História I'm Sorry - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Harry Potter
Tags Blood+, Boyxboy, Draco, Draco Malfoy, Drarry, Felix Felicis, Harry, Harry Potter, Hermione, I'm Sorry, Shounen Ai, Snape, Violence
Visualizações 630
Palavras 1.704
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Shounen, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá ❤
Da série "Devia estar estudando, mas estou escrevendo fanfic" aqui estou eu, resgatando esse ship do limbo.

(A classificação +18 para Yaoi é obrigatória mesmo não contendo nada explícito)

Boa leitura.

Capítulo 1 - Maldito dia! - Capítulo Único


Maldito dia! Praguejou ele, retornando para a torre da Grifinória e desejando não ter saído dela esta manhã. Seguindo seu caminho automaticamente, Harry repassava como seu dia havia terminado naquela série de infortúnios.

Havia se atrasado para a primeira aula de Transfiguração do dia, recebendo um olhar profundo de reprovação vindo de Minerva, que após seis anos esperava que aquilo não acontecesse novamente. Mas ele mal havia dormindo noite passada, dedicando todo seu tempo no trabalho de Aritmância para o dia seguinte. Depois do almoço, ele estava nas masmorras em uma das que seria a pior aula de Poções da sua vida. Como se não fosse suficiente toda a implicância do Professor Snape com ele em particular, Harry estava extremamente desatento e perdido, resultado das horas de sono perdidas noite passada. Debruçado sobre a mesa em meio aos seus livros, nenhuma das suas anotações ou as palavras de Snape pareciam fazer sentido.

Eles tinham então a tarefa de preparar uma amostra da poção Wiggenweld, conhecida por ser uma poção revigorante e fácil de ser preparada quando não se é mais um iniciante. Todos haviam começado a se mexer, pegando seus cadeirões e preparando os ingredientes, mas os olhos de Harry pesavam e sua cabeça vagava para longe dali sempre que tentava recomeçar a ler as instruções. Ele seguiu os passos de Hermione que estava ao seu lado, tentando acompanhar as informações no livro sentindo que havia pulado uma linha ou duas do modo de preparo. Se perguntando se deveria aquece-la primeiro ou adicionar as espinhas de peixe-leão. Ele olhava para Hermione perdido, que só murmurava para ele o que já havia dito nas últimas três vezes, "Sangue de salamandra, Harry! Coloque mais sangue de salamandra."

Não demorou muito até perceber que havia algo errado com sua poção. Muito errado. A poção que dizia no livro ficar em um tom de verde esmeralda quando pronta, no caldeirão de Harry borbulhava em um tom escuro de roxo e um cheiro nada agradável. Harry suspirou torcendo o nariz e antes que ele pudesse limpar tudo aquilo para recomeçar, o líquido roxo e gosmento começou a transbordar pelo caldeirão descontroladamente, se espalhando pela mesa, sobre os livros e pelo chão deixando o cheiro de ovos podres e bafo de dragão por toda a sala. Os alunos gritaram, e afastaram reclamando sobre as risadas e zombarias vinda dos alunos da Sonserina.

"Bom trabalho, Potter!" Harry ouviu Malfoy gritar junto com seus amigos, mas ignorou abaixando a cabeça esperando as palavras de Snape.

Todos se calaram ao seu pedido e ele se virou para Harry.

"Se não consegue ao menos preparar uma poção simples, então não deveria fazer, Sr. Potter." Harry sentiu suas orelhas queimarem com as palavras do professor, sob os olhares de toda classe. "Ou talvez devesse voltar para o primeiro ano, parece ser mais o seu... nível." Ele terminou a frase com uma pontada de desprezo antes de mandá-lo limpar aquela bagunça e anunciar sua detenção por deixar toda a sala com um odor terrível, dispensando os alunos em seguida sem esquecer de retirar 10 pontos de Grifinória, o que fez todos seus colegas cochicharem e o olharem torto o resto da tarde.

Depois do jantar ele fui cumprir sua detenção com Snape, onde ele teve que organizar e etiquetar todo seu estoque de poções, sob a ameaça de Snape de que faria furúnculos crescerem em todo seu rosto caso ele quebrasse alguma coisa. Algumas horas e insultos depois Harry havia terminado, indo correndo para campo onde o treino de Quadribol estava marcado, mas sem a surpresa da sua má sorte, o treino já havia terminado.

"Foi mal, Harry. Mas esse era o último treino antes do jogo e você não apareceu, não vou poder te colocar no jogo dessa vez, tudo bem?" Foi tudo que o capitão do time lhe disse quando Harry chegou.

Agora a caminho do dormitório ao fim do dia Harry se sentia completamente frustrado e com raiva. As humilhações na aula de poções haviam acabado com ele, mas nada foi pior do que ser substituído no campeonato de Quadribol, no qual ele havia treinado arduamente durante todo o semestre. Era uma das poucas coisas na qual ele ainda se divertia fazendo, e agora estava fora disso também.

Maldito dia! Repetiu ele, decidindo caminhar mais rápido pois com sua sorte ele tinha certeza que acabaria trombando com um monitor que lhe daria uma advertência por estar fora da cama depois do horário. E suspirando virando outro corredor ele encontrou alguém muito pior.

"Olha se não é o Potter, mestre das poções!" exclamou Malfoy encostado em uma coluna ao lado de uma enorme janela. Harry ignorou. Era tudo que ele fazia a Malfoy nos últimos meses, apenas o ignorava. Ele continuou sua caminhada sem sequer olhar para ele, mas o loiro continuou: "Tem certeza que não é um aborto, Potter?"

"Cala a boca, Malfoy" resmungou continuando a andar, mas Draco foi atrás dele com uma risada sínica.

"Não tem talento nenhum em Poções e agora está fora do time de Quadribol também. Não que vocês tivessem muita chances com ou sem você..." Harry não deu tempo para Draco terminar a frase.

Ele sentia seu sangue pulsar e a raiva o consumir, e depois do péssimo dia que tivera tudo que não precisava era das provocações de Malfoy. Ele havia aguentado todas frustrações calado durante todo o dia, mas não conseguiu mais se segurar. Indo ate Malfoy que ainda o zombava ele o empurrou pelo ombros fazendo o loiro bater contra a coluna.

"Achei que tivesse mandado você calar a boca." rosnou ele, fechando os pulsos e sentindo seu ódio correr pelas suas veias enublando todos seus pensamentos racionais.

"Quem você pensa que é, seu..." rebateu Draco, agora visivelmente irritado e empurrando Harry de volta.

"Você vai fazer o que, hein?" Harry se aproximou dele de novo. "Contar para o seu pai, como você sempre faz? Covarde." insultou ele.

E antes de se afastar o loiro que tremia acertou um soco na lateral do rosto de Harry, o que só desencadeou sua raiva que ele estava lutando para manter em controle. Harry revidou acertando em cheio seu nariz e vendo o sangue de Draco jorrar por ele. O loiro gemeu de dor cambaleando até o chão. Harry sentiu o gosto metálico em sua boca se afastando do garoto curvado com as mãos sobre o rosto. E então num movimento rápido e tomado pela revolta Draco puxou sua varinha apontando-a para Harry ele murmurou uma azaração que fez o outro cair em seus joelhos antes que pudesse se afastar, arqueando o corpo em uma dor que atingiu todos seus músculos Harry praguejou arfando enquanto Draco se levantava e tentava se recompor.

"Covarde." murmurou Harry novamente quando Draco se aproximou dele, apreciando sua dor mesmo quando o próprio nariz escorria sangue.

E voltando a se por de pé Harry acertou seu estômago e Draco que o empurrou violentamente contra a coluna, mas não antes de Harry o segurar pelas suas vestes o arrastando com ele. Fazendo o corpo dos dois garotos se chocarem e cada um agarrar o pescoço do outro com força extintivamente, seus rosto demasiadamente próximos, tremendo. Com a respiração ofegante, os nós dos dedos doloridos pelo socos e lado direito do rosto latejando Harry encarrava Draco com ódio, mas sentindo seu interior tremendo e um frio incômodo no fundo do estômago, ele só desejou que aquilo parasse. Então sentiu as mãos de Draco apertarem ainda mais envolta de sua garganta e agarrou o seu pulso para se livrar delas quando o loiro se aproximou ainda mais e pressionou seus lábios contra os de Harry. O garoto nem conseguia se afastar, prensado contra aquela coluna e o corpo de Malfoy, e relutou em pensar se realmente queria se afastar. Ali sentindo todo o ódio se dissolver dentro dele e uma mistura de sentimentos invadir seu interior. A dúvida e o medo convergindo dentro dele e sentindo um arrepio percorrer sua espinha. Cedendo aos lábios de Draco ainda pressionado contra o dele ele sentiu as mãos do loiro se afrouxarem do perto em sua garganta, se perguntando se todo o ódio que um nutria pelo durante anos era, afinal, apenas atração. Malfoy havia tentando ser seu amigo a princípio de tudo, e as ofensas e provocações eram então a forma distorcida que ele havia encontrado para lidar com a rejeição? Harry estava confuso. Apesar de não simpatizar com Malfoy logo de cara, ele não o conhecia realmente, nunca havia conversado sem insultarem um ao outro a cada duas palavras, e sabia a grande pressão que ele sofria de sua família para ser como era. Seria Malfoy uma pessoa não tão desprezível assim, que teria sentimentos afinal? Se perguntou Harry.

Draco se afastou dele, o soltando devagar e dando um passou para trás o fitando com seus olhos acinzentados, mas Harry não compreendia o que eles queria dizer. O loiro esperava ansiosamente por uma reação. Qualquer uma. Potter o beijaria de volta ou o socaria novamente, e ele realmente não sabia qual opção lhe causava mais medo. Sem conseguir mais se obrigar a se manter de pé, Harry escorregou até o chão deslizando suas costas pela coluna de pedra, se sentando e dobrando os joelhos e pedindo a Merlin que ninguém aparecesse ali naquele momento. Draco deixou seus joelhos tocarem ao chão sentando a sua frente, inclinando as costas sobre os pulsos. Harry fitou seus cabelos loiros desgrenhados pela primeira vez na vida, o sangue manchando sua camisa branca e a gravata desajeitada, e tinha certeza que se encontrava do mesmo jeito também. Malfoy que o olhava pelo o canto dos olhos sem dizer nada, respirou fundo limpando o sangue de seu rosto.

"Não, nã-... ah, deixa eu..." murmurou Harry afastando a mão de Malfoy do rosto, que o olhou incerto, mas permitiu. Ele puxou sua varinha murmurando Episkey na direção de Draco, colocando o nariz do loiro no lugar que gemeu de dor novamente e ele colocou a varinha de lado. "Eu sinto muito" adicionou Harry após um segundo em silêncio, sem saber ao certo sobre o que se referia especificamente. Viu Malfoy dar um meio sorriso descontente antes de levantar os olhos acinzentado para ele.

"Bom, eu não." Respondeu Draco.


Notas Finais


Ministério da Magia adverte que deixar comentários faz uma autora feliz ❤

Obrigada por ler e até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...