História Imagine Jimin - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias 100%
Tags Bangtan Boys
Exibições 38
Palavras 1.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Prova de amor


Fanfic / Fanfiction Imagine Jimin - Capítulo 2 - Prova de amor

Jimin e eu brigamos naquele dia. 12/09/2015, ás 10:47AM. Foi por um motivo tão bobo, ele disse que não queria se casar no próximo ano, que queria terminar a faculdade primeiro e eu fui imatura e acabei sendo grossa com ele, sendo de que ele estava apenas pensando em nosso futuro. Ele saiu pela porta á fora e saiu de carro, meu orgulho e minha raiva daquele momento não deixara eu ir atrás dele ou ligar para ele; em vez disso fiquei apenas chorando em minha cama. Uma hora depois eu recebo uma ligação de seu celular, cheia de orgulho eu o-ignorei, depois de meia hora recebi outra ligação de seu celular. Quando eu atendi, era uma voz de outro cara, então meu coração acelerou. *"Oi eu estou com o celular desse rapaz, você estava como "amor" na lista de contatos dele, então creio que seja esposa dele. Ele está ferido, sofreu acidente de carro...já ligamos para á ambulância e para á polícia. Ele está inconsciente..."* — Quando eu ouvi isso não consegui dizer mais nada, entrei em choque e paralise. *"alô? Moça...ele está na frente da rodovia 3, estarei esperando você para lhe dar os pertences dele..."* —Sem dizer nada eu saiu rapidamente. Não conseguiria pensar em mais nada á não ser de não querer perder ele, de me desculpar, de ter pedido perdão e de que não queria ter feito aquilo.

Quando cheguei no local ele já não estava mais lá, havia policiais e curiosos. O carro estava amassado e havia sangue no chão. O rapaz do telefone tentou me acalmar mas não foi com sucesso, peguei suas coisas e corri para o hospital onde ele estava. Naquela manhã, por incrível que pareça o hospital estava calmo, parecia ser um velório. Uma enfermeira me guio até o seu quarto. De fora do quarto eu o-vi da grande vidraça, estava respirando por aparelhos, havia manchas em seu rosto e braços estavam arranhados.
Quando entrei, ele estava dormindo, eu me sentei na cadeira de frente pra ele, peguei sua mão, estava fria. *"pedimos que a senhora o-deixe descansar um pouco, ele está bem, é um milagre ele ter apenas quebrado á perna esquerda."* —disse a enfermeira enquanto eu apenas sorria, feliz como se eu estivesse dado á luz dele. Estávamos sozinhos, então, eu me aproximei e beijei sua boca de leve. Ela estava seca e pálida, eu levei sua mão perto de minha boca e fiquei beijando á costa de sua mão. Eu estava completamente arrependida do que tinha acontecido, isso tudo era minha culpa.

Depois de uma hora ali, ele acordou, estava um pouco confuso mas depois que me viu deu um sorriso. O sorriso mais lindo que eu já vira. 
—o que está fazendo aqui minha princesa? —mesmo depois da nossa briga boba, mesmo depois disso tudo ele sorri pra mim e me trata com carinho como se nada tivesse acontecido. Eu chorei, não sabia dizer mais nada além de desculpas. Foi aí que então ele da outro sorriso apaixonante e diz:

—Não foi sua culpa...me perdoa...— ele engoliu um seco e fechou os olhos por um estante, ainda estava com dor e estava com dificuldade para falar. —eu só estou aqui porque eu fui inseguro e tive medo... 

—Do que você está falando amor? Não, não diz isso, a culpa é minha, se eu não tivesse dito aquilo eu... —ele me interrompeu.

—Para amor...é minha culpa. Você queria se casar comigo porque me ama e porque me escolheu para viver do seu lado e viver do lado do nosso filho. —quando ele disse isso ele fiquei com cara de surpresa. "como ele descobriu". —eu pensei enquanto dava um sorriso e assim ele continuou:

—Você acha que eu não iria perceber nada de diferente na minha namorada? E eu vi seus exames...sei que era pra ser surpresa, ouvi você falando com sua mãe...me desculpa. —ele sorriu — eu me esforçava o máximo para mim não demonstrar felicidade, ou querer beijar sua boca. E quando você disse isso eu fiquei com medo de não ser um bom pai, ou marido, fiquei com medo de não poder dar uma vida boa pra vocês...por isso disse aquilo, mas depois que eu sair de carro, eu pensei o quão covarde eu estava sendo em não assumir minha família, minha mulher e faria o que fosse preciso para dar o melhor para você. Então, eu resolvi ligar para você, mas você não atendeu e eu fiquei desconcentrado na pista e acabei batendo. Foi um milagre, Deus não deixou eu morrer porque ele tem planos para nós. Você e nosso filho, vocês foram os primeiros em que eu pensei e depois desmaiei. —eu chorei ao ouvir isso e ele apenas olhava para mim rindo, mal dava para ver seus lindos olhos. Do canto de seu olho direito caí uma lágrima em meia seu sorriso meigo, eu não sabia o que dizer naquela hora sem ser: "me desculpa" ou "eu te amo" . Prometi naquele momento que não iria mais brigar com ele e se nós brigássemos iríamos nos desculpar sem o dia acabar e não iríamos sair de casa. Iríamos se abraçar e se amar. Por uma besteira nossas vidas quase toma um rumo diferente, um que eu nunca iria me perdoar.

Depois de 50 anos, ele já não está mais comigo, infelizmente ele partiu, á idade o alcançou, partiu sorrindo enquanto dormia. Eu sinto sua falta, não á um dia em que eu não pense nele, á cada dia eu o-amo, nosso filho está no exército e já sou avó, e eu não me casei novamente. Todos os dias deu em minha cama e me imagino com ele, me imagino como seria se eu tivesse partido primeiro. Por um lado, feliz que ele tenha ido primeiro...não iria suportar saber o quanto ele iria sofrer em mim, não iria querer vê-lo chorando, não iria querer vê-lo passando por trabalho. Eu o amo, e até meu último suspiro vou continuar o-amando, ele foi o único e será o único em minha vida. Hoje com 90 anos já não tenho á beleza de 50 anos atrás, mas um dia enquanto estávamos sentados no sofá ele me dissera: *"daqui á cinquenta anos eu ainda irá te amar."* —eu acreditei e acredito até hoje, pois eu sei que isso era sincero e verdadeiro. Sei que ele realmente iria me amar, e eu sempre irei ama-lo. Essa é nossa promessa, Jimin.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...