História I'm sorry ( Imagine Mingyu ) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Hong Jisoo "Joshua", Kim Mingyu, Seungcheol "S.Coups"
Tags Imagine, Mingyu, Seventeen
Exibições 110
Palavras 1.689
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello peoples!
Esse imagine já foi postado na minha outra fanfic ~ que já foi excluída por motivos aleatórios ~ então eu irei postar os imagines separadamente como One shots, espero que gostem!
Me desculpem por qual erro e boa leitura com nosso Mingyu mozão ♡
Bora ler?

Capítulo 1 - ~ Capítulo único ~ I'm sorry.


Fanfic / Fanfiction I'm sorry ( Imagine Mingyu ) - Capítulo 1 - ~ Capítulo único ~ I'm sorry.


- Ele não fez por querer _____.

- SEUNGCHEOL, SE VEIO AQUI PRA DEFENDER ELE, SE MANDA, HOSHI VEIO ONTEM E EU OUVI O MAIOR SERMÃO.

- Não me chama assim, sinto como se estivesse levando bronca.

- E está, Coups, por favor, eu sei o que vi e só eu sei o quanto estou magoada com ele.

- Mingyu te ama, não faça isso com ele.

- Ele me traiu, como quer que eu fique? E mais uma vez em menos de três dias eu levava sermão de algum dos meninos, porra, a errada da história não fui e nem sou eu.

- Fala com ele _____.

- Oppa, eu não fiz nada, ele tem que se desculpar comigo.

A ausência de Kim Mingyu era algo doloroso em mim, tudo ao meu redor me fazia pensar nele, o que só me deixava pior, e os comentários dos meninos a respeito de nós dois, não ajudavam em absolutamente nada.

- Já vi que não vou conseguir mudar suas idéias - bufou desistindo - Te vejo amanhã pequena - beijou minha testa e saiu.

Trancada no quarto, foi assim que fiquei durante o resto do dia.

Recebi várias ligações, Joshua me ligava a todo momento, e nem meu melhor amigo eu conseguia atender, eu só sabia chorar.

Meu irmão, a única pessoa que eu tinha desde que meus pais se foram, batia na porta diversas vezes na esperança de que eu a abrisse.

- ______, não pode ficar aí pra sempre.

- Me deixa Wonwoo, por favor.

- Joshua está aqui - Ouvir o nome dele foi a única coisa que me fez querer destrancar a porta.

Desci as escadas com meu irmão me guiando com as mãos em meus ombros, eu com toda certeza estava com cara de quem tinha chorado muito. Cheguei a sala e quis correr, não só Joshua, mas Mingyu estava lá e ele sinceramente, não parecia bem.

- Não acredito, Oppa - falei manhosa a Wonwoo.

- Eu sabia que você nunca sairia de lá se soubesse que ele estava aqui.

- Seu cretino - bati em seu peito. Percebi que no canto do lábio de Mingyu tinha um corte. Com receio me aproximei.

- O- que houve?

- Encontrei ele assim, os pais deles estavam reclamando de que ele não saia do quarto, e quando saia só se metia em brigas, consegui tirá lo de lá, mas ele estava assim, jogado no canto do quarto com várias garrafas de soju vazias por todo o lado - Joshua disse.

Sentei ao lado de Mingyu e pude sentir o cheiro de álcool.

- O que você foi fazer em garoto? - tentei segurar as lágrimas, mas não consegui.

Ele mal conseguia manter seus olhos abertos. Ver ele, o ser pelo qual sempre amei e amo daquela forma era extremamente ruim.

- Vou deixar vocês conversarem - Wonwoo se afastou até sumir de vista.

- Também vou e..

- Não, você fica, como vou conversar com ele nesse estado? - perguntei a Joshua.

- Vamos dar um jeito nele - assenti.

Subimos as escadas na luta para carregar ele, entramos no banheiro e de roupa e tudo jogamos ele dentro do box, a água gelada parecia surtir algum efeito, já que agora ele parecia mais atento e já falava coisas com mais nexo.

- Você cuida dele?

- Cuido Josh, cuido sim.

- Te ligo depois pequena - beijou minha testa e se foi.

Como éramos um casal, haviam roupas de Mingyu em casa, pois é, até em casa as lembranças dele eram grandes. Fui até o banheiro e ele estava com a cabeça encostada na parede enquanto a água caia sobre seus ombros, fazendo sua camiseta branca colar em seu corpo.

- Vista isso - coloquei a roupa sobre a pia.

- Obrigado.

- Tudo bem.

- E.. me desculpe - ele disse em tom de choro. - Por favor me desculpe - agora ele realmente chorava.

- Oppa, pare com isso, vai me deixar pior. O maior desligou o chuveiro e veio até mim.

- E você acha que estou bem com tudo isso? Eu jamais faria algo que para te machucar, eu não fiz aquilo, eu amo você - o cheiro de álcool ainda estava forte em seu hálito.

- O que eu vi me feriu Mingyu. - Eu sei pequena, mas, quero que saiba que naquela noite eu tinha bebido com o Coups, estava fora de mim.

- Sem desculpas Kim Mingyu, você tem noção do quanto os meninos falaram na minha cabeça sobre isso? Ouvi um sermão tão grande que nem o meu irmão me daria do Hoshi.

- Me desculpa, por favor, eu preciso de você.

- Vamos cuidar desse corte - mudei de assunto. - Se troque.

[...]

Sentamos em minha cama e eu passava com cuidado um algodão em seu ferimento, o mais velho gemia em reprovação devido a dor.

- Como isso aconteceu? - Briguei com Dk ontem, ele quis brigar comigo pelo que aconteceu, e como eu já disse, tenho estado meio embriagado esses dias, bati nele e ganhei um corte.

- Idiota - ele me olhava de uma forma como quem dizia que estava arrependido, o que me cortava o coração. Mingyu sempre foi muito sincero comigo, e eu via em cada mínimo ato dele que ele esta mesmo arrependido.

- Vai me perdoar ou não?

- Não sei se consigo.

- Me deixa te ajudar a conseguir - depois disso literalmente todos os pensamentos que passavam pela minha mente simplesmente desapareceram quando seus lábios de juntaram aos meus, as lágrimas incontroláveis que escorriam pelo meu rosto faziam o beijo ter um gosto salgado.

- Não é bem assim que a coisa funciona Mingyu - o empurrei.

- Como não?

- Você me machucou muito.

- Me deixa concertar esse coraçãozinho quebrado que eu mesmo quebrei, e que me arrependo profundamente - beijou meu pescoço.

- Oppa, não faz isso.

- Não finja que não está gostando amor.

- Não me chame de amor, ainda não te perdoei.

- Depois do que vamos fazer aqui, duvido que não me perdoe. Arrepiei completamente com suas palavras enquanto sentia ele me deitando na cama.

- Mingyu, não.

- Pare de negar, você quer isso - beijou novamente meu pescoço logo depois de dar uma mordida que provavelmente deixaria uma marca.

- Vai me deixar toda roxa.

- Só estou marcando o que me pertence princesa - ele conseguia ser "fofamente" sexy, característica que apenas ele parecia possuir no mundo.

Nesse momento realmente taquei o foda se pra tudo, eu precisava dele, eu amava ele, e por mais que ele tivesse seus defeitos como todos temos, e tenha feito uma burrada do tamanho do mundo, ainda nos amávamos, e muito.

- Mingyu?

- O que? Vai me pedir pra parar de novo?

- Na verdade ia pedir para ir logo com isso - sorri vendo o moreno fazer o mesmo enquanto forçava minha blusa para cima na tentativa de tirá lá. Depois da peça estar jogada em algum canto do quarto, ele tinha total liberdade com suas mãos em minha barriga, braços e ombros, selares leves eram deixados em minha barriga em quanto suas mão apertavam cegamente minha cintura fazendo com que arfares e gemidos baixos escapassem involuntariamente de minha boca.

Percebi ele morder seu lábio antes de me puxar pelo pescoço iniciando outro beijo, esse envolvia sentimento, e não era o sentimento de culpa e perdão do beijo anterior, esse demonstrava amor, de ambas as partes.

Ele retirou sua camiseta e agora o contato de sua pele com a minha deixava tudo melhor, tudo assustadoramente bom. Sendo ágil Mingyu puxou o cós de meu shorts junto da calcinha, agora me deixando totalmente exposta a ele, o que devo admitir, me deixava extremamente envergonhada, não que fosse a primeira vez, mas, o fato de ser ele, o garoto pelo qual sou completamente apaixonada, deixava tudo bem mais tenso.

- Não precisa ter vergonha de mim, você é linda - beijou minha coxa enquanto tirava sua calça lentamente.

A última peça de roupa que cobria seu corpo foi retirada e jogada no chão em meio as outras roupas, e junto com ela, o resto da minha sanidade se foi. Sempre fui daquelas garotas prevenidas, por isso sempre tomei pílulas.

- Pronta? - assenti ao sentir ele entrelaçar nossos dedos. Respirei fundo na tentativa de me me acalmar e senti ele entrar, devagar para que eu me conseguisse me acostumar, Mingyu era sempre tão diferente, tão carinhoso, e isso era o que eu mais amava nele, sei que ele jamais faria algo para me machucar.

- Eu amo você - sussurrou em meu ouvido ao começar a se movimentar.

- Também amo você - saiu como um gemido graças as sensações que dávamos um ao outro.

- Mais baixo amor, Wonwoo pode ouvir, não quero ter ser irmão falando sobre ouvir gemidos vindos do seu quarto - riu e eu automaticamente ri também.

O quarto parecia mais quente a cada segundo, o suor já bem visível nele, fazia com que seu cabelo ficasse grudado na testa, o que fazia aquela imagem de garoto extremamente amável e ingênuo sumir e ser substituída pela de um ser extremamente sexy.

A cada segundo eu sentia que poderia explodir por ter ele ali e por tudo o que estava acontecendo, meu peito subia e descia de uma forma totalmente descompassada, meu coração parecia querer sair pela boca enquanto em apenas mordia meus lábios para não gritar e não alarmar meu irmão e os vizinho, dentre eles, Joshua, sobre o que acontecia entre as quatro paredes do meu quarto. Minutos depois atingimos nossos limites chamando um pelo outro. O mais velho caiu exausto ao meu lado e nossas mãos permanecia entrelaçadas.

- Senti sua falta - falou tentando normalizar sua respiração.

- Digo o mesmo.

- Se essa for sua forma de perdão, preciso fazer burradas mais vezes.

- Seu cachorro - bati em seu peito depois de puxar o cobertor para me cobrir.

- Bem que você ama esse cachorro.

- Quem disse?

- Depois do que rolou aqui, você não precisa dizer nada - beijou minha testa e me puxou para deitar em seu peito.

- Oppa?

- Hum?

- Saranghae.


Notas Finais


E é isso, essa porcaria kabakahaj espero que esteja aceitável.
~ Aguardando comentários ~
Beijoooooos e até o próximo!
( Espero que gostem de Up10tion, pois a vários imagines em andamento )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...