História Imagine Jimin - incesto - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Hoseok, Imagine, Imagine Você, Incesto, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Suga, Taehyung, Yoongi
Exibições 268
Palavras 1.773
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fantasia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Chagaaaaaaay

Surpresa nas notas finais... Não me matem please

Boa leitura


ERROS? HUMANA, LEMBRA?

Capítulo 40 - Ano


Se lembra daquelas paredes que construí?

Bem, querido, elas estão desmoronando

E elas nem sequer resistiram à queda 

Elas nem sequer fizeram barulho

Eu encontrei um jeito de deixar você entrar

Mas eu nunca tive dúvida

De pé em frente da luz da sua aura

Eu tenho o meu anjo agora

É como se eu tivesse sido acordada

Cada regra que fiz você quebrar

É o risco que estou correndo

Eu nunca vou te deixar de lado

Em todos os lugares que estou olhando agora

Estou cercada pelo o seu abraço

Querido, eu posso ver sua aura

Você sabe que é a minha graça salvadora

Você é tudo que eu preciso e mais

Isso está escrito em todo o teu rosto

Querido, eu posso sentir a sua aura

Rezo para que ela não desapareça

Me atinja como um raio de sol

Queimando pela minha noite mais escura

Você é o único que eu quero

Acho que estou viciada na sua luz

Eu jurei que nunca iria cair novamente

Mas não sinto como se estivesse caindo

A gravidade não pode esquecer

De me puxar de volta para o chão... - HALLO_BEYONCÉ



Eram quase duas da manhã, então me despedi de todos com lágrimas nos olhos e Hoseok me levou para a frente do prédio, onde o carro negro ja me esperava adiantado; adentrei o carro e antes de fechar a porta, vi um pequeno e sutil sorriso surgir no canto dos lábios do moreno e sua mão direita, que estava em seu bolso, saiu do mesmo e me deu um pequeno "tchau". Com o coração doendo e a vontade de chorar aumentando significativamente, fechei a porta do carro e joguei a pequena bolsa ao meu lado; o carro começou a se movimentar mas com o cansaço, acabei pegando no sono.

Acordei com o motorista chamando por meu nome para me avisar que chegamos. Assim que entrei e o mesmo homem de sempre me levou para o quarto, tomei o anticoncepcional que sempre tomei e fui para o banheiro, tomando um banho rápido e logo voltando para o quarto somente com uma toalha enrolada em meu corpo quente devido a água. Coloquei um pijama todo preto ( e bem curto ) e me deitei na cama; foi a minha melhor noite de sono des de que cheguei aqui, estava relaxada, calma, despreocupada... Eu estáva feliz!


Acordei no dia seguinte com o som torturante da porra do despertador. Dez da manhã. Me levantei, fiz minha higiene e voltei para o quarto para esperar meu café da manhã.


Esperei...

Esperei...

Esperei...

Nada...


Já eram quase duas da tarde e nada de Jin aparecer com algo para eu comer. Me levantei e comecei a bater da porta para tentar chamar a atenção de alguém, já que a casa era cheia de seguranças. Bati, soquei, chutei, esmurrei e por fim quase quebrei a porta de tanto insistir mas nada aconteceu, parecia que eu estáva sozinha na casa mas uma coisa me fez pensar o contrário. Um barulho de passos pelo corredor do lado de fora do quarto. A pessoa parecia inquieta e nervosa, andava de um lado para o outro e algumas vezes eu até conseguia ouvir barulhos de socos nas paredes do lado de fora. Bati na porta de novo e os passos inquietados do outro lado pararam; afastei-me da porta e a maçaneta foi girada após o barulho do trinco sendo destravado ecoar pelo quarto.


- Sywon? - perguntei surpresa, já que Jin havia me dito que o rapaz fora afastado dessa tarefa devido as coisas que falava sobre mim. Ele estava parado perto da porta até que fechou a mesma com o pé e trancou em seguida;  Foi tudo tão rápido: seus passos rápidos em minha direção e seus lábios encostados nos meus com uma selvageria fora do comum. Não, eu não correspondi, o que o deixou com um pouco de raiva. O empurrei para trás com toda minha força e ele continuava a me fitar com um sorriso sínico mas aí mesmo tempo malicioso em seus lábios que já estavam vermelhos. Ele não desistiu, voltou até onde eu estava e me empurrou até que eu encostasse na parede. Suas mãos pousaram em minha cintura e ele atacou meu pescoço - P-por favor, pare - pedi, mas foi em vão; continuava a morder e sugar meu pescoço rápido e forte

Ele em um único movimento, me virou de costas para ele e pensou nossos corpos. Suas mãos que estavam em minha cintura, subiram por dentro da blusa de tecido fino que eu usava e apertaram meus seios cobertos ainda pelo sutiã. Uma lágrima correu desesperada por meu rosto e meu desespero começou a aumentar; ainda sem dar uma palavra, ele tirou dias mãos de meus seios e, assim que o fez, ouvi um barulho de zíper atrás de mim e logo meu short foi para o chão junto com minha calcinha. Foi então que senti ele dentro de mim... Horrível, dolorido e seco. Eu estava tentando gritar mas ele não permitia, mantinha sua mão em minha boca para conter os gritos e continuava o que estava fazendo. Uma... Duas... Três... Dez... Quinze... Várias e várias vezes ele repetia os movimentos de vai e vem me fazendo ficar minhas unhas em suas cochas pela dor. Depois de algum tempo, ele sem conseguir se segurar mais, soltou um lonho, alto e estrondoso gemido e ao mesmo tempo pude sentir... O DESGRAÇADO HAVIA GOZADO DENTRO DE MIM? Fiquei perplexa e imóvel. Ele se manteve na mesma posição até recuperar seu fôlego mas não demorou muito para que ele se vestisse de novo e saísse do quarto. Ele em momento algum disse algo, só agiu e quando estava satisfeito saiu. Apenas o barulho da porta batendo foi o que ouvi antes de me jogar no chão e chorar. Eu odiava chorar... O motivo? Não gosto de demonstrar que sou fraca, não gosto de demonstrar sentimentos profundos de mais, mas como não chorar na situação que eu me encontrava? 


*___(s/n) OFF*

*Jimin ON*


Eu estava sentado em uma cafeteria próxima ao apartamento meu e de Jin até que senti aquele aperto no coração de novo e uma sensação estranha de que algo não estáva certo. Peguei meu café e fui para o apartamento mas como o esperado, Jin não estava em casa. Ele havia me dito que nem mesmo ver a ___(s/n) hoje ele poderia já qeu teria que " fazer um trabalho" para Kwan. Não consigo tirar a noite de ontem de minha cabeça, sentir ela de novo, toca, beijar, tudo tão bom, mas como tudo o que é bom, tambem acabou. Feliz? Sim! Mas triste ao mesmo tempo ao pensar que ela pode estar sofrendo nas mãos de outra pessoa; ela não me explicou o que eram as marcas no braço dela e o que me deixou mais intrigado foi a marca em seu pulso. A mesma marca com que eu sonhei.


Precisava relaxar um pouco, mesmo sabendo que iria ser em vão. Pus a banheira para encher e assim que alcançou seu nível máximo de água, tentei relaxar um pouco em baixo daquela água quentinha. Me lembrei de ___(s/n) junto comigo no outro apartamento, quando ficamos juntos. A mesma paixão, o mesmo calor, a mesma selvageria, o mesmo amor, o mesmo arfar, o mesmo ardor, a emoção... Tudo como se todas as vezes que a tocasse ainda fosse a primeira. Nunca pensei que me apaixonaria de novo, nunca pensei que amaria feito um bobo como a amo... Precisamos tirá-la de lá o mais rápido possível. Ja não aguento um segundo a mais longe dela e tenho certeza de que se demorasse mais um pouco, eu explodiria.


*UM ANO DEPOIS*


Já estamos perto do aniversário dela novamente. Logo minha princesa fará dezoito anos... E eu? Um babaca que não fiz nada durante tanto tempo. Faz mais de um ano que não a vejo. Seokjin e eu não colocamos nosso plano em prática por um justo e único motivo, ele estava ameaçado de morte pois Kwan descobriu o que ele estava tentando fazer a tempos para tirar ___(s/n) de lá. Nos mudamos a pouco tempo e Jin parou de ir mer minha queria irmã por que Kwan ja não confiava mais nele; Cada dia que passa, minha angústia aumenta e todos os dias me faço a mesma pergunta 

Ela ainda se lembra de mim?


A cada dia, meu coração doía mais e a culpa caia em cima de mim. Eu estava ficando louco. Jin havia me proibido de sair do apartamento por segurança pelo justo fato de eu ter quase me matando na semana passada, batendo meu carro ( Sim, tenho um carro ) propositalmente em um poste. 

Em minha cabeça de asno, aquilo fez pleno sentido, afinal, como eu sofreria se estava morto? Fiquei em um hospital por dois dias e a poucos voltei para o apartamento. Acho que ja nos mudamos mais vezes do que da pra contar. Dinheiro não é o problema ja que Jin e eu não possuímos muita diferença quanto a conta bancária gorda. Sinto tanta falta da minha menina, de seu cheiro... De estar com ela... De tudo. Já a algum dias eu não comia, não saia, não bebia nada... Só ficava deitado o dia todo olhando para o teto e tomando antidepressivos até desmaiar. Amigos? Sumiram do mapa. Simplesmente *puff* DE SA PA RE CE RAM. Eu estava um trapo, o rosto que antes havia cor, já não havia mais nenhuma e o sorriso que aparecia para ___(s/n) com frequência e que transmitia alegria e bondade havia sumido a tempos.  O Park de antes morreu e deu lugar a um Park lixo. A culpa de tudo isso é minha... Eu sou um ser humano horrível.


Mesmo sabendo que poderia dar merda de novo, Jin continuava a tentar bolar um plano para tirar ela de lá, mesmo que nenhum fosse bom.

Só espero que ela ainda esteja bem e que não tenha se esquecido de mim. Espero que saiba é que sinta que ainda corri atrás dela e que nunca vou desistir... Mesmo que eu tenha que morrer pra isso. Assim que a encontrasse, não pararia de dizer o quanto a amo, o quanto a quero... Quero que ela seja minha para sempre... 


Sempre que fico triste, olho para minha mão e vejo o lindo anel que comprei para nós, o anel com um batimento cardíaco gravado nele. Me lembro da música que cante para ela e me lembro de seus olhinhos vermelhos pelo choro de emoção quando fiz o pedido.

  Pra sempre é muito tempo mas eu gostaria de passar todo o sempre ao seu lado... 

Ouvi algo parecido com isso em uma música linda que escutei por aí e me lembrei de meu amor. Só espero que ela esteja bem. E minha curiosidade? Só aumenta a cada dia... Como ela deve estar depois de tanto tempo?



Notas Finais


Trinta mil visualizações cuzaaaaaaaaaaaao

Seguinte galera, caps novos toda segunda, quarta e sexta Okay?


Beijuuuuuuus, até segunda.
Mas já fiquem cientes de que com isso a fic vai acabar mais rápido hein... Xauuu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...