História Imagine Hot (Kpop) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Black Pink, EXO, Got7, Monsta X, Seventeen
Personagens Baekhyun, BamBam, Boo Seungkwan, Chanyeol, Chen, D.O, D-Lite (Daesung), G-Dragon, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Hyung Won, I'M, Jackson, Jang Doyoon, JB, Jennie, Jeon Wonwoo, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jisoo, Joo Heon, Junghan "Jeonghan", Jungkook, Kai, Ki Hyun, Kim Mingyu, Kris Wu, Lay, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Lisa, Lu Han, Mark, Min Hyuk, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Sehun, Seungcheol "S.Coups", Seungri, Shin Dongjin, Show Nu, Soonyoung "Hoshi", Suga, Suho, T.O.P, Taeyang, Tao, V, Wen Junhui "JUN", Won Ho, Xiumin, Xu Ming Hao "THE8", Yao MingMing, Youngjae, Yugyeom
Tags Bambam, Bangtan Boys, Bigbang, Bts, Got7, Hentai, Hoseok, Imagine, Imagine Hot, Jackson Wang, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jooheon, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Lemon, Mark Tuan, Markson, Min Yoongi, Monsta X, Namjoon, Park Jimin, Rap Monster, Rapmon, Seventeen, Shownu, Suga, Taehyung, Wonho, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 723
Palavras 2.871
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Meu bias é tão soft gente, que eu não consegui imaginar outro tipo de imagine pra ele.

Capítulo 16 - Slow — Jooheon (Monsta X)


Fanfic / Fanfiction Imagine Hot (Kpop) - Capítulo 16 - Slow — Jooheon (Monsta X)

 Os gritos da minha mãe logo foram abafados quando bati a porta e sai caminhando pela rua. Minha situação em casa estava péssima. Eu sempre precisava fugir para ter paz. E quando esse tipo de coisa acontecia, só tinha um lugar pra onde eu podia correr numa situação dessas. A casa do Wonhoo.

Eu havia conhecido ele em uma das festas que ele havia feito na sua casa, e desde então nossa amizade só crescia. Eu sempre corria pra lá quando precisava chorar. Digamos que eu era covarde de mais pra chorar de cara limpa, então eu e ele fumavamos um baseado e eu usava a desculpa de estar chapada para chorar.

Já estava escuro e a casa dele não ficava muito longe da minha. Isso facilitava um pouco. Assim que toquei a campainha foi o irmão dele, Jooheon quem abriu a porta pra mim.

— Oi S/n… — ele falou sem jeito.

— Oi Jooheon, Wonho tá em casa?

— Tá sim, entra. — ele abriu espaço pra eu passar.

Assim que entrei pude ouvir os gemidos altos de uma vagabunda qualquer vindo do quarto de Wonho.

— Quem é a puta da vez? — perguntei.

— Não conheço essa. — ele deu de ombros. — vou lá chamar ele.

— Não. — balancei a cabeça. — não vou empatar a foda dele. Não é nada de mais. Eu só queria espairecer mesmo. — comprimi meus lábios. Eu queria muito chorar. Meus olhos estavam começando a arder.

— Vem comigo. — ele me chamou com a mão e começou a subir as escadas.

Segui logo atrás dele. Jooheon nunca tinha conversado muito comigo. Ele geralmente me evitava, de início achei que ele não gostava de mim, mas Wonho havia me dito que apesar de Jooheon parecer ser uma fera, ele era muito fofo e tímido.

Acabei dentro do seu quarto. Parei perto da porta, com as mãos nos bolsos do casaco que estava usando.

Jooheon abriu a gaveta do criado mudo ao lado da cama e mexeu na mesma, logo tirando um baseado dali, e dando a volta na cama, vindo na minha direção.

— Fica a vontade. — ele deu um meio sorrisinho e fechou a porta.

Caminhei pelo quarto e sentei no tapete dele, com as costas encostada na cama. Enquanto ele caminhava na minha direção, acendeu o baseado, dando a primeira tragada e sentando ao meu lado. Jogou a fumaça no ar e me passou o cigarro, jogando a cabeça pra trás, na cama.

— Não sabia que fumava. — traguei e passei novamente pra ele.

— Só... — ele tragou e logo soltou a fumaça pra cima. — … as vezes.

— Eu entendo… — respirei pesado, tragando mais uma vez, prendendo a fumaça. Estava ficando cada vez mais difícil prender o choro, meus olhos estavam marejados e minha respiração pesada.

— Pode chorar. Eu finjo que tô chapado e que nunca vou lembrar disso. — ele falou baixo.

— Tá tão na cara assim? — perguntei enquanto encarava os meus pés.

— Eu sei que quando você fuma é pra isso… quando as coisas estão difíceis... Você fica vermelha quando segura o choro. — sua voz era tão serena. — suas frases são pausadas... Como se você fosse desmoronar a cada palavra.

Eu não consegui segurar mais, apenas deixei que as lágrimas rolassem pelo meu rosto. Jooheon permaneceu em silêncio o tempo todo.

Quando parei, passei minhas mangas nos meus olhos e por fim tomei coragem de olhar pra ele.

— Aliviou? — ele estava com os olhos pequenininhos, mais do que já eram. Estava chapado.

— Uhum. — suspirei, acalmando aquela sensação de chorar desesperadamente. — Obrigada. — consegui dar um meio sorriso.

— Não precisa agradecer. — ele sorriu.

A porta abriu abruptamente e Wonho apareceu na mesma, usando apenas uma bermuda.

— A casa tá liberada! — ele estava eufórico. — S/n? — me olhou confuso.

— Oi seu bosta. — ri.

— A mãe e o pai não voltam pra casa? — Jooheon perguntou arrastado.

— Não. Os vôos foram cancelados. — ele me olhou. — porque não deu umas porradas lá na porta? Eu dispensava a menina.

— Tá tudo bem. Seu irmão me fez companhia. — pisquei lentamente. A brisa estava dando efeito.

— Vocês tão chapados? — ele fez careta e nós assentimos. — Então tá. Fica pra festinha. Já chamei a galera. A noite promete!

Ele riu e saiu andando. Virei o rosto para o lado, fitando Jooheon que ainda estava com a cabeça jogada pra trás em cima da cama, fitando o teto.

Ficamos daquele jeito até Wonho me arrastar para o andar de baixo quando as pessoas começaram a chegar.

O som já estava alto, a casa cheia e eu sentada na escada com um copo na mão bebendo sei lá o que, servido pelo Wonho. Já tinha dispensado uns três carinhas. Não estava muito afim de perder meu tempo com nenhum deles. Uma conhecida minha se aproximou de mim, sentando ao meu lado.

Ela já tinha tentando me tirar dali umas quatro vezes. Segundo ela, eu estava perdendo a melhor parte da festa, strip poker e o jogo da garrafa.

— Vamos S/n! — ela me sacudiu, virando meu copo e fazendo a bebida cair na minha blusa.

— Não. — fiz ela soltar meu braço.

— Viu. Mais um motivo pra você jogar com a gente e tirar essa blusa molhada.— ela bufou. — você tá aí sozinha.

Revirei meus olhos. Ela não ia sair da minha volta enquanto eu não cedesse ou arranjasse companhia.

Por sorte Jooheon estava descendo as escadas quando minha mão capturou seu pulso e eu puxei ele.

— Não tô mais sozinha. Agora licença.

Ela assentiu e saiu, deixando a gente ali. Jooheon me olhou confuso, seus olhos estavam vermelhos ainda.

— Desculpa. — soltei seu pulso. — precisava de uma desculpa. Pode voltar a fazer o que estava fazendo.

— Não quer minha companhia? — ele levantou as sobrancelhas.

— Quero e muito.

— Vamos sair daqui? — assenti e ele segurou minha mão, subindo novamente, indo na direção do seu quarto que estava trancado, evitando casais com hormônios a flor da pele ali dentro.

Entrei e ele entrou logo atrás, trancando a porta.

Caminhei até a cama dele e me sentei na mesma. O som da música ficava abafado ali dentro, dando um certo alívio pra minha cabeça. Aquele lugar, naquela altura da situação era o melhor possível.

— O que aconteceu com a sua blusa? — ele me olhou.

— Aquela garota virou minha bebida. — fiz bico olhando pra minha blusa molhada.

— Quer uma camiseta emprestada? — ele perguntou já indo na direção do roupeiro.

— Se não for abusar de você. — eu ri.

Jooheon logo veio na minha direção com uma camiseta bordô e me entregou a mesma. Tirei meu casaco e ele virou de costas para que eu pudesse me trocar. Tirei minha blusa e vesti aquela camiseta.

— Pronto. — ri fraco assim que terminei e ele virou pra mim.

— Ficou melhor em você do que em mim. — ele sorriu e caminhou até a cama, se jogando na mesma.

Jooheon tinha um sorriso muito bonito e um olhar doce. Mesmo com toda a pose de machão que ele costumava fazer, seus olhos entregavam a pessoa meiga que ele era.

Me deitei ao seu lado, olhando pra cima. Haviam alguns pôsteres no teto baixo do quarto.

— Sabe... — eu ri fraco e ele me olhou. — já cheguei a pensar que você não gostava de mim.

— Porque? — ele perguntou baixo e eu olhei pra ele.

— Você vive me evitando... nas festas... até mesmo na faculdade... imaginei isso.

— Ah… eu não sou bom com mulheres. Principalmente quando são como você.

— Como eu? — arqueei a sobrancelha.

— Bonitas.

— Por fora só se for. — murmurei e deitei de lado, olhando pra ele.

— Por dentro também. Talvez um pouquinho conturbada. Mas continua sendo bonita. — aquele sorriso lindo de novo.

Não falei nada. Apenas sorri, desviando meu olhar para os seus lábios rosados, eu havia me perdido naquele sorriso que nem me dei por conta que fiquei encarando a boca dele escancaradamente.

Jooheon esticou o braço e me puxou pra mais perto, colocando seu braço abaixo da minha cabeça, deixando meu rosto na altura do seu pescoço. Seu outro braço envolveu minha cintura num Abraço.

Escondi meu rosto na curva do seu pescoço me afundando no seu perfume. Era tão gostoso que eu podia passar um dia todo sentindo aquele cheiro. Seus dedos acariciavam minhas costas lentamente, seguindo minha coluna.

Wonho tinha razão, ele era realmente muito doce. Seus toques eram tão calmos. Eu nunca havia sentido aquilo antes. Uma vontade imensa de ficar no Abraço de alguém, mas ao mesmo tempo toda aquela aproximação me fez pensar em tocar seus lábios. Eu queria beijá-lo.

Fechei meus olhos por breves segundos e dei um beijinho abaixo do seu queixo e aos poucos fui subindo. No seu queixo, bochecha e por fim cheguei ao destino desejado, seus lábios quentes e úmidos.

Jooheon encaixou nossos lábios perfeitamente dando início a um beijo lento e delicado. Sua língua envolveu a minha, sugando-a lentamente para os seus lábios. Sua mão subiu lentamente minha blusa, tocando minhas costas por baixo da mesma. Seus dedos gelados me causavam breves arrepios.

A falta de ar nos obrigou a parar. Seu nariz estava encostado no meu, e seus olhos se abriram lentamente. Jooheon ficou me olhando sem dizer nada, apenas tocando lentamente minha pele.

— Quer descer? — sua voz saiu baixa e suave.

Balancei a cabeça negativamente e aproximei nossos lábios novamente, beijando-o. Sua mão subiu um pouco mais, dirigindo-se das minhas costas para minha costela, fazendo seu polegar tocar a lateral do meu seio, deslizando o mesmo ali.

Sua língua tomou um ritmo diferente, deixando aquele Beijo mais intenso e quente. Sua mão logo moveu-se de novo, adentrando meu sutiã e passando a massagear meu seio, de forma delicada, brincando com meu mamilo entre seus dedos, causando-me arrepios pela coluna.

Jooheon ficou sob mim na cama e seus lábios desceram dos meus lábios para o meu pescoço, dando diversos Beijos molhados pela extensão do mesmo, seguindo até minha clavícula onde deixou alguns chupões por ali.

— Quer continuar? — ele perguntou sereno. Eu tinha a leve impressão que ele estava muito chapado.

Mordi meu lábio inferior e assenti, levando minha destra nos seus cabelos escuros, tocando os mesmos.

Jooheon piscou lentamente e subiu a camiseta que eu usava, tirando a mesma e jogando no chão. Voltou a massagear meus seios sob o sutiã enquanto dava alguns Beijos na parte descoberta dos meus seios. Puxou lentamente as alças pra baixo e logo abriu o fecho do meu sutiã expondo meus seios.

Ele ficou me olhando por alguns segundos e logo aproximou seus lábios grossos de um dos meus mamilos enquanto seus dedos brincavam com o outro. Ele sugava lentamente, fazendo gemidos baixos escaparem dos meus lábios. Ele fazia aquilo lentamente e de uma forma tão gostosa. Meu corpo todo estremecia.

Nunca estive tão entregue a alguém quanto estava a ele. Talvez a maconha ajudasse pra me deixar a vontade. Mas o jeito calmo e delicado dele me envolveu profundamente.

Seus lábios desceram pela minha barriga, parando logo abaixo do meu umbigo. Abriu o zíper da minha calça e puxou a mesma pra baixo, livrando-me dela. Logo sua camiseta tomou o mesmo rumo da minha calça, expondo seu abdômen claro e definido.

Jooheon puxou minhas coxas e afastou minhas pernas lentamente, começando a beijar o interior das minhas coxas, raspando seus dentes na minha pele descoberta, aproximando ainda mais seus lábios da minha virilha.

Sua respiração quente se chocava com meu íntimo sob a calcinha. Eu estava começando a ficar excitada com seus toques.

Jooheon depositou um beijo lento no meu íntimo por cima da minha calcinha, arrancando-me um gemidinho arrastado. Eu estava ficando molhada com os lábios dele ali, me torturando por cima do tecido. Afundei meus dedos no lençol, movendo meu quadril devido aos arrepios que ele me causava.

Seus dedos adentraram a lateral da minha calcinha, puxando a mesma pra baixo, me deixando completamente nua para ele.

Seus lábios tocaram meu íntimo enquanto seus dedos subiam pela minha barriga até tocar meu seio, massageando o mesmo.

Minhas pernas estavam sob seus ombros e sua língua tocou meu clitóris começando com movimentos circulares lentos, fazendo minhas pernas contraírem.

Eu já estava pingando de tesão. Seus lábios chupavam meu clitóris, seus dedos brincavam com meu seio, me fazendo gemer arrastado, enquanto eu rebolava contra seus lábios. Grunhi ao sentir sua língua me penetrando, aquilo era tão bom. Seu jeito lento de fazer tudo deixava aquilo ainda melhor, prolongando meu prazer.

Sua mão desceu pelo meu corpo e seu dedo médio adentrou meu íntimo fazendo um vaivém que logo fora acompanhado pelo seu indicador. Ambos os dedos deslizavam com facilidade dentro de mim com leves estocadas fundas. Meus olhos reviravam de prazer e logo desmanchei-me nos seus lábios com um longo gemido de prazer.

Sua língua agilmente tratou de limpar meu líquido que escorria entre minhas pernas.

Eu estava extasiada, mesmo assim eu desejava senti-lo ainda mais. Queria Jooheon dentro de mim. Puxei ele pelos ombros, novamente colocando seu corpo sob o meu.

Eu podia sentir sua ereção mesmo sob o jeans que ele usava. Envolvi minhas pernas na sua cintura, encaixando nossas intimidades. Jooheon sorriu de canto e simulou uma estocada contra meu clitóris ainda sensível, arrancando um gritinho manhoso.

Desci minhas duas mãos até o cos da sua calça, abrindo a mesma e empurrando pra baixo, deixando que Jooheon se afastasse de mim e terminasse de tirar tudo, ficando completamente nu na minha frente. Sua glande estava rosada e brilhava devido ao pré-gozo que escorria da mesma.

Me coloquei de joelhos na cama, engatinhando até ele que ainda estava em pé em frente a mesma. Meus olhos encontraram os dele enquanto minha destra tocava seu pau, começando com movimentos lentos, masturbando-o.

Seus lábios estavam entreabertos e seu peito descia e subia numa respiração pesada. Joguei meus cabelos pro lado e os fios logo foram capturados pelos seus dedos.

Coloquei sua glande na boca e suguei de leve sua glande, vendo seu corpo irrijecer. Repeti os movimentos algumas vezes e logo abocanhei seu pau teso, colocando o que conseguia na boca, usando a destra para masturbar o restante.

Jooheon gemia baixo. Olhei pra cima e me deparei com ele de olhos fechados, com a cabeça jogada para trás, imerso no prazer.

Eu sentia seu pau pulsar na minha língua, seu pré gozo se misturava na minha saliva. Seu gosto dominava meus lábios.

Não demorou muito para ele segurar meu queixo e afastar seu membro dos meus lábios, abaixando-se e me agarrando pelas coxas, me colocando no seu colo. O rosto de Jooheon escondeu-se na curva do meu pescoço e seus lábios atacaram minha pele enquanto ele sentava na cama, comigo no seu colo com uma perna de cada lado do seu corpo.

— Eu desejo você S/n… — ele sussurrou enquanto encaixava sua glande na minha entrada —… desde o primeiro dia que te vi com meu irmão...

Minha frase fora interrompida quando seu pau todo adentrou meu corpo de uma vez só, me fazendo gemer alto e afundar meus dedos nos seus ombros. Apoiei minha testa no seu ombro, começando a descer e subir bem devagar no seu pau.

Jooheon gemia baixo no meu ouvido, empurrando seu quadril pra cima, fazendo seu pau ir fundo dentro de mim, fazendo meus olhos revirarem toda vez que ele alcançava meus pontos sensíveis e estocava contra eles, fazendo minhas pernas amolecerem e ficarem trêmulas.

Seus braços envolveram meu corpo e seus lábios vieram a procura dos meus num Beijo afoito enquanto nossos corpos deitavam na cama novamente.

Minhas pernas foram afastadas mais uma vez e suas estocadas começavam a ficar mais intensas, me levando ao extremo do prazer.

— Ahn… eu vou… — ele gemeu entre nossos lábios e logo desfez-se dentro de mim, ainda estocando e me levando a um segundo ápice juntamente com ele.

Nossos corpos ainda se moviam sincronizados, nossas respirações estavam ofegantes. Quando Jooheon liberou todo seu líquido dentro de mim, seu corpo caiu sob o meu, afundando seu rosto na curva do meu pescoço.

Mesmo cansada e muito suada eu não queria me desfazer do seu corpo.

Ele retirou seu membro de dentro de mim, deitando ao meu lado eu puxando meu corpo contra o seu, dando alguns Beijos pelo meu rosto, sorrindo meigo.

— Aquilo que você falou... era verdade? — perguntei fraca e ofegante.

— Todas as palavras.— ele acariciou meu rosto. — Mas não quero que se afaste de mim por causa disso... eu vou entender se... Você não sentir o mesmo.

— Shh... — toquei seus lábios. — a última coisa que eu quero agora é me afastar de você. — sussurrei.

Jooheon sorriu e me abraçou novamente, tocando meus cabelos enquanto nosso silêncio virou o som abafado de uma música qualquer que tocava lá em baixo acompanhado das batidas dos nossos corações.


Notas Finais


Quanto as sugestões e pedidos de vocês. Eu tô anotando todos. Assim que eu encerrar os pedidos feitos pelo FC do Twitter eu começo a focar aqui. ♡

Pra quem gosta de Yaoi. Dêem uma olhada no meu ChanSoo novo ♥

https://spiritfanfics.com/historia/sorry-for-being-who-i-am-9909848


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...