História Imagine Kim Yugyeom - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags Got7
Visualizações 9
Palavras 1.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Escolar, Shoujo (Romântico), Violência

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Cap: 2


Fanfic / Fanfiction Imagine Kim Yugyeom - Capítulo 2 - Cap: 2

Imagine Kim Yugyeom || Capítulo 2


-Hey - Estralou os dedos. - Chegamos. Acorda vadia!

-O que... - Abri os olhos lentamente, mas paro de falar assim que vejo o homem à minha frente. - Quem é você?

-O cara que vai te matar se não se levantar agora.

-O que está acontecendo? - Pergunto enquanto me levanto do banco do carro.

-Sem perguntas. - Ele diz. - Agora, começa a andar.

-Qual seu nome? -Atrevo-me a perguntar.

-Não lhe diz respeito. - Ele diz grosso. - Vem. - Ele me puxa.

Assim que andamos um pouco me dou de cara com uma mansão.

-Eu não vou entrar aí. - Digo receosa.

-Então vamos do jeito mais difícil. - Ele diz e sinto um metal gelado encostar em minhas costas.

-Vai andando. - Ordena.

-Me mata logo.

-Puta que par...

-Vamos com muita calma aqui. - Uma voz masculina e doce surge. -Com licença, bela moça. - Um garoto alto, pálido de cabelos lisos surge no meu campo de visão. - Espero que Jackson não esteje lhe tratando mal.

-Ah Seokjin, por favor né?

-O chefe me mandou cuidar dela a partir daqui. - Ele diz enquanto eu o observo. - Thau Jackson.

O tal "Jackson" sai dali bufando.

-Peço mil perdões por ele. - O rapaz me pede, sorrindo.

-Onde eu estou? - Pergunto confusa.

-Sinto muito, mas tenho ordens para não lhe dizer isso. -Ele disse calmamente. - Como deve ter ouvido, meu nome é Seokjin, mas pode me chamar de Jin, é melhor. - Ele riu, colocando as mãos no bolso de seu jeans preto. - E o seu?

-Não quero dizer, não nesse momento. Desculpe.

-Sem problemas. - Ele diz. - Pode me acompanhar, por gentileza?

-Eu não tenho...

-Lá estará segura. Fique tranquila, não vou fazer nada com você.

-O...okay. - Disse, seguindo-o.

Entramos dentro daquela gigantesca casa, e me assombro com o luxo do local. Jin me guia até terminamos de subir as escadas, então eu me dou de cara com um gigantesco corredor.

-O seu quarto é aquele. - Jin apontou para uma das várias portas que haviam ali. Ficava no final do corredor.

Ele começou a andar comigo até lá. Eu estava insegura à cada passo. Estou em choque. Não consigo prestar atenção em quase nada.

Até que Jin abre a porta do quarto pelo qual ele havia me falado. O quarto continha detalhes em preto e branco. Era grande e tinha uma cama de casal com dois criados, cada um com um abajur.

Fico ali. Parada no meio do quarto. Não sei o que fazer, não sei o que pensar.

-O que vai acontecer comigo? -Pergunto quase sussurrando, olhando pra baixo.

-Não sei, garota. -Ele diz. - Mas aposto que ficara tudo bem.

-Eu fui sequestrada, não sei onde estou, vou perder aula amanhã...

-Tente ficar calma. - Jin diz enquanto se dirige até o guarda roupa do quarto. -Me mandaram separar isso. - Ele coloca um conjunto de jeans e uma regata preta.

-Pra onde eu vou? - Pergunto olhando para as roupas ali, em cima da cama.

-O chefe quer falar com você.

-Ele vai me matar? - Pergunto.

-Ele só vai conversar com você. -Ele ri. - Não vai te matar.

-Por que está sendo legal comigo?

Ele olha pra mim e sorri sutilmente. Olho no fundo de seus olhos, tentando encontrar algum vestígio de mentira, de maldade, mas pra minha surpresa, só vejo sinceridade nos olhos do rapaz. Ou ele estava dizendo a verdade, ou ele sabia fingir muito bem.

Então, após uma fração de segundos, ele responde:

-Já vi que você ama fazer perguntas. - Ele ri. - Não sei quanto tempo você vai ficqr aqui, mas quero que tenha um amigo enquanto isso.

-Então eu fui realmente sequestrada...

-Olhe, o banheiro é ali. - Ele aponta pra porta em um canto. - Qualquer coisa, toque esse interfone do lado da sua cama. Eu venho correndo.

-Okay... Ah Jin! - Eu o chamo antes que ele saia. - Obrigada. - Sorride leve.

-Estarei sempre por aqui. - Ele sorriu e saiu do quarto.

Corri e tranquei a porta. Virei-me de costas arrastei-me até o chão pela mesma. Abraço meus joelhos e freneticamente, começo a chorar.

Eu havia sido sequestrada.

E era minha culpa. Eu não deveria ter saido da casa de Yoongi. Não deveria ter fugido como uma tola, eu sabia que deveria ficar lá até meus nervos acalmarem, até meu pulmão respirar normalmente.

Me dói no fundo do coração pelo fato de que eu desejo que ele esteje comigo aqui agora, mas nunca tive a cara de pau de falar isso pra ele. Nunca falei que o amava. Além do mais, seria perda de tempo. Ele nunca olharia pra mim com outros olhos.

Só consigo pensar nele. E tem Namjoon e Jimin também, como eles ficarão? Como minha mãe vai ficar? Provavelmente, nem ela vai se importar. Na maioria das vezes, ela troca à mim pelo trabalho, o que demonstra que ela de fato, não se importa.

Paro pra pensar no que eu estava fazendo. Estou à beira da morte, e estou chorando? Não... Não quero parecer fraca. Portanto, opto por apenas enxugar as lágrimas, retirar minha roupa, tomar um banho quente e vestir a roupa que Jin pediu.

~*~

-Está pronta? - Me pergunta.

-Estou.

-Vamos então, o chefe não gosta de esperar.

Jin abre a porta pra que eu passe. Ele estende o braço e eu o acompanho. Enquanto passamos pelos gigantes corredores, me pergunto mentalmente se todos os quartos ali eram ocupados. Talvez sim, talvez não.

-Deve saber como se portar. - Jin me tira de meus pensamentos. - Assim que entrar, faça uma reverência leve com a cabeça.

-Por quê disso tudo?

-A senhorita estará diante do maior dono e comandante de quadrilhas de toda a Ásia. Deve mostrar respeito.

-Entendi... - eu disse tentando disfarçar, mas era quase impossível não notar o quanto meu nervosismo estava claro em meu rosto.

Então com um estralar de dedos ele pode explodir minha garganta?

-Mantenha a postura sempre ereta. - Ele continua - E de forma alguma, em nenhum momento, ouse olhar ele direto nos olhos. - Ele falou essa frase em um tom firme, cheguei a duvidar de que era o mesmo Jin doce de antes. - Essa é a mais importante.

-Jin, posso fazer uma pergunta que está me incomodando? - Falo.

-Acabou de fazer. - Ele me sorri de lado.

-É sério.

-Pergunte, mas não prometo responder.

-Você é tão doce... por quê trabalhar em um ambiente assim? - Eu pergunto, e ele simplesmente da de ombros.

-Eu gosto daqui. - Ele diz. - E devo muito ao Kim Yugye... - Ele arregala os olhos, parece temer o que acabou de falar. - Devo muito ao chefe, ele é um grande amigo e me ajudou muitas vezes.

-Entendi...

-Chegamos. - Ele diz ao pararmos em frente à uma porta de madeira bem grande.

-O... okay.

-Lembre-Se do que eu te falei, porte-se corretamente e tudo ficará bem.

-Okay.

Ele abre a porta, vejo uma sala bem escura. Havia uma silhueta de alguém alto e em pé,e uma cadeira virada para a parede tampada por cortinas escuras.

-Pode sair, Jaebum. - Diz uma voz, fazendo meu corpo correr em um arrepio.

-Sim senhor.

O cara passa por mim sem dizer nada, e fecha a porta atrás de si logo que sai.

Tudo parece estar em câmera lenta. O barulho do ar condicionado ligado entram em meu ouvido fazendo minha cabeça focar naquele som que inundava todo o local.

Ouvi também o ranger da cadeira, enquanto ele se virava pra mim.

-Olá, S/n.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...