História Impasse - Capítulo 32


Escrita por: ~ e ~Viccandy

Postado
Categorias Fifth Harmony, Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Lauren Jauregui, Selena Gomez
Tags Amor Às Escondidas, Drama, Família, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Romance Histórico, Sexo, Traições
Visualizações 85
Palavras 929
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, eu finalmente voltei.

Bem os capítulos vão ser mais voltado para o romance agora, vão ser voltados, a verdades, desafios, se estão confusa, me desculpe, mas nos próximos capítulos tudo irá de formatar, o impasse começou e hora da luta kkkk.

Espero que gostem.

O título eu quis deixar em português mesmo.

Capítulo 32 - Momentos nossos. De todos nós.


Fanfic / Fanfiction Impasse - Capítulo 32 - Momentos nossos. De todos nós.

Escrita Autoral. - Momentos seus, nossos.



Fogo, chamas, borbulhando em dois corpos, escorregando no sangue vivo, seus lábios  estão conectados, a água gelada misturada com o suor que remava seus corpos, quentes, suados, Justin gostava da sensação de embrulhamento no estômago, gostava do que Emília fazia com ele, os sentimentos que ela o fazia sentir, não sabia se iria durar, se era eterno, mas o momento era deles, não havia terceiros, era isso que achava.


Murmúrios saiam da boca da morena, que tinha a pele rosada por apertos, os olhos azuis de Ryan tomou conta do seu corpo, latejando como se estivesse levado uma tapa, as batidas estavam aceleradas, capaz de ele escutar o tum delas, Spencer não sabia o que sentir, estava tão bagunçada, mas tão bem arrumada, talvez não entenda os trocadilhos que o amor impõe, e nem gostaria de entender.


Bagunçados, arrumados, leves, soltos, agitados, eram palavras demais para expressar a situação de ambos casais, juras de amor, que não sabiam se podia cumprir todas elas, mas podia tentar, era isso que pensavam, jovens demais para saber o que realmente o caminho espera.


Um impasse se localizar na vida de todos eles, medo, escuro, mal, bem, qual caminho deveria seguir?, Confuso, ou além de tudo isso, impossível, adultério, loucuras, que fazem da vida dos jovens terem histórias, boas ou ruins.


Sentada em meio a perna do homem que ama, Emília tinha seus fios de cabelos sendo arrumados, seu ombro sendo cheirado, a colônia doce que ele tanto gostava fazia ele querer passar horas fazendo amor com ela, imaginando formas como a teria de novo, sentindo sua quentura, sua pele junta a dele, estava fodido, estava com sentimento trancado dentro de si, transbordando em seu peito, com cicatrizes abertas, dúvidas rodeavam sua mente, se ela sentia o mesmo que ele, ou apenas estava enganando ele de forma lenta.

¥

Os olhos escuros se misturou com o toque azul das íris do rapaz, a pele roçou uma com a outra, as pernas se juntaram, as mãos quentes dele subia pela sua pele fria, se sentiam tão bem, apaixonados, realizados, Ryan beijou a amada, sobrevoando as nuvens dos seus lábios doces, Spen é frágil, e doce, só a conhecendo de verdade para desfrutar de seu comportamento bondoso, e Ryan teve essa oportunidade, de muitas.


¥

Uma linha reta se formou nos lábios da mulher de cabelos curtos, estava apavorada, não sabia o que fazer, deitada no sofá com as penas jogadas por cima do homem que conheceu mês atrás, ela sentia seu filho mexer em sua barriga, estava feliz, mas a mentira assombrava sua mente, e era isso que fazia ela ficar tão assustada, tão insegura, não sabia como a história iria terminar, algumas mentiras aqui ou ali, não terá problema. - pensou a jovem- pobre jovem.

 

¥


As nuvens de esticaram, o dia passou, lentamente, enquanto Emília e Justin aproveitava um a companhia do outro, e Ryan e Spen faziam a mesma coisa, era amor demais, sentimentOs demais, onde iria colocar?, ah iriam transbordar,  com os braços ao redor do corpo pequeno da garota Ryan fazia movimentos lentos com ela, a música do fundo tocava em uma melodia sentimental, calma e fresca, como o vento da manhã, a saia azul tocou no ar mostrando suas coxas, o homem riu beijando a pontinha do nariz da amada, quando ela voltou para os seus braços quentes, os cabelos caíam como uma cachoeira em um rio calmo sobre seus ombros e costas, os braços rodearam o pescoço do amigo, que segurou a cintura fina, sentindo a pele macia que estava exposta, ela era algo precioso, Ryan sabia disso, era como uma jóia rara, um diamante caro.


_ Eu me pergunto, se já vi alguém linda assim. - o homem sorriu e a morena envergonhou-se.


_  Eu gosto do tom dos teus olhos, e como você me olha, mas não me recordo de ser tão linda assim. - riu e ele se encantou ainda mais.


_ Seu sorriso. - deu uma pausa. - gosto de vê-lo, não deixe de sorrir. - com as pontas dos dedos tocou a pele do rosto lindo da sua linda Spen.


_ Pare com isso. - abaixou a cabeça deixando os fios soltos cair sobre sua face natural.


O homem riu beijando o topo da cabeça da mulher que beijou o seu peito por cima da blusa.


Em outro lado, Justin e Emília riam enquanto ela se divertia com a música que soava nos fones do computador, o homem se levantou da cama puxando uma flor do vaso perto da janela, trouxe o corpo leitoso da mulher contra o seu e deitou a flor atrás da sua orelha assim como seu cabelo, ela sorriu e deixou um casto beijo nos lábios do amado.


_ Você é boa em essa coisa de dançar. - murmurou ajustando os fios rebeldes dela no lugar. - poderia dançar mais vezes para mim. - sorriu e ela riu alto.


_ Dançar é meu hobby, amo o balé, amo o que ele me traz, tudo pode acabar, mas sei que o balé não irá me deixar. - suspirou apaixonada.


_ Amor, nada vai acabar, se lembre disso. - amor, palavra doce e forte, mas que Emília ama.


_ Eu amo você. - murmurou alisando seu nariz ao dele.


_ Eu amo você Emília, não esqueça disso. - soltou um suspiro e beijou a mulher que ama.


Diferentes emoções tomam conta de ambos casais que se amam além da lua, a constelação das estrelas são a formação da vida deles, complicada de se ligarem mas não impossíveis.



Notas Finais


Obrigada por lerem e que saudades, falta pouco para acabar, cry.

Cole ainda vai aparecer, o doutor também, tudo vai ficar explicado. Cheguei chegando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...