História Império Vermelho. - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Cavaleiro, Império, Morte, Traição
Visualizações 4
Palavras 1.888
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ei pessoal , tivemos algumas mudanças .na escrita , na narrativa vocês verão.
Ela continuará nessa escrita , e na próximos eles serão maiores . Pois a história é melhor daqui para frente

Capítulo 23 - Sombra


Outro espaço escuro e úmido, cercado de árvores manchadas pelo musgo que cria , com as pedras sujas de sangue,Com um caminho de terra, com valiosa cranios secos jogados pelo chão, armas velhas, rifles quebrados. Com o fim do caminho , um muro alto feito de pedras juntadas por argila, com o cheiro forte que causava algumas nos olhos . Um portão de ferro com os arranjos de ferro, e em frente um homem, sozinho e desarmado. Com a roupa esfarrapada, e os Coudres vazios. Um homem de rosto fraco, com a impressão de frágil e fraco, com o corpo meio magro e o cabelo preto bagunçado para trás. 

-Abram o portão! 

Gritou o homem ao portão, que o devolvia um silêncio mútuo e sem ruídos. Mais segundos depois o portão se abril, com ele se gastando um pouco e com o portão aberto, um quartel do exército que se achava atrás do muro, com dois soldados de roupas de couro e lanças vermelhas , se aproximaram dele com as lanças apontadas com a expressão nada amigável. 

-Eu sou de Oblivion. Meu nome é Ryan...e eu fui mandando para trazer essa informação ao seu comandante.

-mensagem de Oblivion? Onde está sua escolta?  

Disse o soldados se aproximando ameaçando com a lança.

-Eles morreram no caminho. Fomos atacados por um tigre branco, com o.... braço robótico enquanto saíamos de Oblivion. 

-você está armado?  

-Sou só um mensageiro. 

Disse o homem, com os soldados se afastando dando-lhe a passagem. Com ele se agarrando a sua mochila, e caminhando passando pela rua de frente ao quartel. Com os soldados todos dos lados do quartel, afiando suas espadas com pedras ásperas, e outra bebiam em volta de figueiras. Ele caminhava um pouco intimidado, com a luz fraca do sol perto de anoitecer, com ele adentrando o prédio, chegando a uma porta grande e cinza de ferro, que puxava o soldado , apontando a mão para que entrasse rapido.e ele passou pela porta, engolindo a saliva e dando um leve suspiro até ficar de frente a uma mesa grande, com vários mapas e equipamentos de guerra. Com um home de pé atrás dele, de costas, e de frente a um Espelho , com uma faca passando em seu rosto , se barbeando.

-quem é você ? 

Disse o comandante. 

-Meu nome é Ryan e...

-não perguntei seu nome , perguntei quem você é .

-Eu sou mensageiro de Oblivion.

Com essa fala o comandante parou a lâmina perto ao rosto , e virou o rosto várias vezes incomodado , e terminou a barman se apressando e passando um pano sobre o rosto .

-o que está esperando garoto ? 

Disse ele se virando , com o rosto forte , um homem mais velho de cabelo grisalho , de roupa vermelhas com a Mamede de uma armadura em seu corpo , com o rosto cicatrização de queimaduras. E ele estendeu a mão a Ryan para pegar a mensagem. 

      E Ryan um pouco nervoso , tirou da mochila uma carta , com o selo de cera na abertura , com o símbolo de Oblivion. Que minutos depois depois o comandante a leu , a colocando sobre a mesa , com ele irritado de cabeça baixa. 

-como alguém pode ser tão arrogante ? 

-senhor ? 

Disse Ryan aproximando o rosto a cautela 

-você não leu essa carta ,leu ? 

-Não senhor. 

-O seu rei idiota , está pedindo a nos para que cuidamos de arruaceiros. Parece que alguém matou um homem do Giviti, um homem chamado "Gordie" e agora com o tau torneio , ele estão ocupados e pedem que nos vamos..... nois somos Skyrum, sei que temos um acordo de guerra com o Oblivion, mais não somos seus cachorros! 

Disse o comandante batendo os punhos na mesa. E o Ryan levantando o rosto disfarçando . E o comandante pondo as mãos sobre o rosto . 

-você tem que idade ? 

-25 senhor .

-Há , tem idade para ser meu neto. Eu mandarei as tropas para Oblivion. Por nossos acordos de guerra. 

-Claro senhor.....quem matou o Gordie?  

-bom, na verdade Não sabemos

-o que ?! 

Gritou o comandante levando as mãos para a mesa e o Ryan abrindo o rosto um pouco assustado.

-Vocês sequer sabem quem é?  

-não. O Sr pediu para o senhor mandar as tropas , para acalmar as coisas por la.....senhor. 

-ata então, vocês querem que nos vamos lá, para tomarem conta de um pedaço minúsculo do seu país? Onde está o país mais poderoso?  

Disse ele empurrando o Ryan com ele levantando com as mãos para cima intimidado

-ei sou só um mensageiro! Eu não faço muita coisa. 

E ele levantou da cadeira e o comandante segurou ele pela gola da blusa , e bate suas costas na parede ,e o Ryan fechando o rosto com medo de apanhar. 

-comandante! 

Gritou um soldado de fora do quartel. Com o comandante virando o rosto para trás. 

    De frente ao portão começou a aparecer uma fumaça muito densa que tomou conta do quartel, com o comandante por cima da janela , viu a fumaça e correu pela sala até um armário e tirou um rifle grande , com um tambor de 6 balas , e ele assobiou bem alto ,e todos soldados ficaram em frente ao pátio de frente ao portão . Até uma linha roxa partiu o portão ao meio. Com ele caindo no chão , com o vento espantando um pouco da fumaça. E formaram uma parede de escudos e os mais altos com rifles grandes e elmos de ferro. Com uma sombra aparecendo sobre a fumaça e várias luzes roxas , passando por cima deles como Laisers. Todas se juntaram com a luz na cabeça do comandante. 

E o comandante tirou o rifle de baixo da janela e apontou para a sombra na fumaça , em formato de um corpo humano. E todos ficaram em silêncio.

-Quem é voc...

Disse um dos soldados quando uma fecha roxa feita de algo duro como pedra , acertou dentro de seu olho com ele caindo para trás no chão. E nesse momento, tidos começaram a atirar com os rifles, os soldados jogaram as lanças, com vários disparos de uma vez com maçãs e flechas e balas , por uns minutos , com a sombra parada durante todo momento. 

     E com o assobio do comandante todos pararam , com todos inseguros por tudo ficar quieto. E todos ficaram de pé , com a sombra ainda de os , e com e escuridão aumentando, ficou a silhueta de um corpo de mulher , e na altura dos olhos abril uma luz de um lado só. E sumiu indo para trás sumindo na fumaça. E todos ficando assustados e em guarda de novo. 

-ei , alguém tem qu....

o soldado com essa fala , a parte de cima da sua cabra foi cortada de uma vez , com o sangue espirrando fortemente por cima dos outros. 

-o que diabos fo...

E esse grito se abril um buraco enorme eu seu peito 

-e onde ele est...

E também foi cortado ao meio e sem nada por perto. E todos começaram a atirar e ficaram gritando uns aos outros , e ao gritaram uma pequena frase , firam cortados ao meio com o sangue e entranhas caindo pelo chão , e de um círculo vazio , várias flechas acertando todos na cabeça , com um vulto passando por todos e eles sendo cortados em fatias, e quando todos os soldados ficaram em voltas do círculo , e saiu dele uma fumaça roxa escura , e quando estava em meio a todos . Todos ficaram em silêncio todos com as lanças apontadas para aquele círculo no chão , e quando um deles com a lança 

-desista agora se nã....

-Não fale!!!

E toda aquele fumaça , se solidificou em meio a todos , em firmas de espinhos , perfurando Todos com o sangue e as tripas saindo pelos buracos , com os gritos de agonia dos soldados , berrando , e os espinhos somem com eles caindo no chão. 

    Na sala o comandante estava olhando pela janela , horrorizado com todos mortos , e o silêncio. E ele foi correndo ate o portão e apontando o rifle na direção da porta , com o Ryan sentado no chão com as mãos para cima tremendo um pouco . E com uma cerveja derramada no chão , com pegadas aparecendo por cima dela , espirrando com os passos por cima da cerveja , e o Ryan sentindo o gelado no peito , tremendo as mãos fechou os olhos. Com o comandante irrado com a arma para frente , e ele ouvindo uma respiração perto do seu ouvido , com ele amedrontado , e ele se virou ,e de frente a ele , com um impulso elétrico a invisibilidade sumindo e imagem aparecendo .

     Uma mulher com uma máscara de gás preta com o cabelo loiro preso a um rabo de cavalo , e uma chama negra roxa enrolada em seu braço , com ela firmando uma lâmina na ponta contra o pescoço do comandante , e no outro braço o fogo se formando uma besta de flechas na ponta

-eu tenho dinheiro par....

E a lâmina creçeu de uma vez atravessando o queixo dele passando pela cabeça , com um pouco de sangue caindo no Ryan. E ela se virando olhando para o Ryan e ele ficando em choque , com ela caminhando na direção dele e chama ficando em volta do braço dela e ela agarrando o Ryan pela gola da camisa e levantando ele.

-......

-.......

Com os dois permanecendo em silêncio , e a mulher alta com a máscara sobre o rosto , olhou ele de cima a baixo , olhando bem o rosto dele.

-qual seu nome ?

Disse ela , com ele ficando ainda em silêncio , e ela balançando a cabeça em sinal

-meu nome é Ryan .

Disse ele fechando os olhos com força com medo , e ela ficou parada encarando ele .

-você sabe para onde fica Oblivion? -sei.

E ela largou ele no chão e se virou , indo em direção ao janela, e ela deu uma respirada profunda e virou olhando para ele. 

-você conhece um homem chamado de Jin ? 

-Sei , ele é um cavaleiro de Abry. 

-não . Ele é um criminoso, e tem uma garota tentando matar ele . E eu tenho que impedir. 

 Ela segurou ele como o braço de fogo e das costas dela saiu um fogo como um jato , subindo pelo ar com o Ryan. 

(Oblivion) 

O Jin estava sentado em meio a floresta , em um tronco no chão em frente a uma fogueira , com a luz e a sombra , com o chapéu deixando o rosto intimidador. E ele fechando as mãos pensando .

-o que vamos fazer ? 

Falou a mim sentada no chão , encostada com as costas ao tronco, com a adaga nas mãos , passando entre as unhas .

-temos que matar eles. Todos eles.

Disse ele com os olhos sério em direção ao fogo , e a Lin olhando para ele preocupada, e colocou a lâmina na bainha e jogando para ele. E ele segurando colocando na cintura . 

-bom , não acho que seja uma boa ideia. Os mercenários estão procurando por nos. Precisamos acabar com isso , se não vão poderemos fazer nossa..... você sabe , nossa droga. 

-sim. Precisamos.... mais como ? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...