História Beautiful Girl- Jay Park - Capítulo 78


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jay Park
Tags Aomg, Jay Jay, Jay Park, Loco, Park Jaebeom, Park Jaebum, Simon, Zico
Visualizações 1.229
Palavras 1.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Fantasia, Hentai, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 78 - Você é como cocaína


Jay POV on

Acordei e fiquei sentado na cama, observando aquela mulher incrível, que até hoje eu não conseguia entender o que causava em mim. "A que corpo maravilhoso", pensei ao observar seu corpo nu. Adoro seu lindo corpo, mas sua essência me atrai ainda mais. Ela provoca em mim o que nenhuma provocou, são sensações que se misturam, me confundem, mas me deixam feliz, como cocaína para um viciado. Acho que estou viciado nela até à eternidade.

"Você me tornou um viciado", pensei alto e ri baixinho

-Viciado em quê bolinho?- ela perguntou se espreguiçando

-Em você -Disse sorrindo, olhando toda a extensão de seu corpo

E como se estivesse lendo meus pensamentos, ela respondeu:

-Você também me tornou uma viciada...aaa Jay, me desculpe dizer dessa forma, mas você é como cocaína- Disse ela rindo com as bochechas coradas

-Lê mentes agora mocinha?- Disse chegando mais perto dela quando ela se sentou

-Porquê? - Ela perguntou sem entender

-Estava pensando exatamente isso agora pouco- disse sorrindo

-Estamos conectados- Disse ela e riu logo em seguida -Que bosta isso. Parece coisa de gente doida- Disse ela rindo

-Nós somos doidos, e sinceramente, eu realmente acho que estamos conectados- Disse segurando sua mao- Não dessa forma, mas estamos conectados sim

-Para sempre- Disse ela olhando nossas mãos

Em seguida ela olhou para mim e sorriu, em resposta eu também sorri

-Mesmo depois desse tempo de namoro, eu ainda não consigo te entender- ela disse rindo

-Como assim?- perguntei rindo, mas sem entender.

-As vezes você é extremamente fofo, e em outros momentos você é extremamente safado- Disse ela rindo- E olha que as vezes você passa de um para o outro em pouco segundos

-Você que faz isso comigo- Disse rindo- Nem sei como ainda não te joguei nessa cama e fiz certas coisas, por observar você assim- disse olhando para seu corpo nu

-É porque, nós ainda temos que tomar cafe e nos exercitar -Disse ela rindo, e me empurrando, cobrindo seus seios

-Então nós iremos tomar café e voltar pra cá?- perguntei levantando uma sobrancelha e rindo de forma maliciosa

-Não, nós vamos tomar café, e depois ir para academia -Disse ela fazendo cara de brava

-Mas aqui o exercício seria melhor- disse fazendo beicinho,dando tapinhas no colchão

-Acho que seu pau deve pedir socorro- Disse ela rindo

-Porquê?- perguntei rindo

-Você não dá descanso pra ele, coitado- ela disse rindo, me fazendo gargalhar

-Você que não dá descanso pra ele- Disse ainda rindo

-Eu?- ela perguntou indignada

-Sim, você. Por sua causa eu tenho que usar ele sempre - Disse rindo -Não é mesmo amigão?- Disse olhando para meu membro

-Deixa de ser bobo Jay- ela disse gargalhando -E não é por minha causa, é por causa desse fogo que você tem- Disse ela rindo

-Fogo que você acende em mim- Disse rindo de forma maliciosa

-Pelo amor de Deus, quem é fogueira de São João, perto do fogo que você tem -ela disse rindo

-Fogueira de São João? - Perguntei sem entender

-Lá no Brasil, fazemos um festa no mês de Junho, chamada Festa Junina, e nela as pessoas geralmente acendem um grande fogueira, a fogueira de São João- ela explicou

-Então você quer dizer que eu tenho mais fogo do que uma fogueira grande? Calúnia isso- Disse rindo

-Calúnia é? E o que foi aquilo ontem então?- ela perguntou me encarando

-Ok,ok. Sou obrigado a concordar com voce- Disse rindo, dando de ombros

-Tá concordando porque que eu to certa ne Jay Jay- ela disse rindo

-Lá vem você com esse "Jay Jay"- disse pegando um travesseiro e colocando sobre meu colo

Eu não estava ficando excitado de verdade, queria apenas fazer uma brincadeira com ela

-Não acredito nisso Jay- ela disse olhando na direção do travesseiro

-O que foi jagiya?- perguntei segurando para não rir

-O que significa esse travesseiro Jay?- ela perguntou me encarando

-O que você acha?- Disse olhando-a de forma maliciosa, e passando meu braço por cima de seu ombro

Ela me empurrou

-Você está falando sério?- ela perguntou me encarando

-Claro,olha aqui- Disse e tirei o travesseiro, revelando meu membro que na verdade estava normal

-Idiota- ela disse com cara de brava, me fazendo gargalhar

-Porquê? Você queria que estivesse duro jagiya ?- perguntei olhando-a de forma maliciosa

-Me deixa Jay- ela disse rindo sem graça, tentando se levantar da cama

-Fala S/n- Disse puxando-a pelo braço, fazendo com que ela voltasse a se sentar na cama

-Você fez esse teatro só pra eu olhar pro seu membro garoto?- Disse ela me encarando com cara de brava

-Talvez...- Disse rindo -E também para saber qual seria a sua reação -Disse ainda rindo

-Você não tem jeito mesmo viu- ela disse rindo, me dando um selinho em seguida

-Mas você ainda não respondeu a minha pergunta - perguntei encarando-a

-Mais tarde eu te respondo -Ele sorriu maliciosamente e se levantou

-Fiquei até mais disposto a ir me exercitar- Disse me levantando da cama

Tomamos banho,nos vestimos e tomamos nosso café. Fomos para a academia, mas chegando lá, percebi que havia esquecido meu celular, e estava esperando uma ligação importante.

-Vou voltar lá em casa pra buscar meu celular, mas já estou de volta- Disse a S/n e saí

Chamei um táxi e saímos em direção a minha casa. O motorista passou pelo centro, pois dentro dos bairros estava acontecendo uma festa típica daquela época. O trânsito estava até tranquilo pelo horário. Paramos em um sinal, e esperamos ele abrir.

Perto dali, um assalto a banco, tinha acabado de acontecer, e os bandidos estavam em fuga, mas eu não sabia disso, e nem o motorista. Mal sabia eu, que aqueles homens cruzariam nosso caminho

Quando o sinal abriu, o motorista arrancou o carro, e ao passar por um cruzamento, o carro em que os bandidos estavam, atingiu, em alta velocidade, o carro do taxista. Atingiu o carona...o lado onde eu estava.

Em um minuto eu estava conversando com o motorista, e no outro, eu estava inconsciente dentro do carro, preso as ferragens.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...