História Imagines - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Personagens Originais
Tags Exo
Visualizações 18
Palavras 1.102
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Ecchi, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Saga, Terror e Horror, Violência

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora. Desculpem se tiver erros e espero que gostem

Capítulo 5 - Fantastic Tales com Oh Sehun - P2


Fanfic / Fanfiction Imagines - Capítulo 5 - Fantastic Tales com Oh Sehun - P2


S/n on~


Yuju: você gostou dele né? 

S/n: claro que não - digo com um sorriso quase que imperceptível 

Estavamos indo até o hospital, eu para ver minha irmã e ela para ir trabalhar.

Yuju: ok, vou fingir que acredito - diz não convencida

S/n: vamos falar sobre outro assunto por favor? - olho para o lado oposto de yuju e vejo minha amiga Solji que acena para mim e eu aceno de volta 

Yuju: para quem está acenando? 

S/n: para minha amiga Solji 

Yuju: vamos logo S/n - diz e me puxa pelo braço 

S/n: para que isso tudo?


Assim que entramos no hospital fui até a sala que minha irmãzinha estava e yuju foi se arrumar para o seu turno.

(...)


S/n: diz tchau para tia yuju

Mi-young: tchau tia yuju - diz minha irmãzinha 

Yuju: tchau florzinha, tchau S/n


(...)


Mi-young: boa noite 

S/n: boa noite - desligo a luz e saio do seu quarto fechando a porta. Vou para a cozinha tomar um pouco de água, e vou para o meu quarto, deito e durmo.


(...)


Mi-young: S/n... - eu a olho - podemos ir ao parquinho?

S/n:  se você quer ir para tomar sorvete, não adianta pedir.

Mi-young: más eu quero tomar sorvete - mi-young ficar repetindo a fala até que eu perco a paciência

S/n: eu vou te levar no parquinho, você vai brincar e vamos comprar pipoca. Se você ficar reclamando, vai ficar em casa, deitada na cama, sem fazer nada. Entendeu?

Mi-young: sim... Sem reclamar....

S/n: isso... Sem reclamar....


(...)


Chegamos no parquinho e vejo Sehun sentado em um banco olhando para o nada.

S/n: vai lá brincar - digo para Mi-young e a impurro levemente até o balanço. Vou até Sehun e o chamo - Sehun? Tudo bem? - ele dá um pequeno pulo de susto ao percebr que eu estava ali.

Sehun: sim, está, obrigado por perguntar - diz sorrindo - vejo que sua irmãzinha já voltou para casa.

S/n: sim, ela voltou ontem.

Sehun: o que ela tinha - explico a ele - ata... - ele encara o balanço 

S/n: o que está fazendo aqui?

Sehun: vendo a paisagem...

S/n: também está sem nada para fazer?

Sehun: sim... S/n...

S/n: sim? 

Sehun: posso te fazer uma pergunta?

S/n: claro!

Sehun: aceita sair comigo?

S/n: claro! Por que não?! - ele abre um lindo sorriso e olha para mim.

"ah, que belo sorriso"


Sehun: te encontro aqui às 21:00, tudo bem por você? 

S/n: claro! - Mi-young vem correndo em minha direção e diz

Mi-young: podemos comprar pipoca agora? - pergunta fazendo aegyo (acho que é assim aue se escreve)

S/n: vamos... Tchau Sehun... - aceno para ele

Sehun: tchau S/n - acena de volta


(...)


Sehun me levou para um restaurante não muito caro, más bem arrumado. Depois me levou até uma praia.

Sehun: gosto de ver a luz da lua iluminar as águas. - diz se sentando na areia, me sento ao seu lado.

S/n: também... - o olho, ver aquele rosto sendo iluminado pela luz da lua era o que eu precisava para ganhar meu dia.

Sehun: o que hove? - ele me olha do mesmo jeito que eu estava o olhando... apaixonadamente. O espaço entre nossos lábios era pequeno. Então Sehun acabou com esse espaço, ele me beijou de forma calma e intensa, estilo filmes românticos. O clima começa a esquentar quando ele passa as mãos por minhas coxas. Paro o beijo e digo

S/n: é melhor irmos embora.

Sehun: concordo... - ele se levanta e me ajuda a levantar. Andamos em direção ao carro. Entramos e ele se vira para mim. - desculpa... Eu não queria fazer aquilo.

S/n: não tem problema - passo minha mão direita por seu rosto - agente pode terminar o que começou - ele abre um enorme sorriso - más não aqui e nem agora.

Sehun: tudo bem - diz cabisbaixo - tem problema se eu passar na minha casa primeiro antes de te levar para a sua?

S/n: problema nenhum... - ele liga o carro e segue viajem. Em poucos minuto chegamos em sua casa.


S/n: quer que eu espere no carro? - pergunto antes dele sair do carro

Sehun: não precisa. - saio do carro e o sigo, ele abre a porta, entra e diz - pode entrar - ele sobe as escadas que tinha indo para uma porta e entando na mesma. Me sento no sofá e olho para o nada. Sinto um beijo em meu pescoço e percebo que era Sehun. Ele da a volta no sofá se sentendo virado para mim e me beija.

Quando percebo, já estava na cama apenas com minha calcinha e ele nú.

Sehun: o que quer que eu faça primeiro? 

S/n: que você me faça sua. - ele tira minha calcinha em um ato rápido, e me penetra dois dedos, seus movimentos eram rápidos, e nesse ritmo gozo rapidamente. 

Sehun: agora cavalga em mim - ele deita na cama e eu ponho uma perna em cada lado do seu corpo, desço devagar deixando seu membro entrar em mimha intimidade. Ele era grande e grosso  e por isso doeu quando comecei a quicar. Ele segura na minha cintura me ajudando a quicar em seu membro, chego rapidamente ao ápice. - agora fica de quatro - o obedeço e ele me penetra novamente, dessa vez devagar para que eu pedisse por mais 

S/n:..Se...hun...mais..rapido...por...favor... - peço e ele concede meu pedido - mais....rápido.....se....hun....oppa... - ele para os movimentos e começa um, devagar quase parando - o que houve? - tento me virar para trás e não consigo

Sehun: não é oppa, é daddy! - diz se inclinando para falar no meu ouvido, àquilo me deixou molhada e acho que ele percebeu isso pois riu pelo nariz e voltou a posição que estava antes.

S/n: mais rápido DADDY!!! - ele se moveu tão rapidamente que de dois em dois segundo a cabeceira da cama batia contra a parede. Chego ao meu ápice rapidamente e ele logo depois. Nos jogamos na cama exaustos, e nos beijamos.

Sehun: essa foi a melhor noite da minha vida, apenas por que você estava nela.

S/n: Eu te amo

Sehun: Eu também 


[...7 anos depois...] 


Hoje é aniversário da nossa filha Oh Se-yeon. Ela estava fazendo dois anos. Eu estava com vinte e cinco e Sehun com vinte e seis.

Quando estava voltando do supermercado vejo Solji na praça com  telefone no ouvido, passo direto. Quando chego em casa, vejo que Yuju estava lá. A chamo

S/n: Yuju! Pode vir aqui na cozinha um minuto por favor?

Yuju: claro... - ela vai até a cozinha e senta em um banco que ficava na frente do balcão - pode dizer...

S/n: porque antigamente você não gostava quando eu falava com a Solji?

Yuju: bom... - ela põe as mãos no rosto e logo tira - é  por que ela queria destruir sua família... Resumindo... Ela queria te matar...


Não acredito 



Fim...
































































Notas Finais


Até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...