Hist√≥ria Imagines Btsūüíõ‚úć - Cap√≠tulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga
Exibi√ß√Ķes 149
Palavras 3.016
Terminada N√£o
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
G√™neros: Hentai, Musical (Songfic), Shoujo (Romântico)
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta hist√≥ria s√£o apenas alus√Ķes a pessoas reais e nenhuma das situa√ß√Ķes e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma fic√ß√£o. Os eventuais personagens originais desta hist√≥ria s√£o de minha propriedade intelectual. Hist√≥ria sem fins lucrativos, feita apenas de f√£ para f√£ sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que goste amorr <3 <3
Caprichei bastante‚̧

Atencão: Kim Taehyung/Romântico

Cap√≠tulo 22 - Imagine Tae Tae para a SkarLightūüíüūüėô


Olhava fixadamente para meu reflexo no espelho, minha tia já havia me avisado que faltava pelo cinco minutos para irmos. Uma lágrima escorreu de meu rosto e eu estava com medo, medo de ter feito tudo errado, de ter feito a decisão a errada. Meu coração batia disparado no peito, eu não podia estragar a maquiagem, mas estava sendo impossível. Comecei a pensar na minha vida, em tudo que me fez estar aqui, e quando me perguntei se eu estava mesmo feliz, eu não sabia responder. Me olhei no espelho maior, onde dava pra me ver de corpo inteiro, desci e subi os olhos pelo vestido branco e suspirei, era isso. Peguei meu celular encima da penteadeira e procurei pela conversa de Taehyung, a abrindo e lendo a última mensagem que ele me mandou.

“Espero que você seja feliz" 


Me perguntava o que tinha acontecido com nós dois. O que aconteceu com aquele amizade?  Ele era a pessoa mais importante na minha vida, e tudo simplesmente mudou. Se ele tivesse vindo e me falado o que sentia, eu teria desistido, mas ele não veio, e agora é tarde. Ali, sentada naquela cadeira, comecei a lembrar de como cheguei até esse dia, comecei a lembrar da minha história com Kim Taehyung.

Alguns anos atrás (…)

Cara, meu melhor amigo era a pessoa mais insuportável do mundo. Existe um menino que demora mais pra se arrumar do que uma menina? Sim! E esse menino se chama Taehyung. Gritava da sala que íamos nos atrasar para a aula, mas parece que ele não escutava. 


— Eu vou ir sozinha se você não descer agora! — Gritei.


Avistei o garoto descer correndo as escadas de sua casa, os pais dele haviam viajado — e era por isso que eu estava gritando sem me preocupar — revirei os olhos quando vi aquele sorriso retangular dele. 


— Não seja chata __________, eu tenho que estar lindo. 


— Tá bom, tá bom. Vamos — Falei rindo.


Primeiro dia de primavera, várias árvores floridas pelas ruas, essa era a estação que eu mais amava. V falava coisas sem sentido enquanto andávamos até a escola, contou a história de um esquilo que se apaixonou por um hamster e viveram uma linda história de amor. Eu sinceramente não sabia onde que ele ouvia essas histórias, mas eu sempre ria muito, então tudo bem. 


Eu e ele estudávamos na mesma sala desde sempre, foi assim que nos conhecemos. Eu lembro que eu sempre achei ele um pouco fora da casinha, mas eu não me importava, eu também era. E então viramos amigos, e estamos assim desde então. Mas nós nem percebemos que já estávamos no último ano do ensino médio, e mesmo que aquilo em assustasse, eu sabia que ele estaria ali pra me dar uma risada exagerada, mas que sempre melhorava o meu dia. Aquela era a última aula do dia, Matemática, eu até que gostava, mas ele não, e por isso ficava me enchendo a aula inteira. 


— E se fôssemos abduzidos? — Ele me perguntou depois de me cutucar pelos menos uma dez vezes.

— Espero que eles te abduzam agora — Falei sorrindo.


— Eu gostaria de ser abduzido, mas confesso que tenho um pouco de medo. Você não tem? 


— Taehyung!


Para a minha sorte, eu falei um pouco alto demais e o professor virou para me encarar com uma cara muito assustadora, parecia que ia me matar.


— Vocês dois tem alguma coisa para conversar? Pois bem, podem conversar na sala do diretor, agora! — O homem disse indicando a porta com o dedo. 

Me levantei e fui até a porta com Taehyung ao meu encalço. Quando saímos eu dei vários tapas nele.


— Eu vou te matar se o diretor ligar pra minha mãe.


O garoto começou a rir da minha cara e eu fiquei muito irritada, saí da frente dele e fui andando á passos firmes até a sala do diretor.

Após irmos a sala do diretor e levarmos uma bela de uma bronca e um castigo bem interessante — ou não — Nós voltamos para a sala de aula para pegar nossos materiais, já que passava da hora de ir embora e todos os alunos já tinham ido. Assim que colocamos os pés pra fora da escola, uma chuva muito forte começou a cair, molhando nós dois por inteiro. Eu corri para sair de baixo daquela chuva, mas Taehyung me puxou de volta pelo braço. 


— O que você tá fazendo? — Gritei para ele.


— Banhos de chuva são legais, vem, vai ser legal.


Eu parei e olhei para ele, aquele sorriso lindo estava em seu rosto e eu não pude recusar. Comecei a rodar junto com ele, a chuva devia estar molhando meus materiais, então coloquei eles em um lugar coberto e voltei para a chuva. Nós corremos pelo lugar, escorrei algumas vezes, caindo no chão e escutando V rir muito da minha cara. Ele segurou minhas mãos e eu segurei as dele, começamos a girar sem parar, rindo como dois bobos. Depois voltamos para pegar nossos materiais e estávamos rindo muito, mas não sei o que me fez parar de rir e olhar diretamente em seus olhos, ele fez o mesmo e ficamos assim até um trovão fazer eu pular de susto, nós rimos muito, muito mesmo. 


— Esse pegou você hein — Ele disse segurando sua barriga.


— Cala a boca — Disse, dando um soquinho em seu ombro. 


Nós fomos para casa naquela chuva, pois ninguém poderia ir buscar a gente naquele horário. Estava totalmente encharcada quando cheguei, mas valeu a pena. Subi as escadas e tomei um banho, lembrando de tudo e rindo bastante. 


Eram três horas da manhã quando eu acordei, meu celular vibrava embaixo do travesseiro e quando fui ver quem era, o nome "Taehyung” estava estampado na tela. 


— Você só pode estar brincando…


— Eu vou ir com Katherine no baile!!! — Ele disse me cortando.


Eu me sentei na cama e fechei os olhos naquele momento, sentindo meu coração se apertar. 


— S-Sério? — Falei, tentando não transparecer nenhuma emoção. 


— É, eu sei que você não vai com a cara dela, mas é que… Não sei, eu finalmente vou ir com ela! 


— Eu achei que a gente fosse ir junto — Dei uma risada meio forçada — Mas tudo bem, não tem problema algum, vou dormir Taehyung, boa noite. 


E assim eu desliguei o telefone, me deitando na cama, com raiva. Raiva por eu sentir aquilo, raiva daquela garota ridícula que se acha a mais bonita e invejada do colégio, raiva de meu melhor amigo ter coragem de sair com uma garota dessas, mesmo sabendo de tudo o que ela já fez com seus ex-namorados. Ele é meu melhor amigo, me importo muito com ele e tenho medo que ele se machuque por garotas que, simplesmente, não são as certas pra ele. Mas quem sou eu pra dizer alguma coisa né? A vida é dele, ele faz o que bem entender.

(…)


Estava distraída, com meus fones de ouvido, estudando na biblioteca. De vez em quando olhava a hora, não poderia ficar muito tempo ali, se não minha mãe me mataria. Me espreguicei e levantei da cadeira, andando até uma das estantes de livros de Biologia, procurava o título, passando meus olhos sonolentos pelos nomes, mas percebi que havia alguém do outro lado da estante, e eu cruzei os olhos com a pessoa, umas três vezes. Quando cheguei no fim da estante, eu reconheci o rosto de Scott.


— ___________, quanto tempo — O garoto disse com um sorriso descontraído. 

— Sim, sim. Como você tá? 


— Tudo certo — Ele riu — Então, procurando o que?


E assim Scott me ajudou a achar o livro de Biologia e como ele já tinha feito aquela prova, me ajudou a estudar. Somos amigos, não tão próximos assim, mas somos. E parece que sempre que nos encontramos, era como se nada tivesse mudado, eram as mesmas brincadeiras, o mesmo jeito descontraído de conversar. Depois de estudarmos, ele quis ouvir música, e eu lhe dei um fone e eu fiquei com o outro, coloquei uma banda que gostava muito, My Chemical Romance. E ficamos ali, curtindo aquela música. Quando olhei o relógio, descobri que já não poderia mais ficar ali. Peguei minhas coisas e dei um tchau rápido para Scott.


— Ei, espera — Ele disse segurando meu pulso.


— Hum? — Falei virando-me.


Ele sorriu e coçou a nuca.


— Você quer ir no baile comigo? 


Eu sorri para ele e acabei lembrando de Taehyung, mas sabia que ele iria com Katherine. 


— Claro, te vejo lá.

As semanas foram passando bem rápido e quando me dei conta, o baile já era no dia seguinte. A escola inteira estava se organizando para fazer os preparativos, nossa sala se dividiu em vários grupos parar organizar o baile, eu fiquei no grupo de decoração e Tae também. Durante as organizações, percebia o olhar de Scott sobre mim, eu sorria de volta pra ele, não sabia direito por quê, mas sorria. Kim ficava me contando de quantos ele matou em seus jogos e eu dava risada, lembrando de todas as vezes que venci ele no video-game. Após arrumarmos tudo, eu fui pra casa me arrumar, tomei banho, me maquiei, enrolei os cabelos e coloquei o vestido rosa claro que estava encima da cama. 


— Filha, já tá pronta? 


— To sim mãe, to descendo. 


Sabe quando sua mãe te olha de cima a baixo, como se você fosse alguma atriz ou cantora muito famosa? Era assim que minha mãe estava me olhando agora, eu morri de vergonha e sorri, olhando pra baixo.


— Filha! Você tá parecendo uma princesa! 


— Obrigada mãe — Dei algumas risadinha envergonhadas — Vamos? 


— Vamos.


(…)


Chegamos na escola e minha mãe quase atropelou um casal que atravessava a rua, eu dei um pequeno  gritinho, colocando a mão no peito e dando lição moral — irônico, não? — na minha mãe. 


— Tchau mãe, beijos — Falei abrindo a porta.


— Tchau filha, divirta-se. Vou te buscar ás 3, tudo bem? 


Acenei com a cabeça e saí do carro. Adentrei a escola e já pude ouvir a música alta, continuei caminhando até encontrar Scott, não muito longe de onde eu estava. Naquele momento, pareceu uma cena de algum filme, ele olhou para mim e ficou sem reação, eu sorri e fiquei sem jeito, andando até ele logo depois. 


— Você tá linda.


— Obrigada — Falei rindo. 


— Dança comigo? — Ele disse estendendo sua mão. 


— Mas é claro. 


As músicas estavam agitadas agora, então nós dançamos mais descontraidamente, pelo menos umas cinco músicas. Porém, eu acabei esbarrando em Taehyung e, ironia do destino ou não, a nossa música começou a tocar. Eu esqueci com quem tinha vindo aquele baile, e comecei a dançar loucamente com V. Ali, nada importava, eu apenas queria dançar muito, junto com ele. Estávamos dançando de um jeito tão louco e único que abriram uma rodinha ali no meio para dançarmos. A música acabou e recebemos palmas de todos ali, agora uma música lenta começou a tocar e nós voltamos para os nossos pares. 

— Eu lembro dele, seu melhor amigo né? — Scott perguntou, segurando em minha cintura e começando a dar os passos da dança. 


— Isso. 


De vez em quando, só de vez em quando, eu olhava para Taehyung e Katherine, meu coração começou a bater mais forte, não sabia direito por quê, talvez ciúme. Afastei aquele sentimento e olhei para outro lugar. 


Depois de dançar mais algumas músicas, eu fiquei cansada e sentei em uma das mesinhas ali. Meus pés doíam por conta do salto, então os tirei por um tempinho. Scott foi pegar algo para nós dois comermos e eu fiquei ali, descansando. 


— Por que a senhorita está aqui sozinha? — Perguntou V, com as mãos nos bolsos. 


— Por que Scott foi pegar comida. Cadê a Katherine? — Perguntei de volta. 


— Ela está dançando com as amigas dela.


— Legal. 


— E você, me daria a honra de dançar comigo? 


— Taehyung, meu pé tá doendo, e Scott vai voltar daqui a pouco. 


— Por favor!!! 


Kim praticamente gritou e só não foi ouvido pois a música estava alta. E depois, vendo a minha vergonha, sorriu, aquele sorriso retangular que fazia ele parecer uma criança, e que me fazia concordar com qualquer coisa que ele me pedisse. Então recoloquei o salto e segurei a mão dele, o levando para a pista de dança, a música era lenta, dificilmente dançávamos músicas lentas, mas ali foi um exceção. Segurei seus ombros, ele segurava minha cintura, e assim, começamos a nos embalar, seguindo o ritmo da música. 


— Se você pisar no meu pé, eu te mato — Disse ele em meu ouvido.


— Pode deixar que eu vou pisar — Falei rindo. 


Depois de um tempo, eu disse.


— Tae, vou voltar pra mesa agora, tá? 


— Tá — Ele disse e sorriu. 


Voltei para a mesa e Scott estava voltando no mesmo momento, com vários docinhos e um refrigerante em mãos.

Taehyung on (Bônus)


Olhei para Katherine, ela ainda estava dançando com as amigas. Depois, olhei para _________ e Scott estava lá com ela, distribuindo sorrisos. Eu sabia que ele gostava dela, já havia me dito isso há um tempo. Mas cara, eu sempre fui apaixonado por ela, e vendo ela com ele me fazia queimar de dentro pra fora. Decidi ir embora daquela festa, porque sinceramente, ficar olhando aqueles dois estava me deixando louco. 


(…)


Recebi algumas mensagens dela no dia seguinte, perguntando onde eu estava, e eu disse que não estava me sentindo muito bem e fui pra casa. O que mais me deixava frustrado era que, eu deixava todos os tipos de provas de que gostava dela, tava quase estampado na minha testa, mas ela não percebia. E eu não a culpava, nós sempre fomos melhores amigos, e ela acha que é isso que somos, mas eu sei, eu tenho certeza, que somos muito mais que isso. Estava tentando dormir, quando meu celular vibra, uma mensagem, desbloqueei o celular e pude ver que era de _____________.


Posso te fazer uma pergunta? 


Eu dei risada e logo respondi. 


Não.


Mentira, pode perguntar. 


Por que você não me levou ao baile? 


O sorriso logo sumiu de meu rosto e meu coração se acelerou. 


Eu estava pronto pra dizer pra Katherine que ia levar você sim, mas quando fui perguntar á você, me disse que iria com Scott. Ai eu… nem te perguntei. 


Cinco minutos depois, ela disse.


Tudo bem, eu te entendo.


Dias atuais (…)


Depois disso, nós paramos de conversar, focamos muito nas provas finais e fomos, aos poucos, esquecendo da nossa amizade. Não tem um segundo em que eu não me arrependa disso, mas agora era tarde demais. Me levantei e caminhei até a limousine que já me esperava, com o pensamento longe, perdido no tempo. Cheguei a frente da igreja e um de meus tios abriu a porta, eu estava muito nervosa e com muito medo também. Meu pai me esperava próximo a porta e eu fui até ele, segurando meu vestido. A música começou e todos se levantaram, pude ver Scott no fim do corredor, sorrindo feito bobo e parecia estar tão nervoso quanto eu. A cada passo que eu dava, meu coração se apertava mais, como se eu estivesse fazendo a coisa errada, como se eu precisasse parar com aquilo naquele momento. Ignorei o sentimento, até eu olhar para a os olhos de Scott e perceber que, não eram os olhos de Taehyung. Era óbvio, mas foi como se eu tivesse aberto meus olhos. E quando o padre perguntou se eu aceitava ele na minha vida, eu respirei fundo, olhei para todos os lados, e disse não. Saí correndo daquela igreja, iria o mais longe possível, lágrimas já escorriam pelo meu rosto, o que eu estava fazendo? Parei em um bosque cheio de banquinhos, me sentei em um deles e tirei meu véu e meus sapatos. Estava acabada, com raiva de mim por não ter percebido aquilo antes, algo que sempre esteve embaixo do meu nariz e eu nunca notei. Ouvi passos e quando olhei para cima para ver quem era, me deparei com meu melhor amigo. 


— O que você está fazendo aqui? — Perguntamos ao mesmo tempo.


Sorrimos e eu lembrei que essa sempre foi uma mania nossa. 


— Você se casou com ele?


— Não, eu… desisti. 


Ele suspirou, ficamos um tempo em silêncio, ouvindo apenas o barulho do vento e dos pássaros.


— É engraçado, na verdade — Ele olhou para o céu e riu — Eu estava na minha casa, sentado no sofá e pensando “A garota que eu sou completamente apaixonado, a minha garota, está se casando com outro cara agora”  Mas é, você não é a minha garota, e isso é bem duro de aceitar. Eu estou aqui porque, eu namorei com muitas garotas e, eu procurei o timbre da sua voz, mas sempre esteve em você, eu procurei o seu sorriso, a sua risada, mas sempre esteve em você. Eu procurei o seu olhar, mas sempre esteve em você. Cara, eu até procurei suas manias, mas sempre estiveram com você. Por que sempre foi você, sempre vai ser você.

Eu estava tão chocada que nem percebi que ele se aproximou de mim, e estava a minha frente agora, sua mão foi até minha bochecha e acariciou o local. Eu fechei os olhos, sentindo tudo no lugar, tudo como deveria estar, onde eu deveria estar. 

— Sabe porque eu desisti? Eu simplesmente percebi que, o homem que eu sempre amei, que eu amo e sempre vou amar, sempre esteve ao meu lado. Era você Taehyung, era você


Foi o necessário, fechamos os olhos e aos poucos, fomos aproximando os lábios, ele colocou suas mãos na minha cintura e eu senti que o mundo estava em paz, que eu não precisava de mais nada, o nosso primeiro beijo foi calmo, mas foi tão intenso ao mesmo tempo. Nós sorrimos em meio ao beijo e eu senti o garoto me apertar mais contra si.


— Fica tranquilo. Eu to aqui, e não vou sair nunca mais.


— Nunca? — Ele perguntou, beijando meu nariz.


— Nunquinha — Falei sorrindo. 


Notas Finais


Tomara qu tenha gostado💟😙
.
.
.
Comentem‚Ě£


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usu√°rios deixam de postar por falta de coment√°rios, estimule o trabalho deles, deixando um coment√°rio.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...