História Imagine Rap Monster - Bullying - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias 4Minute, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Hyun A, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bangtan Boys, Bebida, Bts, Bullying, Imagine Namjoon, Imagine Rap Mon, Imagine Rap Monster, Morte, Namjoon, Rap Monster
Exibições 344
Palavras 734
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


SOBRE ESSE CAP... * vai pra Narnia * Sabe, a ft do cap é so pq eu asdorei ela, tchau

Capítulo 4 - Não faça isso pai, por favor...


Fanfic / Fanfiction Imagine Rap Monster - Bullying - Capítulo 4 - Não faça isso pai, por favor...

Cap 4 -

 

Minha vida antes disso? Antes de todo esse... bullying, mortes, bebida, culpa? Bom... ela era uma otima vida, eu era feliz, eu era um pouco convencida que minha vida sempre ia ser boa, tão enganada eu estava... a morte da minha mãe foi o que acabou causando tudo isso, na verdade... só aumentou meu amor por Namjoon, ele me dava forças, ele fez meu amor aumentar, ele... ele... destruiu tudo depois.Eu era uma garota alegre, cheia de vida, quando vejo as fotos que minha mãe tirava de mim é como fosse outra pessoa, uma irmã gemea, só que melhor, que se valorizava, que se vestia bem, que... já morreu.Meu pai trabalhava com minha mãe na sua antiga floricultura, quando ela morreu ele vendeu a floricultura e usou o dinheiro para comprar bebidas e comprar mulheres, ela amava flores, ela amava animais e ela amava a vida, quem a via a diria que era um anjo, viviamos como realmente uma familia perfeita, mas o nosso erro foi pensarmos isso, pois tudo foi destruido.O diario... minha mãe escrevia nele enquanto ficava sozinha comigo, meu pai ia jogar futebol com seus amigos e ela contava sobre seu dia ao diario, quando ela morreu meu pai queria queimar o diario, eu não permiti isso, eu sumi com o diario e ele nunca mais o viu, ele não tem mais tempo para mecher nas minhas coisas, pelo menos não agora.

Eu estava parecendo realmente um bolo, não queria voltar para casa, meu pai já deve ter chegado ou acordado e eu... não gostaria de o ver, então só fui caminhando até a escola com minha mochila nas costas.Quando cheguei as pessoas me olharam com uma cara de bicho morto, entrei na escola o que se transformou em uma tremenda baderna quando me viram, pessoas rindo, reclamando do cheiro e até me xingando, mas o pior de tudo, foi andar pelo corredor da escola, além das garotas que estavam em varios grupinhos, haviam Jungkook e Jimin, passei por eles mas quando vejo, Namjoon havia jogado um balde de água em mim, me deixando toda molhada me fazendo ser humilhada mais do que já estava.

 

 

- Otimo, agora está limpinha! Pena que não se limpa direito, né lixo? - falou Namjoon novamente me olhando com aqueles olhos maus, todas as pessoas pararam de fazer o que estavam fazendo para me olhar, é mais uma humilhação que ganho por amar Namjoon, como eu queria conseguir o odiar, mas... eu não consigo...

 

  Me virei e sai correndo, lágrimas caindo dos meus olhos sem nenhum pause, eu gostaria de sumir, de morrer... Enquanto eu corria acabei esbarrando no meu professor de filosofia, ele me olhou confuso e voltei a correr, ele gritou ‘’____ volta aqui!’’ mas o ignorei e sai correndo, sinto que algo ruim vai acontecer... o que pode ser pior que isso? Já não bastava isso acontecer?

   Olhos... vários olhos me olhavam, vários risos eu ouvia, várias pessoas pararam o que estavam fazendo para ver uma garota suja e molhada, porque isso acontece comigo? Comecei a andar pela rua sem rumo, até que avisto um homem caído na calçada bêbado, me aproximo para ver quem é, e não podia ser ninguém mais e ninguém menos que meu pai.

 

 

- E-ei pai, sai dai, vem eu te ajudo... - falei tentando o ajudar, eu estava suja mas ele não iria nem reparar.

 

 

- Filha...? - ele disse meio tonta. - Você é tão linda... - ele começou a passar a mão pelo meu rosto o observando.

 

 

- O-obrigada p-pai, mas agora vamos, se levante, se enforçe um pouco! - exclamei tentando o animar, mas acho que quem precisa de animação sou eu.

 

 

- Mas... não é só o rosto... - ele começa a deslizar sua mão por meu pescoço, onbros, peitos... eu tento sair dali, mas ele me agarra, começo a me debater mas ele é mais forte.

 

 

- P-pai! Para de brincadeira, me larga... - falei com as lágrimas que já estavam em meu rosto piorando.

 

 

- Você é tão parecida com sua mãe... até no corpo, merece um castigo por me lembrar ela - falou meu pai tirando sua propria camisa, estavamos na rua, quem passava via e não pareciam ligar, e eu não sou nem um pouco parecida com minha mãe, pelo menos não agora... Eu não acredito que ele quer fazer isso, eu não consigo acreditar...


Notas Finais


Quem quiser matar esse pai dela, dou ingresso pra entrar dentro da fanfic de graça, só tem que preencher:

* Qual arma vai usar?:
* A morte vai ser dolorosa?
* Se eu fosse você torturava primeiro, que tal?
* Aproveita e chama o Suga e sua Ak-47, dahora ner?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...