História Caution (Imagine Taehyung/Hoseok) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hinnalia, Hoseok, Imagine, Jimin, Jin, Namjoon, Romance, Suga, Tae
Exibições 351
Palavras 1.304
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vamos la pessoal, recomeçando da estaca zero :3

Espero que gostem

Capítulo 1 - Encontro


Fanfic / Fanfiction Caution (Imagine Taehyung/Hoseok) - Capítulo 1 - Encontro

-

Eu não me sentia nada bem, uma semana depois de ir para a Coreia para fazer intercâmbio e eu sentia muita falta do Brasil, não ele em si, mais saudades de minha família, meu cantinho.

Olhei para o celular e já marcava 01:35 e eu ainda não havia conseguido dormir, então pensei em dar uma caminhada aquela hora mesmo.

Vesti um casaquinho de lã e saí da minha casa.

O ar estava muito bom, por estarmos na Primavera uma brisa fresca mais agradável batia em meu corpo.

Ao colocar o pé na rua, pude respirar novamente, dou um longo suspiro e começo a caminhar, chego em uma pracinha e me sento la, pego meu celular e penso em gravar mais um vídeo para meu canal, assim que o pego abro a câmera e dou início a um vídeo.

- Olá, feijões! como vocês podem ver, hoje não estou em minha casa como é de costume, então resolvi fazer algo diferente, e mostrar um pouco do quarteirão onde moro, mesmo estando noite - rio - como vocês estão? - olho em minha volta - O ar está muito bom hoje - me levanto e ajeito o celular em minha mão.

Vou vagando o celular e caminhando pelas ruas mostrando os prédios e as luzes.

- Durante a madrugada aqui é muito tranquilo e vocês podem caminhar tranquilamente, diferente do Brasil - solto uma risada soprada.

Continuo caminhando olhando para baixo e sem notar paço a gravar meus pés.

- Me sinto solitária...Tenho saudades daí.... - suspiro ainda com a cabeça baixa até que de repente acabo me chocando contra algo que julgo ser outro corpo - me desculpa - olha para cima - Ju-Jung Hoseok?! - levanto o celular cuidadosamente para aparecer no video e para que ele não percebesse que eu estava o gravando propositalmente - sinto muito.

- Não precisa se desculpar está tudo bem - ele sorri e fico meio envergonhada - o que está fazendo aqui fora a essa hora?

- Na-nada, apenas estava caminhando.

- Toma cuidado, pode não parecer mas aqui é perigoso.

- Okay! - Acompanho com os olhos sua retirada e quando ele some do meu campo de visão eu caio na real - J-Jhope, meu utt?! Eu realmente o encontrei? Não acredito - coloco minhas mãos no rosto e olho para baixo enquanto dou alguns pulinhos.

Ao abrir meus olhos novamente encontro um celular caído próximo aos meus pés, me abaixo e o pego, ao ligar a tela encontro uma foto do Hope, provavelmente ele deixou-o cair...

- E agora?! O que eu devo fazer? - pergunto à mim mesma enquanto olho para onde ele sumira a pouco. Corro até lá, mas ao passar pelo caminho fechado por arbustos e poder ver a rua do outro lado, não vejo sinal de ninguém, apenas alguns carros passam por ali. - E agora?

Paro a gravação e sigo caminho de volta para casa. "Eu realmente me encontrei com ele? Esse celular é dele?! Eu o toquei, Ai meu deus"

De volta ao meu apartamento retiro o casaquinho de lã e vou me deitar. Não conseguindo resolvo tomar um banho e assim o faço, quando saio do banheiro o celular estava tocando, mas não era o meu.

Caminho até a calado-mudo e pego o celular e vejo quem estava ligando. "Jin Hyung". Devo atender?. Opto por atender.

- Alô?! - me sento na cama.

- Alô, quem fala?

- ________

- O que você está fazendo com este celular?

- Sinto muito, é que mais cedo ele acabou derrubando... gostaria de devolver.

- Não, tudo bem! Você poderia me enviar seu endereço?

- Eu mesma levo amanhã pela manhã até a empresa.

- Não, eu insisto, não precisa vir até aqui, um de nossos Staffs pode ir até aí, não queremos gastar seu tempo - ouço um risinho.

- Okay então... - concordo e ouço uma voz ao fundo se aproximando.

- "Vocês devem estar la em 10 minutos.. cadê o Hoseok?"

- Tenho que desligar agora, até mais _________

- Até.

- Não se esqueça do seu endereço. - desliga.

Pego o número e envio meu endereço através de meu celular, guardo-os novamente onde estavam e me deito na cama.

Ouço um som de notificação e então pego meu aparelho.


Jin: Muito obrigado _________, amanhã, provavelmente à tarde, alguém irá até aí"

Eu: Okay

Jin: Tenha uma boa noite

Eu: Obrigada, desejo o mesmo

Jin: Obrigado

Me ajeito novamente na cama depois de deixar o aparelho sobre o móvel, deixo meu corpo relaxar e não demora até eu cair no sono



◾◽◾◽◾◽ ✖ ◽◾◽◾◽◾


Acordo animada (isso é raro) então vou até o banheiro e faço minha higiene matinal, saio do quarto e vou até a cozinha, preparo com um café da manhã e como tranquilamente.

Assim que termino levo a louça até a pia e às lavo, vou até a sala e coloco um programa qualquer, olho para a hora na TV e falta pouco para mim sair, então me levanto novamente e vou para um banho e me visto.

Saio de minha "casa" e vou até meu trabalho. Caminho por cerca de cinco minutos e chego, era uma floricultura, eu sempre gostei de flores, então este trabalho não era tão ruim.

Destranco e logo me adentro fechamos a porta novamente, então me viro e respiro profundamente, sempre que faço isso, sinto que sou restaurada internamente, as flores sempre me passaram certa alegria.

Visto meu avental que carregava o logo da loja e dou uma breve limpada no chão e balcão, quando penso que já está tudo pronto abro a porta novamente e vou atrás do balcão.

Fico esperando por cerca de vinte minutos até um rapaz chegar. Ele entra deixando seus lábios formarem um delicado sorriso.

- Bom dia, posso ajudar? - sorrio e me ajeito.

- Bom dia, gostaria de encomendar um grande buquê de rosas vermelhas, sei que pode demorar um pouco, mas eu gostaria de poder pega-lo em dez minutos, é possível?

- Claro que sim, poderia aguardar por favor? - pergunto e saio de onde estava indo até onde se encontravam as rosas. - destas aqui? - me viro para o rapaz.

- Sim, essas mesmo.

- Poderia aguardar? As flores ficam ali atrás.

- Tudo bem - ele sorri.

- Se quiser pode se sentar ali - mostro um banquinho branco próximo ao balcão, ele acena e vou até a parta atrás do balcão.

O depósito é um quartinho com uma grande parede de vidro escuro que dava para o lado da loja, o que, consequentemente, dava visão para atrás do balcão, mas só dava para enxergar pelo lado de dentro - estratégia a patroa - "Desta forma podemos vigiar enquanto fazemos o trabalho"

Pego algumas rosas, as mais bonitas e começo um buquê, quase no fim passo uma espécie de cipó para o pender, quando termino passo um plástico florido e arrumo as pontas para que não fiquem amassadas.

Volto para a frente da loja, lhe entrego o buquê e ele me paga.

- Até mais - Se despede sorrindo.

- Até.

Mais algumas pessoas passam por ali, então faço o mesmo processo, quando dão uma hora fecho a loja e vou até minha casa para almoçar.

Preparo o almoço e me sento para comer. Quando termino arrumo novamente minhas coisas -celular, fones e alguns biscoitos- e saio de casa.

Volto ao trabalho e não percebo quando dão cinco horas, pois um amigo veio até aqui comprar um buquê para a esposa, o que me faz acabar fechando mais tarde.

Quando saio já passa das seis, então me apresso, chegando no prédio vou até a portaria.

- Alguém veio procurar por mim? -pergunto ao segurança na entrada.

- Um rapaz veio, mandei que esperasse na recepção, ele está aqui desde às duas horas.

- Ai meu deus. - digo baixo - Obrigada - me apresso até a recepção. - Alguém veio procurar por mim? - pergunto ao recepcionista.

- Veio sim, ele está ali - ele aponta com o queixo para um rapaz que estava sentado de costas próximo a um dos pilares de sustentação.

Me aproximo dele e sou surpreendida ao ver quem estava ali.


Notas Finais


Até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...