História Imagens - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Totalmente Demais
Personagens Germano Monteiro, Liliane "Lili" de Bocaiuva Monteiro
Tags Gerlili, Germano Monteiro, Lili De Bocaiuva Monteiro
Exibições 104
Palavras 1.951
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, voltei!!!
Espero que ainda tenha alguém interessado, mas enfim..
Essa história faz parte do universo de "beauty remains", ou seja, se passa alguns anos depois do último capítulo de beauty.

Capítulo 1 - Sexta-feira


Fanfic / Fanfiction Imagens - Capítulo 1 - Sexta-feira

Mais um dia normal na casa dos De Bocaiuva Monteiro. Lili, uma bem sucedida editora de livros e ativa participante dos negócios da Bastille, e Germano, presidente da empresa da qual sua esposa é herdeira, encontraram o equilíbrio entre o prazer de trabalhar e a presença constante na educação dos filhos. Bernardo e Malu tinham 8 anos e ao mesmo tempo que o tempo havia passado depressa, parecia que tinha sido ontem que o casal havia se surpreendido com a notícia do crescimento da família.

Como de costume, Germano e Lili todos os dias ajudavam os filhos no dever de casa.  Um dia Germano ajudava Bernardo, enquanto Lili ajudava Malu,  no outro eles trocavam, para que os dois conseguissem construir uma relação forte e de afeto com os filhos, sem que um se sentisse preterido. Anos depois eles descobririam o tamanho do acerto dessa decisão, os gêmeos lembrariam com muito carinho dos fins de tarde em que os pais se sentavam com eles para ajudá-los com as tarefas escolares.

Era sexta-feira e mesmo assim o dever era feito no mesmo dia para que todos ficassem livres de sem compromissos durante o fim de semana. Sexta era um dos dias preferidos das crianças, junto com domingo, porque era dia do irmão mais velho e querido deles, Fabinho, jantar em casa. O filho mais velho do casal Monteiro fazia questão de estar presente vida dos irmãos sempre que podia, por isso fez uma tradição de voltar da empresa com o pai toda sexta e, já que não morava mais na mansão, ter um agradável jantar em família onde pudesse dar carinho e atenção à mãe, da qual sentia imensa falta e amava cada vez mais, e dos irmãos que lamentava não conseguir passar tanto tempo junto. O pai ele via todos os dias na fábrica e na maioria das vezes almoçavam juntos, mas ainda sim sentia falta desse âmbito familiar, que um dia foi conturbado, mas que hoje, como boa parte de sua infância, adolescência e vida adulta,  é tão feliz.

Germano e Fabinho chegaram em casa tirando o terno e a gravata, rindo e chamando por Bernardo e Malu que tinham acabado de tomar banho após uma tarde na piscina com a babá deles sob a vigilância sempre atenta e amorosa de Dona Euzébia. As crianças desceram a escada correndo, sob os avisos de cuidado de Germano,  felizes por verem o pai e o irmão. Bernardo pulou no colo de Fabinho e Malu no do pai.

“ Que abraço gostoso!” disse Germano roçando a barba no pescoço da filha, algo que ele fazia desde que ela era bebê e descobriu, sem querer, ao dar um beijo no pescoço dela que a barba fazia cócegas, pois ela imediatamente gargalhou. “ E você, cara?” continuou depois de colocar a filha no chão e olhar para o filho mais novo que prontamente correu para os braços do pai e o deu um abraço apertado recebendo em troca um beijo e uma bagunçada no cabelo. Enquanto todos conversavam e matavam as saudades, já no sofá, Bernardo continuou no colo do pai deitado em seu ombro e passando a mão em sua barba enquanto Malu mexia no cabelo do irmão e perguntava se ela podia maquiá-lo e fazer um penteado bem bonito.

“Quero ver você sair dessa.” falou Germano gargalhando

“ Você também, papai. Os dois.” corrigiu a esperta Malu

“ HÁ!” retrucou Fabinho

Quando Lili chegou do trabalho, se desculpando pelo atraso, ficou boquiaberta com o que encontrou. Germano, Fabinho e até Bernardo sentados no sofá da sala maquiados e penteados.  Seu marido tinha uma sombra verde e batom vermelho, o filho mais velho sombra azul e batom rosa choque e o caçula sombra roxa e gloss. Os três com chuquinhas nos cabelos coloridas.

“O que está acontecendo aqui?” perguntou rindo ao se aproximar dos filhos.

“ Tô brincando de salão e deixando o papai e meus irmãos mais bonitos, mamãe. Eles não estão lindos?!” justificou Malu

“ Estão sim, filha. Muito lindos.” respondeu Lili morrendo de rir e recebendo um olhar fulminante de Germano.

Lili falou com os três filhos e sugeriu que Malu sentasse no colo do irmão mais velho para tirar uma foto da transformação feita nos homens da casa o que gerou protestos do marido e do filho mais velho, mas que devido a empolgação da caçula da família, foi feito com prazer.

“ O que você não me pede sorrindo que eu não faço chorando” disse Germano virando os olhos.

A foto ficou uma graça. Bernardo no colo de Germano, Malu de braços abertos no de Fabinho e os quatro rindo. O coração de Lili encheu de amor e alegria.

A editora sentou-se ao lado do marido que a cumprimentou com um beijo e acabou sujando-a de batom vermelho gerando risada dos pequenos.

“Que foi?” perguntou Lili confusa.

“ Você tá suja de batom vermelho, mamãe” respondeu Bernardo descendo do colo do pai  e rindo da mãe.

A dona da Bastille ameaçou limpar com as mãos a marca do batom, mas Germano segurou seu braço a impedindo , a puxou para perto, a agarrou pela cintura e a encheu de beijos  finalizando com um beijo demorado na boca marcando toda sua face de batom vermelho e provocando gargalhadas da esposa e dos demais.

“Agora tira uma foto da sua mãe toda marcada de batom, Malu.” disse Germano rindo e ainda segurando-a.

“Ah não.” protestou Lili

“ Sorri, mamãe.” ordenou Malu já com o celular a postos.

A foto foi tirada: Germano prendendo uma Lili toda suja de batom vermelho  em um abraço, Lili gargalhando de olhos fechados e Germano olhando pra esposa rindo. Essa foto , mais tarde, seria revelada e colocada na sala. Felicidade, amor e simplicidade era aquilo.

“ Pra você aprender a não rir quando eu estiver em uma sinuca de bico com a nossa filha, mas me aguarde que seu castigo ainda não acabou.” ele cochichou no ouvido dela rindo e finalizou dando outro beijo em sua boca.

“ Até parece...” respondeu ela retribuindo o beijo.

“ Vamos jantar?!” perguntou Fabinho levantando e indo em direção à sala de jantar.

“Vamos! Mas depois os mocinhos tem que fazer a tarefa de casa hein?!”  avisou Lili que teve como resposta protestos pelos filhos mais  novos

“Isso mesmo! Nós quatro temos um encontro marcado depois do almoço e se bobear o Fabinho também ajuda.”

“ Tá bom.” responderam os gêmeos correndo para seus lugares na mesa.

 

O jantar correu da forma mais harmônica possível com todos os presentes contando o que havia acontecido durante o dia. Os gêmeos relataram animadamente sobre o dia na escola, eles adoravam a professora e tinham muitos amigos. Era difícil irmãos de sexo oposto serem amigos, mas Germano e Lili, de alguma forma, conseguiram incutir nos dois a necessidade de parceria, respeito, carinho , companheirismo e amor entre eles. Assim, os dois se tornaram amigos, mesmo pequenos, e faziam muita coisa juntos, o círculo de amigos era o mesmo, o que alegrava os pais. É claro que eles discutiam e se desentendiam de vez em quando e era necessária a intervenção de um terceiro, mas na maior parte do tempo eles eram muito amorosos.  Fabinho e Germano passaram o dia juntos tentando resolver todas as pendências da produção e do lançamento do novo produto Bio da Bastille. Pai e filho estavam muito cansados, mas contentes com o processo e resultado da nova linha que será lançada. Já Lili, estava atolada em trabalho há semanas e isso a deixava muito feliz e realizada. Sua editora se expandia cada vez mais e seu trabalho, consequentemente , era valorizado e disputado. Pessoalmente, a bem sucedida editora trabalhava no momento em três livros dos quais  fazia questão de participar de todo o processo, da edição e escolha das fotos até o lançamento do mesmo. Eram tempos felizes em todos os aspectos da vida na casa dos De Bocaiúva Monteiro, tempo este que já durava muitos anos. Às vezes Lili se pegava olhando para o marido, que não sabe como, mas consegue amar cada vez mais, e para os três filhos, que despertaram nela um amor incondicional e imensurável, rindo , contentes e falantes e tinha a sensação que naquele instante a vida não poderia ser melhor.

 

Depois do jantar as crianças subiram para pegar o material escolar enquanto Germano, Lili e Fabinho esperavam no sofá da sala continuando a conversa do jantar.  Já lá embaixo, os gêmeos explicaram que a professora dividiu a turma em grupos onde cada grupo ficaria com uma palavra e essa palavra deveria ser definida através de fotos e/ou textos pelos seus familiares e no fim os alunos deveriam escrever e anexar uma foto da conclusão que chegaram sobre o significado da palavra. As palavras eram: amor, saudade, cumplicidade e  felicidade. Malu ficou com a palavra amor e Bernardo com felicidade. Tendo em vista a complexidade da tarefa, Germano e Lili decidiram que procurariam fotos , pensariam no que escreveriam e domingo a tarde entregariam o necessário para os gêmeos termirarem a lição, até porque Fabinho e Eliza viriam para o almoço e também participariam da atividade.

 

Já mais tarde, Germano adentrou seu quarto e encontrou Lili tirando o batom do rosto.

“ As crianças já dormiram?” perguntou ela

“ Logo depois que você deu o beijo de boa noite.”

“ Eles estavam exaustos mesmo. Deve ter sido a piscina e a bagunça com o Fabinho depois...”

“ Tá tirando esse batom porquê?”

“ Até parece que eu vou ficar toda borrada assim…”

“ Nada disso. Vem aqui.”

“Tá maluco, Germano?”

“ Vem aqui ou eu vou atrás de você.”

“ Tá falando sério?”

“ Nunca falei tão sério na minha vida.”

“ Deixa de ser bobo.” retrucou continuando a limpar seu rosto

“ Eu disse que o castigo ainda não tinha acabado.”

 

Vendo que Lili não estava acreditando, Germano tirou o terno e arregaçou as mangas da blusa social que já havia colocado para fora da calça.

“ O que você tá fazendo?” perguntou Lili quando viu as ações do marido.

“Eu disse que ia atrás de você.” respondeu andando em direção a mulher que começou a andar de costas numa tentativa de fugir do marido. De repente Germano começou a andar mais rápido, fazendo com que Lili corresse. Dentro de alguns segundos Germano corria atrás de Lili que gargalhava sem parar não acreditando no que estava acontecendo.  Lili subiu na cama quase não se aguentando de tanto rir.

“ Vem aqui, mocinha” disse Germano quando conseguiu pegá-la pelas pernas e puxa-la para a lateral da cama.

Lili nem conseguia falar de tão ofegante que estava da combinação da corrida e da risada. Germano deitou-se ao lado da esposa e ficou olhando para ela que estava com um sorriso radiante, sem ar e cabelos bagunçados.

“Não acredito que você me fez correr pelo quarto.” falou quando conseguiu recuperar um pouco do fôlego.

“Você fica mais bonita ainda quando gargalha descabelada e vermelha.” disse Germano tirando os cabelos bagunçados do rosto de Lili que ouvindo o elogio do marido se ajeitou melhor na cama,  levantou o braço e começou a fazer carinho na nuca dele onde o cabelo terminava.  Sorrindo, aproximou seu rosto do pai de seus filhos e iniciou um beijo calmo e lento. Depois de algum tempo se beijando como se fossem namorados adolescentes, Lili começou a afrouxar a gravata de Germano.

“ Eu adoro quando você ajeita minha gravata, mas gosto mais ainda quando você tira.” diz perto da boca da mulher.

“ Eu imagino.” responde rindo, terminando de tirar,  sentando no colo do marido e voltando a beijá-lo de forma intensa e mais urgente a medida que o desejo aumentava.


Notas Finais


Espero que vocês gostem. Adoro ler os comentários de vocês. No próximo vai ter o domingo em família e os gêmeos vão terminar o dever. Quais fotos Germano e Lili vão escolher? O que vocês acham? Até o próx!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...