História Imagine Suga (Yoongi) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais, Suga
Exibições 44
Palavras 956
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Recomeço?


       Passei minha mão pelo meu colo contastando o óbvio. Não estava mais ali, minha criança já não estaca mais no meu ventre, mas, o que foi feito dela? Pra onde a tinham levado? Inconscientemente eu chorava. Eu a havia perdido? Sentei na cama me sentindo meio atordoada.
        - (S/n)? - olhei para ele.
        - Yoongi... onde está...? - seu olhar era de alguém que não havia dormido por conta da preocupação - o que fizeram com a nossa criança? - ele mordeu o lábio e veio até mim, me abraçando com carinho - Yoongi! - acabei por gritar. Ele me apertou um pouco mais.
        - Está tudo bem, os dois estão bem - o fitei confusa.
        - Os... dois? - sorriu.
        - Você carregava um casal de gêmeos, tinha acabado de receber a notícia do hospital e ia te contar, mas quando cheguei vi você sendo empurrada escada abaixo - percebi seu tom amargo - me perdoe, se eu não tivesse me envolvido com aquela mulher de inicio... - fiquei calada. Me afastei dele, tentei me levantar - o que está fazendo? - me ajudou me mantendo de pé. Apertou minha cintura firmando, não o encarei.
        - Me leve até eles, quero ver meus filhos - o ouvi suspirar e murmura um "sim". Fui pega de surpresa quando ele me pegou no colo, sem escolha o encarei. Ele sorria.
        - Você não está em condições de andar - sem falar mais nada me levou pra fora do quarto.
        Escondi meu rosto na curva de seu pescoço. Aquilo era constrangedor, estava todo mundo nos encarando. O senti dar um leve riso. Yoongi idiota. Ele me levou até o berçário, mas nem quando chegamos lá ele me colocou no chão.
        - Olhe ali - olhei pra onde ele apontava, uma berço compartilhado por dois bebês, uma menina e um menino - são nossos filhos, eles são lindos, e são saudáveis - finalmente me colocou no chão. Me aproximei. Encostei - me ao vidro e comecei a chorar - só terão que ficar por um tempinho em observação, afinal eles nasceram antes do tempo - me abraçou por trás.
        - Eles se parecem com você... - disse em meio ao choro, tapei minha boca - tem os mesmos olhos... e cor de pele e... São bonitos como o pai... - o senti sorrir.
        A essa altura eu já não queria nem mais me lembrar daquele incidente, queria esquecer que o meu marido havia me traído, esquecer daquela mulher.
        - Mais uma vez, me...
        - Está tudo bem - levei a mão que eu usava pra tapar a boca e a fechei ao redor da dele - o que acha de esquecermos todo esse incidente? - retesou, ele estava surpreso - não quero que nossos filhos cresçam sem o pai deles e, eu te amo Yoongi, não sei se conseguirei sem você - apertou mais minha cintura - só, esqueçamos, vamos começar de novo.
        - (S/n)... - ele havia entendido. Sorri. Levei minha outra mão ao seu rosto e senti suas lágrimas. Aquele era o meu perdão.

        - Yoongi, me dê uma fralda, Soo Ah precisa de outra - limpei bem minha menina e passei o talco.
        - Aqui amor - me entregou. Vesti em Soo Ah, ela riu fofa - hm, Han Jun  sujou a a sala, e não tá nada boa a situação.
        - Como essas crianças fazem isso tudo sendo tão pequenas? - suspiro. Ouço a risada de Yoongi - não ria, só por isso, é você que vai limpar.
        - Aish...
        - "Aish" uma vírgula, vai lá - obedeceu todo emburrado. Ri.
        Sorri pegando Soo Ah no colo e começando a lhe dar de mamar. Os últimos meses foram os melhores da minha vida, sem nenhuma briga, sem desmaio da minha parte, com meu marido mais carinhoso e atencioso. O único problema era que agora ele estava desempregado, Yoongi havia pedido demissão, mas tudo bem, ele consegue algo melhor. E também ele não ia mais ter contato com aquela mulher, o que era maravilhoso já ela também havia sido presa por tentativa de assassinato de uma mulher debilitada.
        - (S/n)! Por tudo que é mais sagrado, vem me ajudar! - ri.
        - Não posso, estou amamentando - o ouvi grunhi.
        - Eu faço qualquer coisa.
        - Qualquer coisa? - apareço na sala. Realmente, que bagunça. Como uma criança de poucos meses conseguia fazer aquilo tudo?
        - Sinto que vou me arrepender... sim, qualquer coisa - suspirou enquanto limpava o carpete.
        - Deixa o Jimin vir jantar com a gente? - fez careta - vamos oppa, você sabe que ele é casado.
        - Não significa que ele ainda não sinta algo por você, você foi o primeiro amor dele se não me engano - fez careta. Ri. Terminei de amamentar Soo Ah, a coloquei no berço e fui ajudar meu marido.
        - Mas você sabe muito bem quem eu escolhi - lhe dei um selinho.
        Ele sorriu e murmurou um "vencido". Terminamos de limpar tudo. Olhamos pro nosso trabalho com orgulho.
        - Daqui a pouco esse apartamento não vai ser o suficiente para nós quatro - comentei. Yoongi me abraçou por trás.
        - É por isso que eu preparei isso - colocou um par de chaves na frente do meu rosto - Namjoon me ajudou, pagou metade como um presente de paternidade - me virei pra olha - lo - pelo seu rosto sei que adorou.
        - Yoongi... - o abracei forte - eu não me arrependo - comentei num sussurro. O senti sorrir.
        Eu havia dado a Yoongi mais uma chance de me fazer feliz,  e ele estava claramente me provando todos os dias, que eu não iria me arrepender de ter lhe dado essa chance.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...