História Imagines - Capítulo 4


Escrita por: ~

Exibições 92
Palavras 1.119
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Ficção, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Não sei se ficou bom, mas espero que vocês gostem!

Capítulo 4 - Imagine Nate Maloley


Não aguento mais olhar pra cara desse garoto. Ele se acha a última bolacha do pacote mano, af que saco. Eu até gosto dele mas sei la, o jeitinho dele me irrita às vezes. Mas enfim eu não me apresentei, falta de educação minha né? Meu nome é (S/N) e estou no segundo ano do ensino médio, bem eu não vou dizer que é um ano legal mas dá pra viver. Enfim, vou parar de falar sozinha e vou logo me arrumar pra escola. Levanto da cama, faço minhas higienes matinais, escolho uma roupa confortável, arrumo meu cabelo e vou tomar meu café.

*na cozinha*

S/M - Filha, fiz waffles!

S/N - Obrigada mãe, já vou começar o dia muito bem! -comi meu café da manhã- Já to indo pra escola!

S/M - Tchau filha, até mais tarde!

S/N - Tchau mãe! -falei pegando uma maçã e indo pra escola-

*na escola*

Chego na escola, falo com meus amigos e fico com eles por lá até a hora do sinal bater. O sinal tocou e eu fui em direção a sala. Entrei e logo catei um lugar pra sentar. -passou um tempo e a professora de geografia começou a falar sobre um trabalho em grupo-

Prof - Então alunos, vou passar um trabalho em grupo e quero pra daqui a uma semana. Vou sortear os grupos.

S/N - Puta que pariu -pensei-

Prof - Samuel, Gabriela, Nathan e S/N.

S/N - Posso trocar de grupo?

Prof - Não. Você vai fazer o trabalho com eles e ponto final.

Depois que a professora terminou de sortear os grupos, continuei assistindo um monte de aula chata até o horário da saída. Quando deu o horário da saída, peguei meu material e fui andando em direção ao portão até a hora que ouço alguém me chamar:

Nate - Ô garota!

S/N - Que foi? -revirei os olhos-

Nate - O Sammy e a Gabs perguntaram se dá pra gente começar o trabalho hoje.

S/N - Pode sim. Avisa pra eles passarem lá em casa 14:00.

Nate - Ah tá legal. Passa logo esse endereço porque eu não to afim de ficar olhando pra essa sua cara.

S/N - Af seu grosso! Toma essa merda logo -entreguei um papel com meu endereço-

Nate - Infelizmente até mais tarde!

S/N - Tchau idiota! -sai andando em direção a minha casa-

Sai logo da escola chorando, porque cassete como eu sou idiota de gostar de um cara babaca como ele que só sabe me humilhar. Que merda pra que eu fui cair no mesmo grupo que ele cara. -sai dos meus pensamentos-

*chegando em casa*

Joguei minha mochila num canto da sala e sai correndo pro meu quarto. Me joguei na cama e chorei mais ainda. Depois de um tempo, lavei meu rosto, comi alguma coisa e esperei o pessoal chegar. Meia-hora depois ouvi a campainha tocar e fui logo atender:

S/N - Quem é?

Nate - E quem você acha que seja? Uma garotinha vendendo biscoitos? -falou frio-

S/N - Ah é você -revirei os olhos e abri a porta-

Nate entrou, sentou no sofá e ficou mexendo no seu celular. Estranhei o fato de ter passado um bom tempo desde que esse babaca chegou na minha casa e o Sammy e nem a Gabs terem chegado ainda. Depois de um tempo esperando, decidi quebrar o silêncio:

S/N - Nate por que você me trata tão mal sendo que eu nunca te fiz nada?

Nate - Porque você é toda metida, patricinha e etc.

S/N - Eu? Quem vive tratando os outros mau e se achando a última bolacha do pacote é você! -falei ficando com raiva-

Nate - Ah cala a boca, chata pra caralho!

S/N - EU NÃO AGUENTO MAIS! -dei um tapa na cara dele e sai correndo pro banheiro-

Que raiva que eu tenho do Nate, ele só me trata mal cara. PORRA O QUE QUE EU FIZ PRA GOSTAR TANTO DE UM FILHO DA PUTA? Passei um tempo chorando e de repente escuto alguém batendo na porta.

S/N - SAI DAQUI NATE!

Nate - Abre a porta por favor!

S/N - Pra que? Pra você me esculachar de novo?

Nate - Deixa eu me explicar!

S/N - O quão você é idiota? Não, obrigada eu já sei disso.

Nate - É sério S/N! Eu sei que você não vai abrir a porta mas eu quero que você saiba que eu sou assim com todo mundo porque eu nunca tive sorte com amizades ou relacionamentos, então sou meio fechado pras pessoas. -interrompo ele-

S/N - Mas precisava descontar seus problemas em mim?

Nate - Não. Não precisava fazer isso porque realmente você não tem nada a ver com meus problemas, mas eu queria te pedir desculpas pelo modo que te tratei até agora. Mesmo sabendo que você não vai me desculpar eu também quero que você saiba que depois que te conheci melhor durante as aulas, percebi que você é incrível e que não merece um babaca como eu.

S/N - Olha eu não sabia dos seus problemas mas dói muito ser tratada como um nada pela pessoa que você a...acabou de conhecer.

Nate - Eu sei que fui rude mas queria mesmo te pedir desculpas porque cada dia que passa você me deixa confuso.

S/N - Como assim confuso? -perguntei com medo da resposta-

Nate - S/N é que...é que... -interrompi ele de novo-

S/N - É que o que?

Nate - É que depois que notei que tava sendo um babaca com você, notei que a cada dia que passava você não saia dos meus pensamentos. Eu continuei me repreendendo porque não queria admitir que eu gosto de você. -falou aliviado como se tivesse tirado um elefante das costas-

Abri a porta e olhei pro Nate e ele estava de cabeça baixa:

S/N - Isso é sério?

Nate - Nunca falei tão sério na minha vida. Você me desculpa? -falou cabisbaixo-

S/N - Eu te desculpo, também não sou perfeita e nada fácil de lidar kkkkk

Nate - Eu te amo tanto! -logo depois que ele falou isso, ele me deu um beijo intenso e cheio de desejo- Logo após ficar uns minutos beijando o Nate, parei o beijo por falta de ar. Como que ele consegue me deixar nas nuvens sem quase nada? -saio dos meus pensamentos com o Nate estalando os dedos-

Nate - S/N??

S/N - Nate eu não sei o que di... -ele me interrompe-

Nate - Shiu! Só diz que aceita namorar comigo.

S/N - Eu te amo Nate, a tanto tempo que eu queria ouvir isso da sua boca. Claro que eu aceito.

Nate - Vem cá linda! -me beijou de novo-



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...