História Imaginarium - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Abo, Anjos, Demonios, Deuses, Imaginação, Imaginarium, Originais
Visualizações 15
Palavras 598
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Científica, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi, tudo bom??
Esse é o primeiro capítulo e espero que gostem!!!

Capítulo 1 - Samuel


Fanfic / Fanfiction Imaginarium - Capítulo 1 - Samuel

Narrativa: Vossa Alteza Ashley

Escriba: Sr. Bartolomeu

02 de Julho de 1985

        Eu andava em mais um dos meus passeios pela Terra, porque sim, a Terra é simplesmente um dos lugares onde gosto de andar quando me enjoo da perfeição, as pessoas apressadas na rua, as criança brincando, as comidas  baratas, a música agitada, às vezes eu gostaria de fazer parte de tudo isso... Ser livre pelo menos pela metade! 

 Eu parei em uma lanchonete, dar uma pausa no meu passeio, como eu disse, gosto da comida daqui, sentei na cadeira ao balcão, esperando alguém vir me atender, eu tenho a calma e a paciência, esperar é uma dádiva. 

 Olhava os panfletos como se fossem um livro do Machado de Assis, com um olhar atento a somente o que via a minha frente, até sentir um sussurro ao meu ouvido dizendo "Minha bela dama" e sentir uma mão fria me tocar, eu sorri levemente, pois sabia que era ele, Edivaldo, o príncipe do reino rival ao meu, que era estranhamente apaixonado por mim, tanto que as vezes chegava a ter medo... Bom, não é atoa que seu reino se chama Dark!

Ele disse coisas que sempre me diz: " És tão bela quanto a lua iluminando o céu escuro da noite";perguntou as coisas de sempre: "Quando fugiremos?"; E fez coisas que sempre fez... Me beijou e segurou como se não tivesse planos de soltar . Ele era encantador, mas extremamente proíbido... Meu Santo Poseidon!

Como um bom cavalheiro, ele pagou a minha refeição, e perguntou se poderia me acompanhar até onde quer que fosse, eu aceitei, assim ele pegou a minha mão e me deixou que guiasse ele. Em nenhum momento ele foi a minha frente, e toda vez que eu o olhava, estava a olhar para mim com um belo sorriso, o silêncio preencheu nosso passeio, a presença dele bastava já que não sabia quando o veria novamente.

Era noite, passamos por alguns lugares estranhos, até chegarmos a frente de uma casa, Edivaldo parou, estava com os olhos pretos, provavelmente sentiu algo, eu ouvia barulhos de pequenos resmungos, pareciam como um choro de um bebê, mas naquele momento ignorei pensei vir da casa... Mas ficava alto as vezes, parecia desesperado. 

Quando percebi que estava alto demais para estar dentro da casa, eu vi que Edivaldo olhava de uma maneira vidrada para a entrada da porta, onde nela havia uma caixa, e como seres amaldiçoados com a curiosidade nos aproximamos, e percebemos que dentro havia um bebê, de pele morena, olhos grandes e pretos, sem pensar muito eu o peguei em meus braços, ele estava tremendo de frio e era bem visível que estava faminto, beijei sua testa, e olhei para Edivaldo, ele olhou para caixa e olhou para mim, os olhos deles tinham dúvida, era perplexo demais para ele. 

Ele procurou pela caixa na busca de alguma carta, mas acabou desistindo no momento em que olhou para criança e ele lhe deu um belo sorriso sem dentes, Edivaldo corou, deu seu dedo indicador para o pequeno e o pequeno agarrou o mais forte que podia... Edivaldo estava sem palavras, ele me olhou várias vezes, até que eu disse "Se me amas realmente..." E ele então sem pensar falou "Será o fruto do nosso amor, mas quero que tenha em mente que onde vivemos não é muito seguro para humanos!", "Vamos proteger ele, e não adiantar, fugiremos...", Assim então, ele concordou de modo abafado com a frase:

"O nome dele será Samuel"

E eu concordei dizendo "Samuel será seu nome" 

E ali nós dois prometemos amor eterno a uma criança que tínhamos acabado de encontrar. 




Notas Finais


Então é isso, se tiver algum erro de português me desculpe, tou nervousa kkkk espero que gostem, jovens!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...