História Imagine J-Hope - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope
Tags Bangtan Boys, Bts, Imagine, J-hope, Você
Exibições 718
Palavras 2.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello everybody...

Como vão vocês?

Strange is back e olha que eu não demorei um mês... -palmas-

Antes quero agradecer os 904 favoritos na fic... Mano, não tem como eu dizer o quanto amo vocês... Eu nunca nem sonhei que um dia tivesse tantas pessoas lendo uma fic minha então muito obrigado por favoritar, comentar e pelo amor que a fic e minha pessoa recebem, que me incentiva a continuar escrevendo...

O hot está bem porcaria... Tipo muito ruim mesmo... Kk então sorry por isso...

Obrigada as meninas do grupo que fizeram o impossível de achar fotos do Hoseok 'malvado' para eu poder postar na capa do capítulo... (A capa ficou meio lixo mas fazer o que neh... Kkk não sou boa com edições)

Agora parando de enrolação...

Desculpem os erros e boa leitura...

Capítulo 16 - Capítulo Único Part.15


Fanfic / Fanfiction Imagine J-Hope - Capítulo 16 - Capítulo Único Part.15


O silêncio no escritório já começava a me incomodar e estar vendada e amarrada só serviam para me deixar ainda mais aflita.

Forço mais uma vez meus pulsos contra as amarras - que provavelmente era minha blusa - mas elas estavam firmes demais para sequer sair do lugar, a blusa de Hoseok que vendava meus olhos também estava firme e me impedia completamente de ver algo.

- Hoseok? - Chamo mais uma vez mas não obtenho resposta. Eu começo a ponderar a ideia de que Hoseok me deixou aqui, amarrada, vendada, nua e de bruços com minhas 'vergonhas' inferiores no rumo da porta só para me punir por ter 'provocado' tanto ele.

" (...) Você vai se arrepender de ter me provocado tanto... "

Foi exatamente o que ele disse, mas na hora achei que ele me prensaria contra a mesa e me foderia até eu esquecer o meu próprio nome... Mas não. Ele me vendou, amarrou e sumiu, não passava de alguns minutos, com certeza menos de 5 minutos, mas para mim pareceu uma eternidade, então me senti aliviada quando ouvi passos pelo escritório. É claro que eu descartava a possibilidade de ser outra pessoa e fiquei feliz comigo mesma de pelo menos uma vez na vida ter acertado em um palpite.

- Sentiu minha falta baby? - Hoseok pergunta se inclinando para deixar um selinho em meu pescoço e só esse mínimo contato fazem os cabelos de meu corpo se eriçar.

- Onde você está Hoseok? Eu achei que iria me deixar amarrada aqui como punição... - Ouço ele rir.

- Eu achei que você me conhecia __________. Você sabe que eu não seria tão bonzinho assim... - Diz enquanto acariciava meus ombros que estavam contraídos devido a meus braços estarem posicionados para trás e ainda amarrados. Eu queria pedir que Hoseok me soltasse pois meus ombros doíam , porém eu sabia que ele não me soltaria, eu o amarrei e brinquei com ele, Hoseok não só faria o mesmo como ainda daria pior.

- Então porque você sumiu? - Me mexo tentando buscar uma posição mais confortável, o que parecia meio impossível no momento.

- Fui buscar algo que será parte da sua punição...

- O quê? - Pergunto curiosa.

- Você já irá saber baby...

Sinto suas mãos deslizarem por meus braços e tocarem em minhas nádegas deixando carícias por toda sua extensão. Hoseok volta com suas mãos para meus braços e os força a dobrar levemente fazendo  minhas mãos  ficarem um pouco abaixo de minha cintura.

Logo suas mãos voltam a passear por minhas nádegas e coxas distribuindo apertos que me fazem suspirar.

Ele se afasta brevemente e em seguida eu sinto algo gelado em contato com minha pele me fazendo cócegas.

Apesar de vendada eu sabia muito bem que objeto de era aquele.

Um chicote.

Esse tempo que passei com o velho sadomasoquista me fizeram ganhar um pavor imenso desse objeto. Eu odiava apanhar, eu odiava sentir dor e estava disposta a implorar para não passar por isso novamente.

- Hoseok... - Começo a dizer de modo meio desesperado mas ele não me deixa terminar minha súplica pois as tiras do chicote se encontrando de modo violento com minhas nádegas me calam.

- Calada. - Diz de modo autoritário. - Você só poderá falar com minha permissão. - Manda enquanto acaricia o lugar que acabará de ser batido.

- Mas... - Novamente sou calada pelo chicote que bate no mesmo local de antes fazendo eu soltar um gemido de dor.

- Quanto mais você insistir em me desobedecer mais irá apanhar baby... - Volta a acariciar o lugar dolorido. Mordo o lábio inferior evitando que abra a boca para dizer mais alguma coisa. Só espero que Hoseok não seja tão violento comigo. - Você foi uma garota muito mal hoje... - Passeia com o chicote por minha bunda e coxas, as tiras de couro que estavam geladas me faziam arrepiar e morder meus lábios com ainda mais força esperando a todo momento ser surpreendida por uma chicotada. - Você me amarrou e me provocou baby. Tem noção de como isso é grave? - Afasta minhas pernas as deixando bem separadas , fico nas pontas dos pés para não forçar tanto minha barriga e seios contra a mesa.

Hobii volta a passar o couro frio por minha pele só que dessa vez ele vai até a área da minha intimidade, roçando as tiras em meu clitóris e apesar de não ser um contato tão grande ,  ainda sim senti minha intimidade pulsar.

- Você merece ser punida baby... - Da um golpe em minha intimidade com força suficiente para me fazer arfar, não de dor mas sim de prazer.  - Quantos golpes você merece baby? - Eu estava tão concentrada no couro em contato com minha intimidade que nem prestei a atenção que Hoseok havia me feito uma pergunta. Me assusto ao sentir mais um golpe em minhas nádegas. - Responda __________ . - Ordena.

- E-Eu não sei... - Gaguejo. Para falará a verdade eu nem havia ouvido direito qual era a pergunta.

- Dez está bom para você baby? - Percorre com o chicote por minhas costas.

- S-Sim... - Eu queria muito perguntar 'dez de quê' mas Hoseok provavelmente me golpearia novamente se eu abrisse a boca sem sua permissão, então fiquei calada.

- Quero que conte. Em alto e bom som... Entendeu?

- Sim.

- Sim o quê? - Da mais um golpe e eu lembro do tempo que eu era sua escrava.

- Sim senhor...

- Boa garota... - Acaricia minha bunda com o chicote e a seguir da uma chicotada em minha nádega direita. - Conte. - Ordena e eu finalmente entendo o que ele queria.

- U-Um... - Gaguejo ainda sentindo a ardência em minha pele. Então novamente o chicote se choca com minha pele só que dessa vez na nádega esquerda. - Dois...

Hoseok não tem nenhum tipo de piedade . Seus golpes são fortes e fazem minha pele queimar e lágrimas saírem de meus olhos devido a dor. Jung alternava seus golpes entre minhas nádegas , coxas e acredite... Minha intimidade. Seus golpes naquele ponto tão sensível faziam um pouco da dor sumir e minha intimidade pulsar.

Apesar dos golpes brutos de Hoseok eu não me sentia nauseada como quando aquele velho asqueroso me batia. Mesmo sendo vergonhoso admitir aquilo de certa forma estava sendo bom. Talvez porque eu soubesse que mesmo com seu jeito estúpido de ser, Hoseok,  ainda sim,  se importava comigo.

Na última chicotada minha bunda e coxas já ardiam como o inferno, mas mesmo assim não pude deixar de gemer já que o golpe final foi em minha intimidade, bem encima de meu clitóris...

A cada golpe minha intimidade se contraia e ficava ainda mais encharcada. Nunca pensei que poderia sentir  prazer na dor.

Mas com Hoseok tudo parecia ser possível.

- D...Dez. - Minha voz sai em um quase sussurro.

- Muito bem baby... - Ouço Hoseok jogando algo no chão , provavelmente o chicote . - Acho que agora você merece uma recompensa por ter sido uma boa garota... - Diz roçando seu membro ereto em minha intimidade.

Hoseok não espera uma resposta minha, ele começa a forçar seu membro em minha entrada e é impossível não gemer ao sentir ele completamente enterrado em mim.

Eu ignoro a dor em meus ombros, a dor em meus braços, a ardência em minhas nádegas e coxas e aproveito as sensações prazerosas que as estocadas de Hoseok me proporcionava.

Não demora muito até alcançarmos nossos ápice. Já que suas estocadas são tão agressivas quanto suas chicotadas.

Hoseok acaricia minhas costas por alguns segundos antes de sair completando de dentro de mim.

Agradeço a Deus por não ter que ameaçar Hoseok de morte para que ele me soltasse. Isso logo acontece e eu gemo de dor ao sentir o quão doloridos meus braços e ombros estavam posição desconfortável.

Já sem a venda tento me sentar  na mesa o que não dá muito certo já que minha bunda ardia ainda mais com algum tipo de contato.

- Hoseok seu idiota. - Xingo. - Eu devia ter te batido também. - Bufo cruzando os braços e vejo Hobii sorrir.

- Você não é tão corajosa assim... - Me pega no colo e eu o abraço circulando minhas pernas em sua cintura. 

Eu não digo nada , porque eu estava cansada demais para isso, cansada demais até para abrir os olhos. Meu sono quase sumiu quando percebi que Hoseok saiu andando pela mansão com nós dois nus, mas como não vi ninguém no caminho deixei isso para lá.

Hoseok me deita delicadamente na cama e me cobre se juntando a mim a seguir.

- Hoseok... - Murmuro já beirando a inconsciência.

- Hum...

- Você gosta de mim? - Me viro na cama ficando de frente para ele o olhando nos olhos. Eu não consigo decifrar a expressão de Hoseok, ele estava sério e parecia pensar no assunto. Por fim ele fecha os olhos e suspira, eu já esperava por um não na melhores das hipóteses e já me arrependia de ter feito essa pergunta besta.

- Sim. - Diz voltando a abrir os olhos. Aquilo me pegou completamente de surpresa.

Sim? Ele gostava de mim?

Nunca pensei que Hoseok gostasse de mim e ainda por cima admitisse isso em voz alta...

- Eu também gosto de você. - Digo sem pensar em o quanto era vergonhoso admitir aquilo. - Eu gosto muito de você Hobii. - O abraço e sinto ele retribuir meu abraço enquanto um riso escapa de seus lábios.

Um sorriso também nasce em meus lábios, um sorriso tão grande que 'mal cabia no rosto'.

Era como se houvesse uma explosão de felicidade em meu peito só pelo simples fato de Hoseok gostar de mim e eu gostar dele.

E cá entre nós ,aquilo já era motivo suficiente para eu andar sorrindo por aí pelos próximos anos.







✖✖✖









Dois meses depois...✴


















Pov. Hoseok



Enquanto caminhava por aquele corredor estreito e mal iluminado eu não pude deixar de sorrir.

Finalmente eu havia o encontrado e finalmente eu acabaria com a vida daquele infeliz com minhas próprias mãos.

Eu mataria meu próprio pai com um sorriso no rosto e faria isso com muito gosto.

Chego em frente à última porta do corredor e observo a madeira desgastada por pouco tempo pois logo desfiro um chute nela fazendo a mesma se abrir violentamente.

Com a arma em punho adentro o pequeno quarto que era tão medíocre quanto o resto do hotel.

Percorro meus olhos por cada canto e não reprimo o grito enfurecido que escapa de minha garganta.

Não havia ninguém ali.

Não é possível que aquele desgraçado conseguiu me enganar.

Ainda atordoado pela raiva ouço um xiado alto vindo da TV e meus olhos seguem até lá. Não demora até um rosto aparecer. Um rosto que conhecia muito bem. O rosto de meu pai.

Mas o que mais me irritou e me amedrontou ao mesmo tempo foi ver que ele não estava sozinho. Havia alguém com ele e esse alguém era __________.

- Olá Hoseok... Que tal brincarmos de 'o mestre mandou' como quando você era criança? - O homem sorri acariciando o rosto desacordado de __________  . - Então vamos lá... O mestre mandou você aparecer, sozinho, na mansão do velho, amanhã a meia noite ou a sua garota morre... - Sorri de forma macabra para câmera e logo a TV volta a xiar novamente.

Eles pegaram a __________...

Eu repetia isso insistentemente enquanto caminhava em círculos pelo quarto.

- Mas que droga! - Chuto a TV como se ela fosse a responsável por tudo ter dado errado.

Se fosse uma vádia qualquer eu riria e pediria que matassem a tal vagabunda de uma vez.

Mas não era uma vádia qualquer ali , era __________, a minha __________ . Como esses desgraçados ousam pegar a minha __________? Se eles tocarem em um fio de cabelo dela irão se arrepender do dia que nasceram...

Bagunço meus cabelos lembrando das palavras de meu pai:

"Então vamos lá... O mestre mandou você aparecer, sozinho, na mansão do velho, amanhã a meia noite ou a sua garota morre... "

Eu não deixaria __________ morrer. E se para isso eu precisasse me entregar então eu faria isso.

Por mais tolo que isso possa parecer...


Notas Finais


Então quando finalmente eles admitem seu amor um pelo outro a Strange vai lá e estraga tudo... -risada maléfica-

Eu avisei que os fazeria sofrer depois do hot... Kkkk

E pode ir se acostumando porque daqui pra frente só piora... Kkkk

Me sinto má agora.. Lol

Bom, a Gabiih pediu para apanhar de chicote e como ela é uma das minhas dongs favorita eu não pude dizer não... Kkk ficou bem mais ou menos mas OK neh... Não manjo dos sadomasoquismo... Lol

Não se esqueçam de comentar OK? Sem leitores fantasmas pls ... Como sempre digo seu comentário é muito importante, me incentiva muito a escrever além de que sua opinião é muito importante para mim... Então me deixe saber o que achou do capitulo, da fanfic... Comente!

Vou deixar os comentários abertos para xingamentos... A minha pessoa ou aos violões da fic... Sei que nós merecemos... Kkk

Bom é só isso...

Até a próxima atualização...

Bjs da Strange...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...