado em si feito um gatinho manhoso em busca de carinho; ele sentia as pernas do menor apertando as suas quando tentava algum movimento para sair, além dos braços grudados em seu pescoço e a cabeça apoiada em seu peito. 

Jimin de fato era maravilhoso de qualquer jeito ou ângulo, inclusive dormindo em cima de si todo preguiçoso e quase que completamente deitado em seu corpo. O único problema mesmo era que ele tinha assuntos a resolver naquele domingo, tinha uma reunião com o CEO da empresa, uma gravação do pratice dance de sua música e uma entrevista depois. 

É, tinha muito o que fazer, mas com o pequeno grudado em si não seria possivel. 

- Minnie... - Jungkook afundou o rosto nos fios rosinhas, aspirando o cheiro gostoso de morango emanando deles, logo deixando um beijo carinhoso no topo da cabeça do outro. 

- Hm... - ouviu um resmungo preguiçoso da parte do garoto. - Para, Kookie... - Jimin bateu na mão que acariciava sua cintura suavemente, formando um bico inconformado no rosto enquanto se remexia por cima de Jungkook. 

- Minnie, eu preciso levantar, bebê. - os dedos esguios passaram por alguns fios na resta do menor, os tirando dos olhinhos pequenos. 

Jeon sabia que não adiantaria tentar acordar aquele garoto dorminhoco, então somente deitou o corpo pequeno delicadamente ao seu lado na cama, o embrulhando até a cintura bonita. 

Praticamente se arrastou até o banheiro, queria tanto ficar em casa e aproveitar o dia com Jimin, mas infelizmente não seria possível. 

Saiu do banheiro depois de um banho demorado, a toalha pendia em seu quadril, o peitoral molhado pingava gotas até se dissipar no tecido branco. O mais novo viu na cama o corpo ainda adormecido na mesma posição que deixara antes e acabou sorrindo um pouco bobo, tinha tanta sorte por ter Jimin só pra si, tanta que não podia conter a felicidade só de estar ao seu lado. 

Jeon andou pelo quarto até o closet, era vaídoso, então demorou certo tempo para escolher uma calça apertada, camiseta preta lisa e a sua inseparável timberland. 

Ele deixou a toalha cair no chão num baque mudo, seu corpo ficou completamente exposto, vestiu uma box vermelha e logo em seguida puxou a calça no intuito de vesti-la também, só não o fez de fato por ter escutado um resmungo atrás de si. 

Virou-se calmamente e encontrou um Jimin sentado na cama, coçando os olhinhos e bocejando preguiçosamente enquanto tinha um biquinho fofo nos lábios; Jungkook quis morde-lo, mas apenas sorriu e foi até o menor. 

- Bom dia, mochi. - beijou a bochecha gordinha e corada pelo calor que fazia mesmo sendo tão cedo. 

Park não respondeu nada, levantou os braços para o mais novo num claro pedido para que o pegasse no colo. 

Jeon riu, mas não contestou, envolveu os braços fortes em volta da cintura alheia e o trouxe para cima rapidamente, apertando as mãos nas coxas grossas afim de ajeita-lo melhor. 

Jimin resmungou ao ter sua carne apertada com tanta força logo quando acabara de acordar, suas pernas envolviam o corpo do namorado e seus bracinhos curtos o envolviam no pescoço. 

- Para de me apertar, Jungkookie. - balbuciou abafado. Apenas recebeu um tapa na bunda como resposta, o que o fez resmungar e bater no ombro do mais novo em protesto. - Eu vou morder você. - reclamou baixinho, apertando as pernas na cintura do mais alto. Sua voz soou inevitavelmente fofa, como uma criança manhosa em busca de carinho -embora tivesse realmente tentado soar ameaçador. 

- O que disse, Minnie? - Jeon indagou com um sorriso no rosto. 

- Aish! Eu disse que eu vou te morder. - o pequeno não teve ao menos tempo de retrucar mais, Jungkook puxou sua bochecha contra os próprios lábios formando um estalo ao morde-la fracamente, isso tudo porque Jimin inflava as bochechas de maneira fofa demais para não ser mordido. 

- JUNGKOOKIE! - e lá estava a voz estridente e insatisfeita em seus ouvidos mais uma vez. Jeon somente riu, andando para fora do quarto com um baixinho em seus braços reclamando o tempo todo. 

Chegaram a cozinha depois de descer as escadas; o moreno colocou Park em cima do balcão, endireitou o corpinho delicado e deixou um beijo na testa do mesmo. Ainda havia um biquinho nos lábios rechonchudos, mas este logo foi desfeito com breves selinhos. 

- Deixa o Jungkook se trocar, hm? - um selinho. - Eu tenho que ir trabalhar hoje... - outro selinho. - E você vai se comportar direitinho hoje pra mim, certo? - e um último selo. 

Jimin olhou o namorado de baixo, abraçou seu tronco e deixou um beijo delicado em sua bochecha.

- Ok, Jungkookie. - eles não disseram mais nada, Jimin descia do balcão enquanto Jungkook voltava ao quarto para terminar de se arrumar. 

Mais um dia de uma rotina demorada e cansativa se iniciava. 



... 



Jin suspirou em meio aquela poeira toda proveniente da estante de livros que estava tratando de limpar. Péssima ideia. O ataque de espirros o fez ter que descer rapidamente da escada que usava pra alcançar o topo daquilo com pressa. 

Fala sério, por que Namjoon não poderia dar uma limpada naquilo mais vezes? Os quase quinhentos livros ali organizados eram todos dele, afinal. 

- Amor? Tudo bem? - era como uma praga, lá estava o loiro com um semblante preocupado enquanto se aproximava rapidamente de Jin que tinha os olhos vermelhos, a boca seca e o rosto inteiro num corado vivo. 

- Me trás... Água. - Namjoon assentiu apressado, correu até a cozinha da casa e voltou com um copo cheio de água. 

Seokjin bebeu aquilo tão rápido que foi quase sobrenatural, mas logo se encontrava recuperado e respirando normalmente outra vez. 

- Amor... - Namjoon chamou meio acanhado e Jin soube que havia algo errado. Os óculos sob seu nariz fino estavam tortos, e o mais velho fez questão de ajeita-los com cuidado. 

- Pode falar, Nammie. 

- É que... - o suor começou a brotar na testa do garoto, ele estava visivelmente nervoso e é claro que Seokjin notou isso. - Eu... Eu... Eu sou bonito? - Namjoon soltou como se fosse um peso sendo colocado pra fora automaticamente. Jin franziu o cenho totalmente confuso com a pergunta.

Por que isso agora?

- Por que está me perguntando isso? 

- Eu só... Queria saber. - o loiro abaixou a cabeça, esfregando os dedos longos contra a camiseta longa. 

Namjoon era timido, muito timido; desde o ensino médio, quando Jin o conheceu, ele era o tipo de adolescente calado e sem amigos, centrado, praticamente um gênio por conta do QI absurdamente alto. 

Apenas na faculdade, passou a conversar melhor com os outros por influência do mais velho, que o incitava a fazer amigos e ter menos vergonha. 

Porém, era óbvio que muito da timidez não havia sumido, ele se mostrava um homem maduro e impositivo aos outros, mas para Jin, não conseguia mentir, era sempre muito natural o tempo todo, deixava suas emoções em evidência sem medo. 

- Você é lindo, Nam. - o castanho sorriu, fazendo o outro sorrir meio desconcertado também. - Você é simplesmente a coisa mais linda que eu já vi. - Namjoon sorriu mais abertamente agora, seu hyung sempre o deixava bem quando tinha uma daquelas crises que deixava sua auto estima baixa, quando passava a se perguntar o que um homem lindo como Seokjin vira num nerd anti-social. - Nem pense nisso, Kim Namjoon. Eu te amo muito, eu amo você, o seu jeito, o seu corpo, tudo. - era como se Jin lesse seus pensamentos, e ele gostava disso, gostava quando sentia todo aquela angústia e insegurança irem embora. 

- Eu também te amo, hyung. - sorriu largo, deixando suas covinhas em evidência. 

O mais baixo sorriu junto, vendo os pontinhos tão adoraveis em cada bochecha; ele puxou o loiro com calma e encostou os lábios lentamente, movendo-os apenas num selinho, mas que logo passou a um beijo quando Namjoon pediu passagem com a lingua e Jin apenas deixou que o mais novo fizesse o que quisesse. 

Eles se beijavam com calma, os estalos eram ouvidos por todo o cômodo, as linguas lutavam por espaço e quando viram, já se encontravam num ósculo mais rápido e afoito, beijando-se como se a qualquer momento pudessem se fundir um ao outro. 

Quando o folego se esvaiu, Namjoon desgrudou os lábios dos de seu hyung e os escorregou para seu pescoço, beijando e mordiscando a área branquinha, macia. 

- Nam... - suspirou, apertando os dedos nos fios louros do namorado. - Nam, alguém pode nos ver... - tentava falar sem gemer entre as palavras agora que sentia fortes chupões serem distribuidos por sua tez. 

- Ninguém vai nos ver, hyung... Por favor, faz tempo que a gente não faz... - é claro que Namjoon tinha que usar aquela voz terrivelmente excitante para convence-lo. Aquela voz que deixava todo o seu corpo irrepiado. 

- Você joga sujo comigo, Namjoon. Muito sujo. - o mais velho ralhou baixinho quando sentia as caricias se intensificando cada vez mais. 

O Kim somente riu sapeca, deixando um beijinho na clavicula exposta do menor, queria tanto seu hyung, tanto... 

Jin sentiu seu celular vibrar em seu bolso. Ouviu um muxoxo meio baixo de Namjoon, que ao notar que o castanho realmente atenderia, cruzou os braços e formou um bico chateado nos lábios. 

- Só um pouquinho, amor. - Seokjin beijou o nariz do mais novo e o viu resmungar, mas não ligou muito e rapidamente tirou o celular do bolso. 

Era Jimin. Jin franziu o cenho, o que ele podia querer? 

- Oi, Minnie. - disse ao atender. 

- Hyung... 

- Lá vem, você só me chama assim quando quer algo. O que é dessa vez?

- Ya! Eu só queria uma companhia, o Jungkook foi trabalhar hoje, não queria ficar sozinho. 

- E quer que eu vá pra aí? - deduziu o óbvio. 

- Sim. Eu até diria pra você trazer o Namjoon hyung, mas não queria ficar de vela. - Jimin fez um biquinho do outro lado da linha. 

- Não se preocupe. - Jin riu. - Namjoon está ocupado hoje, o chefe dele fez questão de passar trabalho o suficiente pra ele se divertir o fim de semana inteiro. 

- Oh. - o mais novo também riu. - Ok, hyung. Venha logo, tenho uma coisa pra te contar. 

Jin apenas concordou num murmurio e desligou. 


...


- VOCÊ TÁ O QUE? - Jimin se encolheu no sofá, tentando fazer aquele zumbido passar, mas o grito de Seokjin era alto demais pra não deixar alguém surdo. 

Eles estavam sentados um ao lado do outro, conversando normalmente até o pequeno citar sua mais nova descoberta sobre uma gravidez; foi questão de segundos para ter seu hyung histérico lhe perguntando como isso aconteceu. 

- Ai hyung, só aconteceu... - o menor balbuciou. 

- Aconteceu?! Puta merda, e agora? Vai ser uma criança cuidando de outra, o que o Jeon tem na cabeça?! - Jin andava de um lado pro outro, bagunçando os cabelos em frustração; ele mataria Jungkook mais tarde. 

- H-hyung... Calma, o Jungkookie já sabe, ele disse que vamos cuidar desse bebê juntos. - Jimin estava tão encolhido contra as almofadas que quase se sentia parte delas. 

- É claro que vocês vão cuidar juntos, na hora de colocar o pinto dele em você foi bom, agora o minimo que pode fazer é ter responsabilidade. 

- Ya! N-não fale assim, hyung! - o menor fez um bico adorável, porém logo murchou a expressão, olhando triste para o mais velho. - Você não gostou da notícia, não é, hyung? Achei que fosse gostar... Eu juro que vou cuidar desse bebê. - o garoto de cabelo rosa abaixou a cabeça, acariciando o ainda inexistente volume em sua barriga, tentando não pensar que seu hyung tivesse odiado a notícia de que seria "vovô"; Jin era uma pessoa extremamente importante pra si, então não ter o apoio dele era como uma facada no peito. 

Seok suspirou, deixou os ombros antes tensos caírem relaxados e fitou Jimin com uma clara culpa estampada no rosto. 

É claro que havia gostado da notícia, só não esperava por ela, por isso a reação exagerada.

- Minnie... - agaixou-se de frente ao garoto, puxando as pequenas mãos para as suas. - O hyung gostou da notícia, eu só não esperava, mas eu gostei muito, faz tanto tempo que eu não me imagino cuidando de alguma criança. - Jin formou uma expressão amarga no rosto ao lembrar-se da fase dolorosa de sua vida que foi ter perdido sua filha num aborto espontâneo; se lembra de ter tido depressão e de como sua vida se tornou depois daquilo, vazia e sem sentido, até que teve de se conformar mesmo que ainda doesse muito. 

Não desejaria o que sentiu a ninguém, nem mesmo aos seus piores inimigos, ainda que em todo tempo Namjoon o consolasse e disesse que poderiam tentar novamente. 

- ... Hyung? Hyung! - Jimin já estava irritado por estar sendo ignorado, Jin parecia completamente alheio. 

- Hm? Oh, desculpe, Minnie. - o castanho balançou a cabeça de um lado pro outro, tentando disperssar as lembranças. 

- O que estava pensando, Hyung? 

- Eu? Nada... 

- Qual é, hyung... - Park o olhou, como se soubesse que estava mentindo, e ele sabia. - Me conta. 

Seokjin respirou pesado, escondendo o rosto entre as duas mãos, mentir para Jimin era o mesmo que mentir para Namjoon, eles nunca acreditavam. 

- Eu só estava pensando que eu poderia estar com a minha filha agora... - disse, meio baixo e desanimado. 

- Hyung... Eu sei que ainda dói, mas já faz tanto tempo, por que você e Namjoon hyung não tentam de novo? 

- É que não é tão simples assim, eu- Jin parou de falar assim que escutou o nome de Jungkook ser dito no programa de fofoca que passava na TV. 

Jimin não prestou atenção de imediato, mas algum tempo depois, ao ver a foto do namorado na tela, se assustou com a legenda e a foto que apareceu em seguida. 

Jungkook estava próximo até demais de uma mulher, os dois estavam num café, e a legenda só o deixou pior. 

"Uma amante? Um novo amor? O que Jeon Jungkook pode ter com esta bela moça?" 

Aquilo fez seu dengue ferver. Todos sabiam do relacionamento dos dois, e... E Jungkook estava tão perto daquela mulher que Jimin sentiu seu peito arder. 


Que porra era essa? 


Continua...


Notas Finais


EAE PESSOAL, GOSTARAM? COMENTEM! BEIJÃO XUXUS ♡♡♡ ATÉ A PROXIMA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...