História Imagine BTS - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga
Exibições 258
Palavras 2.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Esse imagine é dedicado à ~YasMinYoongi, que pediu um imagine em que o Hoseok iria passar o natal sozinho, porque todos os meninos estavam com a família... (S/N) sabendo disso vai até ele e se declara, já que ambos já se gostavam.
Espero que goste <3

Capítulo 38 - Imagine J- Hope


Fanfic / Fanfiction Imagine BTS - Capítulo 38 - Imagine J- Hope

24 de dezembro, a data parecia ter gritado quando olhei o visor do meu celular. Logo me veio em mente importância daquela data, lembrando das casas decoradas com árvores de natais, os pisca-piscas, a clima gelado de Seul como todo final de ano... Era natal, mas para mim seria só mais uma data, já que eu não tinha com quem comemorar. Meus amigos do grupo haviam ido festejar com suas famílias, Taehyung até mesmo tentou me convencer a ir com ele para a casa dos pais, assim como Jin, que ficou extremamente preocupado em me deixar sozinho. Meus pais e minha irmã foram passar as férias de final de ano na Austrália, então nem cogitei a ideia de ir para Gwangju.
Também tinha minha melhor amiga, (S/N), que tinha me deixado a um ano e três meses quando resolveu ir trabalhar na Alemanha... Desde meus quinze anos eu passava natal com ela, mas assim como no último eu teria que me conformar apenas com um telefonema.
Fazia frio em Seul, vesti um sobretudo por cima da roupa que eu usava, peguei as chaves do carro que estava em cima da mesa e saí para comprar algo pra comer, já que era a primeira vez nos últimos dois meses que eu tinha tempo para fazer compras.
- Bom dia, Hoseok! -  o porteiro do meu prédio falou animado - Indo fazer compras para a grande noite?
- Bom dia! - sorri - Apenas compras do mês mesmo...
-  Então... Boa sorte, o trânsito na cidade está um caos, por causa da véspera do natal.
E realmente estava um caso, o som das buzinas em meu ouvido estavam me tirando a paciência. Um carro com um casal dentro parou ao meu lado no semáforo que por falta de sorte já estava vermelho a mais de 5 minutos, o som estava alto e eu não estava afim de ouvir músicas ainda mais a que começara a tocar... Wannabe das Spice Girls. Relaxei meu corpo no banco e deitei a cabeça no volante, fechei os olhos e fiquei lembrando da vez que (S/N) se empolgou no carro cantando a mesma música, fazendo caras e bocas, se divertindo muito.

Flashback

- If you wanna be my lover, you gotta get with my friends, make it last forever friendship never ends... If you wanna be my lover, you have got to give, taking is too easy, but that's the way it is... - (S/N) cantava o mais alto que podia, fazendo algumas pessoas olharem estranho para o meu carro.
- Você é louca!
- Ah, Hobi... Vai dizer que não gosta desse hino em forma de música?

Flashback Off

Foi naquele dia que ela também disse sobre a oportunidade de trabalho que havia sido proposta à ela.
Por que fui tão burro? Deveria ter falado para ela tudo que sentia, que nossa amizade tinha evoluído... Pelo menos para mim.
Sim, parecia que tudo estava desabando, aquele trânsito infernal, a música, as lembranças, eu sozinho em plena noite de natal. Ouvi a buzina vinda do carro de trás e umas palavras feias. O carro com a música ainda seguia do meu lado, meu celular tocou, retirei o mesmo do bolso e vi que era um Taehyung.
- Oi, Tae. - tentei não demonstrar minha impaciência.
- Hoseok, vamos fazer uma festa aqui, tem certeza que não quer vir? - de novo essa conversa.
- Não, vou ficar em casa mesmo.
- Mas não tem ninguém pra ficar com você aí, vem pra cá!
- Vou pensar, talvez eu apareça por lá.
- Ok, vai começar às 23 horas.
- Tá bom, tchau. - desliguei o celular.
O carro da música já não estava mais do meu lado e o trânsito se acalmou depois que eu mudei o caminho virando em outra rua.
Comprei o suficiente para me manter por pelo menos um mês, já que eu tinha tão pouco tempo pra ir ao supermercado.
A frente do meu prédio estava toda decorada, pessoas passando por mim e desejando feliz natal.
Me joguei no sofá com uma bacia de pipoca e um copo de coca-cola ao meu lado para assistir qualquer coisa na TV.


Meu relógio marcava onze e meia da noite. Tinha acabado de sair do banho e comecei a me arrumar, não iria me arrancar um pedaço passar um pouco na casa da família do Tae.
O toque ensurdecedor do meu celular invadiu o quarto, na tela uma foto do Namjoon piscava.
- Ainda são onze e quarenta, cara! - atendi rindo.
- Eu te ligo e você reclama da hora, Hoseok? - ele fingiu estar bravo - É porque daqui a pouco e eu meus pais embarcaremos em um cruzeiro e lá não tem muito sinal de celular.
- Eu estava brincando, o que vale é a intenção - ri - Como está tudo aí?
- Ótimo, Itália é um lugar lindo, você precisa ver.
- Um dia. - eu ri - Aproveita bastante, vocês merecem.
- Obrigado, um dia vai ser você. Alías, (S/N) tem ligado?
- Não. - tentei não parecer deprimido com isso - Ela deve estar ocupada com o trabalho, você sabe.
- Pare com isso, tenho certeza que ela vai ligar! Enfim, só liguei para desejar feliz natal, ok? Já está na hora de embarcar, minha mãe te mandou um beijo e disse que te ama.
- Para você também , diga que eu  também a amo e boa viagem!
- Obrigado, tchau! - Namjoon desligou o celular.
Assim que joguei o celular no sofá ele tocou de novo, dessa vez era Jin, me falou de como sua noite estava sendo ótima com sua família, me fazendo lembrar de como a minha estava sendo uma merda, desejou feliz natal faltando cinco minutos para meia noite e desligou o celular.
Só faltava ela ligar.
Deu meia noite e ela não ligou, talvez estivesse com alguém e só me ligaria no dia seguinte. Era meia noite e dez, mas ainda dava tempo de ir a festa do Tae... Se eu encontrasse a chave do carro, que simplesmente sumiu.
Taehyung ligou enquanto eu estava procurando a chave que sempre que eu precisava desaparecia, meu celular tocou de novo, sem ao menos ver, eu atendi.
- Tae, eu disse que já estou indo, só estou procurando a chave do carro! - disse irritado.
- Sempre perdendo a chave do carro, Hobi... - aquela não era a voz de Tae e sim de...
- (S/N)! - praticamente gritei - Desculpe, eu pensei que era o Tae.
- Como está a noite de natal ? - ela perguntou.
- Legal, estou dando uma festa em minha casa, cheio de mulheres lindas e... - comecei a rir - Tá uma merda e a sua?
- Ah, a minha vai ficar boa daqui a pouco.
- Por quê? - perguntei curioso.
- Vou encontrar alguém que eu amo muito! - senti uma fisgada em meu coração, talvez fosse ciúmes.
- Sorte a sua! - disfarcei minha decepção - Aproveite a noite.
- Eu vou. - ela riu - E você, tá sozinho?
- Estou. - assim que eu disse isso a campainha tocou, não estava esperando ninguém.
- Acho que não mais, ouvi a campainha tocar! - ela riu.
- É... Eu vou atender, mas não desliga o celular, por favor! - disse indo em direção a porta.
Seja lá quem fosse estava atrapalhando a ligação mais importante e esperada do meu dia, pensei em não atender, mas a pessoa parecia ter grudado o dedo na campainha, atendi indignado, mas logo fui surpreendido pelo "Feliz Natal" da garota que estava parado em frente a minha porta.
Ela estava parado em frente a minha porta, vestia um vestido azul marinho, que ia até a metade de suas coxas, nos pés um salto preto, o cabelo estava bem penteado e a maquiagem era leve, (S/N) me fitava com um olhar ansioso de quem esperava uma resposta e segurava um embrulho.
- Feliz Natal! - ela repetiu.
- (S/N), o que você está fazendo aqui?
- Estava passando aqui em frente e lembrei que você morava aqui... - ela riu irônica - Você acha mesmo que eu deixaria meu garoto passar o natal sozinho?
- Mas você estava na Alemanha e... Como você chegou aqui tão rápido? Por que não me avisou que vinha?
- Quantas perguntas, Hoseok, não vai me convidar para entrar ?
- Entra! - a puxei para dentro - Estava morrendo de saudade. - nos juntamos em um abraço apertado.
- Você ia sair ? -  ela perguntando me analisando de cima abaixo.
- Sim...- sorri sem graça - Mas não estava com vontade de ir e agora muito menos.
Meu celular mais uma vez tocou, era Taehyung de novo.
- Não vai atender ? - ela olhou para o  meu celular.
- Não é importante. - sorri - Me explique, (S/N) , o que te trás a Seul de novo?
- Saudade do meu melhor amigo! - ela sentou no sofá me puxando, fazendo-me cair ao seu lado - Eu sabia que você passaria o natal sozinho, porque todos os meninos foram visitar as famílias e lembro que você comentou algo sobre os seus pais viajarem... Hoseok, jamais te deixaria sozinho! - ela sorriu.
- Você é uma boa amiga! - a abracei.
- Sou boa em outras coisas também! - sussurrou em meu ouvido e sorriu maliciosamente, fazendo-me soltar uma gargalhada.
- (S/N) você não muda! Quando resolveu vir?
- Quando liguei semana passada e percebi que você estava quase chorando, ganhei umas férias de fim do ano e vim até você. - ela me fitou -Alías, não precisa ficar chorando de saudades por minha causa.
- Convencida! Eu não estava chorando e muito menos de saudades de você.
- Sei - riu - Ah, toma o seu presente! - ela estendeu o embrulho que estava em sua mão desde que chegara.
Dentro da caixa tinha um álbum de fotos, com fotos de nós dois desde a época da escola , não só de nós, havia fotos com os meninos, a cada foto era um sorriso bobo que eu dava e no final um cartão escrito "Sinto tanto sua falta".
- Isso é lindo! - a abracei forte e ela retribuiu o abraço.
- Sei que não é o melhor dos presentes, mas é de coração...
- Eu amei, de verdade! - a fitei com olhar e logo ela sorriu bobo.
Abaixei a cabeça quando fui tomado por uma imensa tristeza, eu realmente estava feliz por ela estar ali comigo, mas logo ela voltaria para a Alemanha e eu não diria o quanto a amo, que a amo como homem e mulher e não aquele sentimento de amigo, mas eu tinha medo de estragar a nossa amizade de anos que sempre fora tão linda e também ela já devia ter um outro alguém na Alemanha... Ou não, porque se ela tivesse alguém não estaria ali comigo em Seul, em plena noite de natal, certo?
- O que foi? - ela acariciou meu rosto - Não está feliz em me ver?
- Estou muito... Eu só não quero me acostumar em ter você de novo, porque logo você vai embora.
- Entenda uma coisa... - ela chegou mais perto de mim - ... Ainda que eu  vá embora de novo eu vou sempre voltar pra você ...
Ela deitou a cabeça em meu ombro, logo a puxei pela cintura colando nossos corpos.
- E eu estava com saudade disso - ela disse.
- Do que exatamente?
- Eu sinto realmente sua falta, Hobi, dos seus conselhos, da sua voz, do seu cheiro e .. - antes que ela terminasse comecei a rir - Do que está rindo?
- Ah, qual é, (S/N)?! Você deve ter tido tantos homens lá, que se quer lembrou de mim.
- Sim, eu tive alguns. - dessa vez eu mudei minha expressão para raiva - Mas nenhum deles era você e por isso eu estou aqui em Seul hoje.
- Eu te amo. - abaixei a cabeça, ela me olhou por uns instantes.
- Eu também, Hoseok.
- Não, (S/N), eu te amo como um homem ama uma mulher e não como eu amo um amigo ou coisa assim, no começo achei que era coisa da minha cabeça, mas eu fui levando a sério e ... - ela me interrompeu.
- Tenho uma coisa pra te falar! - a olhei sério.
- Diga.
- Eu não vou voltar para a Alemanha.
- Como assim e seu trabalho? - perguntei confuso.
- Vou pedir transferência para Seul de novo.
- Você está certa disso?
- Só estou certa de uma coisa... Eu amo meu melhor amigo de infância e não quero mais perdê-lo, um dia eu prometi que estaria ao lado dele e agora estou cumprindo a promessa... Eu estou certa de que quero passar a minha vida toda ao lado dele...
- (S/N), eu... - ela colocou indicador sobre meus lábios, pedindo para esperar que ela terminasse.
- Só que muito além de passar o resto da vida ao lado dele, eu quero passar o resto da vida sendo dele, ele sendo meu e... Eu te amo! - ela enfim sorriu, um sorriso angelical que me deixava mais apaixonado, em seguida ela juntou nossos lábios em um beijo calmo e carinhoso, que foi aprofundando, talvez pelo desespero em que estávamos para fazer isso.
- Eu também te amo, (S/N). - murmurei quando nos separamos.
- Então, Hoseok... Quer namorar comigo? - ela perguntou.
- Não era eu quem devia fazer essa pergunta?
- Não estraga o momento! - ela bateu de leve em meu braço, fazendo-me rir.
Fiquei sério por alguns instantes, mas logo sorri, a beijei novamente e talvez aquela fosse a resposta.
Parei o beijo e sussurrei um “sim” em seu ouvido.
Posso dizer que aquele fora de longe o melhor presente que eu ganhei de natal.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...