História Imagine — Namjoon. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Rap Monster, Suga
Exibições 378
Palavras 3.994
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


É meu primeiro imagine, eu nunca tinha escrito isso antes então peço desculpas se ficou ruim :l
Eu tentei colocar humor mais não sei se ficou bom, de qualquer jeito queria a opinião de quem ler :3 Boa leitura 💋

Capítulo 1 - Cretino! — Único


Fanfic / Fanfiction Imagine — Namjoon. - Capítulo 1 - Cretino! — Único

Eu tinha acabado de chegar de mais um dia cansativo de trabalho, era madrugada mas ainda sim, eu sabia que ele estava acordado. Adentrei o apartamento tentando fazer o mínimo barulho possível, não queria ter que dialogar com ele. Não depois da briga que tivemos ontem, por conta dos meus horários de trabalho.

Eu realmente não me importo em ter que chegar tarde em casa, embora seja um pouco cansativo. É um bom emprego e eu ganho bem, o suficiente para pagar todas as contas no fim do mês.

Mas tudo que ele consegue fazer é reclamar que eu deveria procurar algo melhor, que não exija tanto de mim. E quando eu digo que ele nunca vai conseguir ser um rapper famoso, ele fica zangado comigo. Tudo bem você ter um sonho, mas oque custa arrumar um emprego descente para me ajudar com as despesas?

O fato é que aquilo estava me cansando, eu já não estava mais conseguindo manter aquele relacionamento de oito anos. Uma hora eu ia acabar explodindo e acabando com tudo.

— Merda jhowjhow— sussurrei ao tropeçar no bichano.

Todo aquele esforço de não fazer barulho fora por água abaixo quando a luz no fim do corredor se acendeu, juntamente com o barulho de algo caindo no chão. Eu havia sido descoberta! Fiquei paralisada esperando que em algum momento o meu problema saísse daquele quarto, como se nada tivesse acontecido. Mas ele não saiu, a luz apenas fora apagada novamente e pude escutar ele jogando contra a cama.

Suspirei aliviada.

Segui em direção a cozinha na pontinha dos pés, estava faminta. Não havia me alimentado adequadamente no trabalho, e meu estômago já pedia por comida.

— Por favor não faça barulho, por favor, por favor...— pedia mentalmente enquanto tentava abrir a geladeira.

E quando finalmente consegui, sorri vitoriosa. Observei por muito tempo a fim de escolher oque iria comer, até que avistei ao fundo e praticamente escondido, um bolo de chocolate. Me parecia tão apetitoso que não hesitei em pegar, eu sabia que era do Namjoon. No momento eu não estava nem um pouco interessada em saber se ele ficaria triste ou não, apenas comecei a saborear. E puta que pariu, sem dúvidas aquilo estava divinamente delicioso.

— Amanhã eu vou dizer ao Nam o quanto esse bolo estava bom! — disse continuando a comer.

Após terminar decidi ir tomar um banho, precisava descansar. Me levantei com o cuidado de não fazer barulho algum e segui em direção ao corredor, teria entrado naquele banheiro se um certo barulho não tivesse chamado a minha atenção.
Dei mais alguns passos até que alcancei uma distância segura entre mim e meu quarto, movida pela curiosidade me aproximei mais.

— A-a-ah — fora um gemido quase inaudível vindo de Namjoon.

Eu não poderia negar que aquele gemido rouco tenha me deixado um pouco excitada. Embora eu realmente estivesse curiosa em saber o que ele estava fazendo.

A porta estava entre aberta então eu me permiti o espiar por alguns segundos, eu não fazia ideia do que estava fazendo. Eu apenas estava curiosa e era normal, mas a cada gemido que aquele ser incrivelmente gostoso soltava era difícil me manter controlada.

Olhei de canto e pude ver que Namjoon estava se tocando, minha primeira reação foi querer rir um pouco daquela situação. Por que eu sabia que ele só estava fazendo aquilo pelo fato de eu estar o recusando nos últimos dias, mas ao encará-lo praticando aquele ato... Deus, eu só queria abrir minhas pernas e pedir para que ele fosse com tudo.

Mas eu apenas me controlei, estava decidida a dar meia volta e ir tomar meu banho. Porém, me descuidei e acabei batendo o braço na porta. Namjoon parou imediatamente o que estava fazendo e eu o encarei pela brecha, vi um sorriso sacana se formar em seu rosto. E novamente ele agarrou seu membro é começou a masturba-lo, com os olhos fechados e gemendo o meu nome. Céus, eu não posso perder minha sanidade.

— (S/N)-aah — gemeu com aquela voz rouca me desconcertado por completo — Huuum, a-a-ah.

Eu sabia o que ele estava querendo, mas eu não ia ceder assim tão fácil. Queria me retirar dali, mas ele começou a acelerar os movimentos. Mordeu o lábio inferior na tentativa falha de segurar um gemido, aquela cena estava me deixando com uma puta excitação. E então lá estava eu assistindo Namjoon se tocar.

Embora tenha sido bastante tentador, ainda estava com raiva daquele cretino. Me virei bruscamente e segui em direção ao banheiro, fechei a porta e me despi. O cansaço havia me atingido e eu só teria alguma horas para dormir, para só então acordar e ter de enfrentar mais um dia na faculdade.

Liguei o chuveiro e deixei que a água caísse sobre meu corpo, fechei os olhos e tudo o que se passava em minha mente era a cena do meu problema se masturbando. Porra eu tinha que esquecer aquilo se quisesse ter uma boa noite de sono, mas era praticamente impossível quando só se consegue ouvir o som do cretino gemendo meu nome naquela merda.

Tudo bem você se masturbar, é super normal. Mas você passa dos limites quando sabe que tem uma namorada fraca, sedenta por sexo, tomando banho, no banheiro da sua casa. A minha vontade era de ir lá e quebrar aquele negócio delicioso que ele chama de pau, mas é claro que eu não ia fazer isso.

Os minutos seguintes se resumiram aos gemidos arrastados de Namjoon chamando pelo meu nome, e eu aqui embaixo do chuveiro, esperando que ele acabe logo com a palhaçada para mim ir dormir.

Eu já não estava mais aguentando, sem querer querendo a minha mão escorregou para minha íntimidade. E agora estava em um conflito interno para saber se me tocaria ou não, dando zero fodas para o Namjoon no quarto.

Comecei a massagear lentamente o meu ponto sensível, até me enconstei na parede para ter mais apoio. A água do chuveiro ainda caia sobre meu corpo, e os gemidos de Namjoon haviam se encerrado. Agradeci mentalmente por aquilo, mas eu não poderia parar oque eu tinha começado.

— A-ah — deixei um gemido baixo escapar.

A essa altura do campeonato Namjoon já deveria estar apagadão na cama, então eu apenas continuei. Fui acelerando cada vez mais, movimentando meus dedos finos e ágeis cada vez mais rápido. Fechei meus olhos e mordi meu lábio inferior, tinha que abafar os gemidos. Aquele cretino não podia me escutar.

Estava quase chegando ao meu ápice quando senti alguém me abraçar, reconhecia a porra do cheiro. O filho da puta atrapalhou o meu orgasmo.

Eu não ia continuar o ato, como ele havia feito a alguns minutos atrás. De jeito nenhum! Se antes eu já estava com uma puta raiva dele, imagine agora. E uma simples foda não ia me fazer esquecer tudo que ele já aprontou, eu queria mais que isso. Aquele cretino gostoso.

— O que você quer? — disse num tom áspero enquanto saia do box para pegar a toalha.

— Por que você está agindo desse modo comigo (S/N)?! — Perguntou observando eu me enrrolar na toalha.

— Vai se foder, você atrapalhou o meu orgasmo cretino — Disse pegando minha escova e pasta de dentes.

— Pare de mudar de assunto, você está estranha. O que está havendo?

— Estranha eu? — ri nasalmente — você é um porre e eu que estou estranha? — falei irritada e ele abaixou a cabeça.

— E-eu não sei o que eu fiz para deixar você com raiva — fez bico e eu o observei atentamente — Mais eu quero me desculpar...

— Nada Namjoon... Foi isso que você fez, nada! — suspirei — Você só sabe reclamar, você reclama do meu trabalho, reclama do meu chefe, dos meus horários, de tudo. Quando VOCÊ deveria arrumar um emprego e me ajudar a pagar essas porcarias, porque você sabe que sozinha eu não vou conseguir.

— Eu entendo amor, mas eu vou conseguir arrumar um emprego bom. Justamente pra você sair desse emprego — segurou meu rosto — Eu consegui o contato de um produtor ele...

— Aí Namjoon quando é que você cair na real? Esquece isso pelo menos até a nossa situação melhorar. Eu não tenho como pedir um adiantamento do meu salário e precisamos pagar o plano de saúde — Disse e larguei a escova na pia.

— Tudo bem amor, eu vou esquecer isso até a nossa situação melhorar! — disse cabisbaixo.

Por um lado eu estava festejando por dentro pelo fato de conseguir o que eu queria, mas por outro meu coração mole estava apertado. Era tão ruim vê-lo daquele modo, a culpa começava a me atingir. Eu sempre tento controlar as minhas palavras, mas sempre acabo magoando o meu cretino.

— Aí deus, não fique assim Namjoonnie — disse abraçando ele — Não é que eu não te apóie, é só que...eu preciso que você me ajude. Se a nossa situação não melhorar não vamos poder ter filhos — eu o conhecia perfeitamente, e sabia que se tocasse nesse assunto ele ficaria bem novamente.

— Tudo bem — respirou pensativo — mais eu ainda estou triste.

— O que eu posso fazer para te alegrar, hum?— revirei os olhos e falei num tom desanimador— você quer um chocolate quente, ou um abraço quentinho e aconchegante?!— perguntei tentando fazer aegyo.

Ele riu da minha expressão, Namjoon riu da minha expressão. Porque eu sempre tento agradar ele quando deveria ser ao contrário? Nem a minha tentativa falha de aegyo o cretino respeita mais, eu só queria chupar... Epa, chutar* aquelas bolas enormes que ele tem.

E ainda por cima o sacudo não parava de rir, eu acho que meu rosto já assumia um tom avermelhado. Mas de repente, ele parou e ficou meio pensativo. Certamente escolhendo entre as duas alternativas, garoto abusado. Atrapalha meu orgasmo e ainda quer me escravizar!

— Nona...— Continuou pensativo — eu quero brincar.

Falei? A-b-u-s-a-d-o. Quem ele acha que eu sou? Chego cansada do trabalho, tudo que eu quero fazer é dormir. Mas o cretino sempre tem que fazer esse convite tentador, eu já deveria estar bem puta com ele. E adivinha o que eu fiz? Revirei os olhos e acenei positivamente com a cabeça.

Estava dando zero fodas se estava tarde ou não, Kim Namjoon ia me foder minha gente. E depois de tudo o que rolou, eu não podia negar aquele homem, não é?

Segui até o nosso quarto, estava suando frio, e com um puta nervoso. Como aquelas adolescentes, e tudo o que eu pensava era — " Ele vai me foder... Ai meu deus"— Eu acho que ele nem percebeu que eu estava nervosa e já me jogou na cama.

— Fica de quatro — ordenou enquanto se despia.

Estava um frio do caralho, eu estava pelada, nua, cosplay de Eva só que sem a folhinha. E quando eu encarei aquele cretino, ele estava igualzinho a mim, peladão, sem a folhinha, e com aquele negócio duro balançando pra lá e pra cá. Tentador.

— Namjoon eu... Ai meu deus — quase tive um infarto quando senti aquele trem dentro de mim.

Porra eu podia ser tudo menos masoquista, tava doendo pra caralho. E eu me perguntava se ele estaria me punindo, não conseguia nem raciocinar direito devido as circunstâncias.

— Gostosa! — falou enquanto estocava fundo a minha entrada de trás.

— Seu... Awn Namjoon, i-isso— disse ofegante.

Era incrível ter ele dentro de mim, ele entrava e saia rapidamente e vez ou outra dava tapinhas em minha bunda. Gemia coisas desconexas, mas eu tava pouco me fodendo. Só queria que ele fosse mais forte e mais fundo.

— Caralho Namjoon vai mais rápido... Aaah, assim mesmo. B-Bom garoto.

Ele claramente estava me levando a loucura, com aquelas mãos apertando cada vez mais a minha bunda. Céus, ele era um monstro na cama. Mas claro que tudo que é bom dura pouco, e logo eu senti ele saindo de dentro de mim. Olhei furiosamente para ele, parece que estava adorando interromper meu orgasmo. Cretino!

— Por que parou? — Perguntei ainda ofegante.

— Amor eu quero brincar de cavalinho — falou manhoso fazendo bico.

Como eu ia negar aquilo para ele? Adorava aquela posição e a voz manhosa dele me deixou ainda mais excitada. Assisti ele se deitar na cama e logo em seguida eu fiquei por cima dele, sem pensar duas vezes agarrei aquela boquinha gostosa e a beijei, i-n-t-e-s-a-m-e-n-t-e. Enquanto ele encaixava seu membro carinhosamente em minha entrada, feito isso eu praticamente escorreguei por toda aquela extensão de pênis, grande e grossa.

Comecei a me movimentar como se a minha vida precisasse disso, e ele segurou a minha cintura para me ajudar com os movimentos. E logo a única coisa que era possível se escutar naquele quarto eram os meus gemidos, e o barulho de nossos corpos se chocando um contra o outro.

Namjoon agarrou meu seio enquanto eu tinha minhas mãos sobre seu ombro, começou a massagea-los e aquela altura do campeonato eu já tinha perdido toda minha sanidade mental. E se eu não ficasse sem andar depois daquela noite, seria um milagre divino.

Invertemos as posições e o cretino ficou por cima, eu automaticamente abri minhas pernas para que ele pudesse entrar com tudo. E foi o que ele fez, estocava cada vez mais rápido, com uma força maravilhosa. Ele ia e voltava, me levando para a lua. E quando eu pensei que não podia melhorar ele atingiu o meu ponto sensível.

— Porra Namjoon... A-a-ah Namjoon, eu vou... Eu vou — Não pude terminar de falar.

Depois de algumas investidas eu consegui atingir o meu ápice, e finalmente consegui o meu orgasmo. Mas Namjoon ainda não tinha gozado, e eu fiquei puta porque já estava cansada.

— Só mais um pouco amor...a-a-ah — Falou ofegante.

Não foram precisas mais que 3 investidas e lá estava ele, gozando no meu interior. Eu deveria ter ficado muito puta, mas estava tão cansada.

— Isso foi ótimo, você foi maravilhosa Nona — Namjoon disse e selou nossos lábios.

— Eu sei... — Bocejei — você sempre me fala isso.

Me levantei e como já esperava minhas pernas amoleceram, e eu bem, cai no chão. O cretino me pegou de muito bom grado e me ajudou a tomar banho, eu já estava mais do que cansada. E se eu morresse ali, poderia colocar no meu atestado de óbito, que eu morri de exaustão.

Namjoon me levou de volta para o nosso quarto, me deitou na cama e até buscou leite pra mim. Gente o que uma boa foda não faz não é? Eu estava me sentindo feliz, e quando ele me abraçou só piorou a situação.

Dormimos grudados como se fôssemos gêmeos siameses, e eu acordei com uma sensação tão ótima. Se eu não estivesse tão sonolenta, poderia deduzir que...

Namjoon estava me chupando.

Tá' não era normal a gente praticar esse tipo de coisa tipo um oral, tudo bem que nós éramos dois viciados em sexo. Mas um oral era apenas quando um de nós merecia, e porra ter a língua daquele cretino explorando toda a minha íntimidade plena manhã de quarta-feira era pecado.

— Aí meu deus N-Namjo-oon... Isso está t-tão bom, a-a-awn— eu mal conseguia terminar uma frase direito.

Porém, ele nada falou. Apenas ficou fazendo aquilo que ele sabia fazer tão bem, com aquela sua língua maravilhosa. Eu juro que a partir de agora não respondo pelos meus atos, o único resquício de sanidade que eu tinha foi embora. Eu estava tão molhada, e tão excitada. Porque Namjoon tinha que ser assim?

Tudo só piorou quando ele penetrou um seus dedos, brincado comigo de um jeito bem errado. E logo depois ele colocou o segundo dedo, e ali eu já não sabia mais como reagir. Aqueles movimentos rápidos acompanhado de sua língua, estava me levando a loucura.

E então finalmente cheguei ao meu ápice, o puxei para um beijo sem me importar se eu havia acabado de acordar ou não. Foi aí que eu senti sua ereção, porra, agora eu teria que resolver o problema dele. E diferentemente de Namjoon, eu não era nada experiente nesse requisito. Mas ele sempre enchia minha bola e falava que eu era sempre a melhor.

Abaixei lentamente sua box e ele sorriu, aquele sorriso sexy. Mostrando suas covinhas, e porra isso acabou comigo. Agarrei o membro dele sentido o quão rijo o mesmo estava, e com minhas mãos comecei a masturba-lo lentamente. Eu não ia negar que estava gostando, estava sendo uma delícia.

Lambi toda sua glade e logo depois chupei toda a extensão de seu membro, que ficava cada vez mais duro com os meus toques.

— (s/n) eu te amo... Aaah — falou entre gemidos e eu apenas continuei.

Eu sabia que ele estava enlouquecendo cada vez que via seu membro sumir na minha boca, e consequentemente eu o engolia todo só para provocá-lo. E o que me motivou a ir cada vez mais rápido foi olhar para o relógio e ver que faltavam apenas cinqüenta e cinco minutos para minha entrada na faculdade, de repente ele agarrou meus cabelos e começou a ditar os movimentos. Eu apenas me deixei levar, fechei meus olhos e foi então que ele se desmanchou. Na minha boca, sem nenhum aviso prévio.

Mas oque eu podia fazer em relação a isso? Nada. Então eu apenas engoli a porra, sentindo o gosto amargo de Kim Namjoon.

— Amor, eu não me canso de dizer o quanto você é incrível! — disse o cretino ainda de olhos fechados, com um sorriso extremamente bobo no rosto. Eu revirei os olhos.

— Eu sei bobo — Disse animada e selei nossos lábios.

Fui até o meu armário e separei algumas roupas, peguei minha toalha e segui para o banheiro. Teria que ser o flash se não quisesse me atrasar.

— Amor?! — Namjoon chamou atrás da porta — Vai pra faculdade hoje?

— VOU PORQUE?! — Gritei de dentro do box, dando zero fodas se os vizinhos do andar de cima achariam ruim.

Ele não me respondeu, e isso claramente me irritou. Eu sai do banheiro e fui em direção ao quarto, me vesti rapidamente e fui para a cozinha. Onde encontrei o meu cretino tentando não queimar o meu café da manhã, sério porque ele tinha que ser tão desastrado?

— Vai sair?! — Perguntei observando o modo como ele estava vestido.

— Oh sim, vou te acompanhar até um ponto de seu caminho para a faculdade e de lá vou a procura de emprego — Disse sorridente enquanto retirava as torradas levemente queimadas da torradeira.

Tá' os meus olhos não chegaram a brilhar exatamente por ouvir aquilo, mas eu senti meu coração se aquecer. Era muito bom pra ser verdade, finamente ele tinha me ouvido e eu não pude esconder a minha empolgação.

— Cre... Quer dizer, meu amor isso é ótimo — eu o abracei.

E então tudo no meu dia havia sido perfeito desde então, e agora aqui estou eu chegando de mais um dia de trabalho. Cheguei mais cedo que o normal, o relógio ainda marcava 00:20. Me dirigi a cozinha e abri a geladeira, peguei algo para comer e me sentei na mesa.

A casa estava bastante silenciosa e tudo que eu conseguia escutar era o barulho de cama rangendo e batendo na parede, denunciando que meus vizinhos do andar de cima estavam claramente transando. Eu sorri por um momento e me lembrei do cretino, após terminar minha refeição fui para o banheiro e tomei um banho quente e relaxante. Estava pontinha pra entrar no meu quarto e encontrar meu problema dormindo lindamente na cama.

Mas ao abrir a porta encontro a cama do mesmo jeito que deixei ao sair pela manhã, não ia negar. Estavam se passando varias coisas pela minha cabeça, e eu estava com uma necessidade enorme de cortar a cabeça daquele cretino vulgo Kim Namjoon.

Sai do quarto e a primeira coisa que fiz foi ir ao telefone fixo e discar o seu número de telefone. Chamava, chamava, até dar na caixa postal. Eu queria matá-lo naquele momento, disquei o número da minha querida sogra e não bastou dois toques para que ela me atendesse.

— Alô?! — ela disse com uma voz sonolenta.

— Oi, aqui é a (s/n). Desculpe acorda-la de seu sono, mas eu queria saber se o creti... — suspirei — ... Se o Namjoon está aí.

— Tudo bem, (s/n) ele não está aqui — respondeu simpática.

— Obrigado Sra. Kim, desculpe o incômodo. Boa noite.

Desliguei a merda do telefone e bufei, quem ele pensa que é pra sair e voltar tarde? Aquele cretino vai se ver comigo...

01:30 da manhã.

Aqui estou eu, assistindo um filme clichê esperando o cretino chegar. Eu já pensei em várias maneiras diferentes de torturar ele, enquanto devorava um pote de sorvete.

03:59 da manhã.

Eu acho, eu tenho certeza que já comi a comida do mês inteiro e nem sinal do cretino.

6:00 da manhã.

Movida pela vontade enorme de matar Kim Namjoon, eu ainda tentava me manter acordada. Teria que ir para a faculdade daqui a uma hora, e ainda não tinha dormido absolutamente nada.

O cansaço estava me vencendo e quando eu finalmente ia me levantar, ouvi a porta se abrir.

— Bom dia Kim Namjoon — Falei arrogante o encarando descaradamente, e ele podia claramente ver o ódio em meus olhos.

— Bom dia, você ficou me esperando?! — Perguntou com a voz trêmula.

— Onde você estava?! — perguntei ignorando sua pergunta.

— S-Seoul...

— E oque você estava fazendo lá?

— Como eu disse a você, procurar emprego...

— Em Seoul? — o interrompi.

— Sim...

— Você conseguiu ao menos? — perguntei cansada e ele assentiu.

Meus olhos se arregalaram, e eu o fitei incrédulo.

— C-Como? — perguntei extremamente feliz.

— Há um tempo eu venho tentando te contar, mas você insiste em brigar comigo — Suspirou —... Eu tenho um amigo em Seoul que vem me ajudando muito nos últimos meses, ele é rapper e me apresentou pra um produtor.

Eu o encarei boquiaberta e ele continuou.

— O fato é que eles gostaram de mim, disseram que eu tinha talento e em algumas semanas vou assinar um contrato com eles — Disse animado.

— Que amigo é esse?

— Min Yoongi, eu já te falei dele, hum? — ele perguntou e eu assenti.

Eu já estava esgotada, minhas forças se esvaiam pouco a pouco. Eu apenas queria ir para a minha cama é dormir pra sempre, mas tive que escutar o cretino, e como ele estava animado com aquilo. Céus, não calava a boca um minuto.

Eu estava quase dormindo, quando meu estômago começou a fazer umas coisas estranhas. E não demorou muito para mim correr para o banheiro é colocar pra fora tudo que eu havia comido naquela madrugada.

— Você está bem?! — o cretino me perguntou.

— Namjoon, eu acabei de colocar tudo o que eu comi pra fora você acha que eu to bem? — perguntei retoricamente.

— Você... — um enorme sorriso se formou em seu rosto— ... Pode estar grávida!

— Quê?! Que blefe Namjoon você bebeu?! — perguntei incrédula, ele estava ficando louco.

— É faz todo o sentido amor, nós fizemos sexo sem proteção. E eu gozei de... A não ser que você ainda esteja tomando aqueles remédios.

Uma enorme expressão de medo surgiu em meu rosto, e naquele momento meu cú trancou.

— Você não está não é? — Namjoon Perguntou estranhamente feliz — AI MEU DEUS EU NÃO CONSIGO ACREDITAR NISSO!

Seus olhos brilhavam e tudo que eu conseguia fazer era continuar colocando toda a comida pra fora. E não sei se ficava feliz ou triste por possívelmente estar carregando em meu ventre uma versão mais nova do meu cretino.


Notas Finais


Bom foi isso, eu li e reli várias vezes kkk no começo eu achei que estava boa mais depois achei que ficou bem clichê. Mas que culpa eu tenho se isso faz parte de mim? Kkkk de qualquer jeito obrigada por ler :3


Gostaram? Amaram? Odiaram? Me fale sua opinião, mereço seu favorito? Diz que sim!

Leiam também: https://spiritfanfics.com/fanfics/historia/wensday-monster-namjin-vhope-jikook-6255450


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...