História Impasse - Capítulo 27


Escrita por: ~ e ~Viccandy

Postado
Categorias Fifth Harmony, Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Lauren Jauregui, Selena Gomez
Tags Amor Às Escondidas, Drama, Família, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Romance Histórico, Sexo, Traições
Visualizações 271
Palavras 2.411
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa estar postar tão tarde, tive muuuuuuuitos problemas para escrever. Minha mente estava cheia e a inspiração ficou pessima, escrevi tudo hoje então vai ter algumas palavras erradas porque não consegui fazer a betagem, mas faço de tudo para postar em dia.
então boa leitura.

Capítulo 27 - Parties de mon couer.


Fanfic / Fanfiction Impasse - Capítulo 27 - Parties de mon couer.

 

Ponto de Vista – Justin Bieber.

Voltei para casa depois de uma noite maravilhosa com Lia, era quase impossível pensar em outra coisa a não ser nela naquele momento. Parecia que as flores de inverno estavam com cores mais vibrantes e que nada poderia me tirar do sério naquele momento.

— Justin? – Ouvi meu nome ser chamado assim que abri a porta do apartamento. — É você?

— Oi Candy, sou eu. – Respondi tentando pensar em uma desculpa boa para dizer porque passei a noite fora.

— Chegou agora? – Ela perguntou saindo da cozinha.

— Sim, sai um pouco para andar, estou com a cabeça cheia com essa coisa de trabalho.

— Vai dar tudo certo, você sabe disso. – Ela andou até mim e depositou um selinho em meus lábios rapidamente.

— Você vai sair? – Perguntei assim que vi que estava com roupa para sair.

— Sim, é a primeira ultra do bebê. Tenho que ver se essa coisinha está bem. – Ela disse passando a mão por cima da blusa e deixei um sorriso escapar dos meus lábios. — Não sei se vai aceitar, mas você quer vir?

Ela me olhou com aquele olhar, o mesmo olhar que me fez apaixonar por ela, aquele olhar que eu não havia ter a muito tempo. Um olhar que quebrou meu coração em pedaços.

— Sim, eu adoraria. – Disse rápido tentando não mostrar o como fiquei afetado com tudo aquilo, era meu filho que estava naquela barriga e eu tinha que agir como tal. — Vamos?

Ela assentiu e foi até o sofá pegando a bolsa e veio em minha direção saindo do apartamento.

— Estou ansiosa, queria saber se já é menino ou menina. – Ela dizia com uma alegria indescritível na voz.

— Espere mais um pouco, você deve estar com quase um mês, já vai saber. – Disse retribuindo o sorriso.

— Eu só estou com algumas semanas Justin. – A olhei de canto e pensei por um momento, não tinha como ela já estar de semanas, nossa última relação sexual foi há quase um mês.

— Você tem certeza disso?

— Acho que sim por quê? – Ela me olhou antes de sair do elevador e me esperar se juntar a ela. — Não sei, estou fazendo umas contas na cabeça apenas.

— Vamos confirmar hoje então. – Ela sorriu outra vez e entrei no carro, eu fui para o meu lado e dei partida saindo em direção do hospital. Minha cabeça estava a mil, não conseguia raciocinar direito, tudo estava tão bem que eu chegava a estranhar parecia que algo dentro de mim jurava que tudo ia dar errado. O caminho foi em total silêncio, não puxei nenhum assunto é Candice parecia perdida em um mundo que ela tinha criado para si mesma.

— Chegamos. – Disse assim que estacionei na vaga mais perto ao hospital. — Ansiosa?

— Muito. – Ela respondeu animada e saiu do carro me esperando para acompanhar lá. Não foi como antes, ela não puxou minha mão e entrelaçou ambas. Apenas caminhamos um ao lado do outro como amigos, eu não sabia o que aquilo significava, mas algo estava realmente estranho na Candice. — Oi boa tarde, estou com uma consulta marcada com o Doutor Alex.

— Acompanhamento da gravidez? - A recepcionista perguntou.

— Sim isso. – Candice respondeu e logo a moça anotou algumas coisas em um papel e pediu para nós direcionarmos ao terceiro andar que logo seríamos atendidos. — Acho que hoje vou para casa.

— Por quê? – Perguntei enquanto tirava o celular do bolso para verificar se Lia tinha mandado alguma mensagem, mas sem sinal da mesma. Então mandei algumas e voltei a prestar atenção em Candice.

— Já estou a um bom tempo em sua casa, deve estar querendo privacidade.

— Eu quero um emprego, isso sim. – Respondi arrancando uma longa gargalhada da mesma. — Vamos.

Disse quando o elevador apitou mostrando que nosso andar já tinha chegado, na sala de espera tinha algumas mulheres sentadas com seus acompanhantes.

— Não vejo a hora de o sentir chutar. – Candice disse ao sentar ao meu lado e observar as diversas mães em nossa frente.

— Você está muito ansiosa não é? – Disse pegando meu celular olhando outra vez se tinha mensagens dela. Nada.

— Não tanto quanto você com esse celular. – Ela disse risonha, mas pude notar o nervosismo no fundo de sua voz. — Esperando alguma ligação?

— Não. – Disse rápido. — Ou melhor, sim. – Me confundi nas palavras e precisava ser rápido para fugir delas. — Ainda não me ligaram em relação à vaga, estou esperando.

— Fica calmo vai dar tudo certo. – Candice sorriu e por um momento aquele único momento eu senti que realmente tudo ia ficar bem.

— Senhorita D’Angelos? – Um rapaz alto chamou pelo nome de Candy parado na porta e logo nos dirigimos até ele. — Olá sou o Doutor Alex e vou acompanhar sua gravidez está pronta?

— Como nunca. – Ela respondeu animada.

— E você é? – Ele perguntou se dirigindo a mim.

— Sou Justin Bieber, pai do bebê. – Disse em tom de autoridade.

— Que ótimo a família reunida. – Ele deu um amplo sorriso e saiu da sala e o acompanhamos. — Bom Senhorita D'Angelos…

— Pode me chamar apenas de Candice. – Ela interrompeu antes dele continuar.

— Certo. Candice se deite aqui e erga um pouco da camiseta para fazermos a ultrassom. – Alex disse e Candice foi até o lugar indicado e se deitou erguendo a camiseta. — Vou colocar um gel na sua barriga é um pouco gelado, mas não irá doer.

— Certo. – Ela disse sorrindo e eu me aproximei mais um pouco da cama para ver melhor. Alex colocou o gel em sua barriga que a fez arrepiar e soltar uma risada baixa.

— Vamos ver como esse bebê está. – O doutor colocou uma pequena máquina em sua barriga e começou a passar e aos poucos foi aparecendo imagem na tela, eu não conseguia ver onde o bebê estava, mas Candice parecia fascinada com tudo aquilo. — Ainda não dá para ver o bebê, ele está muito pequeno, está em formação ainda.

— Posso ouvir o coração? – Candice perguntou.

— Ainda não, só no segundo mês, você ainda está de quatro semanas.

— Isso da quanto tempo em meses doutor? – Perguntei.

— Não chega há dar um mês precisa de mais meia, quase uma semana completa. – Alex respondeu e outra vez minha mente começou a se perguntar quanto tempo fazia desde a minha última relação com Candice. — Vou marcar alguns exames para ver se tudo está certo com a sua saúde e acompanhar de perto essa gestação.

— Certo obrigado Doutor. – Candice respondeu e saiu da maca e logo me acompanhou para fora do consultório em total silêncio. Daria tudo para descobrir o que ela tanto pensava, mas era quase impossível, pois seu rosto não expressava absolutamente nada. — Vou marcar os exames espera um pouquinho.

— Claro. – Voltei do meu devaneio e lhe entreguei sua bolsa e fiquei parado esperando ela ir até a recepção.

— Senhor Bieber? – Ouvi meu nome sendo chamado e congelei assim que vi quem me chamava.

— Olá Senhor Sparks, como vai? – Disse ao ver o diretor do hospital se aproximando de mim. O mesmo que tinha conduzido minha entrevista.

— Está tudo ótimo. Deve estar feliz com a notícia não é? – Ele me perguntou e por um momento me perguntei se ele sabia da gravidez de Candice, mas afastei essa ideia da minha cabeça.

— Desculpa a pergunta, mas que notícia?

— Não te notificaram que você preencheu a vaga de Pediatria do nosso hospital? – Olhei surpreso com aquela noite e fiquei por alguns minutos o encarando sem saber o que dizer.

— Não, eu fui aceito? – Perguntei tentando esconder toda a emoção de dentro de mim.

— Sim, você e aqueles dois outros rapazes. Não consigo me lembrar do nome.

— Ryan Butler? – Perguntei esperançoso.

— Sim ele mesmo e aquele rapaz cheio de charme Christian Beadles. – Controlei a vontade de revirar os olhos e me concentrei na maravilha que estava acontecendo ali.

— Não recebi nenhuma ligação, pensei que tinham mudado de ideia.

— Não, claro que não. Sua entrevista foi maravilhosa, espero você segunda feira aqui.

— Claro que estarei Senhor Sparks. – Apertei sua mão me despedindo e mal esperando para contar a novidade para Ryan.

Algumas semanas depois.

 

Candice já tinha completado um mês de gestação, sua barriga estava mínima mas a mesma já reclamava de seu peso. Já tinha se passado duas semanas desde a última vez que tinha visto Lia. O trabalho no hospital já havia começado e tudo estava uma correria com o casamento, com o trabalho é a gravidez.

— JUSTIN. – Meu nome foi gritado e despertei de meu devaneio.

— Oi Lena. – Respondi a mesma que mexia nos armários procurando algo para o café da manhã.

— Estou falando com você, não está ouvindo?

— Na verdade não, estou com a cabeça cheia.

— Pensando nela de novo? – Eu já sabia nem de quem se tratava, mas não fazia questão de responder.

— Estou pensando que tenho muita coisa para fazer, mas só estou com vontade de deitar e dormir.

— Muito cheio no hospital?

— Muito, não sabia que ser médico era tão difícil. – Bufei nervoso e comecei a arrumar os milhares de pastas de pacientes em minha frente e colocar na bolsa que levava para todos os lugares.

— Bom vou deixar você com seus problemas e ir trabalhar, hoje a Lia está de folga e vou ter que ficar sozinha.

— E como ela está? – Perguntei sem pensar.

— Bem. – Lena respondeu totalmente vaga o que me fez desconfiar daquela resposta.

— Eu até te levaria, mas tenho que pegar Candice na casa dela e levar para o hospital para outros exames.

— Boa sorte garotão. – Disse enquanto passava por mim e deixava um tapinha de consolo em meu ombro. — Até a noite.

— Até. – Gritei em resposta e me levantei criando coragem para tudo que ainda ia acontecer nesse dia tão corrido. Peguei minha bolsa no balcão e minhas chaves e sai trancando o apartamento indo em direção à garagem em busca do meu carro. — Vamos Justin você consegue.

Disse para mim mesmo dentro do carro, aquilo já tinha virado um mantra, tudo daria muito certo ou muito errado, eu só tinha que ir e ver o que iria acontecer. Liguei o carro e sai a caminho da casa de Candice com a mente a mil e com os pensamentos apenas para nela. A probabilidade de eu a encontrar era muito grande ou muito pequena e isso me assustava completamente, não ia saber o que fazer depois de tanto tempo longe. A cada esquina que meu coração se apertava e parecia que a qualquer momento iria explodir, o aperto ficou mais forte assim que estacionei o carro em frente a grande casa dos D’Angelos parecia tudo muito calmo.

— Vamos lá Justin, você é um homem consegue fazer isso. – Disse outra vez para mim, mas parecia que só me deixava mais nervoso. Caminhei até a entrada e apertei a campainha com as mãos trêmulas e esperei.

— Olá Senhor Bieber, veio buscar a Senhorita Candice certo? – A empregada o qual eu não lembrava bem o nome disse ao abrir porta.

— Sim. Ela já está pronta?

— Só está pegando os pertences, entre, por favor. – Assenti e dei um passo para dentro da casa encontrando a sala em total silêncio andei um pouco pela sala olhando os retratos esperando Candice.

— Justin? - Meu nome foi chamado por aquela voz à linda voz e meu coração parou. — O que faz aqui?

— É… Oi Lia. - Respondi me virando é a encontrando parada me encarando. — Eu vim…

Antes de conseguir responder a campainha tocou e Lia correu para atender quem estava na porta.

— Oi Cole. – Ouvi sua voz baixa se direcionando a pessoa que estava na porta que eu ainda não conseguia ver. — Vem entra.

Um rapaz digamos mais alto que eu entrou pela porta com as mãos nos bolsos e com um sorriso preso em Lia, mas logo que logo se direcionou a mim.

— Esse é o Justin, noivo da Candice. – Lia disse acanhada, me fazendo entender tudo que estava acontecendo ali.

— Olá sou Cole. – Ele disse estendendo a mão em cumprimento.

— É um prazer. – Respondi apertando a mão de volta. — Se me permite perguntar, você é o que de Lia?

— Ela não contou? – Ele perguntou lançando um olhar para ela e depois um sorriso sarcástico para mim. — Sou o ex-namorado dela.

— Vocês estão juntos de novo? – Perguntei com voz baixa como se não quisesse ouvir a resposta.

— Ainda não, mas eu espero que em breve sim. – Sua resposta veio como uma faca quente diretamente em meu coração e por um momento sentiu meus olhos transbordarem por lágrimas, mas me controlei e lancei o melhor sorriso que tinha.

— Boa sorte a vocês. – Respondi olhando diretamente para Lia lançando meu sorriso sarcástico.

— Amor? – Ouvi Candice me chamar assim que chegou a ponta da escada. — Chegou há muito tempo?

— Não. Podemos ir? – Perguntei e ela assentiu, saindo em direção à porta.

— Justin espera. – Ouvi Lia me chamar assim que cheguei à porta de entrada, Candice já estava próxima ao carro então me virei a encarando indiferente por fora, mas meu coração chorava por dentro. — Eu posso explicar.

— Não quero suas explicações. Eu disse que te amava, disse que deixaria tudo por você. E depois da nossa noite você vem me ignorando. – Limpei rapidamente uma lágrima que ameaçou escapar. — Agora entendi o porquê.

— Eu e ele não temos nada. – Ela respondeu deixando uma lágrima escapar e por um momento quis correr para os seus braços e a apertar forte.

— Nem eu e você. – Disse ríspido, e sem a deixar responder sai pela porta da garota que tinha partido meu coração a deixando para trás junto com o amor que queimava dentro de mim.

 

 

“Eu já sabia que te amava, mas você jamais saberia por que eu fiquei na boa quando eu estava com medo de te deixar ir. Eu sei que eu precisava de você, mas eu nunca demonstrei eu quero ficar com você. Até que nós fiquemos grisalhos e velhos, apenas diga que você não vai embora” - James Arthur.


Notas Finais


EITA. Justin com coração partido
O que acharam?
Fim de Juslia?
Inicio de Colia?
Volta de Cantin?

xoxo Candy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...