História Imagines K-POP: Especial Professores - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias WINNER
Tags 2ne1, Astro, Big Bang, Block B, Bts, Got7, Ikon, Shinee, Uniq, Winner
Exibições 436
Palavras 2.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Imagine com conteudo + 18

Capítulo 19 - Atrasada ( Mino - Winner)


Fanfic / Fanfiction Imagines K-POP: Especial Professores - Capítulo 19 - Atrasada ( Mino - Winner)

Chegar atrasada não aula do Sr. Mino não era uma boa coisa, ou seja, eu estava ferrada por completo pois ja estava quase atrasada, e ele odiava atraso por mínimo que fosse. Quando eu cheguei na porta da sala de aula eram 07:01 isso ja era um atraso para o senhor do tempo Song Minho, ele era meu professor de História.

- Por favor. - eu cheguei na porta da sala.

- A aula começou 07:00 e já são 07:01 e 07:02 estava atrasada, então é não.- ele deu o sorriso cínico.

- Sr. Minho considera vai, poxa.- eu olhei pra ele.

- Sinto muito.- Ele me deu as costas.  Eu fiquei sentada no chão em frente a porta ele deixou a porta aberta. - Turma abram o livro no capítulo 15 e copiam todos os exercícios e para me entregar no final da aula valendo ponto.- ele disse eu pude ouvir abri a minha mochila peguei o livro apoiei o caderno na colo e comecei a copiar os exercícios, ele não disse que eu não podia fazer a atividade.

- o que a Srta. pensar que está fazendo?- eu ouvi a voz dele.

- Se eu estivesse pensando eu não estaria fazendo, e se eu me lembro bem você disse abrir o livro capítulo 15.- eu disse sem olhar pra ele.

- Você não está em sala de aula?- ele me olhou.

- Você também não disse que eu não podia fazer.- eu debochei.

- Claro.- ele me deu outro sorriso e voltou pra sala, eu continuei a escrever os exercícios resolvi todos em questão antes da aula terminar eu já estava em pé esperando por ele na porta.

- Pronto, eu terminei os exercícios.- eu entreguei as folhas pra ele.

- Muito bem Srta, uma pena não poder considerar. - ele me olhou com todo o sarcasmo do mundo.

- como não?- eu disse indignada.

- Você não estava presente em sala de aula.- ele me encarou.

- Você não pode fazer isso comigo.- eu o encarei.

- Claro que posso, nada comprova que esteve presente na minha aula então…- Ele estava me irritando já.

- Então que por um mísero segundo eu me atrasei e você não me deixou entrar.- eu encarei bem mais de perto, o sinal tocou era troca de professores e ele teria que aceitar os meus exercícios sim.

- Sinto muito Srta. mas, eu preciso ir.- Ele saiu andando me subiu um ódio total, eu juntei as minhas coisas e fui atrás dele certamente estaria na sala de descanso de alguns professores que quando tinha horário livre poderia descansar ou planejar alguma atividade.

- O senhor não pode fazer isso ouviu.- eu entrei na sala dele.

- Srta. deveria estar em sala de aula.- ele sempre tinha uma pra cima de mim.

- Deveria mas não estou, então eu não deveria em lugar melhor do que aqui e agora.- eu o encarei.

- E eu posso saber o motivo de não estar na aula da Sra. Haily.?

- Para de se fazer de tolo, você sabe muito bem o meu motivo.- eu joguei meus exercícios na mesa.

- Eu sinto muito mas,  não vou aceitar.- ele me olhou.

- Como não, você vai aceitar sim ta bom, por que eu estou mandando.- eu bati na mesa.

- Eu não sabia desse seu poder em mandar nas pessoas.- ele me encarou.

- Eu fiz o que qualquer um não faria, se fosse outro aluno não estaria nem ligando pra isso mas como sou eu você vai ficar assim.- Olhei com raiva me segurando pra não agarra-lo,  toda aquela beleza me tirava do serio e mexia com o meu psicológico.

- A questão não é essa, você não estava presente na minha sala na hora é isso não é justo com os outros.

- Eu te odeio Mino, você só esta fazendo isso porque eu não te dou mole igual as tuas outras aluna não.- ele me olhou surpreso.

- Não me ofenda.

- Ofendido você jura? Já que eu não reparo né, e so uma chegar lhe esfregar com os peitos na sua cara e você fica todo se querendo.- Eu o encarava, isso parecia mais uma cena de ciúmes.

- Eu exijo respeito.- Ele estava bem próximo a mim.

- Respeito, você não se dá o respeito, então não venha exigi-lo de mim.- eu apontei o dedo na cara dele.

- Entendi tudo agora, você está com ciúmes e por isso toda essa cena aqui.- ele disse todo debochado.

- Ciúmes de você te enxerga Mino?- Eu ergui a sobrancelha.

- E o que me parece, como você mesmo disse eu não dou mole para as minhas alunas?.- ele deu um sorriso irônico.

- Eu não preciso sair abrindo as pernas pro primeiro macho que me aparece e muito menos dar uma chave de coxa no professor so pra passar de ano eu faço isso estudando e muito digno.- eu não sei de onde eu tirei toda coragem pra falar aquilo ele ficou todo sem graça e não sabia onde enfiar a cara.

- Eu vou te dar mais uma chance, no último horário esteja aqui e eu vou lhe dar mais uma chance. ele me olhou.

- Eu não me importo eu fiz o exercício não fiz aceite se quiser eu não vou ficar fazendo papel de idiota.- Eu sai da sala de descanso e voltei pra minha sala, essa aula passou tão rápido quanto as outras. Eu fui pra casa direto pro meu quarto, talvez ele estivesse certo eu poderia estar com ciúmes sim não que esteja dizendo isso mas é que ele ficava todo derretido quando as meninas davam mole pra ele.

No dia seguinte a primeira aula seria com ele e eu cheguei bem mais cedo pra minha sorte, ele se atrasou um pouco pois a diretora do colégio estava em reunião com todo o corpo docente. Ele chegou na sala uns dez minutos atrasado.

- Bom dia turma, a senhora assistindo a minha aula.- ele foi irônico.

- Pois é ne, eu cumpro com os meus horários Sr. Mino.- eu sorri debochada.

- Isso foi pra mim?-“ele me encarou.

- Eu não citei nomes mas se sentiu que foi pra você.

- Sem seus joguinhos.

- Atrasos são atrasos, direitos iguais a todos não é isso que o senhor prega na turma toda.- eu pisquei irônica, a turma fez silêncio geral.

- Retires se da minha sala agora.- ele disse sério.

- Você que chega atrasado e eu que tenho que sair?- eu não tenho o controle sob o que eu falo.

- Está me pedindo pra me retirar.- ele se apoiou na minha mesa e me encarou.

- Não é isso que você faz com quem chega atrasado?- eu disse engolindo seco.

- Junta as suas coisas agora.- ele disse pausadamente e bem serio.

- Como quiser.- eu peguei minhas coisas com um pouco de medo por nunca o vi tão irritado, talvez alguma aluna não tivesse dado mole pra ele hoje né.

- O restante da turma e pra copiar todos os exercícios dois capítulos seguinte ao de ontem, e quem não terminou o de ontem e pra terminar e fazer o de hoje também.- ele olhou para turma.

- Anda s/n.- ele me olhou eu me levantei e saímos da sala, ou pude ouvir alguns comentários de deboche das meninas eu me virei pra da uma resposta a elas mas Mino me segurou pelo braço.- Você terá tempo de sobra pra fazer isso depois agora vamos.- aquilo foi quase um sussurrou. Eu passei na frente dele com raiva, eu senti algo me empurrando para uma das salas que estava em reforma.

- Você ficou louco.- eu olhei para ele que praticamente estava com seu corpo colado ao meu.

- Você anda muito estressada não acha?- ele deslizou a mão até minha coxa, eu engoli seco minha respiração estava acelerada.

- O que pensa que está fazendo.- eu o encarei ele levou a outra mão ate meu queixou e ergueu ate a altura do seu rosto.

- Você precisa ficar mais calma minha querida.- ele disse próximo ao meu ouvido, ele mordeu o lóbulo da minha orelha.

- Mino para com isso.- eu tentei empurrá-lo.

- Calma, ninguém vai descobrir que estamos aqui.- ele me beijou intensamente que eu não tive como controlar o meu interior, ele me prensava mais contra o seu corpo.

- Para, por favor.- eu o empurrei.

- Que foi, eu não estou com raiva de você.- ele tentou se aproximar e eu me afastei.

- Eu sei, não é esse o problema.- eu recuperava o resto de fôlego que me restava.

- Você não quer.?- ele se aproximou outro me deixando sem saída.

- Não, quer dizer quero mas é errado.

- Mas antes disso somos dois adultos.- ele deslizou o dedo polegar sobre o meus lábios fazendo movimentos circulares.- S/n… s/n…- ouvi uma voz bem longe.- Maria Carolina- eu acordei com ele batendo em minha mesa.

- Fica longe de mim seu tarado.- Eu disse me levantando.

- Ficou louca garota.- ele me olhou confuso.

- Mantenha essas mãos e essa boca longe de mim.- eu olhei em volta so tínhamos nos na sala.

- Não basta chegar atrasada, mostrar gracinha pra turma você ainda tem que dormir na minha aula.- ele me parecia bem serio.

- bem melhor que olhar pra você um horário inteiro.- eu ironizei ainda não acreditava que eu tinha sonhado com ele.

- Eu não sei o que eu faço com você s/n, eu juro que eu não sei o que faço com você.- ele caminhou ate a porta e a trancou.

- Abra a porta agora.- eu olhei pra ele que não deu a mínima.

- Você merece uma punição por ser tão rebelde.- ele foi se aproximando.

- se tentar me agarrar eu juro que eu grito.- eu disse séria.

- Não tem ninguém mais no colégio esse horário acho pouco provável que te ouçam.- ele me aproximava e eu me afastava dele.

- isso e assédio sabia, eu posso te processar por estupro.- eu o encarei.

- E você acha mesmo que acreditaram em você.

- claro.

- E porque tem tanta certeza disso.- ele disse dando um sorriso sacana.

- Porque você é um idiota.- ele me encurralou entre o quadro e a mesa dele.

- O idiota que anda te deixando louca não é, e que você está louca pra dar pra ele.- ele me encarava.

- Você é patético.- eu o encarei.

- Deixa de marra s/n, você não pode me odiar tanto assim.- ele acariciou o meu rosto.

- Não e ódio , e bem pior que isso o tanto que você tem de canalha você tem de gostoso.

- Então você me acha gostoso.

- Eu nunca disse que não te achava.

- sabia que eu fico imaginando como deve ser foder você.

- então você quer isso.

- Claro, porque você não quer?

- Mas não aqui.

- Onde você quiser desde que você seja minha.

- No sábado?

- Qual é, pra que esperar tanto.

- Eu não vou te dar esse gostinho tão cedo.- ele me beijou, eu já estava excitada, senti um volume contra o corpo crescendo ele me colocou sentada na mesa.

- Desculpa mas, não vou aguentar me segurar até sábado.- ele tirou a minha regata eu estava sem sutiã ele sugava os meus seios com uma vontade, me excitava.

-  Mino…- eu gemia.

- Você é deliciosa.- ele disse.- a mão dele já estava no cós do meu short, eu pressionava a cabeça dele contra o peito, que espécie de homem e esse eu senti que chegaria ao meu clímax antes mesmo dele me penetrar, a minhas pernas abriam automaticamente assim que senti seus dedos tocarem  a minha intimidade, ele inseriu os dedos ainda mais fundo quando eu cheguei ao clímax de proporções gigantesca ele abafou o meu gemido com um beijo intenso e vigoroso.

- Porra… - ele tentava me recuperar.

- Isso não é nem o começo minha querida.- ele abaixou a cabeça entre minhas coxas,  e mais uma vez ele me devorava, não tinha mais controle sob o meu corpo, ele me saboreava de uma forma que era torturante e o meu corpo gritava pra ter aquele homem dentro de mim, ele cerrou os dentes e o piercing no meu clitóris.

-Me fode logo…- eu já não aguentava mais.

- Isso … Implore por mim.- ele me sugava loucamente.

- O que você tem…- eu não imaginava que ele era tão bom não que fazia.

- Você deveria se provar, e saber o quanto você é deliciosa.- eu movia o meu quadril no ritmo que ele fazia.

- Eu não vou aguentar…- eu puxava seu cabelo.

- Você é tão gostosa, que eu não me importaria de ficar assim…- ele brincou com a lingua fazendo movimentos circulares no meu clitóris.

- Mino....- e o meu segundo orgasmo era por total dele. Ele se afastou com um sorriso malicioso no rosto ele tirou a calça e a cueca e colocou o preservativo ele colocou minhas pernas em volta do seu corpo e adentrou profundamente ate o fim.

- Você não vai andar por um bom tempo baby.- ele investia cada vez mais.

- Isso… Malik… Isso…- minhas unhas cravaram em suas costas.

Ele segurava firmemente minhas coxas, os olhos dele era de pura sacanagem, ele soube o exato momento em que atingiu o meu ponto G, porque suas investidas foram ainda mais intensas e significativas, eu arqueei a minha coluna.

Ele ergueu meus quadris pra investidas profundas, uma onda de tremor tomou o meu corpo eu já chegava pela terceira vez seguida ao mais alto dos níveis possíveis do prazer que um homem pode levar uma mulher, mais algumas investidas dele ate não restar mais nada dele dentro de si, ele desabou sobre mim.

Eu e ele estávamos jogados ao chão da sala de aula, o cheiro de orgasmos triplos entravam em minhas narinas, eu deitei sobre o peito dele, ele beijou meu cabelo.

- Eu devo estar sonhando.- eu disse baixo.

- Isso é bem real .- ele fazia carinho nas minhas costas.

- Precisamos ir.- eu olhei pra ele.

- Podemos ir pra minha casa?- ele me olhou.

- Mino…

- Você é minha agora.- ele me beijou mais uma vez  depois vestimos nossas roupas e saímos da sala, ele me deixou  em casa. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...