História Imagine Dope - BTS - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Dope, Hentai, Hoseok, Imagine, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Sexo, Suga, Taehyung, Yoongi
Exibições 347
Palavras 3.318
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, desculpem a demora! Aí está o novo capítulo.

Capítulo 5 - O Detetive - Kim Taehyung


Fanfic / Fanfiction Imagine Dope - BTS - Capítulo 5 - O Detetive - Kim Taehyung


E se você fosse a criminosa mais procurada de toda a Seoul? Como você se sentiria? Com medo? Assustada?

Não, não mesmo. Não ao menos eu, eu me sinto orgulhosa e sindo a adrenalina percorrer pelas minhas veias somente de pensar no quão incrível eu sou.

Sim, é o que está pensando. Eu sou sim a criminosa mais procurada de Seoul e me orgulho plenamente disso.

O meu pai era o chefe de uma máfia mais poderosa da Rússia, em uma das suas missões na Coréia do Sul ele acabou engravidando a minha mãe que logo me abandonou quando descobriu quem ele era.

Se eu me sinto triste por isso? Não mesmo! A atitude dela me fez forte e me tornou o que eu sou hoje.

Uma pessoa determinada e com poder o suficiente pra matar e torturar qualquer um que se meta no meu caminho.

Mas não se engane, nem eu nem a minha máfia mata e tira vidas de pessoas inocentes, pelo contrário, aqueles que matamos são pessoas que não prestam e que a sociedade não consegue dar conta.

O resultado é que nós salvamos mais vidas do que matamos, super heróis? Nós não somos mesmo, até porque isso não existe, nós apenas resolvemos nossos interesses e ajudamos algumas pessoas apesar delas nos considerarem inúteis.

Fui criada desde pequena com treinamentos e ensinamentos o que me permitiu tornar-me o que eu sou hoje.

Depois que o meu pai se tornou fisicamente velho, passou o comando pra mim e desde então eu tenho o exercido e honrado plenamente o meu trabalho.

Desde então eu nunca perdi uma batalha ou falhei em nenhuma missão e mesmo que meu nome seja conhecido em toda a Seoul ,ou até fora dela, Nunca fui pega e nem serei.

Abri meu notebook e vi que recebi um email, provavelmente minha nova missão.

~Mensagem On~

PERFIL:

Nome: Kim Taehyung
Codinome: V
Idade: 26 anos
Profissão: Detetive
Estado Cívil: Solteiro
Tempo de missão: 7 dias (uma semana).

~Mensagem Off~

Conheço bem a reputação desse tal detetive, não o conheço por rosto, mas pelo que dizem ele é muito sagaz e esperto, segundo os rumores ele nunca perdeu uma só vez e pelo que vejo poderia nos dar um pouco de trabalho.

Mas não mais, agora que eu o irei pegar, não irá durar muto tempo. Sorrio triunfante.

Saio do meu escritório onde finjo trabalhar como uma secretária para o presidente da J.K , uma empresa de tecnologia e fabricação de aparelhos do tipo.

Tenho que bolar o meu plano de como me aproximar do tal detetive, mas primeiro eu tenho que executar uma missão hoje a noite.

Estou louca pra ter o sangue desse tal detetive em minhas mãos e deixá-lo saber quem pode e quem manda aqui.

Mas por hoje terei que me contentar em simplesmente matar um dos traficantes mais ricos de Seoul.

Sigo direto para a minha casa, ou devo dizer minha fortaleza, como eu sempre chamo?

A minha fortaleza é toda equipada com câmeras ocultas e salas escondidas por toda ela onde só se obtém acesso com os códigos vocais da minha voz e obtém reconhecimento pela minha expressão facial.

Mas por fora, é aparentemente apenas mais uma mansão de luxo de uma garota vaidosa.

Sim, como era de se esperar, eu sou uma mulher muito vaidosa e preocupada com a minha aparência que não deixa faltar em nada.

Sigo até ao meu quarto e seguido ao meu banheiro, onde jogo todas as minhas roupas bregas, que uso para disfarce, me jogo na banheira ao som de Trouble Maker de JS e HyunA.

Depois de um banho bem relaxante sigo até ao meu closet e começo a folhear ele escolhendo a roupa.

Resolvo vestir uma lingerie preta, um espartilho preto com rendas nas laterais da silhueta e bem apertado fazendo meus seios se tornarem ainda maiores.

Coloco um sutiã e uma calcinha também preta de renda e uma meia cinta-liga, coloco um suporte pra arma amarrado na cinta e coloco uma arma nela.

Visto um body com manga longa de couro bem ligado ao meu corpo com o zíper levemente aberto deixando uma bela imagem de parte dos meus seios. (Link nas notas finais).

Aliso meus cabelos deixando eles lisos e caídos sobre o meu corpo me dando total charme sedutor.

Faço uma maquiagem apenas delineador bem marcado e puxado, um batom vermelho vinho que dá toda a cor da roupa e uma bota de couro preta e até os joelhos.

Escondo uma arma dentro das botas e outra nos meus seios e sigo pra fora até a minha Ferrari preta.

Entro nela e sigo ao meu destino, o tal traficante recebeu uma mensagem falsa de um pedido em um galpão abandonado.

Provavelmente ele vai levar os seus homens e eles estarão armados, mas eu tenho total confiança nas minhas habilidades.

Chego no local e logo o localizo com mais quatro homens grandes e armados, sorrio. Idiotas.

Entro devagar e cuidadosamente, coloco o meu equipamento que abafa o som na arma e antes que o chefe se desse conta, todos eles já estavam sangrando mortos no chão.

Me aproximo do líder deles que estava perplexo e com a arma em mãos assim como a minha apontada para sua cabeça.

Eu:—A quanto tempo. —disse confiante.

Kim:—Você?! —foi tudo que conseguiu dizer.

Eu já estava frente a frente com ele e ele atirou mas eu desviei, assim como todos os outros tiros que ele dera.

Eu já o conhecia, era um fraco e nunca resolvia situação nenhuma sem seus seguranças e isso me favorecia.

Ele se aperreou e tentou se abaixar pra pegar outra arma, mas eu fui mais rápida e dei um chute em sua mão fazendo ele soltar a arma.

Dei um chute na sua cara o fazendo cair pra trás, subi em cima dele ficando sentada em cima de seu quadril com a arma apontada pra sua cabeça.

As mãos deles estavam uma de cada lado da cabeça abertas e indicando rendição e medo.

Eu:—Sua última palavra? —perguntei sensualmente.

Antes que ele pudesse responder, eu senti seu membro acordar debaixo de mim por causa da posição em que eu estava, eu rebolei lentamente em cima de seu pau.

Kim:—Ahh! —ele gemeu.

Eu:—Adeus.

Ele arregalou os olhos e enquanto eu fiz questão de tirar o abafador de som da minha arma e dei só um tiro no meio da sua testa.

Apesar do sangue ter espirrado em mim, eu gostava dessa sensação, sim eu devo ser uma sádica, eu amo provocar dor.

Me levantei deixando o mesmo no chão e seguindo triunfante até a minha ferrari sorrindo triunfante.

[…] No outro dia […]

Mandei o Ken, meu assistente, averiguar cada passo e movimento do Kim Taehyung.

Descobri tudo sobre ele, hobbies, amigos, atividades, relacionamentos passados, personalidade, etc.

Agora, a primeira parte da minha missão é encontrá-lo "por acaso" e me aproximar dele.

Descobri que toda semana nesse dia ele vai até um bar chamado Paradise, e é pra lá que eu vou hoje.

Recebi fotos dele e tenho que admitir, ele é uma perfeita escultura e não me faria nenhum mal tirar um pequeno proveito dele antes de matá-lo.

Vesti um vestido preto que marca bem todas as minhas curvas, com alguns detalhes em transparentes e deixa parte dos meus seios a mostra. (Link nas notas finais).

Coloquei um salto bem alto e tambem preto, uma bolsa de mão e, como sempre, portei uma arma muito bem escondida.

Fiz uma maquiagem, sombra preta e dourada com um delineador muito bem marcado e um batom vermelho vinho matte, passei um perfume.

Segui com a minha ferrari cinza até o tal bar, que pelo visto era muito grande e chique.

Entrei no bar e logo havistei o tal Tae sentado no balcão bebendo um copo de whisky.

Me aproximei e me sentei com um banco nos distanciando.

Eu:—Por favor, o mesmo que o cavalheiro aqui. —disse ao barman sorrindo sensualmente.

Logo vi de relance os olhos do Taehyung queimarem sobre o meu corpo e um sorriso safado brotar em seu lindo rosto.

Mas eu não me virei e continuei olhando o barman preparar a minha bebida, quando ela veio bebi de uma vez.

Eu já sabia que não importa o quanto beba, o meu organismo não absorve o álcool e portanto eu não fico bêbada.

Tae:—Para uma mulher tão bonita, não preferia algo menos forte para beber? —perguntou.

Eu o olhei como se não o conhecesse e sorri com a sua pergunta logo voltando um olhar sexy em sua direção.

Eu:—Não, eu gosto mais de fortes sensações. —disse sensualmente e ele mordeu levemente os lábios.

Sorri mentalmente que o meu plano está dando certo, mas afinal, quem resistiria a mim?

Eu pedi mais um copo de Whisky e ele se sentou no banco que estava vazio nos deixando a alguns centímetros de distância.

Tae:—Está sozinha?—perguntou.

Eu:—Por enquanto, sim. —disse olhando-o nos olhos.

Tae:—Você parece ser nova por aqui, nunca havia a visto.

Eu:—Na verdade, vim por recomendação de uma amiga, ela disse que aqui era bem interessante.

Tae:—Ela estava certa? —perguntou me fazendo olhá-lo sensualmente e eu mordi os lábios.

Eu:—Corretíssima. —sussurrei.

Ele sorriu e lambeu os lábios olhando na direção dos meus que estavam semi abertos e foi se aproximando lentamente.

Quando seus lábios, aparentemente deliciosos, roçaram nos meus eu virei o rosto lentamente fazendo charme e sem tirar meus olhos dos seus.

Ele me olhou um pouco surpreso e depois sorriu malicioso e colocou seu braço sobre meus ombros.

Pediu mais uma dose de Whisky e eu fiz o mesmo.

Depois de beber o copo todinho observando aquela boca maravilhosa dele e aqueles olhos sensuais que só faltava me comer com os olhares, acabei não resistindo e o puxei pela gola da sua camisa.

Nossos olhares se encontram e eu logo selei nossos lábios, sua língua logo pediu passagem e eu cedi sem cerimônia.

Nossas línguas dançavam em sincronia nas nossas bocas em um beijo quente e desejoso, ele sugava minha língua enquanto eu mordia seu lábio inferior.

Não demorou muito pra ele por o braço ao redor da minha cintura e me puxar ao seu encontro me fazendo ficar de frente pra ele sem cortar o beijo e eu senti seu membro ereto roçar em minha intimidade.

Sorri mentalmente por ter conseguido fazer ele ficar assim tão rápido e separei nossos lábios.

Ele me encarou ainda com a boca semi aberta e inchada e eu sorri maliciosa como resposta.

Eu:—Tenho que ir agora. —ele me olhou decepcionado. —aparece lá, se quiser.

Entreguei pra ele um convite de uma festa que irá acontecer depois de amanhã e sai do local andando sensualmente e de última hora o olhei e sorri maliciosa.

Segui até a minha ferrari triunfante por ter conseguido atraí-lo e ainda arrancar uma casquinha daquele deus grego.

Fui até a minha fortaleza sorrindo e relembrando cada momento, mesmo que breve, que passei com ele e principalmente lembrando de seu jeito, seu cheiro e seu gosto.. 
Ah, como eu queria agora estar sentindo o gosto daquele pau todinho dentro da minha boca e dentro de mim... Uhm, fico molhada só de pensar.

[…] Dias depois […]

Estou me preparando para a festa de hoje a noite, tomara que eu tenha conseguido que ele vá! Mas não estou muito preocupada, pois confio bem nas minhas habilidades.

Vesti uma lingerie preta bem apertada, com uma meia cinta-liga preta de couro e até pensei em colocar uma arma alí, mas o meu plano de hoje é outro.

Hoje eu vou atraí-lo até a minha casa, já que é muito próxima do local da festa, e vou esconder uma arma na minha gaveta secreta da cama.

Se eu colocar qualquer uma no meu corpo, ele vai perceber e não vai dar certo.

Coloquei um vestido longo preto com algumas partes deixando a minha pele a mostra, bem acinturado e com uma fenda grande deixando uma perna de fora. Coloquei um salto alto.

Fiz uma maquiagem preta nos olhos, bastante rímel e delineador e nos lábios um tom de roxo matte.

Segui até a minha ferrari preta e fui até ao local da esta que não estava tão longe.

Ao chegar fui cumprimentar os meus amigos, conhecidos na verdade, ali presentes. A festa estava bem animada, estava tudo escuro e tocando várias musicas bem agitadas.

Alguns minutos depois eu sinto algo me abraçar por trás e depositar um beijo em meu pescoço, ao me virar vejo o Taehyung que estava mais gato do que nunca.

Ele usava um terno preto e uma camisa tambem preta sem gravata, os cabelos penteados em um topete bem estiloso e exalava um cheiro divino.

Não demorou muito pra que logo nos atacassemos em um canto da festa, nossas línguas dançavam em sincronia perfeita explorando a boca um do outro enquanto ele mordia meus lábios me levando ao êxtase.

Levantou uma perna, a que estava pra fora do vestido, e colocou ao lado de sua cintura segurando-a, pude sentir a sua ereção já formada esfregar-se em mim.

Eu não pude conter um gemido com o movimento e ele soltou meus lábios sorrindo e logo atacando meu pescoço.

Deu vários chupões e contornou com a língua cada um deles enquanto eu arfava de tesão, suas mãos passeavam pela minha perna e vez ou outra apertava minha cintura.

Eu:—A-aqui, A-aqui não... —disse reunindo o máximo de voz possível.

Tae:—Eu estou louco.. Não posso mais esperar! —ele arfava contra meu pescoço.

Eu:—A minha casa é... Ahh... É perto... —disse e finalmente consegui afastá-lo.

Tae:—Tudo bem..

Se afastou e me levou rapidamente pra fora dali e eu guiei ele ao meu carro e dirigi até a minha casa.

Assim que eu abri a porta ele me levantou me fazendo abraçar seu quadril com as minhas pernas e logo atacou meus lábios.

Eu tirei seu paletó sem quebrar o beijo e começei a desabotoar sua camisa enquanto ele me levava até ao quarto.

Quando chegamos em frente a porta ele me emprensou nela enquanto eu abria.

Entramos e ele logo me jogou com brutalidade na cama e eu mordi os lábios em êxtase.

Ele logo veio por cima de mim e se livrou do meu vestido atacando meus seios por cima do sutiã, que não durou muito tempo no meu corpo.

Eu acho que ele estava tão louco que não ia aguentar nenhuma preliminar, seu pau pulsava se esfregando em minha intimidade enquanto ele chupava meus seios com força me fazendo arquear as costas e gemer.

Ele tomou meus lábios novamente em um beijo quente e forte e logo desceu os beijos pelo meu corpo deixando um rastro leve de saliva nele.

Ao chegar na minha intimidade ele deu uma lambida por cima da calcinha e logo a retirou com a boca sem tirar os olhos dos meus.

Aquilo já me deixou mais molhada ainda e eu fechei as pernas entando controlar meu tesão.

Ele sorriu e rapidamente abriu minhas pernas dando-lhe uma visão perfeita da minha buceta encharcada.

Ele sorriu e mordeu os lábios quando viu o quão molhada eu estava e retirou a sua cueca junto com a calça foi vindo em minha direção se debruçando sobre mim.

Tae:—Uhm.. Tão molhadinha... Tão minha.. —sussurrou e eu me arrepiei.

Me penetrou totalmente e com força fazendo um gemido alto sair de meus lábios, nossa! O quão grande aquilo era, me preenchia completamente.

Ele começou com estocadas lentas e calculadas e estava me deixando louca por mais.

Eu:—Ahhh... Mais... Mais... Ahhhh

Tae:—O que você quer?.. —perguntou como se não soubesse.

Eu:—Me fode com força! AHHHH

Ele me penetrou com força e completamente e começou com as suas estocadas super rápidas me levando a loucura, se é que eu já não estava lá.

Comecei a gemer palavras desconexas e os gemidos, tanto meus como dele, preenchiam o local e o barulho que nossos sexos faziam se chocando nos deixavam cada vez mais excitados.

Logo eu senti o pau dele inchar e pulsar dentro de mim, e assim como ele, eu gozei gritando palavras desconexas.

Caimos um do lado do outro ofegantes e nus sorrindo.

Quase que eu me esqueci do que eu tinha que fazer com ele agora e por um momento eu hesitei.. Eu não queria o matar..

Mas eu não posso e não devo decepcionar o meu pai e é a ele a quem eu devo tudo que tenho.

Eu me arrasto um pouco cansada pela cama e me abaixo pra pegar a camisa dele que estava no chão e vestir.

Assim que eu visto sinto ele colocar as duas mãos na minha cintura e me puxar me fazendo ficar de quatro.

Eu o olhei assustada e ele sorriu esfregando seu pau já ereto novamente na minha entrada.

Tae:—Eu ainda não terminei, amor. —disse sensualmente.

Antes que eu pudesse raciocinar ou retrucar ele me penetrou lentamente arrancando um gemido da minha boca.

Eu logo me deitei ficando apenas com o bumbum levantado e mordi o lençol e apertei as mãos para tentar, inutilmente, conter os gemidos.

Assim que entrou totalmente parou dentro de mim e sem aguentar mais comecei a rebolar pedindo por mais.

Ele sorriu e logo começou suas estocadas ainda mais fortes do que as anteriores, ele não cansa não?

Eu:—Ahhh! Vai... Awnnn... Ahhhh... É tão... Ahhh.. Tão bom...

Meus gemidos tavam mais pra gritos de tão sensível que eu estava e ele cada vez mais ia mais rápido.

Eu:—Uhmmm... Awnnnn.... Mais.... Ahhhhh.... AHHHHH

Ele acertou meu ponto G e ouvi ele sorrir rouco de satisfação, é agora que eu me fodo literalmente!

Ele batia cada vez mais forte e mais rápido somente no meu ponto G e eu já estava quase sem sentir minhas pernas.

Logo eu gozei novamente e depois de mais de três estocadas ele tambem gozou e se debruçou sobre mim.

Ele depositou alguns beijos em meu pescoço e minha nuca que estavam suados e eu me repreendi mentalmente por estar receosa em matá-lo, mas eu devo cumprir o meu dever...

Ao recuperar minhas forças, eu o viro me sentando em cima dele, nos meus olhos as lágrimas vêem e ele me olha supreso.

Eu estalo os dedos e logo uma gaveta se abre na cama e eu pego a arma que eu havia escondido nela e aponto na cabeça dele que me olhava arregalando os olhos.

As lágrimas começam a fugir de meus olhos e começam  molhar o abdômen dele.

Eu:—Me desculpe mas... —digo chorando. —Eu tenho que fazer isso!

O que há comigo? Eu nunca fui receosa sobre matar alguém... Porque eu estou chorando?..

Eu:—Me perdoe...

Quando eu ia apertar o gatilho da arma apontada a cabeça dele sou surpreendida quando vejo a tv de comunicação aparecer e dar acesso a imagem do meu pai.

Eu:—Appa?! —digo surpresa.

Pai:—Aigoo —ele sorri e eu não estou entendendo mais nada. —Muito bem, muito bem! Você passou.

O Tae sorriu embaixo de mim e limpou uma lágrima que escorreu dos meus olhos e eu o olhei perplexa e logo voltando os olhos ao meu pai.

Eu:—Appa! O que... O que é que...

Pai:—Aigoo, que melhor maneira pra você conhecer o seu noivo?

Eu:—O quê?! Noivo? Como assim noivo?

Tae:—Eu sou o seu noivo. —ele se levanta me fazendo fiar frente a frente com ele e ele retira a arma da minha mão.

Eu:—Vocês armaram tudo isso?! —perguntei perplexa e ambos riram.

Tae:—Aigoo, não sabia que você iria chorar por mim. —disse encostando nossas testas.

Pai:—Bom, bom, aproveitem.

A TV se desligou novamente mas nenhum de nós se importou com isso.

Eu:—Noivo? Isso vai ser bem divertido... —ele sorriu.

Tae:—Eu concordo plenamente.—sussurrou e eu senti sua ereção se formar de novo embaixo de mim e arregalei os olhos.

Ele sorriu com a minha reação e beijou carinhosamente mesu lábios, e diferente dos beijos anteriores, esse era um beijo calmo, carinhoso e mais amoroso...

Bem, isso vai ser bem divertido...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...