História Imagine Dope - BTS - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Dope, Hentai, Hoseok, Imagine, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Sexo, Suga, Taehyung, Yoongi
Exibições 316
Palavras 2.383
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, desculpem a demora!

Capítulo 6 - O Comandante - Kim Namjoon


Fanfic / Fanfiction Imagine Dope - BTS - Capítulo 6 - O Comandante - Kim Namjoon


Mais um dia de trabalho como qualquer outro nesse lugar que pra mim é um inferno.

Eu sou ___ e eu trabalho em um clube de dança, uma boate de poly dance na verdade.

Depois que meus pais morreram, eu tive que cuidar e sustentar a minha irmã mais nova, a Emily.

Sou brasileira, mas vim parar na Coréia pra fazer intercâmbio e foi no momento em que meus pais se foram.

Desde então, estive por muito tempo procurando por um emprego e não consegui nada.

As minhas contas só aumentam, eu tenho que mandar a minha irmã pra faculdade no próximo ano e terminar de pagar a minha mensalidade.

Eu faço faculdade de administração e, graças a deus, vou começar meu estágio próxima semana, e hoje é meu último dia trabalhando lá.

Mas, apesar de meus pais nos deixarem uma pensão mensal de seguro de vida, o dinheiro ainda é muito pouco.

E eu tive que me virar em quatro pra conseguir nos manter, e depois de muito procurar, a minha única solução foi aqui.

Se eu gosto disso? Quem gosta? Trabalhar num lugar desses, apesar de ser uma boate chique, é uma droga do mesmo jeito.

Aqui só tem bebidas e homens desgraçados que nos tratam como prostitutas.

Eu não sou uma prostituta! Eu apenas danço poly dance e não vejo nada de errado nisso, errado são aqueles que pensam ao contrário.

Mas, apesar de não considerar errado, não é o emprego que outrora eu sonhei em ter...

Mas apesar disso, o meu pesadelo está quase tendo fim, a minha faculdade está pra terminar e eu vou começar a fazer estágio em um grande hotel.

Espero que a minha vida melhore desde então.

Estou me vestindo pra mais um show de dança na Paradise, a boate onde eu trabalho.

Coloco um body de couro preto brilhante, com o zíper da frente quase aberto deixando boa parte dos meus seios a mostra e um salto alto preto.

No rosto, passo base, pó e corretivo. Passo uma sombra dourada e preta nos olhos e delineador preto bem marcado seguido por bastante rímel e um batom vermelho nos lábios.

Coloco um sobretudo azul escuro com botões preto por cima e sigo meu caminho.

Chego na boate e logo entro pra avisar ao chefe que cheguei e depois sigo até ao camarim terminar de me ajeitar.

Kim Jun:—Ora, ora. Quem chegou.

Ouço a voz daquela idiota e logo as risadinhas das suas "amiguinhas".

Ela sempre implicou comigo desde que cheguei por que como eu tenho traços de brasileira, meu corpo é muito mais bonito e definido do que o delas.

E então, consequentemente eu sou a preferida do chefe e dos clientes, simplesmente ignoro.

Kim Jun:—O que é? Tá se achando a melhor agora?

Respiro fundo e me viro a olhando com um sorriso convencido no rosto encarando aquela cara de amarga dela.

Eu:—Eu não me acho, eu sou a melhor.

Ouço uns "Wow" das outras meninas e um olhar debochado se forma no rosto dela.

Depois de me retocar saio do camarim me preparando pra minha apresentação.

Após ouvir o Sr.Shin chamar o meu nome, entro no palco ouvindo palmas e assobios dos clientes.

Essa é uma boate de luxo e hoje foi alugada por um grupo de amigos e a minha apresentação de hoje é exclusivamente pra eles.

Ao subir no palco, Varro meus olhos rapidamente pelo local, que estava escuro sendo ilumidado apenas por luzes coloridas.

Tinha, acho que, sete homens, todos bem jovens. Eles eram muito bonitos, mesmo no escuro dava pra perceber.

Meus olhos pararam em um deles, parecia ser o mais arrogante, seu corpo, mesmo por cima da roupa, estava bem definido e ele parecia muito másculo e sexy.

Começou a tocar a música e eu logo saí de meus desvaneios logo iniciando o meu trabalho.

Começo a fazer uma dança sexy acompanhando o ritmo da música e vou abrindo lentamente botão por botão do meu sobretudo.

Começo a encarar o tal homem que chamou a minha atenção, nem eu sei porque estou fazendo isso, eu não costumo fazer isso.

Após abrir os botões me viro de costas e retiro sensualmente ele e o joguei no chão.

Me encontro agora apenas com um body de couro com o zíper quase totalmente aberto na frente.

Os garotos sorriam e pareciam se divertir, mas um deles me encarava penetrante enquanto bebia algo sem retirar os olhos dos meus.

Aquilo estava me excitando pra valer, estava me deixando extasiada e eu acabei me deixando entregar, acabei ouvindo um dos meninos chamar ele de Namjoon, então esse é o nome dele?

Fui até ao pole, e passei uma perna nele fazendo com que ele e a minha intimidade se chocassem me fazendo soltar um gemido baixo.

Comecei a dançar sensualmente nele me deixando levar pelo momento sem retirar meus olhos dos dele e vez ou outra mordia meus lábios.

Depois que a música terminou e com ela a minha apresentação também, eu agradeci e sorri maliciosamente.

Saí do palco e fui andando lentamente de um jeito sexy até o tal cara que me deixou excitada.

Ele me encarava malicioso e isso quase me fez pular no colo dele e sussurrar um "Me foda" em seu ouvido. Mas eu me controlei.

Quando estava bem próxima dele me abaixei e ele me olhou sem entender, provavelmente achou que eu iria o tocar.

Me abaixei sensualmente e peguei com jeito o meu sobretudo que havia caído nos pés dele.

Ele me olhou confuso e eu sorri meliciosamente pra ele e saí levando em mãos o meu sobretudo.

A minha apresentação era a única que era solo naquela noite e quando eu fui até ao camarim todas as outras já haviam saído pra começar as delas.

Respirei fundo e me sentei em cima da mesa sorrindo, senti minha buceta latejar de tão necessitada e úmida que já estava.

Faz tanto tempo que eu não me sentia assim, tão molhada e excitada desse jeito.

Acariciei meus seios, cujos mamilos já estavam durinhos, por cima do body e um arrepio subio pelo meu corpo.

Sorri mordendo os lábios e Fechei os olhos.

Comecei a acariciar meu corpo, passei as mãos pelos meus seios, pela parte interna da minha coxa apertando cada local.

Logo a minha mão escorregou pra dentro do body e uma sensação gostosa percorreu pelo meu sangue quando meus dedos tocaram de leve o meu clitóris.

Minha buceta já se encontrava encharcada e inchada e eu comecei a acariciar o local lentamente, no meu ritmo.

Com os olhos ainda fechados, ouvia meus gemidos baixos e minha respiração ofegante que contracenava com os barulhos molhados que meu corpo fazia.

Comecei a gemer o nome dele e aquilo me deixava ainda mais excitada e necessitada.

Nam:—Eu posso lhe ajudar com isso.

Sou tirada de meus desvaneios rapidamente quando escuto uma voz rouca e sexy soar em meus ouvidos.

Abro os olhos rapidamente e me deparo com aquele deus grego másculo olhando diretamente em meus olhos.

Caio em mim e retiro a minha mão do local e fecho as pernas bruscamente, tento sair do local mas suas mãos me impediram.

Eu:—O-o q-que você quer?—gaguejei.

Ele sorriu sem mostrar os dentes e me jogou um olhar sedutor, eu já estava quase me entregando a ele.

Mas eu cai em mim, e tentei novamente sair do local. Suas mãos pousaram na minha cintura me impedindo e apertaram.

Eu gemi, esse era um dos meus pontos fracos, e me repreendi mentalmente por isso.

Ele sorriu e foi se aproximando, quando eu achei que ele ia me beijar ele desviou e mordeu de leve o lóbulo da minha orelha.

Eu me arrepiei ao seu toque e novamente Fechei os olhos quando senti sua língua percorrer o caminho do meu pescoço.

Ele deu um chupão forte no meu pescoço e depois contornou com a língua me fazendo gemer e segurar seus cabelos.

Ele sorriu no meu pescoço e começou a varrer suas mãos pelas minhas coxas e apertando minha cintura.

Ele se posicionou entre as minhas pernas e me puxou fazendo nossos corpos se chocarem.

Eu arfei quando senti a sua ereção roçar na minha intimidade necessitada.

Suas mãos desceram e escorregaram para dentro do meu body e senti ele sorrir quando viu o quão molhada eu estava.

Começou a chupar meu pescoço enquanto fazia movimentos circulares no meu clitóris e eu arranhava de leve suas costas.

Ele arfava no meu pescoço e eu toquei o seu pênis que até então foi esquecido.

Ele gemeu e eu apertei de leve o fazendo gemer de novo.

Nam:—Porra!—esbravejou e eu sorri.

Saí de seu toque e ele me olhou confuso. O encostei na mesa e me abaixei retirando a sua calça e o encarando.

Ele me olhou malicioso e lambeu seus lábios quando eu dei um beijo por cima da cueca.

Comecei a lamber o comprimento, que de pequeno não tinha nada, por cima da cueca já um pouco molhada.

Sem mais cerimônia retirei a cueca fazendo seu membro praticamente pular e quase bater na minha cara.

Cena mais erótica impossível, o pau dele ereto e pulsante um pouco molhado de pre-gozo implorando pelo meu toque.

Toquei na cabecinha o fazendo arfar e logo comecei a masturba-lo lentamente o fazendo gemer.

Nam:—Por-Porra! Vai ahh logo! —falou ofegante.

Lambi um pouco de pré gozo que saiu da sua glande e ele gemeu. Dei um beijinho na glande e o olhei maliciosa.

Eu:—O que você quer que eu faça hein? —falei mais como um gemido.

Nam:—Eu.. Ahh—coloquei a língua na fenda dele. —Me chupa.

Sorri e logo obedeci colocando tudo que pude dentro da boca e me engasgando um pouco.

Suguei com força só a cabecinha e fiz movimentos circulares com a língua.

Ele pôs as mãos  em minha cabeça e eu as tirei dali. Lambi todo o comprimento e alternava entre chupões.

Aquilo era tão bom, eu queria desesperadamente tê-lo dentro de minha vagina pulsante.

Coloquei na boca e comecei a fazer movimentos circulares enquanto masturbava o que não cabia.

Eu comecei a enfiar a língua na sua fenda enquanto o masturbava com as mãos.

Nam:—Ahhh... Eu... Eu.. Vou..

Ao dizer isso, eu coloquei tudo na boca e arranhei de leve com os dentes e logo ele se desfez em minha boca.

Eu enholi tudo e ele logo me puxou pra cima selando nossos lábios e fazendo ele sentir seu próprio gosto.

O beijo logo se tornou quente e desejoso e o seu pau já estava ficando ereto novamente.

Logo ele me colocou em cima da mesa e rabriu completamente o zíper do meu body lhe dando acesso a todo o meu corpo.

Atacou meus seios com a boca e sugou com força me fazendo gemer, usou o indicador e o polegar pra puxar o bico de um enquanto fez o mesmo com os dentes no outro.

Eu agarrei seus cabelos e ele retirou minhas mãos de lá colocando uma de cada lado do meu corpo.

De seu beijos pela minha barriga e eu comecei a me contorcer com o seu toque.

Quando seu rosto deu de encontro com a minha intimidade, ele deu um beijo na minha entrada me fazendo gemer e arquear as costas.

Lambeu o liquido que saia de minha vagina necessitada e logo levantou me beijando.

Antes que eu menos esperasse, me penetrou fundo e com força me fazendo gemer alto em seus lábios.

Suas estocadas eram lentas e precisas me torturando.

Eu:—Mais... Mais... Rápido...

Nam:—O que você quer que eu faça? —se fez de desentendido.

Eu:—Me fode com força!

Ele obedeceu sem pestanejar. Me levantou e me colocou de quatro em cima da mesa e entrou sem piedade.

Eu:—Ahhhh.... Vai.... Ahhh... É tão... Ahhh... Gostoso.... Awnnn

Suas estocadas eram fortes e fundas me levando a loucura.

O barulho das nossas carnes se chocando era muito excitante e quando se misturava com os nossos altos gemidos, deixava tudo mais gostoso e extasiante.

Logo eu me desfiz gemendo seu nome, mas ele não parou. Eu me debrucei sobre a mesa ficando apenas com o bumbum levantado enquanto ele continuava com suas estocadas até se desfazer também.

Deitamos juntos e sorrindo, depois que recuperamos o fôlego eu me levantei e me limpei, depois comecei a me vestir enquanto ele apenas me encarava.

Depois de já estar totalmente vestida me aproximei e dei um último selar de nossos lábios e ele tentou me segurar novamente, mas eu o impedi e saí sorrindo.

Eu:—Nada mal pra um último dia. —murmurei.

Fui até a sala do chefe e estava tão feliz que esqueci de bater na porta antes de entrar.

Quando abri, ele estava com os olhos fechados e gemendo enquanto a Kim Jun estava lhe fazendo um boquete.

Não me surpreendi, pois aquilo já acontecia a um bom tempo. Apenas me virei.

Sr. Shin:—O que faz aqui?

Eu:—Eu apenas vim me despedir e entregar a minha carta de renúncia.

Eu já havia o avisado de que ia sair, então apenas deixei a carta em cima da mesa e saí.

[…] Meses depois […]

Estou muito feliz no meu novo emprego, todos aqui me tratam bem e eu consigo me dar bem com meus clientes.

Já faz um bom tempo que trabalho aqui no Place Hotel e já estou me acostumando a rotina.

Srta.Han:—Tem um novo hóspede hoje e ele ficará sobre os seus cuidados.

Aqui eu sou uma das funcionárias que ajudam e auxiliam os clientes do hotel.

Srta. Han:—Aqui está a chave. —ela me entregou. —Tome cuidado, o Sr.Kim é um V.I.P.

Eu:—Sim, mas senhora. Porque eu? Se ele é um VIP, não deveria ficar com alguém mais experiente.

Srta.Han:—Ele exigiu que fosse você.

Nossa, eu odeio os VIPs, eles são sempre muito exigentes e arrogantes.

Segui até ao quarto 2019, no qual ele se encontrava e bati na porta.

Sr.Kim:—Entre.

Achei estranho, aquela voz não me é estranha.

Abri a porta lentamente e entrei com cuidado.

Eu:—Sr. Kim?

Meus olhos pararam numa figura linda e máscula prostada na minha frente com um uniforme de piloto de avião de alto cargo.

Meus olhos o varreram dos pés a cabeça e quando eu parei em seu rosto quase caí pra trás.

Eu:—Nam... Namjoon?

Ele sorriu e piscou sedutoramente pra mim.

É, acho que não vai ser tão ruim...
   


Notas Finais


O que acharam? 
O próximo é o último e é com o meu Bias/utt Jimin.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...