História Imagines, K-pop - Capítulo 3


Escrita por: ~

Visualizações 101
Palavras 1.114
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


a pedido de
~Contuuu74

Eu postei hoje, mas amanhã ta,bém vai ter (eu acho).

Capítulo 3 - Melhores amigos, Namjoon - BTS


Fanfic / Fanfiction Imagines, K-pop - Capítulo 3 - Melhores amigos, Namjoon - BTS


-NAM... Ô de casa... Tô entrando... – gritei entrando na casa de Namjoon.

Não recebi resposta, então fui pra cozinha, peguei uma cerveja e subi para o segundo andar da casa, onde fica o seu quarto. A casa tem três andares e o terceiro, eu sou, estritamente, proibida de subir, por quê? Não sei.

Abri lentamente a porta do quarto de Namjoon, estava vazio, mas um pouco desarrumado e com... uma blusa feminina no chão. Escutei o barulho de algo parecendo ser um chicote estralando. Veio do andar de cima.

Subi as escadas em direção ao terceiro andar, abri lentamente a única porta do andar, me deparando com meu melhor amigo, dando açoitadas em uma garota, despida, amarrada e amordaçada, na cama.

Fechei a porta cuidando para fazer o mínimo de barulho possível, desci as escadas e decidi voltar no dia seguinte. Não sabia que Nam é sádico. Logo que cheguei em casa, fui recebida com um questionário, vindo de minha irmã mais velha.

-Por que voltou cedo? Você disse que iria demorar. – ela estava nervosa.
-Que foi, Silkie?
-Ahn... É que... – a campainha tocou -  Droga - Silk a abriu, revelando Jackson *fala sério, o babaca da escola. Porra Silk, não tinha ninguém pior não?*
-O que ele tá fazendo aqui, Silk? – disse, abrindo e fechando meus punhos, tentando não quebrar a cara do filho da puta. Ele gravou uma das minhas transas com Namjoon, o assédio que eu sofri foi em massa.
-Ah... Eai, (S/n), eu só vim comer a sua irmã. É complicado pra ela sabe, 19 anos, virgem, só vim fazer um favorzinho. – ele disse com seu famoso, sorrisinho babaca. Como eu já peguei ele? Olhei pra Silk, vendo que a mesma ficou desconfortável com o comentário de Jackson.
-Escuta aqui, Wang, a minha irmã não é comida não, então tira o cavalinho da chuva, falou. Some da minha frente, antes que eu acabe com a sua raça, cabelo platinado.
-Vamos pro seu quarto, Silkie?
-Ahn... Eu... Acho que é melhor você ir embora.
-Como é que é?
-Você foi rejeitado, meu filho. – falei – sabe a ceita?
-Que ceita?
-Aceita que dói menos. Vaza daqui antes que eu quebre a tua cara!
-Não vai ficar assim, as duas vão se arrepender. – ele falou enquanto ia embora.
-Beleza, tô louca pra isso.
-Valeu (S/n) – Silkie disse me abraçando.
-Mana, acabei de te salvar de uma roubada, aquele alí, tem que usar lupa pra enxergar. – começamos a rir muito.

(°°°)

Mandei uma mensagem para Nam, avisando que chegaria em 20 minutos, não vou ficar sábado de tarde um casa, tô no tédio.

Fui andando, cheguei lá e fui logo entrando, tenho chave. Subi para seu quarto, abri a porta devagar, vendo Nam se masturbando, enquanto olha um pornô.

-Quer uma ajudinha, Nam? – falei, tirando minha blusa e engatinhando até ele.
-Gosta de me provocar, né (S/n)?
-Adoro.

Abocanho seu membro e faço movimentos rápidos, até ele gozar em meus seios.

-Boa garota. Melhor limpar isso antes que fique grudento. – entrei em seu banheiro e me limpei.
-Vamos ver um filme?
-Bora, você faz brigadeiro e eu a pipoca.
-Fechou.
-Você não ia vir aqui ontem?
-Eu vim, mas você estava muito ocupado.
-Você viu?
-Seu covil? Nunca descobri a passagem secreta.
-Não, idiota, o quarto.
-Lógico que sim, alías estou enciumada.
-Por quê?
-Você ainda tem coragem de perguntar. Leva qualquer uma, mas não me leva. -  falei em frente ao fogão, fazendo bico.
-Pera... Você quer ir lá?
-Aish, Namjoon, como você é lerdo, mais que a minha Omma. Eu sou M-A-S-O-Q-I-S-T-A  C-A-R-A-L-E-O!
-Como eu ia saber?
-Aí, Nam, bate mais forte... Daddy, sua baby foi muito má, acho que mereço uma punição... – falei imitando outras vezes. – Sem contar as milhares de vezes que eu disse na sua cara.
-Quer ir pra lá agora? – disse com um ânimo de dar inveja em velório, puta que pariu.
-Depois do filme
-Okay.

Fomos pra sala com tudo  pronto, sentamos no sofá, Nam colocou um pornô lésbico.
-Você é muito tarado.
-Não fala nada, que eu já olhei o seu celular.
-Eu tenho que botar senha nessa merda.
-Sei que é sua modalidade favorita.
-Realmente, eu fico bem mais excitada. – senti fisgadas na minha intimidade.
-Tira o shorts e a calcinha! – Ele falou autoritário. Nem hesitei em tirar.

Nam me fez deitar no sofá e se colocou entre minhas pernas, me chupando. Sucções fortes, eu estava muito tremula.

-Nam...
-Não aguento mais, vamos subir. Vai na frente, me espere nua e de costas para a porta.

Subi as escadas, entrei na sala, terminei de me despir e fiquei de costas para a porta. Escutei alguém entrando no quarto, logo meus olhos foram vendados. Fui guiada à cama, deitada e algemada na mesma.

-Relaxe, (S/n), já fiz isso várias vezes, não irei lhe machucar... Muito. – engoli em seco esse, muito.

Seu corpo se distanciou do meu, senti algo gelado percorrendo meu corpo, estremeci, era gelo. Ele deixou um em cada mamilo e foi fazendo um rastro com um outro, que parou na minha intimidade, Namjoon enfiou o gelo na minha vagina e se distanciou novamente. Após alguns segundos estava machucando muito.

-Nam...
-Quieta, ou será punida, isso é pra aprender a não espiar os outros e também a não provocar.
-Tá doendo muito, Namjoon, tira, por favor. – ele tirou os que estavam nos seios, mas deixou o da vagina, que era o que mais doía. – Namjoon... É sério, tira, ai... – ele deu um tapa estalado na minha coxa. O gelo foi retirado, mas substituído por um vibrador grande, ligado na potencia mais forte. Desgraçado, sabe que eu não posso usar isso, minha ginecologista proibiu, vibradores desse tamanho, nessa potência. – Nam... – choraminguei.
-Daqui a pouco eu volto. – sua risada ecoou pelo quarto.

(°°°)

Não aguentava mais, estava exausta, já faz mais de uma hora e eu continuo com esse vibrador. A porta foi aberta e o vibrador retirado, fui virada de bruços e açoitada, soltei um pequeno grito, pelo susto.

-Agora, você vai se arrepender de ter me pedido pra tirar aqueles gelos.

Nam me colocou de quatro e penetrou em meu ânus, a dor era insuportável, nunca tinha dado o cu e ele sabia, mas não se importava, bombava, rápido e fundo, revezava entre palmadas e açoitadas, quando se desfez saiu de dentro de mim, tirou as algemas e a venda.

-Me... Me deixa ir pra casa.
-(S/n), você esta em choque, se acalma. – eu suava frio e tremia muito. – inspira e expira de vagar – sua voz, igual a seu semblante, era calma. Quando consegui me acalmar, Nam, me levou ao seu quarto e me deitou na cama, me aconchegando em seu peito logo em seguida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...