História Immortals (Adapt.Camren) - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~KahJauregui

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camila Cabello, Camren, Lauren Jauregui
Exibições 101
Palavras 1.556
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, FemmeSlash, Fluffy, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Estou de volta bolinhos ♥
Bom, estava esperando um comment e ele surgiu das cinzas, então aqui esta o próximo, enjoy

Capítulo 4 - O que ela poderia ver em mim?


Foi Sofia que me ajudou a recuperar minhas memórias. Me guiando através de histórias da infância e me lembrando da vida que costumávamos viver e dos amigos que costumávamos ter, até que tudo começou a voltar. Ela também me ajudou a apreciar minha nova vida no Sul da Califórnia. Porque ver ela ficar tão animada com meu novo quarto legal, meu brilhante conversível vermelho, as incríveis praias, e minha nova escola, me fez perceber que embora não fosse a vida que eu preferia, ainda tinha valor.

E embora a gente ainda brigue e discuta e fique provocando uma com a outra tanto quanto antes, a verdade é, que eu vivo pelas visitas dela.Ser capaz de ver ela de novo me da uma pessoa a menos para sentir falta. E o tempo que passamos juntas é a melhor parte de cada dia.

O único problema é, que ela sabe disso. Então toda vez que eu toco em assuntos que ela declarou restritos, coisas como: Quando eu vou poder ver mamãe, papai, e Buttercup? E, Aonde você vai quando não está? Ela me pune se afastando.

Mas embora a recusa dela de me contar realmente me incomode, eu sei que não devo insistir.

Não é como se eu tivesse dito a ela que consigo ver auras/ler mentes, ou como isso me mudou, incluindo o jeito que eu me visto.

- Você nunca vai arranjar um namorado vestida desse jeito - ela disse, rindo na minha enquanto me apresso em minha rotina matinal, tentando me aprontar para a escola e sair pela porta – mais ou menos ao mesmo tempo.

- Yeah, bem, nem todos nós podem só fechar os olhos e poof, ter um incrível guarda-roupa - eu digo, enfiando meu pé no meu tênis desgastado.

- Por favor, como se Sabine não fosse entregar o cartão de crédito dela e dizer a você para usar. E qual é a do capuz? Você está numa gangue?

- Eu não tenho tempo para isso - eu digo, pegando meus livros, iPod, e mochila, então me dirigindo para a porta. - Você vem? - eu viro para olhar para ela, minha paciência se acabando enquanto ela franze os lábios e leva tempo para decidir.

- Ok - ela finalmente diz. - Mas só se você por a capota para baixo. Eu adoro a sensação do vento no meu cabelo.

- Tudo bem. -Eu vou para as escadas. - Só se certifique de sair quando eu chegar em Shawn. Me apavora ver você sentada no colo dele sem permissão.

Até a hora que Dinah e eu chegamos na escola, Shawn já está esperando no portão, os olhos dele se arremessando freneticamente, escaneando o campus enquanto ele diz

- Ok, o sino vai tocar em menos de cinco minutos e ainda nenhum sinal de Lauren. Vocês acham que ela desistiu? - Ele olha para nós, os olhos bem abertos em alarme.

- Porque ela desistiria? Ela acabou de começar - eu digo, indo em direção ao meu armário Enquanto ele caminha ao meu lado, a sola de borracha dos tênis dele estalando no pavimento.

- Uh, porque a gente não vale a pena?Porque ela é realmente boa demais pra ser verdade?

 -Mas ela tem que voltar. Cami emprestou a ela a copia dela do O Alto dos Vendavais, o que significa que ela tem que devolver - Dinah diz, antes deu poder impedir ela.

Eu balanço minha cabeça, e viro a combinação do meu armário sentindo o peso dos olhos de Shawn quando ele diz

- quando isso aconteceu? - Ele põe as mãos nos quadris e me encara. - Porque você sabe que eu a reivindiquei, certo? E porque eu não fui informado? Porque ninguém me contou sobre isso? Da ultima vez que eu ouvi você nem tinha visto ela.

- Oh, ela o viu muito bem.Eu quase tive que discar para o 192 , ela surtou. - Dinah ri.

Eu balanço minha cabeça, fecho meu armário, e vou andando pelo corredor.

- Então deixa eu ver se entendi direito você é mais um problema do que uma ameaça? Essas bissexuais.. - Shawn me encara com olhos estreitos, o ciúme dele transformando a aula em um tedioso verde.

Eu respiro fundo e olho para eles, pensando em como se eles não fossem meus amigos, eu diria a eles o quão ridículo tudo isso é. Eu quero dizer, desde quando você pode reivindicar outra pessoa? Além do mais, não é como se eu fosse toda disponível para encontros com minha situação atual de ouvir vozes, ver auras, e usando camiseta esportiva larga. Mas eu não digo nada disso. Ao invés disso eu só digo

- Sim eu sou um problema. Eu sou um horrível problema esperando para acontecer. Mas não sou uma ameaça. Principalmente porque eu não estou interessada. E eu sei que isso provavelmente é difícil de acreditar, com ela sendo tão linda e sexy e gostosa e combustível ou seja como for que você chame ela, mas a verdade é que, eu não gosto de Lauren Jauregui, e eu não sei de que outra forma dizer.

- Um, eu não acho que você precise dizer mais nada - Shawn murmura, o rosto dele congelado enquanto ele olha diretamente para frente.

Eu sigo o olhar dele, até onde Lauren está parada, com seu cabelo preto brilhante, olhos suaves, incrível corpo, e sorriso sábio, sentindo meu coração pular duas batidas enquanto ela mantém a porta aberta e diz

- Hey Camila, primeiro você.

Eu corro em direção a minha mesa, evitando por pouco a mochila que Lucy coloca no meu caminho, enquanto meu rosto queima de vergonha, sabendo que Lauren estava logo atrás de mim, e que ela ouviu cada palavra horrível que eu disse.

Eu jogo minha mochila no chão, deslizo para o meu assento, ergo meu capuz, e ligo meu iPod,esperando diminuir o barulho e desviar o que acabou de acontecer, me assegurando que uma garota como essa – tão confiante, tão linda, tão completamente incrível – é legal demais para se incomodar com palavras descuidadas de uma garota como eu.

Mas quando eu começo a relaxar, eu sinto um choque devastador infundindo minha pele, batendo nas minhas veias, e fazendo meu corpo todo formigar.

E é tudo porque Lauren colocou sua mão sobre a minha.

É difícil me surpreender. Desde que eu me tornei psíquica, Sofia é a única que consegue fazer isso, e acredite em mim, ela nunca cansa de encontrar jeitos novos. Mas quando eu olho da minha mão para o rosto de Lauren, ela só sorri e diz

- eu queria devolver isso.

E então ela me da minha copia do O Alto dos Vendavais.

E embora eu saiba que isso parece estranho e mais do que um pouco maluco, no momento que ela falou, a sala toda ficou silenciosa. Sério, como se num momento estivesse cheio de sons de pensamentos aleatórios e vozes, e no próximo:____.

Ainda sim saber o quão ridículo é, eu balanço minha cabeça e digo, 

- Tem certeza que não quer ficar com ele? Porque eu não preciso, eu já sei o final. - E embora ela tenha tirado a mão dela da minha, é um momento antes de todo formigamento morrer.

- Eu sei como termina também. - ela diz, olhando para mim em um jeito tão intenso, tão insistente, tão intimo, que eu rapidamente desvio o olhar.

E quando estou prestes a recolocar meus fones de ouvido, para que eu possa bloquear o som dos comentários cruéis de Lucy e Keana, Lauren coloca sua mão de volta na minha e diz

- O que você está ouvindo?

E a sala toda fica silenciosa de novo. Sério, por aqueles breves segundos, não existe onda de pensamentos, nenhum sussurro apressado, nada a não ser o som da voz doce dela. Eu quero dizer, quando aconteceu antes, eu achei que tinha sido algo comigo. Mas dessa vez eu sei que é real. Porque embora as pessoas ainda estejam falando e pensando e fazendo todo tipo de coisa normal, tudo está completamente bloqueado com o som das palavras dela.

Eu dou uma olhada, notando como meu corpo ficou todo quente e elétrico, me perguntando o que poderia estar causando isso. Eu quero dizer, não é como se eu não tivesse tido minha mão tocada antes, embora eu ainda não tenha experimentado nada remotamente parecido com isso.

- Eu perguntei o que você está ouvindo - Ela sorri. Um sorriso tão privado e intimo, que eu sinto meu rosto corar.

- Oh,ahn, é só uma mistura gótica que minha amiga Dinah fez. É principalmente velho, coisa Dos anos 80, você sabe como o Cure,Siouxsie e os Bnshees, Bauhaus.

- Você gosta de coisas góticas? - ela pergunta, as sobrancelhas erguidas, olhos céticos, olhando para meu longo rabo de cavalo castanho, camiseta azul escura, e pele sem maquiagem e limpa.

- Não, na verdade não. Dinah gosta. Eu rio – um som nervoso e quebrado – que batem nas quatro paredes de volta para mim.

- E você? Você gosta? - Os olhos dela ainda em mim, o rosto claramente divertido.

E quando estou prestes a responder, o Sr. Robins entra, as bochechas deles vermelhas e coradas, mas não pela caminhada como todos pensam. E então Lauren se senta para trás em seu assento, e eu respiro fundo e baixo meu capuz, me afundando de volta no som familiar de angustia, preocupação com provas, e problemas com imagem corporal, dos adolescentes, os sonhos acabados do Sr. Robin, e Lucy, Keana, e Verônica, todos se perguntando o que uma menina gostosa poderia ver em mim.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...