História Imagine KIdols - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 50
Palavras 1.209
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Miane a demora, esse vai pra uma pessoa muito especial pra mim, espero que gostem e boa leitura amores ...

Capítulo 4 - I miss you


Fanfic / Fanfiction Imagine KIdols - Capítulo 4 - I miss you

I miss you 

 


 Cho SeungYoun ...

 


       Faziam apenas alguns meses desde que nos conhecemos em uma rede social, Luizinho, era chamado pelo apelido, por ter morado no Brasil por alguns anos. 

 


      Não nos vimos ainda pessoalmente, mas já o considero de mais, ele é meu melhor amigo. Vivemos momentos que nem com meus amigos próximos foi tão intenso. 

 


         A saudade de falar com ele era maior que minha vontade de levantar da cama. Duas semanas que o luizy não entrava no aplicativo de mensagens, que nós mantínhamos contato. 

 


          — O que será que se passa com ele? 
    ~Porque não me responde? Tá tudo bem?~ [mensagem de áudio 08s]

 


      Estava preocupada pois nunca ficou tanto tempo assim sem entrar em nenhuma rede social, tinha dito a ele o lugar onde eu morava e até mostrei a ele por gps. 

 


        O que exatamente era nossa relação? Pensava em dizer a ele mesmo brincando, Hey vamos namorar? Dizer que eu o amava e que ele me amava também era normal. Porém acho que mesmo não o vendo pessoalmente eu tinha uma queda por ele.

 


         Ele ficou quase um ano na China junto com os amigos, se desse tudo certo no final desse ano, Seungyoun e seus amigos formariam um grupo. 

 


        Ao finalmente levantar da cama, ouço minha mãe me chamando.

 


        — Que foi omma? Aconte... — minha voz morreu em minha garganta.

 


        Ele estava ali, parado na porta da minha casa. Cho Seungyoun estava mesmo na minha casa.

 


     — Annyong!? Que cara é essa? — involuntariamente deixei lágrimas rolarem por todo meu rosto, não acreditava que era mesmo ele ali em pé na minha frente.

 


           — Que maus costumes menina, vai abraçar seu amigo! 

 

  No mesmo instante me joguei em cima dele, o prendendo em meus braços fortemente pra nunca mais ele ir embora. 

 

 — Eu amo você! Nunca mais fique sem me dar respostas! — você fala ainda o segurando.

 

 — (S/N) tudo bem amor, eu queria te fazer uma surpresa. 

 

  Você fica confusa mas o encara pela primeira vez sério. — Que surpresa? Sabe que odeio mistérios, você diz enxugando algumas lágrimas no canto dos olhos. 

 

  Ele se senta no sofá e pega alguma coisa na mochila e me entrega. 

 

 — Isso aí é um contrato. 

 


       Seus olhos enchem de água mais uma vez emocionada, você coloca as mãos na boca. — Não acredito que você conseguiu... aí meu Deus! 

 


          — Conseguiu o que filha? — omma vem nos trazer comida, ela serve suco natural e alguns biscoitos. 

 

 — Consegui formar um grupo com alguns amigos, esse final de semana vamos voltar pra Seul. 

 

 — Isso é ótimo! (S/N) fala bastante de você, parece ser um bom rapaz. 

 

  Ele e eu coramos instantaneamente, minha mãe fala as coisas na cara mesmo.

 

 Corado ainda ele fala. — Obrigado, a senhora é uma ótima mãe e ela fala muito da senhora também.

 


         — Okay vou deixar os dois sozinhos aqui, se precisar me chamem. — ela piscou safada pra mim. 

 

 — Eu ainda não acredito que você tá aqui em casa... — você coloca uma mecha de cabelo atrás da orelha e se joga no sofá ao lado dele. 

 

 
 — Nem eu, tava morrendo de saudades de você. 

 

 
          Nos encaramos uns segundos até começarmos a rir do nada, como dois idiotas. 

 


          Ele deixa uma lufada de ar escapar e segura em minhas mãos. — Quero te fazer uma pergunta.

 

 Divertida você diz. — Você já tá fazendo. 

 

 — É sério (S/A)! Quero que vá comigo pra Seul. 

 


          Por um instante você ri, mas no outro a ficha cai. — O-o que?

 

 — Eu e você vamos morar juntos na capital. Se Deus quiser vou ser rico e famoso. 

 

 — Aí... é complicado dizer, eu não posso deixar a omma. 

 

 — Ela vai ficar bem, você já tem dezoito anos, sabe se cuidar. 

 

 
        Por isso eu não esperava, ele quer que eu vá com ele pra Seul. 

 


         — Tudo bem, vou com você.

 


        Cheio de emoções ele te da um abraço apertado e caloroso, intenso. 

 

 — Senti sua falta idiota.

 

 — Também senti a sua, me desculpe não avisar, queria que fosse especial. 

 

 — Tá tudo bem, só me prometa que nunca mais vamos nos separar? 

 

 Ele da um riso soprado e estende o dedinho. — Eu prometo nunca mais deixar a melhor pessoa que eu já conheci. 

 

 Você estende a ele também e faz o mesmo juramento. — Eu prometo nunca deixar a melhor pessoa que já conheci. 

 

  Como bons amigos ele te puxa pra um abraço, porém dessa vez com tem mais necessidade. 

 


          — Quero te dizer uma coisa. — ele para de me abraçar para dar início ao que vem a seguir. — Sabe, tem um tempo que a gente se conhece, e, eu gosto muito de você. 

 

 Você o encara prestando atenção em tudo o que ele diz. — Eu também gosto de mais de você. 

 

 — Então eu quero te perguntar, você pretende namorar um dia certo? — você concorda. — Bom, Aish, quer namorar comigo? 

 

 Minha reação foi ficar alguns segundos sem o que falar, apenas raciocinando as palavras. 

 

 — E-eu não sei, olha, aish , porque você faz isso comigo? — sem responder eu faço uma coisa que sempre quis fazer desde que o conheço, seguro em seus fios e puxo seu corpo contra o meu, sentindo aquele gosto refrescante indo de encontro à minha boca. 

 

 Enlaço meus braços no pescoço de Seungyoun, adentrando cada vez mais fundo a cavidade quentinha e molhadinha, com recém gosto de morango misturado com um leve sabor de menta, por falta de ar encerro o beijo, completamente corada. 

 

 — Isso foi um sim certo? 

 

 — Preciso responder? 

 

 — Quero que não me responda mais vezes. — ele ri alto chamando atenção de minha mãe, que apenas estica o pescoço olhando em nossa direção, também rindo da situação. 

 

 — Bom eu adorei minha surpresa, e queria dizer que eu amo você mais do que tudo, nunca duvide disso. 

 

 — Jamais duvidei, e eu também amo mais que tudo. 

 


        Entrelaço nossas mãos, encostando minha cabeça no ombro dele, pensando em como vai ser diferente nosso relacionamento daqui pra frente. 

 

 
  Dois meses mais tarde 

 


         Fico boquiaberta com o tamanho do rio que corta uma fronteira da outra, Rio Han é maravilhoso. 

 

 — Amor, chegamos na capital, agora começa nossa jornada.

 


         Enrolada na minha colcha crio coragem e levanto do acento quentinho do avião. Seungyoun me estende a mão e eu a enrolo com a minha, demonstrando nosso carinho. 

 

 — Vamos direto pra casa. 

 

 — Casa? Não vamos pra algum hotel? 

 

 Ele segura em meu rosto fitando meus olhos, como se quisesse me dizer algo importante. — Não, vamos pra nossa casa. Eu comprei uma casa só pra nós dois. 

 

 E como sempre Luizy me surpreendeu, me fazendo chorar ali mesmo, de emoção, encontrei o homem certo que me ama, assim como amo ele. 

 


              — Eu amo você. 

 

  Colando os lábios nos meus, Seungyoun me beija delicadamente, sentindo cada pedacinho de mim. 

 

  Ao se afastar ele diz. — Quero que sejamos felizes juntos, teremos filhos lindos como nós e o mais importante. — Ele pega minha mão esquerda e na forma mais clichê, porém única, do bolso da blusa ele tira um anel prateado e coloca no meu dedo. — Vai ser a noiva mais linda que eu já conheci. 

 


  Como em um passe de mágica você já o beijava mais uma vez, no meio das pessoas mesmo, sem se importar com o que elas achariam ou pensariam, pra você o que vale é o amor, que era mais do que recíproco. 


Notas Finais


Obrigada por tudo e a todos... até o próximo 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...