História Imagine Jungkook - Capítulo 28


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Kookiepanda, Querotoddynho
Exibições 218
Palavras 1.033
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Lírica, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - Pedindo Socorro!!


Fanfic / Fanfiction Imagine Jungkook - Capítulo 28 - Pedindo Socorro!!

 

Sentei em seu abdômen, apoiando minhas mãos no mesmo. Me inclinei e distribui chupões em seu pescoço. Trilhei um caminho de beijos até seu nariz passando por sua boca. Deu um selar demorado e estalado no mesmo e desci de cima de JungKook. Deitei ao seu lado e senti seus braços me envolverem. 

Jeon JungKook On* 
 

(Dia seguinte- 8:00) 

Acordei mais cedo que (S/N). Tão fofa dormindo. Nem parece que a algumas horas atrás ela tinha feito coisas.... Digamos “não inocentes. ” Man não vamos falar disso, okay? Okay. Iremos falar de maneiras de como matar Dante, e como encontrar um tal de “Ren”. 
 

Levantei da cama com o máximo de cautela possível. Fiz minhas higienes matinais e resolvi vestir ao menos uma cueca. Peguei a primeira cueca que vi em minha mala, depois a vestindo. 

Abri meu notebook e partiu caçar esse Ren! Pesquisei no Google a maior fabricante de tecnologia japonesa. Peguei o número da tal empresa e resolvi ligar para ver se encontrava esse Ren. Nossa, nem o nome dele eu suporto. 

Atendente: Alô?? –Escutei uma voz feminina muita fina, chagando a ser irritante, do outro lado da linha. 

Kookie: Olá. Gostaria de falar com o senhor Ren. Ele se encontra? –Tentei ser o mais educado possível. Vai saber ele me acha e me mata. Ele trabalha em uma empresa de tecnologia japonesa, então.... 

Atendente: Ah sim. Espere só um minuto, passarei a ligação. –Disse e começou a tocar uma musiquinha. 
Não aquelas irritantes, que dá vontade de se matar até alguém atender. Tocava a versão lírica de I Need U. Isso me impressionou. Pelo menos japoneses tem bom gosto pra música. Depois de uns 2 minutos alguém atendeu. 

Ren: Bom dia! Qual o nome do senhor por favor. –Nossa. A voz dele é incrivelmente.... Nojenta. Ugh, dá vontade de vomitar. 

Kookie: Bom dia. Meu nome é Jeon JungKook. Gostaria de lhe fazer uma pergunta senhor Ren. –Nossa como eu amo a (S/N), porque ser educado com estas circunstâncias.... 

Ren: Quantas o senhor desejar. –Pelo menos ele era educado.... Nossa, com (S/N) é amiga desse cara? Ele parece o tipo de pessoa nojenta e metida que ela odeia. 

Kookie: O senhor já ouviu falar de uma moça chamada (S/N)? 

Ren: (S-S/N)? A anos não escuto seu doce nome. –Suspirou. Sua voz era falha no começo. –Sim, porque? –Sua voz se tornara um tanto firma, mas não perdera o tom nostálgico. 

Kookie: Ela é minha esposa.... E no momento precisa de sua.... –Minha voz morre quando escuto uma voz doce e sonolenta. 

(S/N): Quem é JungKook? –Perguntou coçando os olhos. 

Kookie: Ninguém meu amor. Volto a dormir. –Disse tentando ser convincente. Falhei.... 

A vi se levantar e pegar o celular da minha mão. Olhou para a tela. Arqueou uma sobrancelha vendo que não era alguém que estava salvo no meu celular. Encarou um pouco o telefone, depois levou o mesmo a sua orelha. Limpou a garganta e disse. 

(S/N): Quem é? –Sua voz era firme, mas ainda doce. A vi botar no viva-vos para que eu também escutasse. 

Ren: Princesa? –A voz daquele cara era chorosa e emocionada. 

(S/N): Pato manco? –Sua voz também se tornara chorosa, mas ao mesmo tempo vi-a lagrimas escorrerem por seu rosto delicado. 

Ren: Minha princesa!!! Que saudade!!! Como você está? Esse moço aí disse que era seu marido. Você se casou e nem me contou? Que tipo de amiga você é seu monstro?! –Ela ria a cada palavra dele. Suas lagrimas se tornaram sorrisos e risadas. 

(S/N): Não fui eu quem sumiu do mapa sem dar explicações. Foi? 

Ren: Sabe que eu não podia contar. –Sua voz se tornou triste e arrependida. 

Kookie: Nós iremos resolver o problema, ou vocês iram botar o papo em dia? –Meu ciúme era notável. 

(S/N): Ren o senhor ciúmes chegou. Vou te passar o meu Skype, aí poderemos resolver as coisas de uma maneira melhor. –Ela passou e depois de 1 minuto meu Skype piscava, indicando que alguém me chamava. 

Eu atendi e ela disse que iria colocar alguma coisa no corpo. Me jogou minha calça e eu a vesti. Ren ainda não nos via (não liguei a câmera) então apenas avisei que (S/N) foi colocar uma roupa. Ela chegou e ligou a câmera. 

(S/N): Ren!!!! –Gritou ao ver o amigo. 

Ela estava sentada em uma cadeira e eu apoiada na mesma. Só de calça. E dai que ele me veria seminu? Era bom que ele atendesse o que aconteceu noite passada, ainda mais com (S/N) só de roupão preto. 

Ren: (S/N) !!!!! –Disse animado. –Sabe como senti sua falta? 
 

(S/N): Eu também! Como estão as coisas aí? –Perguntou e eu limpei a garganta para que agora não era o momento certo. 

Kookie: Amor, temos assuntos mais importantes para resolver se lembra? –Perguntei beijando seu pescoço. 

Ta! Sou ciumento, desculpa. Mas quero que esse cara saiba que ela é só minha. Ouvi um baixo, porem delicioso, arfar de minha esposa. Sorri satisfeito e suguei o lóbulo de sua orelha. Em seguida um gemido quase inescutável. Me afastei dela e encarei a tela do computador. Sorri vitorioso. 

Ren: Interrompi alguma coisa? Por que não quero estragar as coisas aí. –Ele riu e (S/N) me encarou brava. Fiz um bico e ela sorriu envergonhada. 

(S/N): Não Ren. É que ele só é muito ciumento e possessivo. –Riu e ele riu também. 

Kookie: Ya! Só cuido do que é meu. Imagina Migguk descobrir que vai trocar de pai? –Ela me encarou. Não tinha entendido o que fiz de errado até relembrar o que falei. –Ahhhh! Desculpa. Escapou. –Ri envergonhado e ela suspirou. 

Ren: Quem é Migguk? –Ele disse coçando a cabeça. 

(S/N): Meu filho.... –Abaixou a cabeça e sorriu. 

Ren quase gritou. Mas em vez disso cobriu a boca com uma mão e puxou levemente os cabelos com a outra. Seus olhos estavam arregalados e via seu peitoral subir e descer descompassadamente. 

Ren: Fi-filho? Meu Deus.... Estou ficando velho... –(S/N) riu e eu chamei a atenção dos dois. 

Kookie: Olha o assunto ta muito bom, mas temos que nos preocupar com noss segurança primeiro. –Disse os alertando. 

Ren: Como assim? 

(S/N): Dante me achou Ren.... –Disse séria e ele arregalou os olhos.... 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...