História Imagines EXO - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Tao, Xiumin
Tags Baby
Visualizações 181
Palavras 1.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi Flores, mais um capitulo saindo do forno, eu espero que vocês gostem! Boa Leitura.

Capítulo 44 - Imagine Kai (O encontro)


Fanfic / Fanfiction Imagines EXO - Capítulo 44 - Imagine Kai (O encontro)

Imagine EXO – Jongin.

Eu fico fazendo círculos sobre o peitoral do Jongin e ele continua fazendo carinho no meu cabelo. Do nada o mais velho começa dar risada.

- O que foi? – pergunto levantando e sentado sobre os joelhos e assim ficando de frente para ele.

- Nada não, é besteira. – comenta o Jongin ainda rindo.

- Oppa, me conta. – pedi, arrumando o meu cabelo em um coque.

- Eu estou apenas feliz. – comenta o Jongin encostando-se à cabeceira da cama.

- Hum sei, está feliz por quê? – pergunto cruzando os meus braços.

- Eu não posso ficar feliz? – responde o Jongin passando a mão sobre o cabelo.

- Pode, é um país livre. – comento mostrando língua.

Nós ficamos em silencio e ele voltou a dar risada.

- Jongin Oppa, para de rir sem motivo. – comento pegando o travesseiro e batendo nele.

- Que isso, é briga agora, você me paga. – comenta o Jongin que tira o travesseiro da minha mão.

- O que vai fazer me bater? – pergunto sorrindo.

- Não, isso. – responde o Jongin que me derruba para outro lado da cama.

Ele começa a fazer cócegas na minha barriga. Alguns minutos depois o Jongin para as cócegas, se alinha ao meu corpo, coloca a minha perna na sua linha de cintura e me da um selinho bem demorado.

Eu pego na sua nuca e coloco a minha outra perna em volta da sua cintura e ele pega forte na minha coxa, eu mordo seu lábio inferior, nós damos alguns selinhos, até que a sua língua pede passagem e eu a deixo entrar. O nosso beijo começa calmo, ás nossas línguas se comunicavam dentro das nossas bocas suavemente. Nós fomos damos alguns selinhos e assim nós terminamos o nosso beijo.

O Jongin se deita sobre os meus seios, nos cobrir e assim nós acabamos dormindo.

Na manhã seguinte, eu acordo com alguém fazendo um carinho levemente na minha bochecha, abro os olhos e junto com raios de sol e vejo o Jongin deitado do meu lado.

- Bom dia. – sussurra o Jongin ainda fazendo o carinho na minha bochecha.

- Bom dia. – sussurro um pouco sonolenta. – Que horas são? -  completo bocejando.

Ele pega o celular e me mostrar á hora.

- Eu tenho que ir. – comento levantando da cama.

- Eu te levo. – avisa o Jongin se levantando.

Nós arrumamos e ele me leva para casa.

- Você mora em uma oficina? – pergunta o Jongin parando o carro.

- Não, eu só vim buscar o meu carro. – respondo tirando o cinto de segurança.

- Então não precisa de carona? – pergunta o Jongin se apoiando sobre o volante.

- Não. Tenha um bom dia. – respondo pegando a minha bolsa.

Eu sinto o mais velho pegar no meu braço e me dar um selinho.

- O que vai fazer mais tarde? – pergunta o Jongin se afastando.

- Eu vou ficar em casa assistindo um filme. – respondo pegando no seu queixo.

- Posso ir ficar com você? – pergunta o Jongin molhando os lábios com a língua.

- Sim pode depois eu te mando o endereço da minha casa. – respondo dando um selinho.

Nós nos despedimos, saio do carro, entro na oficina e pego o meu carro. Alguns minutos depois eu já estava em casa. Mais tarde eu mando o meu endereço para o Jongin. Vou para o banheiro, tomo um banho quente e levo os meus cabelos, água quente relaxa os músculos e me da energia. Após o meu longo e demorado banho, pego a tolha me enxugo, a enrolo no meu corpo e pego outra toalha para o meu cabelo. Eu pego uma lingerie roxa com preta, coloco uma saia curto de couro, cintura e levemente rodada e uma regatinha de branca de alcinha fininha, eu vou para cozinha e faço uma pipoca.

Algumas horas depois, o Jongin chega, eu vou abrir e ele estava usando uma calça jeans preta, uma camisa azul clara com um bolso e um boné preto virado para trás.

- Oi. – comento o Jongin com sorriso.

- Oi, entra. – comenta dando passagem para ele.

O mais velho entra e após alguns minutos, nós estávamos sentados no sofá com balde de pipoca e um filme de terror. Eu estava muito concentrada no filme. Tanto que eu demoro a perceber que tinha uma mão na minha coxa.

- Que seja o Oppa. – sussurro com medo.

Quando eu levo susto com a cena do filme eu dou grito muito alto, depois eu olho para a minha coxa a mão estava lá, olho para o lado o Jongin sorrio.

- Desculpa, é que eu queria pegar a pipoca. – comenta o Jongin sorrindo.

Eu começo a dar risada e passo a pipoca para ele, na televisão passava uma cena quente, eu sinto o meu cabelo ser jogado para o lado e algumas mordidas levemente.

- Oppa nós vamos perde o filme. – comento tentando prestar atenção no filme.

O Jongin vira o meu rosto morde o meu queixo e conta o final do filme, eu levanto do sofá e começo a reclamar. O mais velho pega no pulso e me puxa, eu sento no seu colo ele me beija e eu o sinto subir a minha regata, nós afastamos e logo a minha regata vai para no chão, eu tiro seu boné e a sua camisa e nós voltamos aos beijos.

Eu começo a rebolar no seu colo o Jongin aperta a minha cintura, vai descendo para a saia onde ele sobe e começa dar algumas palmadas bem fortes no meu quadril.

Eu podia sentir as mãos do mais velho subindo pelas minhas costas chegando ao meu sutiã e quase o abrindo, quando seu celular começou tocar.

- Deixa tocar. – comento marcando o seu pescoço.

- Pode ser importante. – comenta o Jongin afastando umas das suas mãos.

Nós paramos e ele atende após a ligação ele diz que tinha que ir embora por causa do trabalho. Eu saio do seu colo, um pouco chateada, ele coloca a sua camisa de volta vamos até aporta, bem agarradinhos. Logo ele foi embora e eu volto para sala me jogo sofá e pego seu boné.

 Que homem era aquele, uma hora calmo e carinhoso na outra ele era um selvagem. Nunca pensei que um filme de terror seria tão bom assim.


Notas Finais


Desculpe pelos erros ou por qualquer coisa.
Por hoje é só, até o próximo.
Beijinhos da Tiah e Tchazuinho. >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...