História IMAGINE com Bangtan! - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Oneshot
Exibições 297
Palavras 1.244
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 31 - Kim Namjoon › Colegial


Fanfic / Fanfiction IMAGINE com Bangtan! - Capítulo 31 - Kim Namjoon › Colegial

  Monster?

Número Desconhecido Se quiser pode ser Daddy.

Haha, não.

Número Desconhecido Ah... ;-; Estou triste...

Número Desconhecido Você seria uma ótima Baby Girl...

Número Desconhecido Na verdade, esse é o nome do seu contato!

Você colocou como Baby Girl?!

Mude isso!!

Coloque outra coisa!! 

— Guarde o celular. — Hoseok, que está sentado ao meu lado, sussurra. Sinto que ele me alerta sobre algo, por isso obedeço.

Não demora muito e a professora olha em minha direção. Jung me salvou de uma enrascada... aquela velha já não ia com minha cara, só estava esperando um motivo para fazer da minha vida um inferno! Ainda bem que guardei a tempo...

Por sorte, ouvimos o sinal tocar outra vez. Hora de ir embora. Suspiro pesado ao constatar aquilo. Quanto tempo passei com a cara enfiada na telinha brilhante?

Não importava. Só queria ir para casa, cair na cama e descansar. Me despedi de Hobi no portão, lhe dando um abraço apertado, dizendo um breve "Até amanhã".

Andando pelas ruas calmas, tiro tempo para olhar ao redor. Vejo algumas crianças brincando por ali. Casais passando de mãos dadas. Uma mulher com uma bebê muito fofa...

"Ah, bebê estamos só começando!"

Ótimo, eu tinha que lembrar disso? Reviro os olhos e volto a andar apressada. Sigo meu caminho numa boa, até um carro prateado parar ao meu lado.

— Perdida? — Indaga o motorista.

— Professor! — Dou um sorriso para o mais velho. — O que faz por aqui?

— Ah, nada. — Dá de ombros, sem soltar as mãos do volante. — Estava passando e vi você. Aceita uma carona?

"Nossa, como se eu fosse recursar!" Penso.

— Claro. — Respondo calmamente. — Obrigada, professor!

— Não me agradeça, ainda. — Sorriu de canto, enquanto eu dava a volta no veículo e tomava o banco do passageiro. — E não precisa me chamar de "Professor".

— Bom, não sei o que dizer, então... — Suspiro ao colocar o cinto de segurança.

— Não diga nada. — Sussurra e sua voz rouca me causa um arrepio.

Depois disso não trocamos mais nenhuma palavra. Namjoon presta atenção no trânsito. E, ao ver que teria um pouco de privacidade, pego meu celular para responder o tal "Monster".

Você tem novas oito mensagens.

Número DesconhecidoO celular é meu. Não adianta pedir, só vou mudar se eu quiser.

Número Desconhecido Baby?

Número Desconhecido Ainda está aí?

Número Desconhecido Gostaria de avisar que odeio se ignorado.

Número Desconhecido Você está sendo uma garota malvada.

Número Desconhecido Quando eu pegar você... ah, Baby, só de imaginar seus gemidos estou ficando excitado!

Número Desconhecido Farei você pedir desculpas por esse comportamento!

Número Desconhecido Não diga que não avisei.

Número Desconhecido está offline.

Ok, estou falando com um psicopata e a maneira mais simples, rápida, fácil e adulta de se lidar com essa situação é:

Tomar

No

Cu.

No mesmo instante em que envio as mensagens, o celular de meu professor, um belo de um iPhone, vibra quatro vezes. Ele está apoiado próximo ao câmbio e observo algumas pequenas moedas chacoalhando sob o aparelho.

— Estou dirigindo, não posso atender. — Meu distraído professor comenta. — Dê uma olhada se é alguma ligação, por favor...

Obedeço ao mais velho e tomo o celular dali. Dou um clique na tecla de bloqueio e desbloqueio, arfando ao ver o papel de parede de Namjoon.

Abaixo da caixa de "quatro novas mensagens" uma mulher está... se... masturbando...?

— E então? — Kim me olha, e devo estar com uma careta muito engraçada pois ele começa a rir. — O que foi que...? — Provavelmente ao se lembrar da imagem, Namjoon arregala os olhos. — P-Pode deixar...

— Sim, e-eu-eu já estou descendo, moro aqui! — Praticamente salto do veículo, assim que ele para. Não ouso encarar o homem ao agradecer, descer e dar as costas para o carro. Ele vira em uma esquina e some.

"Uou... quem diria...?"

Em meu quadril, meu celular vibra. Ando mais rápido, pensando que possa ser uma mensagem de Monster e me surpreendo ao ver como estava ansiosa para ver sua resposta. Eu não deveria estar assim, deve ser um garoto com seus dez anos fazendo graça...

Entro em casa, jogando a mochila perto da porta, praticamente arrancando meu celular de minha cintura. Me jogo no sofá, desabotoando meu jeans e arrancando minha blusa.

Você tem três novas mensagens.

Número Desconhecido Sinceramente?

Número Desconhecido Minha vontade é tomar pra mim o seu cu e foder essa sua boquinha suja.

Número Desconhecido Te ensinar uma lição, pois você é uma garota muito malcriada.

Não vai desistir dessa porcaria, não?

Rapaz, é muita falta do que fazer!

Número Desconhecido Antes de continuar, poderia, por favor, fazer a gentileza de adicionar meu número à sua lista de contatos?

Gelei ao ler aquilo. Ele não tinha como saber isso, tinha...?

E se eu não quiser?

Número Desconhecido Bom, aí terá mais uma punição...

Ah, vá à merda!

Não vou cair nesse joguinho estúpido!

Número Desconhecido Certo, então posso espalhar suas fotos por aí?

Ai.

Meu.

Deus.

Que fotos?!

Número Desconhecido Ah, ficou nervosa?

Número DesconhecidoVocê lembra das fotos que trocou com seu Coelhinho, não?

Não, isso não pode estar acontecendo... JungKook não mostraria aquilo para ninguém... ele não faria isso.

Olha, eu não sei quem você é, nem o que quer.

Só pare de me perseguir!

Número Desconhecido Não comece a fingir que não sabe do que estou falando, nem tente mudar de assunto.

Número Desconhecido  Quer que eu envie as fotos, pra ter certeza que são suas?

Não!

Quer dizer, não tem foto nenhuma!

Número Desconhecido Antes de continuar essa conversa, me adicione em sua agenda, Baby Girl.

Respiro fundo e me obrigo a obedecer.

Pronto.

Stalker Monster Isso, boa garota.

Stalker MonsterAgora vista o que está no pacote.

Que pacote, seu louco?

Mal envio a mensagem e alguém bate em minha porta. Dou um pequeno grito, me erguendo e soltando o celular.

Vou até lá, vestindo a blusa de antes, me preparando para acertar as bolas do desgraçado que estava me perseguindo.

— Olá! — O garoto pálido e franzino força um sorriso. Veste o uniforme que reconheço ser dos correios. — Pode assinar aqui? Quer dizer, se esse for seu nome...

Me entrega um papel e leio todo meu nome em uma área destacada.

— Sim, sou eu. — Respondo, passando a caneta na linha, assinando. Fico assustada com o tom de pele dele... parece açúcar... — O que é? Não pedi nada...

— Bom, eu não faço ideia. — Pega uma caixa, colocando-a em meus braços. — Só entrego, não sou vidente, nem xereta. Passar bem.

No sofá, o celular toca e vibra. Reconheço o toque: uma nova mensagem. Não preciso olhar para saber quem é. Desbloqueio a tela de modo inconsciente.

Stalker MonsterVista.

Abro a caixa, pensando em mudar de endereço. Imagino uma bomba, baratas, corpinhos de lagartos decapitados... não faço ideia do que pode ter alí, e isso me assusta...

E, quando finalmente vejo o que está lá, desejo que Monster me envie uma bomba na próxima vez.

Stalker MonsterCerto, Baby Girl, este é meu primeiro presente à você.

Stalker Monster O primeiro de muitos, devo dizer.

Não vou vestir isso...

Meu rosto queima ao tocar nas orelhas felinas de pelúcia. A cauda, tão felpuda quanto as orelhinhas, é longa. No fundo do papelão, uma pequena coleira está escondida.

Stalker Monster Ah, vai vestir sim. Caso contrário, suas fotos vão dar um passeio pelas telas de todos os celulares da escola.

Stalker MonsterSó quero que vista, infelizmente não verei... mas, coloque em você! Só pra ver como fica. Não precisa fazer mais nada.

Stalker Monster Ainda não.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...