História Imagine Dope - BTS - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Dope, Hentai, Hoseok, Imagine, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Sexo, Suga, Taehyung, Yoongi
Exibições 393
Palavras 3.825
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, desculpem a demora! ^^

Último capítulo da fanfic, meu utt/bias Jimin!

Capítulo 7 - O Estagiário - Park Jimin


Fanfic / Fanfiction Imagine Dope - BTS - Capítulo 7 - O Estagiário - Park Jimin


~Ligação on~

Eu:—Mãe! Eu já disse que não quero ir a um encontro às cegas!

Mãe:—Você quer ver a sua mãe morrer?!

Eu:—Deixe de drama, eu ainda tenho apenas 25 anos!

Mãe:—E você quer casar quando? Quando tiver 40 anos?!

Eu:—Mãe, eu estou muito ocupada pra relacionamentos agora!

Mãe:—Claro! Você passa o dia todo, todo dia, infurnada naquele escritório! Claro que não tem tempo!

Eu:—Pois é, eu vou me casar quando eu quiser.

Mãe:—Okay, faça o que quiser.

~Ligação off~

Ela desligou na minha cara.

Eu:—Por que ela não consegue me entender?! Aish!

Bom, esqueci de me apresentar. Sou ___ e eu sou chefe do departamento de administração da Most Korea, a empresa de moda mais famosa do país.

Você deve estar se perguntando se eu consegui entrar alí por conexões, a maioria das pessoas pensam isso devido a minha idade e aparência, mas tudo que eu consegui foi com meu próprio esforço e tudo que eu tenho é devido a ele.

Desde jovem eu sempre quis crescer na vida e me tornar o que sou hoje e já até mesmo recebi a proposta de me tornar a sucessora da Presidente, e eu claro aceitei.

Mas meus pais são muitos tradicionais e antiquados, são muitos conservadores e não me apoiam muito no que faço.

Eles sempre disseram que mulheres tem que se casar e ter filhos, e em vez de trabalhar, tem que cuidar da sua família.

E eu, sempre pensei ao contrário, eu acho que as mulheres têm que ser independentes e cuidar de si mesma sem depender de homem nenhum.

Não que eu seja contra casamentos e filhos, na verdade eu quero futuramente ter, mas eu não quero porque os homens que geralmente vão nesses encontros são assim.

Machistas e mandões, e eu não tenho nenhum pouco de cabeça pra lidar com isso agora.

A minha vida se baseia literalmente em: Comer, dormir e trabalhar.

E nesse exato momento eu estou me arrumando pra ir pra o meu escritório.

Apesar de ser viciada em trabalho, isso não quer dizer que eu tenho que andar que nem um cachorro com raiva por aí.

Além do mais quando se trabalha com moda e estilo, se eu que sou a chefe não dou o exemplo, como os clientes deveriam reagir?

Mas esse não é o único motivo, eu realmente gosto de andar bem arrumada e arrancar os olhares de todos.

Coloco uma lingerie azul-esverdeado piscina e com rendas e um toque dourado (link nas notas finais).

Um vestido preto bem acinturado e marcando minhas curvas, sem deixar vulgar, e o comprimento até um pouco acima do joelho e com um detalhe na parte de cima (link nas notas finais).

Coloquei um salto alto fino bege com detalhes de brilho e um toque preto no salto (link nas notas finais).

Coloquei uma pulseira dourada e um brinco longo, mas simples, e dei escova nos cabelos.

Passei uma sombra dourada, marrom e preta. Delineador e muita máscara de cílios, fiz uma pele bem feita e passei um batom cor de vinho matte.

Passei meu melhor perfume e peguei uma das minhas filhas, minhas bolsas de marca, e segui até ao meu carro.

Entrei e dei partida ao meu trabalho escutando Lotto do EXO.

Ao chegar, saí do carro após desligar o som e joguei, literalmente, as chaves para o manobrista estacionar.

Ajeitei minha saia e entrei mantendo uma expressão rígida e séria e minha postura, caminhando confiante.

Uma das minhas assistentes logo correu a minha direção e me entregou um copo de macchiato de caramelo e eu peguei sem desviar meus olhos da frente.

Ae Shin:—Chefe, o que devo fazer em questão da Miss Styles?

Eu:—Eles ainda não aceitaram a proposta?

Ae Shin:—Não senhora.

Eu:—Mantenha a proposta de pé e não adicione nem um pouco a mais, não podemos fraquejar e deixar eles acharem que nos controlam.

Ae Shin:—O que devo fazer então?

Eu:—Deixe comigo.

Fiz sinal para que ela saísse dali e eu segui o meu caminho sem me mover.

Entrei no meu departamento e logo os meus funcionários se levantaram e reverenciaram a minha chegada.

Eu:—Ae Shin.

Ae Shin:—Sim, chefe?

Eu:—Me traga os registros de contabilidade da Miss Styles daqui a dez minutos.

Ae Shin:—Sim, senhora.

Eu:—Eun Shik, marque uma reunião com os acionistas principais da Miss Styles pra daqui a duas horas.

Eun Shik:—Sim, chefe.

Eu:—Mi Do, eu quero o relatório do mês passado pra amanhã.

Mi Do:—Okay, chefe.

Eu:—E todos. —eles me olharam.—Fighting.

Fechei a mão em um punho e levantei, eles sorriram e fizeram o mesmo.

Eu vou em direção ao meu escritório e subo as breves escadas que levam até ele, anes de entrar, olho pra baixo e pergunto.

Eu:—Quando o meu assistente pessoal vai chegar?

Ae Shin:—Hoje mesmo, senhora.

Acenei e entrei no meu escritório e me sentei em minha confortável poltrona e logo voltando meus olhos para o computador e organizando meus pensamentos.

Alguns minutos depois a Ae Shin me trás os resistros da Miss Styles e depois de muito ler e reler, eu finalmente acho um erro.

Sorrio vitoriosa e começo a estudar aquilo, e logo o Eun Shik vem me avisar que a reunião começa daqui a cinco minutos.

Me ajeito e organizo meus documentos em uma pasta e sigo confiante até a sala de reuniões.

Mi Do:—Chefe, seu assistente chegou.

Eu:—Unhum.

Respondo sem nem ao menos olhar pra trás e sigo meu caminho.

[…]

Eu:—Nós não vamos mudar a nossa proposta. 30% dos lucros vai para a Miss Styles e 50% para a Most Korea, os outros 20% são para os gastos e os funcionários.

Presidente Min:—Então não vamos aceitar.

Eu:—Tudo bem, nós iremos retirar o patrocínio então.

Presidente Kim:—Então tirem.

Eu:—Eu tenho certeza que o senhor não deseja isso presidente Kim, afinal como ficaria a sua empresa levando em conta a sua retirada ilegal de 3.000.000 (três milhões) de dólares?

Presidente Kim:—C-Como assim? Eu não sei do que você está falando! —disse irritado.

Eu:—Ah, sabe sim, sabe muito bem o que eu digo. É pegar ou largar.

[…]

Saio sorrindo e confiante por ter conseguido fechar o acordo que com certeza irá beneficiar muito a nossa empresa e consequentemente, a mim.

Entro no meu escritório e logo me assusto quando me deparo com um homem, e que homem, sentado em uma mesa dentro do meu escritório.

Me pego observando aquele homem, meu deus.. Era um deus grego. Seu corpo, mesmo por cima do tecido fino da camisa social branca, era muito bem definido e seus músculos, Oh my good.

Sua gravata bem arrumada em seu pescoço dava um contraste incrivel com os seus cabelos cor de fogo que caiam de uma foma sexy sobre seu rosto lindo.

Seus olhos pequenos brilhavam por causa da luz do computador e ele mantinha uma expressão séria que o deixava ainda mais sensual.

Aquele homem só podia ser uma criação de deus, pra ser tão perfeitamente lindo, com um toque do diabo, pra ser tão tentador e sedutor.

Ele finalmente percebe a minha presença e vira seus olhos na minha direção logo abrindo um grande sorriso fazendo seus olhos virarem um sorriso de cabeça pra baixo.

Ah meu deus, meu coração acelerou! Não faz isso comigo! Ele se levanta da mesa e vem até mim sorrindo.

Até mesmo seu andar é sexy, só Jesus na causa!

Sou tirada de meus desvaneios quando ele estende uma mão na minha direção.

Jimin:—Eu sou o novo estagiário e seu assistente, Park Jimin.

Eu:—Prazer Jimin. Sou ___ ___, a sua chefe.

Jimin:—Prazer, senhora ___.

Eu:—Não precisa de tanta formalidade quando estamos sozinhos. —sorri. —Pode me chamar de noona.

Jimin:—maravilhosa... —sussurrou me olhando dos pés a cabeça.

Eu:—O quê?

Jimin:—Huh? Não, nada. —coçou a nuca.

Eu apenas sorri e segui direto a minha mesa, me sentando logo em seguida.

Eu:—Huh, Jimin.

Jimin:—Sim, noona?

Eu:—Pode me trazer um macchiato de menta? —entreguei o meu cartão da empresa.

Jimin:—Claro noona.

Deu-me um de seus lindos sorrisos e saiu pra comprar.

Me encostei na cadeira e coloquei uma mão no meu coração e me abanei com a outra.

Eu:—Meu Jesus me abana!

Tenha calma, calminha aí! Eu tenho juízo e eu não vou me envolver com o meu estagiário, mesmo que ele seja lindo... Sexy... Gostoso... Um pedaço de mal caminho...

Eu não vou! Eu não me envolver com um funcionário da empresa, ainda mais com ele sendo meu assistente.

Estava distraída organizando os slides para a apresentação da minha proposta de parceria com a Miss Styles tecidos, quando sinto braços me envolverem e eu me assusto.

Viro rapidamente meu rosto pro lado dando de cara com o pescoço do Jimin que olhava fixamente pro meu computador.

Ele estava em minhas costas com as mãos apoiadas na minha mesa e com a cabeça ao lado da minha me fazendo inalar aquele cheiro dos deuses.

Jimin:—Pronto.

Ele me olha e nossos rostos ficam a centímetros fazendo nossos lábios quase se encontrarem.

Eu viro meu rosto pra frente rapidamente e sinto ele sorrir.

Eu:—O-o q-que você tá fazendo? —gaguejei.

Jimin:—Tava errado, bem aqui.

Ele aponta e eu olho, realmente estava errado e eu coro por isso e por causa da cena de momentos atrás.

Ele sorri, dessa vez, de uma forma maliciosa e depois segue andando até a sua mesa. Antes de sentar, se vira e me olha.

Jimin:—Estarei bem aqui, se precisar é só chamar, noona. —sussurrou a última parte fazendo os pelos da minha nuca se arrepiarem.

Tentei ao máximo passar o resto do dia sem olha-lo, apenas o fazer quando fosse necessário, mas isso não deu muito certo.

Vez ou outra me pegava observando ele, seu rosto, seus olhos, seu corpo, seus lábios, que ele mordia as vezes me fazendo ficar louca pra ir lá e os morder eu mesma.

Mas, me controlei.

Dei graças a deus quando terminei meu trabalho pra hoje e pude sair, tanto da empresa quando dos meus devaneios em cima de Jimin.

Quando me ajeitei pra sair, já estava de noite e muitos funcionários já tinham ido embora.

Me peguei olhando para os lados pra ver se o Jimin já tinha ido e logo sou pega de surpresa por uma voz muito sexy.

Jimin:—Procurando por mim?

Meu deus, a voz desse homem vai me tirar do sério.

Eu:—Por quê ainda não foi?

Perguntei tentando parecer normal, o que não deu muito certo.

Jimin:—Se a minha chefe ainda está trabalhando, quem sou eu pra sair primeiro?!

Ele disse enquanto se aproximava lentamente e me lançava um olhar malicioso.

Eu:—N-não precisa me esperar, pode ir embora quando terminar seu serviço.

Sorri tentando parecer calma, mas ele semicerrou os olhos e balançou a cabeça negativamente enquanto se aproximava mais ainda, comecei a dar passos pra trás.

Jimin:—Eu gosto de ficar aqui, lhe acompanhar... Noona.

O sussurro dele fez os meus pelos arrepiarem e eu apertei as pernas impulsivamente.

Eu:—Não precisa fazer isso. Eu sei me cuidar.

Eu disse e senti o chão faltar atrás de mim me fazendo encostar na parede.

Ele, por sua vez, não parou e continuou a vir até mim.

Nossos corpos muito próximos, ele colocou as mãos ao lado da minha cabeça e eu sentia a sua respiração contra o meu rosto, meus olhos estavam nos seus, e os deles estavam em minha boca semi aberta.

Eu estava ofegante e quando eu ia tentar falar algo, sua língua invadiu a minha boca.

Ele atacou meus lábios com fogo e desejo, eu tentei empurrá-lo e não corresponder no início, mas resistir a um homem desses, gostaria de saber quem conseguiria.

Antes que eu me desse conta, minha língua já estava adentrando a boca maravilhosa dele e nossas bocas dançavam em uma sintonia muito deliciosa.

Ele segurou em meus cabelos e os puxou pra baixo aprofundando mais o beijo enquanto minhas mãos passeavam em suas costas.

A mão livre dele passeava pela minha cintura e minhas pernas, logo ele levantou uma das minhas pernas e a colocou do lado da sua, aprofundando nosso contato.

Eu sentia seus apertos e gemia entre seus lábios já em êxtase, ele se aproximou mais ainda colando nossos corpos e eu senti a sua, enorme, ereção roçar em minha intimidade úmida.

Eu finalmente recuperei meu sentido e tentei o empurrar, mas era praticamente impossível lutar contra aquele homem forte e ele me apertou mais ainda.

Quando o ar nos faltou, ele começou a beijar meu pescoço me fazendo arfar e logo fortes chupões estavam me deixando louca, quando sua língua contornou um chupão, eu fiquei ainda mais molhada.

Mas eu recuperei meu juízo e juntei toda a minha força pra tentar o empurrar, e assim o fiz.

Ele me encarou surpreso e ofegante, e eu mais ainda.

Eu:—Isso... —estava ofegante. —não vai mais acontecer.

Antes que ele pudesse retrucar, saí rapidamente dali e dei graças a deus por não ter mais ninguém no caminho.

Fui até ao banheiro e depois de checar se tinha alguém e confirmar que não, apoiei minhas mãos em uma pia e encarei meu reflexo no espelho.

Eu estava descabelada e com o rosto todo vermelho e suada.

Dei um jeito em meus cabelos e lavei o rosto enquanto recuperava o fôlego, refiz a minha maquiagem e depois saí dali seguindo ao meu carro.

Entrei e me sentei no banco do motorista, respirei fundo antes de ligar e dar partida ao som de Expectation do Girl's Day.

[…]

Acordei toda descabelada e com os olhos inchados, o que pra mim era normal já que eu não consegui dormir direito essa noite.

Passei a noite todinha pensando naquele ser, depois de muito tempo sem o fazer, eu fiquei excitada, e tudo por causa daquele idiota.

Mesmo depois de me masturbar umas duas vezes essa noite, o desgraçado ainda não saia da minha mente.

Me levanto e sigo em direção ao banheiro ainda cansada e tomo um banho bem demorado e refrescante.

Começo a xingar alto ele de tudo quanto é nome quando me deparo com um chupão infeliz no meu pescoço.

Sigo até ao meu closet e escolho uma lingerie preta de renda (link nas notas finais).

Coloco um vestido preto básico marcando todas as minhas curvas e indo até o pescoço (link nas notas finais).

Coloco um salto alto vermelho vinho e solto meus cabelos longos dando escova neles e escondendo o chupão que um certo garoto deixou em meu lindo pescoço.

Faço uma make preta com prateado, delineador gatinho e bem marcado nos olhos juntamente com rímel e um batom vermelho vinho matte.

Passo meu melhor perfume e pego minha bolsa seguindo ao meu trabalho.

[…]

Me assusto ao ver a porta ser aberta rapidamente e um Jimin ofegante entrar pela porta.

Ele estava usando uma roupa social, mas estava com uma camisa do nirvana preta regata, que deixava seus músculos de fora.

Jimin:—Me desculpe, eu me atrasei.

Antes que eu pudesse responder, ele tira a camisa me deixando perplexa e ao mesmo tempo admirando aquele lindo abs, meu deus, deveria ser um crime esse homem tirar essa camisa senhor!

Ele retira da bolsa uma camisa social branca e uma gravata preta, e coloca primeiro a gravata um pouco folgada e depois coloca a camisa.

E eu observando atentamente ele fechar cada botão e implorando mentalmente pra que ele não a vestisse.

Jimin:—Gosta do que vê?

Sou tirada novamente de meus desvaneios e minhas fantasias sexuais.

Eu:—O-o quê?!

Gaguejo e me repreenso logo em seguida por o fazer, logo retornando meus olhos ao computador e sentindo meu rosto ruborizar.

Ele sorri malicioso e vem se aproximando.

Eu:—N-Não venha.

Jimin:—Está nervosa?

Eu:—Claro que não! Por quê estaria?

Ele sorri malicioso e coloca as mãos na minha mesa se inclinando e ficando bem próximo a mim, e no impulso eu afasto a minha cabeça até bater com ela na cadeira.

Ele sorri e se aproxima mais ainda fazendo nossos lábios roçarem.

Jimin:—Fico feliz por te deixar nervosa, noona. —sussurrou.

Eu me arrepiei dos pés a cabeça e ele logo sorriu retornando a sua mesa.

[…]

Já era 23:00h e eu finalmente consegui terminar a minha preparação pra a minha apresentação.

A essa hora, com certeza todos já devem ter ido embora, eu estou no meu escritório e as luzes estão apagadas com apenas um abajur clareando a minha mesa.

Varro meus olhos pelo local e suspiro aliviada quando vejo a mesa do Jimin apagada e vazia.

Começo a girar na cadeira aliviada por ter terminado e por estar sozinha, e a minha alegria se esvai quando sinto mãos me pararem e uma respiração pesada contra meu rosto.

Abro os olhos rapidamente e me deparo com o Jimin ofegante e um pouco suado bem próximo do meu rosto.

Somente a imagem daquele homem, ofegante com os lábios semi abertos, a sua camisa um pouco molhada deixando a vista seu corpo definido e seus cabelos levemente molhados caindo por sua testa, me deixou completamente molhada.

Eu:—Jimin o que..?

Antes que eu pudesse terminar, sua língua invadiu a minha boca e dessa vez eu não pude nem tentar evitar, meu corpo não me obedeceu.

Ele era voraz e desejoso, assim como nosso beijo, nós estavamos praticamente fazendo sexo com a boca.

Quando o ar nos faltou ele separou nossas bocas e um rastro de saliva as ligou, deixando tudo mais excitante.

Jimin:—Você não sabe o que me causa...

Eu:—Você me enlouquece...

Ao ouvir tais palavras, ele atacou novamente meus lábios enquanto minhas mãos foram para seus cabelos apertando com força o local.

Ele começou a beijar meu maxilar e desceu para meu pescoço dando beijos molhados por todo o local.

Mordeu o lóbulo da minha orelha me fazendo soltar um gemido baixo, e ele logo passou a língua no meu pescoço me deixando arrepiada.

Suas mãos alternavam entre apertar a minha cintura e a pare interna das minhas coxas.

Eu:—Own, Jimin...

Eu gemia baixinho em seu ouvido, e em um movimento bruto e rápido ele jogou ao léu o meu vestido.

Ele me beijou novamente enquanto suas mãos procuravam o fecho do meu sutiã, e quando achou logo o retirou do meu corpo.

Parou por um instante para me observar e mordeu o lábio inferior me deixando ainda mais excitada.

Logo ele atacou meus seios com a boca e com seus hábeis dedos, me fazendo gemer alto e arquear as costas puxando seus cabelos.

Eu:—Ownn... Jimin... Uhmmm

Passei as mãos por cima da sua calça e percebi o quão duro ele estava, lambi meus lábios e rapidamente troquei de posição fazendo ele se sentar.

Ele me encarou confuso e eu logo me livrei de sua camisa e sua calça, me sentei em cima dele com uma perna de cada lado fazendo nossos sexos se tocarem arrancando gemidos de ambos.

Comecei a me esfregar em cima daquele membro que já estava super duro e pulsante enquanto gemia descontrolada em seu ouvido.

Suas mãos pousaram em minha cintura apertando o locar enquanto jogou a cabeça pra trás mordendo os lábios.

Jimin:—Ownn, noona... Não me tortura...

Eu sorri maliciosa e ofegante e saí de cima dele arrancando um gemido em reprovação de seus lábios.

Retirei e joguei no chão sua cueca box branca, fazendo o membro dele pular pra fora.

Aquilo era realmente grande e grosso, e já estava um pouco molhado de pré-gozo, estava tão duro que eu tenho certeza que já estava doendo.

Lambi o pouco de pré gozo que saiu da glande inchada e vi ele segurar em minha cabeça e gemer mordendo os lábios.

Eu:—Você quer que a noona te chupe bebê?

Perguntei com uma voz sexy e ele assentiu com a cabeça.

Dei uma lambida na cabecinha e ele gemeu alto.

Eu:—Pede direitinho pra noona...

Jimin:—Noona, por favor... Me chupa...

Antes que ele pudesse raciocinar, enfiei tudo o que pude de uma vez e sem aviso prévio na boca me engasgando um pouco. 
Ele gemeu super alto e arqueou as costas procurando, instintivamente, por mais contato.

O empurrei um pouco e retirei da boca e comecei a lamber todo o comprimento e arranhar, de vez em quando, levemente com os dentes o fazendo gemer descontrolado.

Jimin:—Ownn... Noona... Ahhh... Que delícia... Ownnn

Beijei todo o comprimento enquanto brincava com os testículos dele e só depois voltei a por o pau pulsante dele na minha boca.

Fiz movimentos de vai e vem enquanto masturbava o que não coube em minha boca com uma mão e com a outra eu brincava com os testículos dele.

Os gemidos dele estavam me enlouquecendo e eu já não estava mais me aguentando de tão excitada.

Parei os movimentos e ouvi ele gemer em reprovação.

Eu sorri e o beijei brevemente, retirei a minha calcinha enquanto ele observava todos e cada movimento meu.

Fiquei de quatro com a bunda na direção dele e abri os meus lábios maiores com minhas mãos mostrando o quão molhada eu estava.

Eu:—Jimin, por favor... Me fode.

Antes que eu pudesse raciocinar ou processar o que eu tinha acabado de falar ele me penetrou duro e de uma vez só me fazendo soltar um gemido, literalmente um grito.

Suas estocadas eram fortes e fundas me fazendo arranhar o chão e arquer as costas enquanto não conseguia controlar meus gemidos.

Eu:—Ownn... Jimin.... Vai.... Vai.... Jimin... Ownn... Mais...

O local foi preenchido pelo cheiro de sexo e tudo que se podia ouvir era nossas respirações descompassadas, os nosso gemidos, literalmente gritos, e os barulhos molhados de nossas carnes se chocando, o que deixava tudo mais gostoso.

Logo seus movimentos se tornaram ainda mais rápidos e eu senti ele engrossar dentro de mim.

Eu:—Ownn....Goze dentro... Ownn.. Me preencha... JIMIN!

Eu gozei gritando seu nome e ele chegou ao mesmo tempo gemendo meu nome e me preenchendo com um liquido muito quente.

Ele se sentou na cadeira e me puxou me fazendo deitar em seu colo com a cabeça em seu pescoço.

Estavamos ofegantes e por alguns minutos permanecemos apenas em silêncio fazendo carinho um no outro.

Jimin:—Eu não consigo te tirar da minha cabeça... Você entrou sem a minha permissão e por mais que eu tente, não consigo te tirar daqui... —colocou a mão em seu coração e eu o encarei. —Eu não sei o que há comigo... Desde que meus olhos pousaram em você, que nem ao menos me notou e seguiu em frente me ignorando, —eu lembrei de quando fui pra reunião e nem me importei em conhecê-lo. —Eu não sei o que deu em mim... Eu não paro de pensar no seu jeito, no seu sorriso, em você por completo... Por favor, namora comigo?

Meu peito e minha mente se encheu de felicidade, de saber que ele sentia o mesmo que eu, de ouvir tais palavras...

Eu não respondi e apenas o beijei, diferente do beijo anterior, esse era um beijo mais calmo e amoroso.

Mas não demorou muito tempo pra o beijo se tornar mais forte e intenso, e eu senti ele acordando novamente em baixo de mim...

Bom, parece que a noite vai ser bem longa...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...