História Imagine - DOPE 방탄소년단 - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Girlbulletproof

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 168
Palavras 6.285
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Hentai, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Uma ajudinha para entender o final do imagine passado.
Beijinhos 💋

Capítulo 2 - Unexpected


Fanfic / Fanfiction Imagine - DOPE 방탄소년단 - Capítulo 2 - Unexpected

Eu devo estar ficando paranóica ou algo do tipo. Ele não seria capaz de fazer isso comigo, ou seria? Não, acho que não, e espero que eu esteja certa, mas não vou conseguir continuar com essa dúvida por muito tempo e só tem uma solução para isso. Vou ter que contratar um detetive. 


Vocês devem estar se perguntando o porque disso tudo. Bem, eu namoro a 2 anos com um garoto que conheci na faculdade de engenharia. No início nós éramos muito próximos, estávamos sempre juntos já que estudávamos na mesma sala, mas ele decidiu trocar de faculdade e fazer medicina, o que já nos afastou um pouco mas nada comparado a agora. Praticamente não nos falamos mais, sempre que ligo pra ele ou mando mensagem, ele diz estar ocupado com assuntos acadêmicos e que não pode falar no momento. 


Por conta disso, decidi que iria sair sozinha mesmo, o chamei mas ele deu a mesma desculpa de sempre, fui a um parque que era perto de minha casa, apenas para passear um pouco e vi de longe um casal, o menino estava de costas imprensando a menina contra a árvore, ele era muito parecido com o Jin, meu namorado, me aproximei um pouco mas eles saíram correndo, com ele atrás dela soltando gargalhadas altas, então não consegui ver seu rosto. Desde esse dia estou com uma pulga atrás da orelha achando que ele está me traindo. 


Estou em casa, cheia de atividades da faculdade pra fazer mas não consigo me concentrar em nada. As cenas daquele dia não saem da minha cabeça, desde o acontecido eu tento falar mais com o Jin mas ele sempre me corta e desliga o telefone.  Pra mim era apenas uma dúvida mas teve um acontecimento que praticamente me confirmou tudo. Em um desses telefonemas eu ouvi uma voz ao fundo e ao meu parecer era uma voz feminina. Perguntei a ele o que era e me disse que estava na casa de uma amiga pra fazer um trabalho importantíssimo. Eu não sou tão burra a esse ponto, sei que não estava fazendo trabalho algum, mas não quero simplesmente terminar agora e ele jogar na minha cara que eu estou ficando maluca, que é coisa da minha cabeça, então eu quero provas mas não vou conseguir sozinha, contratarei um profissional e no final pensarei em como farei para humilhar bastante aquele idiota.


Deixei os estudos pra depois, não vou conseguir me concentrar pra adiantar algo com a minha cabeça em outras coisas. Tenho que resolver logo isso, ou eu vou endoidar totalmente. Peguei meu celular e comecei a pesquisar na internet sobre detetives particulares, encontrei uma empresa que fica no centro de Seul e de acordo com o site eles são muito bons. Não vou sair a essa hora da noite, até porque não é aberto então vou esperar até a manhã e irei nessa empresa contratar alguém.


***


Cheguei em frente a empresa que eu havia pesquisado ontem. Respirei fundo e entrei, nunca pensei que precisaria contratar um detetive particular em toda a minha vida.


Era um prédio comercial com várias empresas espalhadas por todo o local, cada uma em um andar. 
Perguntei a recepcionista onde ficava a empresa de detetives e ela me indicou o sétimo andar. Fui até um elevador que se encontrava no canto esquerdo do prédio e subi.


A porta do elevador se abriu e eu já me encontrava dentro da empresa, não haviam muitas pessoas ali que não parecessem ser funcionários e isso me deixou um pouco desconfortável. "Acho melhor eu voltar pra casa, foi uma péssima ideia ter vindo." Falei pra mim mesma e estava prestes a voltar pro elevador mas a minha outra parte do cérebro me impediu ao me lembrar do que aquele idiota está fazendo comigo.
Dei meia volta e falei com a recepcionista da empresa, dei meu nome e ela me mandou ficar sentada e aguardar pois em instantes eu serei atendida, assenti e me sentei em uma cadeira. 


Um homem saiu da sala e chamou meu nome, confesso que fiquei nervosa mas nada que me fizesse querer desistir novamente. Ele se sentou em uma cadeira alta e eu logo em frente à sua mesa.


-Em que podemos ajudá-la senhorita? 


-Bem, é que.........- as palavras simplesmente fugiram da minha boca.


-Se acalme, não precisa ficar nervosa, você não é a única que procura os nossos serviços, então relaxe e me conte a história completa.


-Eu acho que meu namorado está me traindo, na verdade eu tenho quase certeza disso. Mas preciso de provas e não vou conseguir isso sozinha, por conta disso vim até aqui solicitar os serviços de vocês.


-Entendi o caso, atendemos muitas pessoas com o mesmo problema. Nós temos alguém especialista nesses casos e pra sua sorte ele está disponível no momento. Vou chamá-lo e já volto. 


Concordei e ele se retirou da sala. Logo em seguida voltou e sentou-se novamente em frente à mim.


-Ele já está vindo, só precisa aguardar alguns minutinhos. 


-Não há problema. 


Após uns cinco minutos, alguém bate na porta pedindo permissão para entrar, pelo jeito que o rapaz a minha frente falou, ele tem bastante experiência, então deve ser alguém nos seus 50 anos de idade. A porta abriu e fiquei praticamente paralisada, minhas teorias caíram por terra no exato momento em que vi a figura em minha frente.


 É um rapaz jovem, com seus 20 anos de idade, cabelos castanhos volumosos e um pouco ondulado, uma pele macia que parece mais a de um bebê e uma boca linda, rosada e em forma de um coração. Saí do transe quando escutei meu nome sendo chamado. 


-Senhorita Yoon Seo Cha.


-Sim.- me virei novamente em direção ao mais velho.


-Esse é o Kim Taehyung, nosso detetive especialista em casos como o seu. 


-Prazer.- ele se curvou e fiz o mesmo ainda sentada na cadeira.


-O prazer é todo meu.- dei um sorrisinho de lado, um pouco tímida e aposto tudo que minhas bochechas nesse momento estão totalmente vermelhas.


-Vou deixar vocês dois a sós para ela lhe explicar toda a história e você vê o que irá fazer. 


-Sim senhor.- ele se sentou na cadeira ao lado e me virei em sua direção. 


Lhe expliquei tudo o que tinha acontecido nesses últimos tempos e ele me disse que amanhã pela tarde passaria em minha casa para que eu posso lhe mostrar fotos do meu namorado e dizer o que ele gosta de fazer, onde gosta de ir e todos os seus dados, como telefone, endereço, para que possa investigar. Saí da empresa e logo em seguida do edifício, estava me sentindo mais leve. A minha vingança está prestes a ter início.


***


Ouvi batidas na porta e logo me levantei da cama, deixando o notebook onde eu estava vendo filmes em cima da minha mesinha. Abri a porta e lá estava ele. Kim Taehyung.


-Pode entrar.- fui um pouco pro lado abrindo espaço para ele. 


-Obrigado.- entrou e se sentou no sofá da sala. Tranquei a porta e me sentei ao seu lado.- podemos começar?


-Claro. Sou vou pegar umas fotos lá em cima e já volto. 


Subi as escadas e peguei uma pasta cheia de fotos minhas com o Jin, dele sozinho e em lugares que frequenta normalmente e várias informações sobre o mesmo.


-Aqui está. Tem tudo sobre ele. Assim que cheguei da empresa ontem me encarreguei de organizar tudo e colocar todas as informações necessárias para que você descubra tudo. 


-Pelo jeito você está mesmo querendo ter certeza de tudo. Nunca tive nenhuma cliente tão dedicada, todas sempre estavam em depressão, não paravam de chorar e se lamentar, se perguntando o porque disso estar acontecendo com elas ou se não eram tão boas para os homens.- falou enquanto analisava a pasta que estava em suas mãos.


-No começo eu não acreditei no que estava acontecendo, mas não vou ficar me lamentando por causa dele. Apenas quero provas para me vingar.


-Gostei.- deu um sorriso quadrado lindo, o que me fez sorrir junto.- bem tenho que ir, começarei meu trabalho hoje à noite, irei nesse bar que ele costuma frequentar para tentar descobrir algo. 


***


Dois dias se passaram e o Taehyung ainda não tinha vindo novamente até a minha casa. Estava muito ansiosa pra saber o que ele tinha descoberto mas não tinha como saber quando ele viria. 


Estava na cozinha preparando uma pipoca para assistir algum filme, peguei quando estava pronta, juntamente com o refrigerante e alguns doces que eu tinha comprado. 


Me sentei no sofá e liguei a Tv, estava passando um filme de terror então decidi deixar ali mesmo. Fiquei muito concentrada e nada tirava minha atenção do aparelho a minha frente. 


A menina estava sozinha em casa quando ouviu um barulho vindo do andar de cima, então claro que ela decidi ir olhar o que está acontecendo, típico de filmes de terror, ela está prestes a abrir a porta do quarto quando 


-AAAAAAAAAAAAA.- a campainha da minha casa tocou e eu dei um grito levantando do sofá num pulo e colocando a mão no peito que subia e descia rapidamente.- quem é o idiota que aparece a essa hora na casa de alguém?- me perguntei e fui abrir a porta, olhei pelo olho mágico, logo avistei Taehyung ali parado e abri a porta.


-Boa noite. Que grito foi esse?- perguntou assustado.


-Você tá louco? Como é que aparece aqui a essa hora? Você quase me matou de susto.- me afastei da porta e ele entrou.


-Porque? Eu não fiz nada.- ele estava com uma expressão confusa.


-Eu estava assistindo um filme de terror e você vai e toca nessa campainha justamente quando a menina vai abrir a porta do quarto.- ele começou a rir alto e logo fechei a cara.- isso não tem graça.


-Desculpa Yoon Seo Cha mas tem sim.- ele não parava de rir. 


-Tá tá, realmente foi engraçado.- dei um sorrisinho de lado.- pode me chamar só de Yoon Seo, Taehyung.


-Ok. Pode me chamar só de Tae.


-Tá certo. O que veio fazer a essa hora na minha casa?- nos sentamos no sofá e pausei o filme.


-Eu ia vir amanhã mas eu descobri algo não muito agradável.- falou um pouco receoso.


-O que Tae? Pode falar.


-Bem, vou direto ao ponto.- pegou uma foto que estava no bolso da sua jaqueta e me estendeu. Quando olhei a foto em minha frente meu mundo caiu. Ele não teria sido capaz de fazer isso comigo, ele não chegaria a esse ponto. 


-Eu não acredito. EU NÃO ACREDITO.- me levantei e comecei a andar de um lado para o outro.


-Calma Yoon Seo.- Tae falava com uma voz calma.


-CALMA? COMO VOCÊ ME PEDE CALMA. ELE ESTÁ ME TRAINDO COM A MINHA AMIGA. MINHA AMIGA TAEHYUNG.- me ajoelhei no chão e comecei a chorar. Senti o Tae segurar meu braço e me puxar fazendo-me levantar e ficar de frente pra ele. Me puxou pra perto e me deu um abraço apertado.- aquela vadia, eu achava que era minha amiga. Ela sofreu a merda de um acidente e eu fui todo dia visitá-la no hospital, eu fiquei preocupada por uma pessoa daquela, que não vale nada. Mas se eu parar pra pensar ela perdeu a memória então ela não se lembrava do meu namoro com o Jin, mas ele sabia, aquele canalha. 


-Eu sei que é difícil, mas não sofra por isso. É péssimo te ver assim.


-Como não vou sofrer, me sinto traída por duas pessoas que eu gostava, eu nunca mais quero ficar com um homem na minha vida. Nenhum homem presta.


-Não fale isso. Por favor.- segurou meu rosto em suas mãos e me olhou nos olhos.


-Porque?- perguntei com a voz embargada.


-Por isso.- selou nossos lábios em um selinho terno. Na hora eu fiquei surpresa mas logo cai em mim e nos separei.


-Porque você fez isso?-perguntei ainda com os nossos rostos próximos. 


-Não me senti bem no momento em que você disse que nenhum homem presta e que nunca mais se apaixonaria. Eu não quero que isso aconteça. 


-Tae você não? 


-Sim Yoon Seo. Eu acho que estou gostando de você. Sei que é muito cedo pra isso mas quando eu lhe vi na empresa eu senti algo diferente, uma sensação boa. 


-Mas eu...


-Não precisa falar nada. Eu sei que você não gosta de mim, pelo menos ainda não. Então eu vou lhe respeitar, eu apenas queria que você soubesse que nem todos homens são iguais e que eu estou aqui pra você.- apenas assenti com a cabeça, eu não tinha o que dizer naquele momento. 


***


Alguns dias se passaram depois que eu descobri sobre o Jin e minha "amiga". Estava apenas esperando coragem pra ir tirar satisfações com ele e depois com ela. Mandei mensagem para o mesmo marcando um encontro. 


MENSAGEM ON


Eu: "Jin eu preciso falar muito sério com você e não posso esperar para ter essa conversa. Pode me encontrar naquele café em frente ao hospital onde você está fazendo estágio?" 


Jin: " Claro amor, me encontre no horário do almoço. Te amo."


MENSAGEM OFF 


Ele provavelmente já sabe o assunto que eu quero tratar e têm noção da culpa que carrega, o fato dele estar sendo fofo comigo mostra isso. Me arrumei toda, passei uma boa maquiagem e coloquei uma roupa maravilhosa, não vou me mostrar frágil na frente dele nem que me paguem. Peguei a bolsa e as chaves de casa e segui para o meu destino, pedi um táxi e em poucos minutos já estava em frente a cafeteria, entrei e fiz meu pedido logo me sentando em uma mesa ao lado de uma janela que me dava a visão do hospital do outro lado da rua.


Alguns minutos se passaram e eu continuava ali sentada esperando aquele homem. Olhei pela janela e o vi atravessando a rua indo em direção ao café, respirei fundo e fechei os olhos me concentrando para não desabar ali mesmo. Me perdi em meus pensamentos mas logo fui acordada por alguém balançando a mão em minha frente. Olhei na direção da pessoa e lá estava ele. 


-Oi amor.- ele falou com um sorriso no rosto que me derreteria por completo se eu não estivesse com um ódio mortal dele. Se aproximou para me dar um beijo mas eu me esquivei.


-Oi.- falei seca- pode se sentar. 


-Por que você está tão fria comigo? Eu fiz alguma coisa?- ele pergunta com a maior cara de pau do mundo.


-Você ainda pergunta? Você é idiota ou apenas se faz?-ele ia responder mas o cortei.- Não, não precisa responder, eu já sei a resposta. Você é um idiota, canalha, que não tem coragem de chegar pra namorada e falar a verdade, dizer o que está sentindo e o que está realmente acontecendo, preferiu me enganar esse tempo todo ao invés de abrir o jogo e me contar tudo. Se você tivesse me explicado eu poderia até te entender e nós continuarmos amigos mas você me escondeu e isso eu não posso perdoar.- nesse momento ele já estava chorando.- tá chorando porque? A culpa veio à tona agora? Está com peso na consciência? Que ótimo.- ia me levantar mas ele segurou meu pulso.- me larga agora.


-Amor por favor.


-Não me chame de amor.- O cortei.


-Yoon Seo, por favor me desculpe, eu sei que fui um idiota que não pensou nos outros mas apenas em mim mesmo, só pensei em não te perder mas não percebi que estava te machucando com isso. Por favor me perdoe, é só isso que lhe peço.- ele se ajoelhou em minha frente e abraçou minhas pernas.


-Jin me larga e se levanta.- ele fez que não com a cabeça.- Jin levanta agora, eu to mandando.- me abaixei e o puxei pelo braço, fazendo-o se levantar e me encarar.- desculpa Jin mas eu não posso lhe perdoar, não agora, talvez com o tempo eu possa lhe entender e lhe perdoar mas agora eu não posso.- passei por ele, que estava com a cabeça baixa e com lágrimas caindo, sem mostrar nenhuma reação e aparentemente bem e forte, mas foi só pisar fora daquele local que meus sentimentos vieram à tona e comecei a derramar um rio de lágrimas. 


Comecei a caminhar pelas ruas sem destino algum, apenas não queria voltar pra casa e reviver aquelas lembranças que eu tenho com o Jin naquele lugar. 


Passei o dia caminhando e já estava começando a escurecer e a lua tomava o lugar do sol, trazendo consigo um tempo frio. Não fazia a mínima ideia de onde eu estava ou como eu havia ido parar ali, apenas andei e acabei chegando onde estou. Olhei ao meu redor e encontrei um bar, não pensei duas vezes e adentrei o local. 


Era bonito e bem arrumado, não era um simples bar de esquina. Me sentei em um banco alto em frente ao balcão onde ficava o barman, pedi uma bebida forte com grande teor de álcool e aguardei o rapaz trazer. Tudo que eu quero no momento é ficar bêbada e esquecer de tudo que está acontecendo na minha vida. 


Já estava no quinto copo de bebida e a cada dose eu pedia para aumentar mais o teor de álcool no líquido. Havia chegado no meu limite quando decido me levantar para ir pra casa, dei um pulo do banco um pouco alto e tombei um pouco pro lado mas fui amparada por braços que rodearam a minha cintura. 
Olhei pra cima e meus olhos se encontraram com os de Taehyung. 


-O que está fazendo aqui Yoon Seo? Você está muito bêbada, como chegou nesse estado? 


-Oi Tae. É tão bom te ver aqui. Meu anjo.- abracei sua cintura e ele passou seu braços ao meu redor fazendo carinho em meus cabelos. Pela primeira vez em muito tempo eu me senti bem, protegida.


-Vamos. É melhor você sair daqui, já passou do seu limite a muito tempo.- ele segurou em minha mão e começou a me levar para o lado de fora do bar. Pediu um táxi e seguimos para minha casa, por pedido meu. 
Assim que entrei no táxi me deitei no banco de trás com a cabeça apoiada no colo de Taehyung e ele começou a me fazer cafuné. Estava quase pegando no sono quando Tae me chama para descermos do automóvel.


Desci cambaleando e me enganchei no braço dele para não parar direto no chão. Chegamos em frente à porta da frente e ficamos parados, até eu entender e estender a bolsa que eu estava segurando para o Tae e ele logo encontrar a chave e abrir a porta. Me joguei no sofá e por mim ficaria ali para sempre.


-Vamos Yoon Seo. Você tem que tomar um banho frio antes de ir dormir para ver se você melhora.- ele começou a puxar meu punho para me fazer levantar mas eu lutava com todas as minhas forças, que não eram muitas no momento, para impedi-lo.- tá bom, já que você quer do jeito difícil, que assim seja.- passou os braços pelas minha costas e pernas e me levantou, me levanto em direção ao quarto.


-Tá louco Tae? Me põe no chão, eu sei andar sozinha.- comecei a dar tapinhas em seu peitoral mas não surtiram nenhum efeito. 


-Você sabe que não tá adiantando de nada fazer isso, então dá pra parar? Quem quis assim foi você, era melhor ter se levantado logo, mas não, a senhora preguiça preferiu ficar se fazendo de estátua e não quis sair do lugar.- desisti de tentar me soltar e me aconcheguei em seus braços.- boa garota. 


Chegamos no quarto e ele me levou até o banheiro que ficava dentro do cômodo e me colocou sentada em cima da pia enquanto organizava tudo para eu tomar banho. 


-Pronto, enquanto você toma banho eu vou fazer um café forte para você. Qualquer coisa é só me chamar.- saiu do banheiro e fechou a porta.


Desci da pia e dei uma bambeada mas nada muito forte, tirei minha roupa com um pouco de dificuldade e segui para o box, liguei o chuveiro e dei um pulinho para trás quando senti o gelo da água. Entrei debaixo da água e molhei meus cabelos. Terminei o banho e me enxuguei, coloquei a calcinha que estava ali mas não havia nenhuma roupa. Me enrolei na toalha e sai do banheiro encontrando o Tae mexendo em meu guarda roupa.


-O que você está procurando?


-Alguma camisa folgada para você vestir, mas não to encontrando nada.- ele falou e se virou pra mim, me olhou e começou a tirar a própria camisa branca que usava e estendeu pra mim.- pode ficar com a minha, é mais confortável para você dormir.- assenti e voltei para o banheiro, colocando a blusa que ficou parecendo um vestido em mim. 


Saí do banheiro e ele estava deitado na minha cama, sem camisa e mexendo no celular. Ele me olhou de cima a baixo e deu um sorrisinho de lado. 


-Ficou muito melhor em você do que em mim.- abaixei a cabeça para disfarçar a vergonha e dei um sorrisinho.- fiz um café para você.- me estendeu a xícara e me deitei ao seu lado na cama.- to indo pra casa, se precisar de qualquer coisa é só me ligar que eu venho rápido.- ele ia se levantar mas segurei seu punho. Nem eu mesma entendi o porque mas eu precisava dele ali comigo.


-Fica aqui comigo, por favor. Eu preciso de você.- ele assentiu com a cabeça e se deitou novamente na cama. Coloquei a xícara na cômoda e me deitei em seu peitoral.- Tae? 


-Hum!?


-Eu preciso te falar uma coisa.


-Pode falar, estou aqui para qualquer coisa. 


-Eu gosto de você.


-Eu também gosto de você.


-Não Tae, eu realmente gosto de você, muito. Eu preciso de você comigo sempre, ao seu lado eu me sinto protegida, amada.- olhei para cima, me aproximei um pouco e lhe dei um selar demorado. Voltei a me aconchegar em seus braços e fechei os olhos caindo no sono em seguida.


Acordei com uma dor de cabeça horrível, flashs da noite passada rodavam a minha cabeça e tudo que eu mais me lembrava foi quando me declarei para o Tae. Eu estava bêbada mas tudo o que falei para ele era verdade, a bebida apenas me ajudou a ter coragem para admitir tudo.


Ao me lembrar de tudo passei o braço ao meu lado na cama mas nada dele. Me levantei da cama e passei o olhar pelo quarto mas nem sinal de onde ele poderia ter ido.


-Tae. Taehyung, você está aí?- gritei mas não obtive resposta. 


Sai do quarto e fui em direção à sala, nada novamente. Chego na cozinha e encontro uma bandeja de café da manhã e um bilhete embaixo. "Bom dia Yoon Seo, tive que sair para trabalhar, descanse bastante você deve estar de ressaca. Mais tarde passo aí pra ver como você está. Estou com sua chave."


O que esse garoto está fazendo comigo é algo contra a lei. Como ele pode ser tão fofo e atencioso? Isso não é normal. Não tem como resistir a isso.


Tomei meu café da manhã, que estava muito bom por sinal, e peguei um comprimido para dor de cabeça no armário da sala e engoli. Deitei-me no sofá e fechei os olhos apenas para a cabeça passar. Acabei adormecendo e acordando de noite com o som de um carro estacionando em frente à minha casa, logo em seguida a porta da sala é destrancada e o Tae passa pela porta.


-Boa noite Yoon Seo. Está melhor?- deu um beijo em minha bochecha e se sentou ao meu lado no sofá. 


-Estou sim. Não estou mais com tanta dor de cabeça como antes.- apoiei minha cabeça em seu ombro e senti ele ficar tenso.


-Yoon Seo? 


-Hum!?


-Você se lembra de algo que aconteceu ontem? 


-Vagamente, algumas coisas sim, mas nada de grande importância.- sei muito bem do que ele está falando mas que tal fazer uma brincadeirinha?


-Ah entendi.- sua feição era de decepção. 


-Porque Tae? Algum problema? Tem algo que eu deveria lembrar?


-Não é nada não. Besteira minha, foi o álcool. Eu to indo, já que você está bem não precisa que eu fique, amanhã passo aqui de novo.- ele ia se levantar mas eu segurei seu pulso.


-Não! Espera! Eu to brincando Tae, é claro que eu lembro do que aconteceu, lembro de tudo o que eu falei e é tudo verdade, cada palavra.- ele arregalou os olhos e um brilho diferente tomou conta de seu olhar, ele estava feliz e isso era transmitido apenas com seu olhar. 


-Isso é sério? Não é mais uma de suas brincadeiras?- sentou-se novamente e segurou meu rosto entre as mãos fazendo carinho na minha bochecha. Neguei com a cabeça e ele me beijou. Um beijo calmo e com paixão, seus lábios macios e carnudos em contato com os meus era a melhor sensação do mundo. 


Ele me deitou no sofá, ficando por cima de mim e com o joelho no meio de minhas pernas, passava a mão por todo o meu corpo me causando arrepios e sensações que nunca nenhum outro homem havia me proporcionado. O beijo foi ficando cada vez mais quente e ambos sabíamos onde aquilo iria acabar. 


-Você quer mesmo isso? Se você achar que estamos indo muito rápido podemos parar por aqui.- me olhava nos olhos a cada palavra dita.


-É o que eu mais quero agora.- dei um sorriso e ele me retribui com um sorriso quadrado maravilhoso. 


Voltamos a nos beijar e o cômodo ficava cada vez mais quente. Segurei na barra da camisa de Taehyung e puxei para cima tendo total visão de sua barriga, sem Abs mas perfeita do jeito que é. Ele sentou-se no sofá e deu batidas na própria coxa para que eu me sentasse ali. Coloquei uma perna de cada lado de seu quadril fazendo com que a camisa dele que eu estava usando subisse e minha perna fica-se completamente a mostra, segurou minhas coxas e apertou-as. Beijei-o novamente e sua mão subia e descia por minhas coxas e indo em direção à minha barriga. Segurou na barra da camisa e a puxou para cima jogando no chão onde a sua se encontrava. Deu um sorriso satisfeito ao perceber que eu não estava usando sutiã. 


Começou a espelhar beijos pelo meu pescoço e foi descendo para o colo indo em direção aos meus seios onde deu um beijo em cada. Passou a língua no meu seio direito e colocou-o na boca, começou a sugar e lamber enquanto massageava o esquerdo, inverteu e agora massageava o direito enquanto fazia loucuras com o esquerdo. Voltou a me beijar e desceu a mão para minha bunda onde apertou. Se levantou do sofá comigo em seu colo e cruzei minhas pernas ao redor de seu corpo. Foi andando em direção ao meu quarto enquanto eu espalhava beijos pelo seu pescoço e rebolava em seu colo o fazendo arfar e dar alguns gemidos em meu ouvido e eu ficava cada vez mais excitada. Me deitou na cama e se colocou por cima novamente.


-Tem algo errado.- falei 


-O que?


-Eu estou praticamente nua e você ainda está de calça. 


-Não seja por isso.- se levantou e tirou a peça ficando apenas de cueca box preta. 


-Agora sim.- dei um sorrisinho de lado e o puxei para a cama novamente. 


Deu um beijo em minha barriga, coxas, até chegar em minha intimidade. Me olhou como se pedisse permissão e apenas balancei a cabeça em concordância. Segurou na barra do fino tecido e começou a puxá-lo para baixo jogando a peça no chão e voltando para onde estava. Deu pequenos selares em toda a minha intimidade e por fim passou a língua me fazendo arquear as costas e soltar um suspiro pesado. Continuou com os movimentos e passou a me estimular com os seus dedos fazendo movimentos circulares que me levavam a loucura. Passou o indicador pela minha entrada ameaçando penetrar mas não o fez, acarretando um gemido de reprovação vindo de mim. 


-Tae.- gemi seu nome.


-O que princesa?- deu um beijo em minha intimidade.


-Por favor. Faça. 


Ele não pensou duas vezes e introduziu o indicador em minha entrada e começou a movê-lo, joguei minha cabeça para trás aproveitando tudo o que ele estava me proporcionando naquele momento. Introduziu outro dedo enquanto passava a língua por todo o local, e de vez em quando dava leves chupões. Não aguentei mais nenhum segundo e me desmanchei em seus dedos. Retirou os dedos de dentro de mim e levou-os a boca chupando toda a extensão dos dedos molhados com meu líquido. Veio até mim e me beijou, me fazendo sentir meu próprio gosto que estava em sua boca. O afastei de mim e ele me olhou confuso.


-O que foi? 


-Minha vez.- dei um sorrisinho de lado e troquei as posições, agora ficando por cima, sentada em seu membro ainda coberto pela cueca. 


Comecei espalhando beijos pelo seu pescoço, colo e barriga enquanto passava minhas unhas de leve. Cheguei onde queria e segurei na barra da cueca ameaçando tirá-la mas não o fiz, se é pra brincar vamos brincar. Sentei-me novamente em seu membro rígido e comecei a rebolar provocando, coloquei a mão em cima e apertei de leve fazendo Taehyung jogar a cabeça para trás e morder os lábios ficando totalmente sexy. 


-Anda logo com isso. Estou ficando louco.- falou quase que em um sussurro.


-O que você quer amor? Me diz.


-Eu quero que você me satisfaça. Agora. 


-Como quiser. 


Puxei a cueca para baixo e seu membro saltou totalmente rígido, sorri satisfeita e tirei totalmente a peça jogando em qualquer lugar do cômodo. Segurei seu membro e comecei a fazer movimentos de vai e vem apenas começando a estimulá-lo. Lambi toda a extensão e coloquei-a na boca indo e voltando, chupando de vez em quando, tirei da boca e lambi sua glande. 


-Já chega. Eu preciso de você agora.- ele falou totalmente ofegante. 


Me puxou para cima e me deitou na cama. Se esticou um pouco pegando uma camisinha dentro do bolso da calça.


-Já estava preparado?- arqueei uma sobrancelha.


-Um homem sempre tem que estar preparado.- deu uma piscadela, colocou a camisinha em seu membro e voltou a se deitar em cima de mim.


Beijou minha bochecha, pescoço e canto da boca, começou a passar seu membro na minha entrada me provocando e deixando cada vez mais louca, eu não aguentava mais nenhum segundo, precisava dele dentro de mim agora.


-Humm. Tae, vai logo com isso. Eu preciso de você agora. Não me provoca.


-Como a senhorita desejar.


Começou a me penetrar e a cada centímetro a mais dentro de mim nossas arfadas ficavam cada vez maiores. Quando já estava totalmente dentro de mim começou a se mover devagar aproveitando todas as sensações daquele momento. Mas eu não estava mais aguentando tanta lentidão.


-Tae. Mais rápido.


Ele aumentou a velocidade e a única coisa que podíamos ouvir naquele cômodo eram os gemidos que saiam de nossas bocas e o som dos nossos corpos se chocando. Inverti as posições e comecei a me movimentar em seu membro. Nossos gemidos ficavam cada vez mais altos e Taehyung inverteu novamente as posições. 


Mais algumas estocadas e uma corrente elétrica percorreu meu corpo, soltei um alto gemido e logo em seguida senti meu líquido escorrer. Não demorou muito para que ele também chegasse ao seu ápice e se jogasse ofegante ao meu lado da cama. Me puxou pelo braço me fazendo deitar em seu peitoral, depositou um beijo em minha cabeça e ficou alisando meus cabelos. 


-Você é perfeita, em todos os sentidos. Eu não podia estar mais feliz em ter uma mulher completa como você. Eu te amo Yoon Seo.


-Eu também te amo. 


-Amor.


-Hum!?


-Eu sei que não é hora pra falar sobre isso mas como vai ficar seu relacionamento com o Jin?- levantei meu rosto e o olhei.


-Não sei Tae. Acho que vou perdoá-lo, eu sei que foi errado ele ter me enganado e escondido a situação mas não tem pra que eu ficar com raiva dele. Eu vi que o Jin não era o cara certo pra mim e sim você.- sorri e lhe dei um selinho.


-É uma boa decisão. Você não precisa guardar rancor de ninguém. 


-Exatamente. Agora eu tenho meu detetive particular.- não deu nem tempo de pensar, quando percebi o Tae já estava em cima de mim. De novo.


-Não fala assim se não eu apaixono mais.- deu um sorriso e começou a me dar vários beijos pelo rosto, a única coisa que eu conseguia fazer era rir. 


-Tá bom, tá bom, eu já estou ficando com falta de ar.- falei em meio aos risos.- vou tomar um banho, estou morrendo de calor.- falei me levantando da cama e indo em direção ao banheiro quando sou abraçada por trás.


-Posso ir com você?- me deu um beijo no ombro e apoiou o queixo no mesmo lugar. Me virei de frente para ele e o mirei nos olhos.


-Deixa eu ver. Será que eu deixo?- fiz uma cara pensativa.


-Por favor princesa.- começou a fazer aegyo pra mim.


-Com você me chamando de princesa e fazendo aegyo não tem como recusar.- abri um sorriso e ele selou nossos lábios.


Tomamos um banho não muito rápido, mas não aconteceu nada, apenas ficamos trocando carícias e beijos durante o tempo. Saímos do banheiro e eu peguei novamente a camisa que o Tae estava usando e uma calcinha, ele ficou apenas de cueca já que não iria dormir de calça. Nos deitamos na cama e o meu celular apitou. 


MENSAGEM ON


Mina: "Oi Yoon Seo, é a Mina. Queria saber se você poderia me encontrar amanhã no café que fica em frente ao hospital. Nós precisamos conversar e esclarecer tudo." 


Eu: "Tudo bem. Amanhã às 10:00 eu estarei lá." 


MENSAGEM OFF 


-Quem era amor?- Taehyung perguntou enquanto se deitava na cama e eu me aconchegava em seus braços.


-A Mina quer se encontrar comigo amanhã no café para conversarmos, o Jin já deve ter contado sobre tudo que aconteceu para ela.


-Acho bom. Assim vocês se acertam logo e fica tudo resolvido.- falou enquanto alisava meus fios molhados.


-Sim, finalmente tudo vai ser resolvido e a gente vai poder viver nossa vida em paz.- olhei para cima e dei um sorriso.


-É o que eu mais quero.- me deu um selinho.- agora vamos dormir, amanhã vai ser um dia longo para você. Bom noite princesa.


-Boa noite Tae.- me abracei a ele e peguei no sono. 


*** 


Aqui estou eu novamente nesse café. Entrei no estabelecimento e olhei ao redor procurando pela Mina. Avistei-a sentada em umas das mesas no fundo do local, de cabeça baixa e mexendo no celular. Me aproximei até ficar de frente para ela.


-Oi Mina.- ela olhou pra cima e deu um sorrisinho.


-Oi amig... Yoon Seo. Pode se sentar, eu já fiz o pedido, peguei um cappuccino que eu sei que você gosta.- assenti com a cabeça.- bem, eu te chamei aqui para nos resolvermos logo, eu não quero perder a sua amizade. Eu queria que você me perdoasse.


-Olha Mina, eu vou te perdoar, sei que você não teve muita culpa por tudo o que está acontecendo, você sofreu um acidente e não se lembrava de tudo, o mais errado foi o Jin por ter me escondido tudo sabendo do que estava havendo, mas até ele eu vou perdoar porque não quero guardar rancor de ninguém e já estou muito feliz com o Taehyung. Então eu desculpo vocês, o que passou fica no passado.- dei um sorriso, e sim, era sincero.


-Sério?- ela me encarou totalmente surpresa.


-Sim.- o garçom chegou e nos entregou a bebida.- então, como vai indo as coisas?.


-Muito bem, por isso marquei esse encontro hoje. Queria ficar logo de bem com você.


-Entendi. Mas agora eu preciso ir embora. O Tae ficou em casa me esperando.- falei me levantando da mesa e ela fez o mesmo.


-Eu também tenho que ir, o Jin está de folga e nós vamos sair.- falou um pouco sem graça.


-Não precisa ficar assim, não sinto mais nada pelo Jin.- ela me olhou e assentiu enquanto andávamos para fora do local.- estou indo. Tchau.


-Tchau Yoon Seo. 


Peguei um táxi e fui direto para casa, o Tae tirou o dia de folga e eu quero aproveitar cada momento com ele. Abri a porta de casa e estava tudo em um completo silêncio.


-Tae onde você está?- sai andando pela casa procurando ele mas nada dele em lugar algum. Entrei no quarto e estava tudo escuro por conta das cortinas fechadas, haviam velas e pétalas de rosas vermelhas espalhadas por todo o cômodo.- o que está havendo aqui?- falei enquanto entrava no cômodo. 


-Eu quero fazer tudo como deve ser.- o Tae sai do banheiro segurando um buquê de flores e se ajoelha na minha frente.- Yoon Seo Cha, você aceita ser apenas minha?- tirou uma caixinha de veludo do bolso e a abriu revelando duas alianças, levei as mãos até a boca totalmente surpresa com tudo que aquele homem preparou para mim.


-Nem precisa perguntar. Eu já sou sua.- ele se levantou e selou nossos lábios, nos separamos e colocamos as alianças.


-Eu te amo minha princesa. Prometo te fazer feliz para sempre.- ele olhava nos meus olhos em cada palavra e dava pra ver que era sincero.


-Eu também prometo te fazer sempre feliz. Te amo meu detetive. 


Jin P.O.V ON 

-Resolveu tudo com a Yoon Seo? 


Notas Finais


Heyyy.
Espero que tenham gostado
Sei que o final foi confuso novamente mas lembrem-se que esse não é um simples imagine.
Bjsss
Até a próxima 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...