História Imparcial - BTS - Capítulo 52


Escrita por: ~ e ~TaynaFranca

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Hoseok, Jhope, Jimin, Jiminie, Jin, Jkook, Jungkook, Kookie, Namjoon, Romance, Tae, Taehyung, Triângulo Amoroso, Yoongi
Visualizações 114
Palavras 1.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Droubble, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Leiam as notas finais, é importante.

Capítulo 52 - Recomeço (parte 2)


Fanfic / Fanfiction Imparcial - BTS - Capítulo 52 - Recomeço (parte 2)

 

Não sabia em que direção eu estava indo, só sabia que queria continuar em frente, não queria ver as meninas, meu produtor, Taehyung, Jimin, Yoongi, ninguém! Estava cansada de decepcionar os outros, de criar problemas e me machucar no final de tudo, não quero voltar pra casa, se quer posso chamar aquilo de lar, então que diferença faz? Ninguém nem deve ter sentindo minha falta.

 

Flash Back On 

- Essa garota está quase destruindo nosso grupo Taehyung.

Flash Back Off 

 

Comecei a andar mais rápido com o nervosismo que essas memórias me traziam, meu corpo parecia conectado com meus sentimentos e reagia sem meu consentimento, naquela fuga em meio a tropeços, eu esbarrei em uma das pessoas que caminhava na rua, o que me fez cair atordoada e de joelhos no chão.

- Ei sabe o que está fazendo? Olhe por onde anda!

 

Flash Back On 

- Seu lugar não é aqui.

Flash Back Off 

 

  "O que estou fazendo?" Pensei comigo mesma e eu realmente gostaria de saber responder essa pergunta, ao me levantar pude ver meu reflexo em uma vitrine e o que vi me assustou, olhos vermelhos lacrimejando, rosto pálido, lábios roxeados pelo frio e a respiração ofegante me davam a expressão de louca, eu já não me reconhecia mais e se antes cambaleava em meio às pessoas, agora corria como se fugisse de mim mesma.

 

Flash Back On 

- Você tirou tudo de mim Marie!

Flash Back Off 

 

Realmente não sabia o que fazia, depois de muito correr, já não haviam mais sentidos, não haviam mais pensamentos, só havia um corpo sendo levado pelo fluxo de pessoas. A noite já começaram a cair rapidamente, e um vento gélido fluía pelas avenidas e prédios de Goyang. Após tanto andar por horas a fio, algo me impedia de prosseguir, havia chegado as margens do Rio Han, o qual vive repleto de idosos, crianças e casais apaixonados ao seu redor, mas naquela noite fria as pessoas não o foram visitar, talvez seja o dia, o clima ou o fato de que eu estava afastada do centro da cidade. Éramos apenas eu, as luzes da lua e da cidade, o rio e a minha mente borbulhando em problemas. Resolvi me aproximar, ali parecia um bom lugar para deixar os pensamentos se esvairem.

A água estava parada e a cada passo que eu me aproximava me sentia estranhamente acolhida por sua serenidade, respirei fundo, a umidade no ar e o cheiro de grama molhada me fazia lembrar de casa, de quando eu era apenas uma criança e minha maior preocupação era comprar uma caixa de lápis novos. Sentada na grama, passei várias horas distraída com a paisagem, tentando juntar as peças desse quebra cabeças que era minha vida, só tive do noção de quanto tempo passou quando os primeiros raios de sol se fizeram presentes. Irônico, o amanhecer para muitos significa recomeço, para mim era quase uma agonia, talvez porque eu quisesse um e não me achava capaz de ter.

A frequência de carros aumentou, e reparei dois deles passando mais devagar para me observar como um animal, claro, eu estava mesmo parecendo um. Precisava sair dali, ao me levantar decidi de antes lavar minhas mãos, se fosse para andar mais que não chamasse tanta atenção assim, ou chamariam a polícia. Porém assim que iniciei minha caminhada colina a baixo, tropecei em uma pedra o que me faz rolar e cair no rio gelado. Essa era ironicamente uma grande metáfora da minha vida, o rio era belo por fora, grande e refletia a beleza das luzes da cidade a noite, mas por dentro era uma imensidão escura, fria, quase sem vida, e quanto mais você adentrava nele, mais difícil seria achar aonde se apoiar, engolindo o que se arriscasse aproximar, mas ainda assim repleto de melancolia.

Procurei chão e não encontrei, a água estava tão fria que e eu tão fraca que era difícil continuar na superfície, comecei a me engasgar e a margem ficou mais distante. Em meio ao desespero e me debatendo dentro de mim mesma, muitas memórias retornaram a minha mente e uma cruel pergunta me assolou: E se eu parasse de lutar? 

 

Flafh Back on 

-As vezes não depende só de força de vontade.

Flash Back Off

 

"Por que?"

 

Flash Back On 

-Sonhos são bobagens.

Flash Back Off 

 

"Por que tudo isso está acontecendo?"

 

Flash Back On 

- A culpa é toda sua.

Flash Back Off 

 

"Eu não queria desistir assim."

 

Flash Back On 

-Pobre garota.

Flash Back Off 

 

"Mas como vou continuar lutando?"

 

  Por um instante eu parei. Abri os olhos e mesmo dentro d'água eu vi os raios de sol perfurarem o tão imponente rio como se nem fizesse esforço, então é isso que chamam de luz no fim do túnel? Quando tudo parece ruim e algo bom acontece? Seria como depois de uma guerra a grama volta a crescer, como depois da chuva o arco íris aparece, como depois do inverno vem a primavera, como depois de uma ferida ela se cicatriza. Os sutis e leves raios de sol não tem medo de enfrentar a água fria, eles lutam como podem e são responsáveis pela vida aqui dentro.

 

Flash Back On 

-Obrigada por estar ao meu lado.

Flash Back Off 

 

"Não pode acabar assim."

 

Flash Back On 

-Marie eu te amo.

Flash Back Off

 

"Não quero que acabe assim."

 

Flash Back On 

- Nunca desista dos seus sonhos

Flash Back Off 

 

"Não vai acabar assin."

 

Ninguém estaria lá pra me salvar, porque na vida real não é assim que as coisas funcionam, agora eu não poderia me apoiar em alguém pra me ajudar, eu tinha que me erguer sozinha, eu só tinha a mim mesma, aliás, que bom que eu tinha a mim mesma. Arranquei forças que não sabia que existiam e comecei a nadar até a superfície, a água gélida continuava tentando me impedir e a baixa temperatura parecia perfurar cada centímetro do meu corpo, não vou deixar. O ar que meus pulmões ansiavam voltou, a luz do sol bateu em meu rosto me motivando ainda mais, não sei como, não acredito que consegui, mas finalmente cheguei à margem. Eu já não sentia mais meu corpo por conta do frio, mas ao mesmo tempo eu sentia alívio enorme nele.

Algo quente pousou em meu ombro, um senhor me olhava assustado enquanto esfregava meus braços para me aquecer, atrás dele vi seu carro parado no acostamento e sua porta escancarada, uma mulher com a mesma faixa etária se aproximava tão preocupada quanto, provavelmente me viram quase me afogando e pararam para ajudar, sim existem pessoas boas no mundo.

- Minha criança, como isso foi acontecer?! Você está congelando! - O senhor agitado tinha tirado o próprio paletó para me aquecer.

- Devo ligar para a ambulância? - A mulher disse eufórica.

- N-n-não, que-ro i-ir para ca-a-sa. - Estendi minha mão trêmula e a mulher me entregou seu celular.


Notas Finais


Queria que minha história não apenas entretesse vocês mas que também passasse algum ensinamento e reflexões, o próximo capítulo ainda terá mais disso é pretendo postar ele a noite ok? Se eu consegui tocar vcs de alguma forma com a história até aqui por favor me digam é algo muito importante pra mim, seja aqui nos comentários ou pelo meu Twitter (@kisteka). Quero dedicar esse capítulo a todas as pessoas que estão passando ou já passaram por momentos difíceis, nunca pensem em desistir de nenhuma maneira, a no fim tudo vai ficar bem, sempre há uma luz no final do túnel, nunca duvide disso! Depois do inverno sempre vem a primavera.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...