História Imbarcarsi In Amore - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Elizabeth Olsen, Justin Bieber
Visualizações 1
Palavras 948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey hey hey, estou de volta!! Desculpe a demora e os erros se acharem!!

Boa leitura xoxo

Capítulo 3 - Céus!


Pov. Valentina Olsen

 

Observo pela janela e vejo o carro seguir pelo que parecia ser uma saída privada do aeroporto para celebridades ou pessoas importantes, o que me levava a pensar, será que o Bieber têm tanto dinheiro assim? Quando saímos da tal saída seguimos por uma longa estrada que deu início a uma outra de terra com árvores nas beiras em ambos os lados. Olhei para o lado e observo Bieber distraído com a mesma paisagem que eu admirava momentos atrás, só que diferente de mim, ele já parecia familiarizado com o lugar. Cada vez mais eu ficava curiosa a respeito do loiro de olhos intensos e caramelados.


 

O que será que ele faz da vida? Será que é casado? Será que ele mora em londres mesmo ou sua residência fixa era aqui mesmo? Eram tantos serás, e no momento eu deveria apenas agradecer por ele ter se oferecido para me hospedar essa noite. Começo a ficar incomodada com aquele silêncio constrangedor, resolvo ficar contando as árvores pra tentar me destrair mas não dá muito certo... Por fim volto a olhar pra obra prima ao meu lado, que agora estava concentrado em seu celular jogando pelo que parecia um jogo de palavra cruzada. Calmamente me aproximei, ele parecia pensar na pergunta em questão: Escritor, poeta e político florentino nascido na atual Itália. Essa era fácil.

 

- Dante. - respondi com a voz baixa, ele olhou pra mim com uma expressão confusa e perguntou:

 

- O quê? - respirei pausadamente retribuindo seu olhar.

 

- Dante Alighieri, - pausei apontando pro celular - é a resposta da pergunta sobre o escritor, poeta e político florentino. Eu sei porque tenho descendência italiana, mas emfim, você parecia estar em dúvida então é isso, desculpe se fui indiscreta em olhar pro seu celular. - finalizei colocando uma mecha de cabelo atrás da orelha direita desviando o olhar.


 

- Na verdade, eu sabia a resposta mas não lembrava o bendito nome, mas obrigada de qualquer forma Vale. - sorri e bloqueia o celular me dando total atenção, e tenho que admitir que gostei da atitude e da forma como o apelido soava com aquela voz rouca deliciosa e...

 

 

Espera, concentração Valentina, como espera passar a noite na casa desse homem se nem ao menos consegue controlar esses pensamentos?

 

 

 

Depois de uma pequena discussão com minha consciência (sim, eu discuto comigo mesmo, loucura não é?) , lembro que deixei ele esperando por uma iniciativa de conversa.


 

- Não foi nada. - pausei pensando em que assunto poderia abordar sem ser invasiva demais, resolvo tirar aquela dúvida anterior - Mas então Bieber, você tem residência fixa aqui em Napa ou só possui uma casa para sequestrar mulheres indefesas como a minha pessoa? - brinco arqueando uma sombrancelha e vejo um sorriso de canto surgir em sua face, só ai percebo que falhei miseravelmente em tentar não ser enxerida demais. Céus!


 

- Está duvidando das minhas intenções com você, doce Vale? - pausa esperando uma resposta minha e mesmo sabendo que era tudo uma brincadeira, não pude evitar corar. - Mas respondendo sua pergunta, tenho sim residência fixa aqui, afinal grande parte do meu negócio, senão todo, está bem aqui, em Napa. - explica com um sorriso adoravelmente orgulhoso, faço uma nota mental de perguntar sobre depois.

 

- Eu duvidando? Nada disso parceiro, apenas me certificando de não estar a caminho da toca do lobo. - falei enquanto apontava com o indicador pra ele como se dissesse que ele era o tal lobo - Pelo o que eu vejo sua casa é bastante afastada, você é do tipo de homem que gosta de lugares calmos ou foi sua parceira que escolheu? - perguntei tentando não deixar o assunto morrer e novamente sou invasiva demais. Ora que posso fazer se nasci no dia internacional da curiosidade? Se é que isso existe Valentina!

 

Bieber me observa atentamente com um sorriso de canto enquanto parecia pensar numa resposta para minha pergunta, e eu torcia internamente pra ele não me jogar pra fora do carro por ser intrometida, até que por fim ele responde.

 

- Notei que você gosta de fazer perguntas, você é jornalista ou algo assim? - coro mas mantenho o olhar nele esperando ele continuar - Mas respondendo sua pergunta, tenho que admitir que gosto de calmaria e tranquilidade, vida de cidade grande não é pra mim, e a propósito, - pausou mais uma vez aproximando seu corpo pra perto do meu de forma que sua boca ficasse na altura do meu ouvido direito - eu estou solteiro atualmente, Vale. - se afasta novamente me deixando desconcertada por um momento, tento me recompor e pisco lentamente tentando me livrar dos pensamentos inapropriados que acabei de ter.

 

Que homem, senhor!

 

- E-entendo. - pauso tentando firmar minha voz - Não sou jornalista-ou-algo-assim como você sugeriu, sou apenas curiosa mesmo. Não que isso seja motivo de orgulho, mas é uma coisa que não consigo evitar às vezes. - finalizo e brinco com a barra do meu vestido soltinho.

 

- Então temos um curiosa de primeira mão aqui, hum? Tenho a impressão que isso não será um problema. - diz com um daqueles sorrisos sugestivos que em tão pouco tempo já estou viciada. - Estamos quase chegando, não vai demorar muito. - informa e tudo que faço é sorrir e voltar novamente meu olhar para as diferentes árvores do caminho.

 

Sinto seu olhar queimando em mim e resisto a vontade de perguntar se há algo errado, por fim resolvo ficar na minha e aproveitar a brisa que entrava pelas janelas. Não sou capaz de dizer se meu calor é culpa do clima, desse homem ou dos dois!

 

Senhor me ajude!! 

 


Notas Finais


Comentem a opinião de vcs, se devo continuar etc. Até o próximo capítulo :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...