História I'm Stronger Than You - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Chara, Doggo, Flowey, Frisk, Greater Dog, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne, Vulkin
Tags Genocide, Genocídio, Megalomaniac
Exibições 47
Palavras 1.722
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Mutilação, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


"CAROL
VC FUCKING POSTOU CAP. NO DIA 13 DE AGOSTO
FUCKING
AGOSTO
EU VO TE MATA
AAAAAAAAAAAAA
EU ESPEREI FUCKING 2 MESES PRA VC POSTAR
AAAAAAAAAAAAAAAAAA"
GENTE
Desculpa mesmo, eu tava sem criatividade, depois fico a porra de um fucking mês inteiro doente.
Ae fica difícil postar né :/
Mas a fica já ta acabando, os próximos finais serão dos shipps!
Serão Shipps Charisk e Frans.
:v Well, esse é apenas o final verdadeiro, no caso, o original.
Ta, chega de enrolação e vamos ao capitulo!

Capítulo 12 - It's All Just a Game!


Fanfic / Fanfiction I'm Stronger Than You - Capítulo 12 - It's All Just a Game!

A olhou diretamente para o comediante, se divertindo com seu olhar de medo, de ódio, uma mistura de sentimentos. A humana deu mais um de seus sorrisos, suspirando e olhando para uma enorme janela ao seu lado.

-Por que você faz isso? -Perguntou Sans, respirando fundo, tentando manter a calma. A pergunta fez a humana rir.-

-Eu estava com medo que você não fizesse isso. -Começou a garota, ainda com uma faca na mão e um sorriso sádico no rosto.- Você sempre falava demais e nunca fazia nada que fosse útil ou que ao menos prestasse pra algo, isso me irritava. Mas dessa vez....Eu consegui. Sans...Eu fiz isso por você. EU fiz TUDO isso por você. Vizinhos. -Flashes rápidos alguns monstros passaram por sua mente.- Amigos. -Sans começou a escutar algumas vozes:

-​V-Você me odeia tanto assim?

​-ESSE MUNDO VAI VIVER!​-

 

-E também....-A humana continuou.- Família. Nós ​matamos todos eles. Apenas para ver do que você era capaz. Para ver o potencial máximo do esqueleto inútil e preguiçoso. A música. O diálogo. Então realmente valeu a pena matar Papyrus. -A humana atingiu o ponto fraco do esqueleto, que neste momento já estava tremulo, não de medo....Mas de ódio.- Então nós iniciamos uma luta com ele. Ele ao menos teve a chance de se defender. Ele acreditou que poderíamos ser amigos. -A garota soltou outra risada sádica.- Mas não. Quando ele menos esperava, eu o ataquei, eu observei aquele vermelho e belo sangue escorrer lentamente entre seus ossos, a expressão de dor, suas lágrimas se acumulando. Eu ouvi suas ultimas palavras. Eu ouvi ele dizer que acreditava em mim, e então, seu corpo se desfazer em cinzas, a combinação perfeita de sangue e neve. As cinzas caindo no chão ou se espalhando pelo ar. Então depois disso....Eu simplesmente sorri, porque eu sabia, eu sabia que com minha determinação, eu poderia ver e rever aquela cena,​ De novo. E de novo. E de novo.​ -A humana riu novamente.- Agora que já terminamos nossas conversas, Temos tudo explicado, acho que poderemos voltar a nossa luta, não é, Comediante? -a humana levantou sua faca e se preparou para atacar, sendo jogada contra a parede com toda força, ela cuspiu uma pequena quantidade de sangue, resmungou e voltou a tentar atacar o comediante, que desviava com facilidade. Ele estava com tanto ódio. Algo indescritível. Ele apenas queria matar aquela humana e acabar com aquilo. A humana tentou ataca-lo novamente, sentindo um osso perfurar seu estomago, a garota caiu, vomitando mais sangue, ate morrer novamente. Ela acordou novamente naquele lugar escuro, a criança foi em direção á pequena tela em que havia:

​"Reset" ou "Continue"?

​A humana apertou em "Continue", sendo levada novamente ate o comediante. O comediante riu um pouco, mas logo seu sorriso se desfez, com a tentativa, ainda sim frustrada de atingir o esqueleto, após ser jogada contra a parede novamente e desviar de inúmeros ossos, a humana tentou atacar novamente. Sans por pouco não foi atingido. A criança percebeu que o esqueleto já estava cansado, com inúmeras gotas de suor escorrendo sobre seu rosto.

-Do que você é feita? -A pergunta surpreendeu a humana.- Do que humanos são feitos para ser assim? Do que eles são feitos, pra querer destruir tudo o que veem? -A garota pensou, analisou a pergunta e sorriu novamente.- I'm Made of  L O V E. We're Made Of  L O V E. -Sans por algum motivo se decepcionou com a resposta, mas mesmo assim preferiu não demonstrar isso. Ele apenas continuou jogando a humana inúmeras vezes contra a parede, o chão e o teto. A humana estava em uma situação deplorável, sangue escorrendo de sua boca e nariz, inúmeros cortes em seus braços, pernas e ate rosto. A garota tentou se levantar, falhando. Após um certo esforço ela conseguiu, ela comeu um Nice Cream. Ela se sentiu revigorada, se levantou e tentou atacar o comediante, falhando novamente.

-Sabe crianças...Eu estive pensando....Por que nos não paramos? Por que nos apenas não desistimos, esquecemos de tudo? Bem....

​"Sans esta poupando você!

Poupar Sans?

​              [     ] Sim   [ <3 ] Não"

​A humana riu da tentativa de misericórdia do esqueleto, novamente, ela levantou sou faca e tentou atingir o comediante. Falhou de novo. O comediante deu um longo suspiro.

-Bem, eu tentei. -Ossos por cima e por baixo vieram na direção da garota, ela desviava de alguns e era acertada por outros, era como se ela estivesse dançando. O comediante, irritado, jogou a humana longe. A garota atingiu uma pilastra e vomitou mais sangue, ela estava cansada, mas ela não estava nervosa de estar morrendo, pra falar a verdade, ela nem sabia do porque ainda estar tentando. Talvez a determinação, ela pensou. Após permanecer alguns minutos no chão, ela se levantou, sorriu novamente e parou em frente ao comediante.-

-Se você sobreviver a isso, você terá de encarar meu ataque especial! -Disse o comediante, fazendo alguns ossos ficarem a sua volta.-

-Ataque Espe....-A humana mal teve tempo de pronunciar e foi jogada novamente contra a parede, rapidamente, alguns ossos a atacaram por trás, mas ela conseguiu desviar da maioria, foi jogada novamente, sempre tendo que desviar daqueles malditos ossos. Ah...Como a humana odiava aqueles ossos. Aqueles ossos apenas a atrapalhavam e atrasavam de chegar a força total, de ser a mais poderosa, do fim daquele vazio dentro dela.-

O coração da garota ficou azul novamente, mas....Dessa vez ela foi jogada para o meio. Inúmeros Gasters Blasters se juntaram a sua volta, a humana entendeu o que iria acontecer e começou a correr, ela corria em círculos, conseguindo não ser atingida com nenhum deles.

-Bem, parece que é a hora do meu ataque especial! - A garota se preparou, respirou fundo e olhou para os lados. Nada. Nenhum barulho além do vento que vinha lá de fora, dos pássaros cantando. Nada. Nada se movia a não ser Frisk, que olhava para todas as direções tentando ver se havia algum osso ou Gaster Blaster em sua direção.-

-O que é isso? -Perguntou a humana irritada.-

-Isso é meu ataque especial. Eu simplesmente não vou fazer nada. Ah, e você não pode me atacar, não é seu turno. -Frisk foi em direção ao comediante correndo, com sua faca na mão, mas ela não conseguiu ataca-lo. Sua alma se recusava a sair a se mexer pra isso. A garota respirou fundo e mandou um olhar de ódio para o comediante, então ela se sentou e esperou algo, ate começar a perceber que o comediante estava cansado. Ele cambaleava tentando se manter em pé. A humana observou tudo aquilo com muita atenção, ate perceber que ele dormiu em pé. O comediante dormia em pé. Uma felicidade inigualável invadiu a humana. Ela tentou empurrar sua alma. E deu certo! Ela arrastou sua alma ate ficar perto o suficiente para atacar o comediante. ELA CONSEGUIU. ELA CONSEGUIU ATACAR O COMEDIANTE. A garota podia jurar que nunca esteve tão feliz. Frisk observava com atenção a face surpresa do comediante. O seu belo e vermelho sangue escorrendo....Ou seria aquilo Ketchup? Frisk não sabia, mas aquilo não importava. Sans suspirou.-

-Acho que é isso, huh? -Disse ele ofegante, com sua mão no longo e profundo corte a humana lhe fez.- Não diga que eu não te avisei. -Ele falou novamente, dessa vez se levantando e cambaleando ate a porta, tentando conseguir ao menos ficar em pé, ele suspirou e disse suas ultimas palavras:-

-Papyrus......Você quer....Alguma coisa? -Depois disso ele caiu, mas enquanto caia, seu corpo se transformava em cinzas e, ao atingir o chão, seu corpo já era cinzas. A humana começou a rir, a garota seguiu em frente, indo ate a porta do castelo do rei, onde ao abrir, o encontrou regando algumas flores.-

-Oh, aqui esta você! Você deve ser aquele que aquela pequena flor me avisou! -Ao ver a faca na mão da humana o Rei se surpreendeu um pouco-Oh não a necessidade de lutar. Que tal tomarmos uma boa xícara de chá? -No momento que terminou a frase recebeu uma facada da garota, o Rei se surpreendeu pela velocidade do ataque e...Pela loucura insaciável nos olhos da menina. O Rei dos monstros se transformou em cinzas, sobrando apenas sua frágil alma, a humana se preparava para o golpe final. Mas alguém juntou inúmeras sementes pertos da pequena alma frágil do Rei. Rapidamente o atingindo e matando de vez. Frisk ficou com raiva daquilo.-

-Viu? Eu nunca te trairia, eu iria mata-lo pra você! -Flowey tentava manter um sorriso, que se desfez imediatamente após ver a expressão sombria e assustadora da humana. Ela levantou a faca.- Eu posso ser útil....Eu posso te ajudar....Eu posso....

-P-Por favor....Não me mate....-Algumas lágrimas escorriam pelo rosto da pequena flor. Frisk se divertia com a situação, ela começou a rasgar as pétalas de Flowey, apenas para vê-lo se contorcer e pedir para a humana parar. Depois, ela começou a esfaqueá-lo, reduzindo-o para apenas destroços de uma flor. A garota sorriu e percebeu que....Estava em um fundo negro. Com Chara parado em sua frente com um sorriso.-

-Saudações. Eu sou Chara. Obrigado. Seu poder me despertou da morte. Minha "Alma Humana". Minha "Determinação". Eles não eram meus, mas SEUS. Primeiramente, Eu estava tão confuso. Nosso plano havia falhado. Por que eu voltei a vida? -Chara sorriu mais ainda.- Você. Por causa de você, eu realizei o proposito da minha reencarnação. Poder. Juntos, nos erradicamos o inimigo e nos tornamos mais fortes. HP. ATK. DEF. GOLD. EXP. L O V E. Todo tempo, um números crescia, aquele sentimento....Aquele sou eu. "Chara". Agora. Agora, nos alcançamos o poder absoluto. ​Não a mais nada para nos aqui. Vamos apagar esse mundo sem sentido e ir para o próximo.

​"[ <3 ] Erase.     [     ] Do Not."

-Certo. Você é uma ótima parceira! Nós vamos ficar juntos para sempre, não vamos? -Chara sorriu e num piscar de olhos, a humana ouviu um barulho como se tudo estivesse desmoronando, ou como se estivesse....Se desintegrando? Mas ela não estava com medo. Ela estava feliz. Porque ela havia se vingado do mundo, ela havia destruído a humanidade. Mas por um momento, ela se lembrou de Sans.-

-É...Parece que eu sou realmente mais forte que você....-Ela deu mais um de seus sorrisos psicóticos e começou a rir, enquanto escutava o mundo se apagar.-

Ela riu.

Até não se poder ouvir mais nada.

 


Notas Finais


ESPERO QUE TENHAM GOSTADO POVO.
O PROXIMO VAI SER DOS SHIPPS.
NÃO VAI DEMORAR MT.
NO MAXIMO UNS 5 DIAS EU JA VOU TER POSTADO!
Bye Bye :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...