História Imagine Kim Taehyung - My Crime. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Colegial, Criminal, Drama, Kim Taehyung, Romance
Visualizações 145
Palavras 1.916
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Esse capítulo tá grandinho porque demorei pra postar pra vocês! Espero que gostem, nos vemos nas notas finais.

Capítulo 13 - O Tal do Amor.


Fanfic / Fanfiction Imagine Kim Taehyung - My Crime. - Capítulo 13 - O Tal do Amor.

 

 

P.O.V Taehyung.

 

— Já sabe, não é? Você só precisa ir e atirar no Hyung Sik. Não é difícil. — Meu pai falava como se fosse a coisa mais natural do universo. Eu estava nervoso, até porque, eu ainda não havia assassinado ninguém, apenas vendido drogas.

 

 

— Eu já entendi. — Falei ríspido.

 

 

— Filho, eu não quero fazer mal a S/N. Fico feliz que tenha ficado longe dela, não tenho a intensão de matar ninguém que não se meta no meu caminho. Mas Hyung Sik quer ir atras da S/N e isso irá me trazer problemas. Então apenas faça isso, mate-o. — Falou socando a mesa de madeira em seu escritório fazendo um pequeno drama.

 

 

— Já acabou? — Falei com cara de tédio sentado de qualquer jeito na cadeira que ficava a frente da mesa.

 

 

— Sim. Faça um bom trabalho.

 

 

Antes de tudo, eu precisava ir até a casa do Jungkook e ver S/N. Eu estava assustado, seria a primeira vez que eu faria algo como aquilo e eu podia ser preso, ou até mesmo morto! Hoje à noite não seria apenas o dia que eu mataria Park Hyung Sik, seria também o dia da guerra entre facções e eu precisava estar presente. Por isso, preciso ver a mulher que amo.

 

 

P.O.V S/N.

 

— Jungkook-sshi... — Falei engolindo o choro. — Você acha que eu mereço isso? Huh?

 

 

— Claro que não, minha princesa. — Apertou meu nariz. — O que acha de um banho gelado, huh? Você está quente de tanto chorar, não está com calor? — Perguntou sorrindo e brincando com mechas do meu cabelo.

 

 

— Sim Gukkie, estou. Mas... eu não quero ir sozinha. — Ditei sapeca.

 

 

— Não quer ir sozinha aonde S/N? — Arregalou os olhos fazendo uma expressão de assustado.

 

 

— Tomar banho Kook... — Acariciei seu peitoral com o dedo indicador, desenhando círculos com o mesmo. Jungkook engoliu seco. — Vamos? — Falei manhosa.

 

 

— Aigoo, que garotinha manhosa! Vamos S/N... — Segurou minha mão e me guiou até seu quarto pegando toalhas limpas e branquinhas para nós dois e logo guiou-me até sua suíte.

 

 

Jungkook sorria lindamente e naquele momento, eu esqueci de tudo a minha volta. Kook levantou minha blusa deixando meus seios expostos já que eu não estava usando sutiã. Percebi que o moreno havia analisado disfarçadamente meus seios durinhos e redondinhos. 

 

 

Kook já estava sem camisa, então apenas abaixei seu calção preto deixando seu penis exposto. Confesso, era grande, rígido e eu podia ver suas veias saltitando, o encarava descaradamente. — Que feio S/N, não seja descarada. Disfarce como eu fiz. — Disse com um sorriso perfeito e eu sorri de volta.

 

 

Logo, Jungkook tirou meu short juntamente com a calcinha. Kook mordia seus lábios observando meu corpo e imediatamente arregalou os olhos surpreso e tentou tampar seu membro que estava claramente ereto. — Não fique tímido Gukkie... — Dei-lhe um selinho.

 

 

P.O.V Jungkook.

 

S/N tinha um corpo incrível, era completamente radiante. Eu sou mais velho e maior de idade, deveria me controlar mais. Ensaboei toda a extensão de seu corpo e S/N fez o mesmo comigo. Foi um banho tranquilo, sentimos malícia no começo mas enquanto estávamos no chuveiro, apenas fomos atenciosos um com o outro. Saímos de lá e enrolamos a toalha no corpo. S/N ficava totalmente sexy com os cabelos molhados. Ainda enrolados na toalha, fomos até a sala desligar as luzes que estavam acesas desnecessariamente já que ainda estava de dia.

 

 

— Está esperando alguém Gukkie? — S/N perguntou. 

 

 

— Não e você? — Neguei e perguntei a ela a mesma coisa.

 

 

— Também não. — Deu de ombros e enquanto a mesma atendia a porta, fui procurar meu celular.

 

 

P.O.V S/N.

 

Quando atendi a porta eu não podia acreditar. Ele mexia comigo, balançava todo o meu psicológico. Taehyung estava na minha frente, com a cabeça baixa esperando que eu falasse alguma coisa.

 

 

— Não vai me convidar para entrar? — Indagou e olhou diretamente em meus olhos. Eu abria a boca para falar, mas nada saía.

 

 

— S/N você viu meu celular por aí? — Jungkook apareceu atrás de mim. Só então me dei conta, estávamos os dois em apenas uma toalha, o que Taehyung pensaria?! Entrei em desespero. — O-Oi Taehyung. — Jungkook o cumprimentou.

 

 

— S-S/N... — Gaguejou e suspirou. Seus olhos estavam marejados, pude sentir sua vontade de chorar. Eu estava sem reação.

 

 

— Tae! Não é nada do que está pensando! — Gritei desesperada.

 

 

— Eu não consigo pensar em nada S/N. — Uma lágrima escorreu por seu rosto. Taehyung me olhava com aqueles olhinhos brilhantes e seus lábios estavam trêmulos por conta do choro. Não pude me conter, logo mais lágrimas saíram de mim. Jungkook foi até seu quarto e voltou vestido com as chaves de seu carro em sua mão.

 

 

— S/N... eu vou dar uma volta, conversem. — Piscou para mim e deu um leve aperto no ombro direito de Tae. Cheguei para o lado dando espaço para que o garoto adentrasse a casa e assim o fez.

 

 

— S/N, você dormiu com ele? — Falou quase em um sussurro.

 

 

— O que? — Perguntei e mais uma lágrima rolou.

 

 

— Você dormiu com ele sim ou não S/N?! — Gritou fitando o chão.

 

 

— Não Taehyung, eu não dormi com ele. E se eu tivesse? Huh? Foi você quem me largou Kim Taehyung, foi você que quebrou meu coração, foi você que disse que me amava e depois já estava nos braços de outra! — Cuspi todas as palavras com o rosto vermelho de tanto chorar. — Foi com você que eu tive uma noite intensa de amor... — Falei baixo sentando-me no chão derrotada com as pernas fechadas por estar ainda de toalha com as mãos sobre o rosto.

 

 

— Foi tudo para o seu bem S/N, foi tudo por amor... — Agachou ficando ao meu lado.

 

 

— Por amor Kim Taehyung? Por amor? Se você me amasse ficaria comigo! — Gritei mais uma vez já rouca o olhando nos olhos.

 

 

— Eu queria que você me entendesse minha linda... — Limpou minha lágrimas mas deixava as suas caírem.

 

 

— Eu não vou entender Tae... — Abaixei a cabeça.

 

 

— Depois que isso tudo acabar, eu vou te explicar tudo. Mas por enquanto, eu não posso. Pense em como eu devo me sentir, veja o meu lado da história S/N. — Pediu ainda limpando minhas lágrimas.

 

 

— Eu odeio tanto não resistir a você. — Chorei mais soluçando alto e limpando as lágrimas do meu homem. — Por que eu te amo tanto Kim Taehyung? 

 

 

Selei nossos lábios e fomos levantando devagar ainda nos beijando. Tae colou nossos corpos e segurava fortemente minha cintura. Fomos andando devagar até meu quarto, Tae abriu a porta com dificuldade e logo a fechou com o pé. Deitou-me na cama e distribuiu selares em meu pescoço causando-me arrepios intensos.

 

 

— S/N... — Chamou-me sem parar o ato.

 

 

— Hum? — Perguntei de olhos fechados sentindo a boa sensação de seus lábios quentes em meu pescoço.

 

 

— Essa pode ser nossa última vez. — Olhou-me com as orbes escuras.

 

 

— Como assim, Tae? Do que está falando agora? — Indaguei calma.

 

 

— Eu posso morrer hoje à noite S/N. Por favor, deixe as perguntas para depois e vamos continuar. — Pediu, eu cedi afirmando com a cabeça e dando um sorriso ladino.

 

 

Tae voltou a atacar meus lábios, meu corpo estava quente e seu membro coberto pela calça, roçava em minha intimidade. Taehyung simulou estocadas fazendo-me arfar um pouco alto arrancando um sorriso de seus lábios.

 

 

O mais velho tirou minha toalha deixando-me totalmente nua, Tae sabia o que fazia e eu tinha certeza que ninguém podia fazer melhor do que o meu Taehyung. O garoto tirou sua própria blusa branca e a jogou para o chão do quarto. 

 

 

Começou a massagear meu seio esquerdo com a mão direita e foi descendo os beijos passando pelos seios e os chupando, deixando algumas marcas. Em seguida foi para minha barriga até chegar minha intimidade completamente molhada e passou sua mão esquerda em minha boceta completamente encharcada. — Prontinha para o Tae, S/N? — massageou meu clitoris em movimentos circulares.

 

 

— Sempre. — Respondi em forma de gemido.

 

 

Tae largou meu seio e abriu minhas pernas deixando-me completamente exposta para o mesmo. Logo colocou seu dedo médio em minha entradinha fazendo-me gemer, já que Tae tinha os dedos grandes. — Taehyung-ah... — Gemi manhosa. Ele me estocava com apenas um dedo e logo enfiou mais dois de seus dedos em minha vagina fazendo com que meu quadril se movimentasse para cima e para baixo. — M-mais rápido Tae. — Implorei. Taehyung colocou seu rosto entre minhas pernas e passou sua língua em meu botãozinho fazendo-me soltar suspiros. — Tae... o-por favor. — Pedi. Taehyung sabia o que eu queria mas se recusava a me dar no momento.

 

 

P.O.V Taehyung.

 

Minha garota movimentava seu corpo fazendo com que eu ficasse cada vez mais duro. Meu pau já estava doendo, eu precisava estocar fundo na minha princesa. Coloquei minha língua em sua entradinha e S/N gemeu mais uma vez, os melhores gemidos e os mais eróticos, vinham daquela boquinha maravilhosa. S/N arranhava minhas costas com a mão esquerda e segurava meus cabelos ralos da nuca com a mão direita forçando-me contra sua vagina, o que me instigou ainda mais.

 

 

Eu já não estava mais aguentando, eu estava sentindo uma dor imensa. Tirei o cinto da calça e joguei para longe, tirei minha calça jeans escura e abaixei minha box azul marinha. S/N lançou-me um olhar de fome, levantou-se em uma velocidade incrível e começou a lamber minha glânde. A minha garota passava sua língua por toda a extensão do meu pau. — S/N, preciso foder essa boquinha. — Falei.

 

 

Olhou-me com malícia e começou a sugar meu pênis. Minha princesa parecia uma gulosa, engolia meu pau todinho enquanto eu a guiava segurando em seus cabelos. Eu deixava tapas estalados em seu bumbum farto e os apertava com força, fazendo S/N gemer em meio ao boquete delicioso que estava me proporcionando. — Como pode ser tão incrível, S/N? — Perguntei em meio a gemidos roucos e cheguei ao meu ápice. — Fica de quatro pro Oppa, S/N. — Pedi e a mesma obedeceu.

 

 

S/N curvou-se para baixo o máximo que pôde segurando com força seu travesseiro e empinando seu bumbum para mim. Segurei em sua cintura e lambi a extensão de suas costas até sua nuca e pude ver que a minha garota estava totalmente arrepiada.

 

 

P.O.V S/N.

 

 

Sem hesitar, Tae colocou seu membro enorme e incrivelmente grosso em minha vagina fazendo-me gritar alto. — Taehyung-ah! — Arfei sôfrega. 

 

 

O Oppa me estocava fazendo-me gemer alto e às vezes agudo. Eu o olhava por cima do ombro e suas orbes estavam cada vez mais escuras. Eu estava prestes a gozar. — Taehyung... eu tô quase... 

 

 

— Irei deixar que goze, por mais que eu não queira isso porque ainda tenho energia, não quero que durma, quero que vá à um lugar comigo. — Disse com um ar romântico. Tae continuava a meter em mim com força e cada vez mais rápido até que chegamos ao nosso limite juntos e o meu menino deitou-se ao meu lado. — Eu quero te levar ao cinema S/N. Para termos o nosso primeiro e talvez último encontro.

 

 

— Eu odeio quando fala isso Taehyung... O que tá rolando? — Perguntei com um semblante de preocupação.

 

 

— Eu não posso te contar, pequena. Por favor, não torne as coisas mais difíceis. — Acariciou minha bochecha.

 

 

— Tudo bem. — Assenti.

 

 

P.O.V Jungkook. 

 

Antes de eu deixá-los sozinhos completamente, não pude deixar de ouvir a conversa dos dois. S/N não resistia a Taehyung, ela o amava e ele também a ama. Eu não podia impedir isso, a garota que eu estou apaixonado e o garoto que a faz chorar quase vinte e quatro horas por dia, vão transar na minha casa e eu não posso fazer nada. Eu jamais impediria o amor de alguém, por já ter tido experiências horríveis com esse tal do amor.

 


Notas Finais


Depois de muito tempo, teve hotzão!!! Comentem se gostaram e o que acharam, isso me motiva a postar mais rápido.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...