História Imagine Hyuk – (Friend Of My Brother) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Personagens Originais, Ravi
Exibições 33
Palavras 1.703
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


- Os meninos não me pertencem (infelizmente), apenas a personalidade deles que criei aqui.

- Esse imagine vai ter, no máximo, três capítulos.

- Foi feito pela Flower, dona do Paradise Hyuk.

Capítulo 1 - Um.


Eu não sabia mais o que fazer, não sabia o que pensar. Não sabia como me livrar daquele tormenta de confusão que tinha na minha cabeça. O que eu fazeria se meu irmão descobrisse? Eu estava muito ferrada. Sentei-me na cama, cobrindo meu rosto com as mãos enquanto pensava no que eu poderia fazer. Ouvi a porta do meu quarto ser aberta e alguém entrar, mas nem me dei o trabalho de levantar o rosto para ver quem era. 

 – _____... – Senti alguém se sentar ao meu lado, e pela voz, era Hyuk. 

 – O que quer, Hyuk? – Perguntei com a voz abafada por minhas mãos. 

 – Olha pra mim, ____, eu não mordo. – Insistiu, me fazendo suspirar e tirar as mãos do rosto, o olhando. – Por que está assim? 

 – Hyuk, já pensou no que vai acontecer quando Taekwoon descobrir o que fizemos? – Perguntei como se fosse óbvio. 

 – Ele não vai saber se eu ou você não disser, né, ____! – Revirou os olhos, logo me olhando. – Fica tranquila. – Beijou minha bochecha, sorrindo. 

 – Aish, não me pede pra ficar tranquila, eu não consigo. – Bati minhas mãos em minhas próprias coxas, emburrada. – Não consigo parar de pensar no que pode acontecer. – Confessei, choramingando. 

 Hyuk apenas me abraçou, mexendo em meus cabelos enquanto pedia para eu me acalmar. Ouvi a porta bater com força no andar debaixo, me fazendo pular com o susto que levei, fazendo Hyuk rir.

 – Para de rir, cacete. – Levantei a cabeça, dando um tapa não tão forte em seu braço. 

 – Seu irmão saiu, provavelmente. – Murmurou, logo me olhando com um sorriso malicioso. 

 – Nem pense, Han Sang Hyuk. – Ameacei-o, indo para o meio da cama numa força de me afastar dele. 

 Foi inútil, já que o mesmo veio para cima de mim, beijando minha bochecha enquanto apoiava suas mãos ao lado da minha cabeça, descendo leves selares por meu queixo e pescoço.

 – Hyuk... – Murmurei baixinho, pondo as mãos em seu peitoral para tentar afasta-lo.

 – O quê? – Parou, me olhando enquanto sorria largamente. 

– Para... – Sorri de canto, esperando que ele saísse de cima de mim. 

 – Quer mesmo que eu pare, ___? – Sussurrou em meu ouvido, descendo novamente beijos por meu pescoço. Arfei baixo, fechando os olhos. 

 – Filho da puta... – Sussurrei mordendo meu lábio inferior. 

 – Que feio, ___, pra quê falar palavrão? – Zombou rindo, mordendo meu pescoço.

 – Hyuk... – O mesmo apertou minha cintura com um pouco de força, enquanto descia os beijos por meu ombro, onde deixou um chupão. – Caralho. 

– Que boca suja, menina. – Parou, passando um dedo envolta dos meus lábios, mordendo os próprios. – Será que eu terei que te puni-la por isso, Baby? – Sussurrou, sorrindo maliciosamente. 

 – Mas eu não fiz nada demais... – Fiz beicinho, tentando parecer fofa. Hyuk arfo baixo, me olhando. 

 – Você assim me excita tanto, babygirl, me dá vontade de te foder em todos os cantos dessa casa e de todos os jeitos possíveis. – Confessou enquanto me olhava. 

 – Então por que não me fode... Daddy_ – Perguntei com uma falsa inocência, sorrindo. 

 – Aaah, ____... – Grunhiu, fazendo um forte chupão em meu pescoço que me fez gemer meio alto. 

 Apertou novamente minha cintura, adentrando as mãos em minha blusa enquanto subia as mesmas até meus seios, os apertando. 

Voltou a beijar meu pescoço, levantando minha blusa até a parte do meu sutiã, sem tirá-la. Suspirei, mordendo novamente meu lábio. Minhas mãos foram para suas costas, arranhando-as de leve enquanto eu subia sua blusa para tirá-la. Ele me ajudou, removendo a camisa e a jogando em qualquer canto. 

Removeu a minha também, descendo a alça do meu sutiã enquanto faça leves chupões por aquela área. 

 – Porra... – Gemi, arqueando as costas, agora com as mãos nos lençóis da cama. 

 – Babygirl, babygirl... – Parou, voltando a apenas me olhar. – Realmente vou ter que te punir, não é?

 – Desculpa, Daddy, saiu sem querer. – Tentei me desculpar, sorrindo de canto. 

 – Sem desculpas, querida, apenas faça o que eu te mandar, huh? – Passou a mão por minhas costas, abrindo o fecho do meu sutiã, removendo-o. 

– A partir de agora... Nao quero ouvi-la gemer.  

 O quê? Mas Daddy- 

– Sem mas, ____. Apenas fique calada e não me desobedeça, pode ser pior. – Disse sério, apertando meu seio com força enquanto começava a o outro, sem se importar com nada. 

 Mordi meu lábio com força, era impossível segurar esses gemidos, mas me esforcei. Arqueei as costas novamente enquanto ele descia as mãos por meu corpo, tirando minha calça de moletom. 

 – Tão gostosa... – Murmurou antes de começar a chupar o outro, passando a mão por minha intimidade, mesmo que por cima da calcinha. 

– Tão molhada.. – Continuou, sorrindo e descendo os chupões por meu corpo. Acabei soltando um gemido baixo, mordendo meu lábio com força logo em seguida e recebi um tapa forte em minha coxa – provavelmente como punição. 

 – Não seja desobediente, babygirl. – Murmurou mordendo de leve a parte interna da minha coxa, subindo mordidas até perto da minha intimidade, tirando minha calcinha de uma vez. A

pertou minhas coxas, passando a língua por minha intimidade antes de começar a chupá-la. Gemi alto, sem me importar com a possível punição que viria e arqueei as costas, segurando em seus cabelos e os puxando. Recebi mais um tapa na coxa, dessa vez com mais força. Continuou, até que eu gemi um pouco mais alto e manhosa, fazendo-o parar. 

 – Daddy... – Chamei-o, pedindo para continuar e ele apenas se sentou na cama, tirando as próprias calças, seguido da cueca, fazendo assim, seu membro duro ficar livre. Fixei meu olhar no músculo grande e grosso, me aproximando devagar e levando minha mão até o mesmo, começando a masturba-lo devagar, como se eu nunca tivesse feito aquilo antes. Hyuk gemeu baixo, apoiando suas mãos na cama. 

 – Chupa. – Murmurou num tom autoritário, me olhando. 

 O obedeci, pondo metade do seu membro em minha boca e o chupando, enquanto ainda masturbava com minha mão a parte que eu não conseguia por em minha boca. Ele gemia baixo, com uma das mãos em meus cabelos enquanto os chupava. 

 – Tão gostosa...– Disse depois de um tempo, tirando seu membro de minha boca, provavelmente estava perto de gozar. – Deite-se. – Obedeci-o, deitando no meio da cama e abrindo minhas pernas.  

Arfou, ficando entre elas e introduzindo seu membro em mim de uma só vez, me fazendo gemer alto. Sorriu, me olhando e começou a ir fundo e rápido, mesmo que eu não estivesse me acostumado com aquele volume em mim. Meus gemidos de dor e prazer misturavam-se com as baixas arfadas de Hyuk, que apertava meu corpo de forma possessiva.

 Chegamos ao ápice juntos, enquanto eu soltava - de novo - mais um gemido alto, sentindo-o se desfazer dentro de mim. 

 – Acho melhor arrumarmos isso aqui, não é? – Perguntou com o cenho franzido, já deitado ao meu lado. 

 – Sim... Podem chegar a qualquer momento... – Murmurei com preguiça, o abraçando. 

– Vamos logo, amor. – Beijou minha testa, tirando meus braços envolta de seu corpo e levantando, me obrigando a fazer o mesmo. 


- No dia seguinte -

Estávamos reunidos na sala; Eu, Hyuk, Taekwoon, S/a (Sua amiga) e Hongbin. 

 – O que fizeram ontem à tarde aqui? – Meu irmão perguntou olhando para mim e para Hyuk. 

 – Eu estava dormindo na hora que ele chegou e acordei com um pesadelo, ele se assustou e foi até meu quarto, tentando me acalmar. – Inventei qualquer desculpa, dando de ombros. 

 – É que os vizinhos reclamaram dos gritos que vieram do seu quarto e-

 – Ela estava com muito medo, gritou por uns longos minutos até eu conseguir acalma-la, foi bem difícil. – Hyuk o interrompeu, continuando minha história e fazendo S/a se segurar para não rir.

 – Foi um sonho horrível... – Murmurei triste.  

 Ficamos reunidos ainda a um tempo, comendo e assistindo filme. Até que a pipoca acabou e S/a foi fazer mais, pedindo minha ajuda. 

Segui-a, entrando na cozinha e a vendo encostada na bancada, pondo a pipoca no microondas. 

 – Vocês são super discretos, não? – Falou de repente, me olhando com um sorriso de canto. 

 – Do que está falando? – Perguntei, abrindo a geladeira e pegando uma garrafa d'agua.

 – Só vocês dois. Pesadelos, S/n, sério? Achei que fosse melhor que isso. 

 – E daí, S/a, o que tem haver? 

 – Imagine se seu querido irmão descobrisse... O que será que aconteceria? – Sorriu maldosa, me encarando. 

 – Ele não vai descobrir, querida. – Sorri de volta, me aproximando. 

 – E se eu... acidentalmente contar? – Fez-se de inocente. 

 – E se eu acidentalmente contar que você trai seu querido namorado com Hongbin? Ah, espera. Nem Hongbin sabe que você namora, não é? – S/a ficou séria, me fazendo sorrir mais ainda. – Cuidado com quem ameaça. – Tirei as pipocas do microondas e as coloquei no pote que estavam as outras, voltando até a sala como se nada tivesse acontecido e deixando S/a lá.

 Sentei-me ao lado do meu irmão, entre ele e Hyuk. Suspirei, com o pote cheio de pipocas em meu colo enquanto olhava para a TV. 

 – Trocaram o filme? – Perguntei, estranhando personagens diferentes. 

 – Sim, aquele havia acabado. – Hongbin murmurou, abraçando S/a assim que ela sentou-se ao lado dele. 

Murmurei um "ah", olhando para a TV novamente, levando um pequeno susto com a cena do filme, que só aí vi que era de terror. Hyuk riu baixinho, falando para eu me acalmar.

 Claro, eu to quase com o cu na mão de medo, mas vou ficar super calma, imagina, quem está com medo aqui?

 Abracei Taekwoon, que passou o braço por meus ombros enquanto eu me encolhia, escondendo meu rosto em seu peito quando achava que ia levar outro susto, fazendo agora, nao só Hyuk, mas meu irmão também rir de mim. 

 Comi mais um pouco de pipoca e levantei, indo até meu quarto e entrando no banheiro, para tomar um banho. Mas antes de eu começar a me despir, Hongbin entrou, me fazendo gritar de susto e xingar a mim mesma por nao ter trancado a porta.

 – O que quer? – Perguntei hesitante, olhando-o 

– Como assim a S/a namora e você nunca tinha me contado, S/n? – Foi direto, me fazendo ofegar. 

 – Como ouviu isso? 

 – Digamos que vocês não falam muito baixo. Sorte sua que Taekwoon estava tão concentrado no filme que nem percebeu S/a ameaçando contar sobre você e Hyuk. Mas agora me explica. 

 – Nao queria que você soubesse assim... - 

– Você nem queria que eu soubesse! Tome banho, vou te esperar no jardim e você vai me explicar tudo. 


Notas Finais


Desculpem qualquer erro e juro que não vou demorar para postar o próximo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...