História IMAGINE BTS - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 580
Palavras 2.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OEEEE

^-^

Capítulo 1 - [IMAGINE JIMIN +18]


Fanfic / Fanfiction IMAGINE BTS - Capítulo 1 - [IMAGINE JIMIN +18]


Você abre os olhos e tudo o que vê é o escuro causado pela venda sobre eles. Você respira fundo e arrasta os pés pelo colchão, encolhendo um pouco as pernas e apertando as correntes frias do par de algemas que prende seus punhos à cabeceira da cama, ouvindo o tilintar metálico destas e pressionando-as na palma das mãos com força ao sentir o arrepio que percorre todo o seu corpo com o toque da ponta dos dedos de Jimin passeando pela sua barriga e subindo por suas costelas até o meio dos seus seios, acariciando apenas superficialmente toda a região como se fizesse desenhos aleatórios por ali, indo e voltando, usando a outra mão para colocar uma das suas pernas apoiada no ombro dele, dando-lhe uma visão magnífica de você nua. A beleza dessa cena poderia ser considerada uma obra de arte.

O mero contato com o toque suave da ponta dos dedos de Jimin, as unhas um pouco compridas arranhando sua pele de leve, o ar quente saindo da boca dele e se chocando contra sua coxa nos intervalos entre os beijos que ele deposita no interior dela… Isso é suficiente para te fazer suspirar em necessidade. Necessidade de Jimin. Necessidade que triplica quando você o sente deslizar dois dedos para dentro de sua intimidade já molhada, te fazendo arquear as costas para fora da cama e soltar um gemido que por um momento ficou preso em sua garganta.

“Não ouse me privar desse som maravilhoso” ele diz, movendo os dedos dentro de você até achar AQUELE lugar, aquele ponto que, quando pressionado, te fazia gemer deliciosamente manhosa e necessitada, e cada gemido fazia o pau de Jimin pulsar mais. Aos olhos dele você é simplesmente linda e não há discussão sobre isso, porém em momentos como esse, quando você está nua gemendo choramingado baixinho e se contorcendo sob os dedos dele, puxando as correntes das algemas e apertando-as com força, ah… Em momentos como esse você parece ainda mais devastadoramente bonita e muito, mas muito gostosa. É demais para que ele consiga se manter são por muito tempo.

“Olhe para você, S/N…” ele diz com a voz rouca, arrastando a bochecha pela sua perna apoiada no ombro dele e apertando-a com força. “Nem começamos a brincar ainda, eu mal te toquei e você já está assim, parecendo tão destruída”, ele sorri sacana antes de pressionar com força aquele lugar dentro de você uma vez, e de novo, e de novo, e de novo, e você mal consegue respirar entre os gemidos e choramingos. “Você está tão, tão molhadinha pra mim…” Jimin lambe os lábios, dando uma boa olhada naquele visão.

Porra… O pau de Jimin chega a latejar de desejo. Seu corpo todo estremece apenas com o pensamento de estar dentro de você, te fodendo em todas as posições possíveis e sentindo suas unhas maltratarem as costas dele.

De onde ele tirou autocontrole para não fazê-lo pouco importa, tudo que ele sabe é que não dará o que você quer assim tão fácil… Não, ele quer arrancar cada vestígio de sanidade que existe em você antes, se divertir com todos os brinquedos que trouxe, te deixar embriagada de prazer, sem forças, implorando por ele.

Ele retira os dedos de você e você choraminga mais uma vez, puxando o quadril para cima e, se não fosse pela venda, teria olhado diretamente nos olhos de Jimin com um brilho pidão no olhar. Como ele pode ter parado algo tão bom?!

Ele morde a carne macia da sua coxa e você geme nisso, em seguida ouvindo-o rir nasalado. “Se você for uma boa garota pra mim, o Daddy vai dar o que você quer” ele diz, e você não precisa vê-lo pra saber que ele está com aquele sorriso malditamente lindo e malicioso no rosto, o típico sorriso de quando ele assume o controle das coisas. “Você vai ser uma boa garota, hm?” ao final daquele frase você sente algo tocar sua intimidade. Algo pequeno demais pra ser um vibrador, e grosso demais pra ser um bullet. “Oppa te fez uma pergunta, amor” ele diz, empurrando a primeira bolinha tailandesa pra dentro de você e tornando impossível que você emita qualquer resposta que não seja em forma de gemidos. “Vou dizer de novo. Você vai ser uma boa garota pra mim?”, ele insiste, agora mais autoritário, empurrando a segunda bolinha do cordão que ainda possuía mais 3 - 5 no total. Você choraminga e aperta os olhos, corando com força. “E-Eu… Eu vou” você mais geme do que fala, respirando ainda mais pesado ao sentir a terceira bolinha te adentrar. “Você vai tomar o pau do Daddy bem? Vai tomar tudo?” e então a quarta bolinha também está dentro. A sensação estranhamente boa parece ficar cada vez melhor e você abre mais as pernas em sinal para que ele continue, e assim ele o faz, empurrando a última bolinha para dentro e passando o indicador por dentro da pequena argolinha pendurada para fora, se desmanchando em deleite e chegando à beira da loucura com a visão de você arfando de prazer.

Deus… É a própria visão do pecado. Em toda sua mais luxuriosa gloria. Olhar para você assim fazia coisas em Jimin, ele ardia em puro desejo, estava com um problema GIGANTE no meio das pernas - em todos os sentidos da frase.

“Vai deixar o Oppa te foder todinha? E vai gemer meu nome só pra mim?” agora você sente algo tocar a região do seu clitóris, seguido por um barulho que você bem conhecia.

*Clique*

O bullet começa a vibrar ali, apenas forte o suficiente para te fazer arquear para fora da cama e soltar um gemido lascivo e quase gritado. “D-Dad… Dy” você grunhi sôfrego, perguntando-se apenas por um breve segundo se as correntes das algemas resistirão até o final dessa tortura - uma tortura tão inexplicavelmente boa.

“Hm? Eu não ouvi, princesa”

Princesa. Você é a princesa dele.

“O que você quer?” Jimin diz com a voz rouca, empurrando para cima o pequeno interruptor na lateral do bullet e aumentando a intensidade da vibração ao mesmo tempo em que começa a puxar lentamente a argolinha enroscada no outro indicador, trazendo uma das bolinhas para fora apenas para empurrá-la de volta pra dentro novamente. Dessa vez você não consegue conter um grito ao que Jimin aumenta a velocidade do brinquedo para o máximo.

Puta merda. Puta merda. Mil vezes puta merda. É insano. Insuportavelmente prazeroso. A vibração intensa naquela parte tão sensível, as bolinhas tailandesas entrando e saindo de você, a voz quase musical de Jimin- Quer dizer… De Daddy, entrando em seus ouvidos e roubando cada mero resquício de juízo e consciência que existe ali... Você nunca esteve tão destruída, e de uma forma tão maravilhosa. Com certeza seus gemidos nunca estiveram tao altos e tão deliciosamente manhosos e excitantes, e isso faz todas as veias do pau de Jimin pulsarem dolorosamente, ele mal pode se conter com a visão tão obscena e impossivelmente bela que é você se contorcendo de prazer e incapaz sequer de fechar a boca, já que parece simplesmente impossível para você parar de gemer naquele momento.

“D-Daddy! Mais!” você implora.

“Hm? Mais o que, S/N?” ele abre os lábios de sua intimidade para poder ver melhor e aperta o bullet certeiro bem em cima do seu clitóris, tornando respirar uma tarefa quase impossível. “Você quer gozar?”

“S-Sim”

“Peça”

Filho da puta.

“P-Por favor, me deixe… Me deixe gozar” você grunhi sôfrego, as palavras saindo quebradas e apenas alto o suficiente para que Jimin ouça, é simplesmente impossível para você dizer qualquer coisa coerente nesse momento.

“Não”

*Clique* - Jimin desliga o bullet e o afasta.

Maldito.

“Por que eu deveria?” dessa vez ele começa a puxar a argolinha na ponta do fio pendurado para fora de sua intimidade, retirando bolinha por bolinha numa calma torturante. “Hm? Vamos, princesa. Use as palavras, você sabe falar. Por que eu deveria deixar você gozar?”

Park Jimin, você é um maldito. Um grande babaca maldito.

“E-Eu… Eu preciso, Daddy… P-Por favor…”

“Mas nós acabamos de começar...” ele provoca, voltando a empurrar uma bolinha pra dentro de você e levando o indicador da mão livre até sua entrada de tras, pressionando apenas de leve, não a ponto de realmente adentrá-la, mas sim apenas um carinho superficial, porém logo recuando quando percebe o jeito como você contrai nervosa e se agarra nas algemas numa tentativa quase involuntária de puxar o corpo para cima. Certo, ali não.

Droga, Jimin… Você poderia ao menos fingir que não é um belo de um filho da puta?

"Você quer meu pau dentro de você, princesa?” ao final da frase, Jimin puxa o pequeno aro ao redor do indicador arrancando todas as bolinhas de dentro de você de um vez só, te fazendo gemer alto e rebolar o quadril em resposta.

É, pelo jeito, não.

“Você aguenta? Vai tomar tudo?”

“E-Eu… Eu vou…” sua voz sai trêmula, ainda se recuperando.

Você sente as mãos de Jimin tocarem suas bochechas coradas, agora ainda mais vermelhas e quentes, e então irem até a parte de tras de sua cabeça e começarem a desatar o nó da venda, revelando seus olhos molhados nos cantos e nos cílios por algumas lágrimas e o olhar carente que na mesma hora foi de encontro ao de Jimin. Ele estava nu de joelhos no meio das suas pernas abertas, o tronco inclinado por cima do seu, o abdômen e o peitoral bem definido suavam de puro desejo, seu membro contraía fortemente, sedento por você, os cabelos alaranjados caíam ao redor de seu lindo rosto, emoldurando-o perfeitamente.

Jimin é tão incompreensivelmente lindo. Especialmente pelado em cima de você te lançando aquele olhar flamejante. É como se cada pequeno traço de seu corpo tivesse sido esculpido minuciosamente pelas mãos do melhor artista, e cada mero pedacinho dele queima em vontade de você.

Ele está sobre uma S/N nua deitada na cama ainda algemada, ofegante e brilhando de suor, as bochechas coradas e a boca vermelha entreaberta, o peito subindo e descendo de acordo com a respiração descompassada.

Linda. Fodidamente linda. Fodidamente fodível.

Jimin sente seu interior esquentar como se uma chama percorresse todo seu corpo, seu pau pulsa desesperadamente por você e ele nao consegue mais esperar. “Olhe pra mim” Ele segura seu queixo e aproxima seus rostos até roçar a ponta do nariz no seu, te fazendo olhar fundo nos olhos escuros e brilhantes de desejo. “Voce quer?”

“A-Agora”

“Me diga o que vai fazer então”

“Eu vou fazer o que você quiser, Daddy, e-eu…” você é interrompida pelos lábios de Jimin capturando os seus num beijo surpreendentemente calmo que não combina nada com a situação. “E-Eu vou tomar t-tudo, eu juro, s-só por favor, Jimin-oppa… Não me faça esperar mais...” você geme as palavras contra a boca de seu namorado e isso é tudo que Jimin precisa para tomar o próprio pênis duro na palma da mão e posiciona-lo em sua entrada, começando a adentrá-la de forma tortuosamente lenta. “Já que você pediu tão bem… O Oppa vai cuidar de você” ele sorri sacana. “O Oppa vai cuidar direitinho de você, princesa” e deslizar para dentro num único impulso. Você vira a cabeça para o lado e arqueia fortemente, forçando mais ainda as correntes das algemas e gritando em prazer ao finalmente senti-lo dentro de você.

“OPPA!” você entrelaça as pernas na cintura de Jimin, rebolando o quadril involuntariamente.

Caralho... Jimin é bom. Muito bom mesmo. Você não se cansa do quão bom ele é. As estocadas fundas e fortes atingem certeiras onde você tanto gosta, e não demoram a estabelecer uma velocidade rápida. É impressionante como Jimin não vacila no ritmo delas, apoiando-se sobre os braços fortes, um de cada lado do seu corpo, o barulho dos corpos se chocando preenchendo o quarto junto aos seus gritos e gemidos e também aos suspiros arrastados que Jimin deixa escapar pelos lábios entreabertos.

“M-Mais, por favor, Oppa!” você pede, e Jimin passa a segurar as bochechas da sua bunda para apoiar-se e te estocar ainda mais fundo, apertando com gosto a carne farta e desferindo tapas contra a pele macia. Isso com certeza ficará vermelho… Mas você não podia se importar menos, isso só torna tudo muito melhor, de alguma forma. A cada tapa que ele estrala em suas nádegas já marcadas você geme ainda mais alto.

“Foda-se, como você pode ser tao apertada?” as palavras saem entre ofegos destruídos e quase ininteligíveis, Jimin mais perdido no prazer e na necessidade de você do que em qualquer outra coisa. Ele fecha os olhos e joga a cabeça para trás, puxando suas coxas em direção ao quadril dele enquanto se impulsiona para frente, tornando a penetração ainda mais funda. “S/N, eu vou…” Jimin termina a frase com um gemido e no mesmo segundo você sente algo jorrar dentro de você. Todos os músculos bem definidos do corpo de seu namorado estremecem e ele permite que parte do peso dele caia sobre o seu corpo, descansando ali, ofegante e suado como o inferno.

Ele se retira de você e volta a se apoiar nos braços, pairando sobre o seu corpo e te olhando nos olhos em silêncio absoluto, como se entrasse em transe momentaneamente. “Minha” ele diz, acariciando seu rosto. “Sua” você responde em concordância, vendo um sorriso brotar nos lábios dele e, em seguida, vendo-o inclinar-se em direção ao criado mudo para pegar a chave das algemas e então começar a destranca-las, retirando ambas e deixando-as de lado na cama. “Vem cá” ele te puxa pelos braços para te fazer sentar na cama, aproveitando para se sentar na beirada desta também e te colocando deitada sobre o colo dele de bruços, sua bunda empinada em cima das pernas dele.

“D-Daddy?”

“Sshh…” ele aperta as duas bochechas - ainda marcadas pelos tapas - com vontade, abrindo-as para ter uma visão completa de você, o que por alguma razão te faz corar forte. Não é como se ele nunca tivesse visto, mas ora, ele está encarando diretamente suas partes mais íntimas tão fixamente e tão de perto, você na verdade não se lembra de alguma vez ter permitido que ele fizesse isso até hoje, nunca haviam estado nessa posição, e você não sabia o que ele tinha em mente. “Eu disse que cuidaria direitinho de você, não disse?” aí está o lindo sorriso malicioso novamente, seguido por mais um tapa bem dado em uma de suas nádegas. E mais um. Mais um. E outro. Você apenas tinha pequenos espasmos prazerosos, pois Jimin não usava força para te machucar, muito pelo contrário, jamais faria isso, nem tampouco se perdoaria se o fizesse. Cada tapa vinha seguido de um carinho suave no local, aliviando a deliciosa ardência apenas para logo em seguida fazê-la voltar com outra palmada.

As mãos de Jimin eram incríveis. Em todos os malditos sentidos da palavra. Principalmente quando ele voltou a abrir as bochechas da sua bunda para penetrar sua intimidade com dos dedos sem qualquer cerimônia, já iniciando com movimentos rápidos, fortes e certeiros em seu ponto G, arrancando um gemido lascivo de você e te fazendo empinar mais ainda o quadril sem sequer perceber, buscando por mais.

Mais. Você queria mais. Nunca poderia ter o suficiente de Jimin. Ele é simplesmente fantástico.

“A-Ah, Oppa… P-Por favor, eu…”

“Eu sei, amor. Goze pra mim, princesa” ele diz perto da sua orelha, pressionando aquele lugar uma última vez com mais força, fazendo seus olhos fecharem com força, a testa franzir, a boca cair aberta para deixar um gemido gritado sair, enquanto os espasmos do orgasmo alucinante te dominam por completo e todos os seus músculo contraem com força total enquanto você aperta os lençóis desarrumados da beira da cama. Jimin não para os movimentos imediatamente, continua ainda mais fundo para prolongar seu orgasmo e só então passa a diminuir os movimentos gradativamente, até finalmente pará-los e retirar os dedos molhados de você.

Ele te puxa para cima novamente enquanto você ainda está tentando recuperar algum fôlego, passando seus braços em volta do pescoço dele e se deitando com você por cima dele, sentindo o delicioso contato dos corpos suados e quentes grudando um no outro, a respiração ofegante dos dois em perfeita desarmonia.

“Você é tão boa pra mim” Jimin entrelaça uma das mãos nos fios da sua nuca, iniciando um cafuné ali.

“Eu mereço uma recompensa?”

“É… Me soa justo.”

Você sorri sapeca ao ouvir essas palavras.

“Então…” você levanta a cabeça para olhar na cara de Jimin, lançando-lhe um olhar travesso. “...Da próxima vez, o submisso é você”

Jimin solta um riso contagiante enquanto assente com a cabeça.

“Como quiser… Mommy?”

“... Não, pelo amor de Deus, 'Mommy' é péssimo, 'S/N' está ótimo”
   

[.........]


Notas Finais


O próximo sai amanhã ^-^

Juro de dedinho :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...