História I'm Telling You - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lucas "T3ddy" Olioti, Rafael "CellBit" Lange
Personagens Alan Ferreira, Colton Haynes, Felps, Guilherme Coelho, Jensen Ackles, Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Misha Collins, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Tyler Posey
Tags Cellbit, T3ddy, Youtubers
Exibições 5
Palavras 1.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


VOLTEEEEI! Eu tive um bloqueio criativo imenso, e foi bem difícil escrever.
Me perdoem!

Capítulo 9 - Alan


Assim que entramos, decidimos ler os comentários do vídeo que Rafael postou. Víamos todos e ríamos com cada um.
- MAS QUE MERDA!!!
- Que foi?!?! - eu havia parado de ver os comentários e fui tentar interagir no Twitter pela primeira vez.
- Tem UM MONTE de gente falando que eu copio esse tal de Alan.
- Qual o canal dele?
- EletronicDesireGE.
- Mas por que eles falam isso? - eu havia perguntado, já procurando o canal do Alan no computador.
- Porque eu tô fazendo os mesmo jogos, temos o mesmo jeito as vezes. Que merda.
- Ah, pensa pelo lado bom. Se vocês tem o mesmo gosto e até mesmo o mesmo jeito, podem ser amigos.
- Eu que não vou ser amigo desse lixo, aff.
- Nossa Rafael, se acalma.
- Eu odeio ser comparado, ainda mais com um merda desse.
- Os vídeos dele não são ruins. Para de xingar o cara.
- Tô com raiva.
- Um dia vocês serão amigos, você vai ver. - E eu estava certa, mas Rafael sentia um ódio de Alan pois aqueles não eram os primeiros comentários o comparando com Rafael.
- O LANCHE CHEGOU!! - Matt gritou. Eu desci correndo e vi os pacotes em cima da mesa. Eram pacotes marrons com o símbolo do lugar, um "M" amarelo. Eles tinha escolhido pra mim, então seria uma surpresa. Dentro do saco havia uma caixa com o lanche, batata frita e um sorvete.
- Preparada? - Matt perguntou, vidrado em mim assim como Rafael.
- Não...
- Come Melannie! - e assim fiz. Era maravilhoso. Não sabia o nome do lanche mas era bom demais. As batatas eram boas, o sorvete também. A Coca-Cola era meio ruim, o suco natural era melhor.
- Eu estou bem feliz. Isso aqui é maravilhoso!! Qual o nome desse lanche?
- Big Mac. - os dois disseram juntos.
- Quero logo experimentar os outros! - eu falava de boca cheia e rindo com entusiasmo. Eles riam de mim enquanto comiam seus lanches, era outra cena bonita. Aqueles tipos de cenas que não são possíveis de capitar com uma Polaroid. Aqueles tipos de cenas que só ficam nas nossas mentes guardadas, como se nossos olhos fossem uma câmera e nossa mente um álbum de memórias.
Eu subi e fui deitar na minha cama. Fiquei assistindo o canal do Alan e stalkeei um pouco ele. Naquela época eu não sabia muitas "gírias" desse tipo. Eu sabia o que eram fotos "estilo Tumblr", "stalkear" e "shippar", só. Stalkeei tanto o Alan, que descobri seu Skype. Claro que eu o adicionei e tentei consertar as coisas entre ele e Rafael, ele parecia alguém legal.
- O que tá fazendo? - ele se jogou na minha cama.
- Nada, Rafael.
- Não mente pra mim, Melannie.
- Eu não tô mentindo.
- Você tava vendo vídeo do Alan né?
- Aham.
- Ver meus vídeos ninguém quer né?
- Aí Rafael, você sabe que eu já vi todos os seus vídeos, imbecil.
- Aff tá, fica aí com o Alan.
- Aí não Rafael, vamos dormir.
- Eu vou dormir aqui?
- Hoje vai. Eu não tô acostumada. Por favor.
- Só porque eu amo você. - e dormimos assim.
Eu havia sonhado com Alan, Felps e Rafael, não me lembro muito bem com o que.
Eu acordei pensando em só uma coisa: Faculdade.
Lembro de acordar procurando por Matt mas o mesmo não estava, então fui fazer o café.
Aquela cozinha me impressionava a cada dia, ela era linda. Era marrom, com o chão preto e branco e o resto das coisas vinho. Tinha até um balcão, com aqueles banquinhos de bar. E tudo ficava no estilo anos 80. Acho que os únicos cômodos que não eram nesse estilo eram os quartos, que eram personalizados no estilo de cada um. Meus pais em só 5 anos de vida me conheceram o bastante pra saber do que eu gostava, amava mais eles por isso.
Eu fiz um café simples, mas com aquelas panelas, aquela fogão, os instrumentos, parecia que eu havia feito a comida mais chique desse mundo.
Acordei Rafael e enquanto estávamos comendo, Matt entrou na casa.
- Onde estava senhor Matthew?
- Fui avisar o Cas que ele iria almoçar aqui hoje. - eu e Rafael nos olhamos com uma cara maliciosa.
- Hmmmmmm Matt. - zombou Rafael.
- Nossa, vai se fuder. - rimos e Matt se juntou a nós.
- Matt, uma pergunta...
- Diga.
- Meus pais guardaram algum dinheiro pra minha faculdade?
- Seus pais guardaram dinheiro pra tudo. E sobrou até um dinheiro a mais porque eles pensavam em te dar um irmão.
- Eu teria um irmão?!
- Sim... - Rafael só observava a conversa.
- Eu até gostaria de ter um irmão, mas se ele tivesse os mesmos problemas que os meus, ele sofreria. E já basta eu.
- Mas você teria uma companhia, pelo menos até antes de eu chegar.
- Mas ele sofreria, e eu talvez não aguentaria. E você também não iria ser do meu quarto, talvez nunca nos conheceríamos.
- Com certeza iríamos. Nós somos conectados. É quase um fio vermelho.
- Ou seria um fio vermelho? - Lembro de ter corado nessa hora. A história do fio vermelho é que cada pessoa nasce com um fio vermelho amarrado no seu dedo mindinho. A outra ponta está amarrada no mindinho da sua alma gêmea. Não importa o quão longe elas estiverem, essas pessoas irão se encontrar. Esse fio pode enrolar, esticar, mas ele nunca se romperá.  Porém, quanto mais longe as duas pessoas estiverem uma da outra, ou tentam se afastar, mais tristes as duas ficam. Quanto mais perto, mais felizes.
- Uma pergunta... - eu comecei fazendo os dois terem a atenção em mim. - Se sua pessoa do fio vermelho morrer, o que acontece? Ele se rompe e você fica sozinho?
- De um jeito ou de outro você vai encontrar essa pessoa antes dela ir. Mas dizem que você é destinado a encontrar outra pessoa que também perdeu sua alma gêmea. Aí vocês se unem, por enquanto. Quando vocês dois voltarem aos céus ou sei lá o que tenha de pois da morte, cada um segue com sua alma gêmea inicial. - disse Matt.
- Então eles seriam nossas almas gêmeas temporárias? Como melhores amigos?
- Melhores amigos são a analogia perfeita pra esse caso, porque quando você está mal por alguém que falta, eles completam o vazio.
- Como você sabe de tudo isso?
- Fiquei muito tempo aqui sozinho, meu caro Rafael. Precisava fazer alguma coisa. Ler e criar teorias era minha diversão, até eu conhecer o Cas e vocês chegarem aqui.
- Já disse que amo o Cas?
- Já, várias vezes.
- Ah ok então. Que horas vai ser o almoço? Quando eles vão vir pra cá?
- Mel, relaxa. Uma 12:00 eles tão aqui.
- Ok, voltando ao assunto da Faculdade. Eu quero fazer.
- Você já terminou o ensino médio?
- Sim, na clínica. Pelo menos com isso eles se preocupavam lá.
- E você Rafael?
- Eu vou deixar os estudos pra depois. Quero focar no canal.
- Tem certeza? Eu acho isso uma idéia meio merda.
- Se o canal não der certo, eu posso fazer a faculdade normalmente depois.
- Tudo bem então. Qual faculdade quer cursar, Mel?
- Fotografia. - Rafael respondeu por mim.
- Desde quando eu quero isso?
- Você quer, e você vai. É boa nisso e sabe. Você também sabe que não é você que manda na sua vida né?
- É, eu sei.
- Podemos ver amanhã então.
- Por mim tudo bem.


Notas Finais


Eu achei esse capítulo bem fofinho ❤
Espero que tenham gostado!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...