História Imagines Boku No Hero - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Bakugo Katsuki, Lida Tenya, Midoriya Izuku, Personagens Originais, Uraraka Ochako
Tags Boku No Hero, Imagines
Visualizações 266
Palavras 864
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


PARA TUDO E ADMIREM ESSA MÍDIA LINDA!

deu, agora pode continuar 😂 Antes de mais nada queria avisar uma coisa: VAI TER UMA PARTE ENTREABERTA NO CAPÍTULO ONDE VOU DEIXAR VOCÊS BOLAREM TEORIAS SOBRE O QUE ACONTECEU! no fim vai estar lá a verdade por trás de tudo, mas vocês podem ficar com as idéias de vocês (afinal é uma imagines)

informações básicas

s/n: seu nome
s/s: seu sobrenome
s/n/c: seu nome completo
s/a: seu apelido

Individualidade: Liberação sonora!

Na palma das mãos, existem espécies de furinhos que captam qualquer tipo de som e o libera. A mão esquerda capta (ou absorve) e a direita libera do jeito desejado pela pessoa (mais grave, mais alto, mais baixo, mais agudo).

Capítulo 25 - Lullaby ❇ Toshinori Yagi


Fanfic / Fanfiction Imagines Boku No Hero - Capítulo 25 - Lullaby ❇ Toshinori Yagi

(S/N) Point Of Vision

Estendo os braços para cima, entrelaçando os dedos de ambas as mãos e esticando as costas. Passar um dia revisando as fichas dos alunos veteranos deste ano era extremamente cansativo, mas felizmente pude sair da Yueei. Pelo menos eu já estava acostumada, fazem dois anos que trabalho no lugar. Despeço-me dos outros professores guardando minhas coisas na bolsa logo depois e indo para casa. Posso ainda estar andando em direção ao metrô, entretanto, meus pensamentos estão lá em casa onde uma banheira quente faria meus músculos descansarem. É claro que não era só isso o foco das minhas ideias, perguntava-me se Toshinori já estaria em casa.

Toshinori Yagi, mais conhecido por todos como All Migth, é também meu namorado. Tudo bem que esse namoro está praticamente sendo um casamento sem documentos ou aliança... Estávamos juntos há quase sete anos. Ainda estou esperando um pedido descente de casamento mas também entendo o fato de que estou compromissada com o herói número um vulgo símbolo mundial da paz. Como uma heroína, tenho que compreender este lado. Estar junto dele é mais que suficiente para mim.

— Amor? — Chamo entretanto não há resposta.

Suspiro, ele deve estar salvando o mundo ou algo do tipo. Finalmente posso tirar os tênis apertados dos meus pés e relaxar um pouco, indo direito para o lavabo banhar-me. Pode não ser ecologicamente correto mas depois de encher a banheira e deixar a água quente subir sobre mim como um cobertor úmido, perdi a noção do tempo; apenas tomando-a de volta quando minha barriga ronca. Coloco meu pijama e vou preparar alguma coisa para comer, faço em dobro pois provavelmente quando Toshinori chegar vai estar morrendo de fome. Apesar de estar acostumada a ficar sozinha em casa, ainda pesa muito o silêncio, principalmente com uma individualidade que usa as propriedades do som — o som em si na realidade.

Terminei de preparar uma lasanha pois era a coisa mais prática dentro do congelador. Arrumo as coisas depois de jantar vendo-me livre das obrigações e pronta para algumas atividades de lazer. Fui para a sala, sentando na poltrona perto da janela e lendo um livro. Outra vez fui escrava do tempo, percebendo apenas ter sucumbindo as suas vontades ao adormecer iluminada pelo sol poente.

Toshinori Yagi Point Of Vision

O treinamento diário do jovem Midoriya havia terminado e pude voltar para casa. Valia a pena cada segundo dedicado ao menino que herdaria o One For All, contudo, voltar para casa tarde da noite também era exaustivo. Principalmente quando todas na maioria das vezes, S/N já estava adormecida após um longo dia de trabalho. Sorri involuntariamente ao me pegar pensando na mulher. É doloroso deixar de depositar mais atenção a ela ou no nosso relacionamento, assim como vê-la desejando dar um passo a mais, partindo para um casamento. Não é como se eu não quisesse também, mas sendo quem eu sou, fica complicado.

— S/A..? — Falo em tom baixo pois ela provavelmente estaria dormindo.

Entro na casa cansado e faminto, pronto para ir comer algo quando vejo-a deitada toda torta na cadeira da sala. Solto um suspiro, sorrindo em seguida.

— Pelo visto foi um dia e tanto — Sussurro sabendo que ela não irá ouvir.

Vê-la dormindo tranquila era como ver uma obra de arte no museu, perfeita e fixadora. Os cabelos (cor dos cabelos) estavam caídos sobre o rosto, os lábios (forma dos lábios) entreabertos deixando um filete de baba escorrer, a respiração cansada devido um longo dia de trabalho, a manga da blusa larga — que na realidade era minha — caída revelando os ombros e uma parte do seio. Podia ficar ali, admirando cada partezinha dela eternamente. S/N se mexe, procurando uma posição melhor. Vou até ela, segurando-a em meus braços e indo na direção do quarto para deixá-la mais confortável. Estava pronto para sair do cômodo quando sinto a minha camiseta ser segurada. Olho para trás vendo aquela mãozinha pequena e delicada impedindo-me de sair.

— Fica aqui... — Sua voz ainda é sonolenta. — Até eu dormir de novo...

Outra vez dou um sorriso. Não posso negar um pedido desses para ela. Deito ao seu lado, ela vira para mim chegando mais perto e encostando seu rosto em meu peito, passo os braços pelas costas dela segurando-a como se fosse sumir caso a soltasse. S/N começa a murmurar uma musiquinha, ela adora entoar pequenas canções de ninar antes dela mesma dormir. No fundo sei que a garota faz isso como um tipo de "consolo", tapando a parte que falta do seu coração onde um amor específico deveria estar localizado. Um amor que a fez sofrer muito ao perder.

— Se essa rua fosse minha
Eu mandava ladrilhar
Com pedrinhas de brilhante
Para o meu amor passar

Nessa rua tem um bosque
Que se chama solidão
Dentro dele mora um anjo
Que roubou meu coração

Se eu roubei teu coração
Tu roubaste o meu também
Se eu roubei teu coração
É porque te quero bem...

Ela sussurra, dando-me o privilégio de ouvir sua doce voz. S/N pode não conseguir direcionar essa canção de ninar para a pessoa certa, mas eu sempre estarei aqui para ouvir.

— Eu te amo... — Digo dando-lhe um beijo à testa.

— Amo-te também, Toshinori.

E antes que pudéssemos perceber, ambos havíamos adormecido, embalados nas notas daquelas cantigas.



Notas Finais


FIM do capítulo com o Toshinori!

Gostaram, odiaram? Comentem!

ficou meio confuso ali no meio né? mas calma, como eu disse lá em cima (se é que vocês leram 😂), vou explicar:

A personagem S/N deste capítulo perdeu o filho que ela ia ter com o Toshinori, por isso, ela sempre canta antes de dormir para preencher esse espaço faltando.

Cá entre nós, eu achei uma dificuldade relevante porque acontece muito... E é fofo o jeito que os dois superam isso 😊

bom, até mais, xoxo tortinhas de limão 💜💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...