História Impossible love - Capítulo 16


Escrita por: ~ e ~Kate_France

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Norminah, Trolly, Vercy
Exibições 14
Palavras 3.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi galera,voltei, como vocês estão? Dessa vez eu não demorei, descobri que estou começando a ter a amor pela minha vida. Piadas a parte, pois é hora do show monstro! Aqui está o capítulo Camren e espero que gostem!
Músicas do Capítulo:
I hate u I love u - Gnash
and
Kygo - Carry me

Capítulo 16 - Camren


Fanfic / Fanfiction Impossible love - Capítulo 16 - Camren

CAMILA

Ao ouvir aquelas palavras, eu nem sei mais onde meu espírito estava naquele momento, a única coisa que eu sabia era que minhas roupas estavam me incomodando:

-Camila? Meu amor! Você está bem? Lauren me fitava preocupada e o que conseguia falar era só grunhidos. -Camz, por tudo o que é mais sagrado neste mundo, fala comigo antes que eu infarta. 

-Oi... Tô bem... acho... Então Lauren colocou minha mão sob o peito dela e eu senti seu desespero. 

-Faz mais isso não. Ela diz quase sem ar. 

-Lauren você... você... Eu não conseguia pronunciar nada, afinal, Lauren Jauregui pedindo para fuder você não era nada comum. 

-Eu? Seus olhos penetravam minha alma em busca de conexão e eu me derretia naquele inferno verde. 

-Você... não quer comer? Eu digo e a mesma sorri. 

-Em qual sentido? Suas palavras me causaram milhões de sensações e meus olhos foram de encontro com sua boca. 

-O Jantar... você veio até aqui para jantar, esqueceu? Ela foi se aproximando e me puxou pela cintura com um jeito cafajeste que me lembrara do passado. 

-Perdi a fome... quer dizer no primeiro sentido. Ao ouvir isso senti sua respiração quente próxima de minha boca, assim ficando toda arrepiada.

-Bem, mas meu primeiro sentido ainda continua em mim, então se me der licença eu vou... Ela me puxou de volta para si... -Na cozinha... Assim que terminei ela chegou mais perto e ao tentar me beijar desviei a deixando completamente irritada. 

-O que você fez mocinha? Lauren me fitava brava. 

-Se você não sabe Jauregui quem manda em mim neste exato momento é a fome, e por incrível que pareça ela é mais forte que você, vamos? Mostrei a mesa, então ela levantou as sobrancelhas e sentou na cadeira esperando eu a servir.

...

LAUREN
 

Depois de muito tempo conversando sobre as nossas vidas nestes últimos anos e comendo, eu parei para fita-la e percebi que a mesma também parou. Eu queria ela agora nesta mesa, gemendo meu nome, enquanto em seu ouvido palavras sujas e sem cabimento o preenchia, fazendo seu cérebro e seus neurônios explodirem. Ela mordia o lábio e apertava as coxas, eu estava ficando louca:

-Lauren? Ela me chama, então volto a realidade. 

-Sim baby. Digo fazendo a mesma se levantar e tirar os pratos da mesa. 

-O que aconteceria se eu aceitasse ser sua? Ela olha com aqueles olhos castanhos que logo ficam pretos como a escuridão. 

-Esse apartamento seria pequeno. Ela começa a rir sarcástica. -Porque está rindo? Pergunto a vendo voltar da cozinha sem nada nas mãos. 

-Estou rindo para te deixar brava Lolo, afinal, você odeia que riam das coisas que você diz quando está séria. 

Em poucos minutos levantei da cadeira e a puxei contra meu corpo. 

-Quem é você? Ela observa meus lábios e passa suas mãos em volta de meu pescoço. 

-Prazer sou Karla Camila, sua mulher, porém cansada de esperar você no sofá chorando nos braços das melhores amigas. Ela diz me fazendo querer cuidar de seu coração e enche-la de beijos.

-Prazer Karla, só me diz o que você quer que eu faça? Pergunto e então ela sai de perto de mim indo em direção a mesa sentando sob ela. 

-Quero que você me ame está noite, faça o que você me prometeu naquele maldito carro. Caminho rapidamente até ela e a mesma morde o lábio inferior. 

-Baby? Estou aqui, você vai ser minha e de mais ninguém está noite. Ela me olha abrindo um sorriso enorme.

-Antes quero te levar a um lugar. Ela me beija, um selinho demorado, porém libertador. 

-Aonde baby? Ela coloca seu indicador sob os lábios e pega em minha mão. 

-Empresta seu carro? A olho confusa e aponto as chaves em cima do braço do sofá. 

Der repente Camila abre a porta e corre me fazendo correr atrás dela. Sua risada era tão gostosa a ponto de me fazer entender que os nossos infinitos são maiores do que este mundo. Enfim chegamos ao elevador e Camila aperta os botões que a mesma os julga de liberdade me fazendo rir ofegante. Não aguento e a empurro até encostar seu corpo no elevador a fazendo gritar em surpresa, no entanto ela passa suas pernas em volta de minha cintura enquanto minha boca passeava em seu pescoço. 

Seus gemidos, nossas respirações, cada batida dos corações eram música para os meus ouvidos, não sabia ao certo se ficaríamos para sempre, mas sabia que nossas almas nunca se cansariam de se encontrar até estarem juntas novamente. Meus lábios agora em seu queixo subindo em direção aos seus, nossas intimidades se esfregando uma na outra, cabelos bagunçados, não era mais nós ali e sim um desejo de anos queimando:

-Lauren Jauregui ainda não! Ela retira suas pernas de minha cintura e me empurra contra a outra parede. 

-Porque? Estava tão bom. Digo me aproximando e beijando seu pescoço novamente. 

-Eu sei também tenho a mesma opinião sobre isso, mas é que este lugar não chega nem aos pés do lugar em que te levarei. Ela diz me olhando intensamente.

-Onde irá me levar? Escuto o barulho da porta do elevador abrir e avisto duas senhorinhas nos olhando assustadas. 

-Boa noite?! Camila diz ajeitando suas roupas e seu cabelo. 

-Meu Deus! Você está bem? Uma delas fala me fazendo ficar envergonhada e Camila cair na risada. 

-Ô se está! Digo e Camila bati em meu braço. 

-Saia daqui antes que eu chame o segurança! A outra senhorinha começa a me bater com sua bengala fazendo Camila rir novamente. 

-Minha menina você está bem? A senhora de andador pergunta a Camila me deixando com cara de agressora. 

-Sim... Camila faz uma cara triste me fazendo ficar envergonhada. 

 -Masoque?Camila sério isso? Sussurro para ela e levo outra bengalada no braço. 

-Fique quieta demônia. A senhora diz e me afasto para rir. 

-Ela te machucou? Camila apenas assentiu com a cabeça me fazendo rir ainda mais. 

-Machucar? Não chega nem perto do que quero fazer com ela! Ao dizer isso levo uma bengalada no quadril e tento me livrar de outra atrás do pilar. 

-Saia antes que o segurança te machuque menina mal educada! Ao fitar Camila rindo começo a rir novamente e então ela pisca para mim saindo do elevador. 

-Você vai para o inferno isso sim, que pecado, onde já se viu bater nesta pobre garota, senhor tenha piedade dela meu pai! As duas senhoras entram no elevador, então o mesmo se fecha.

-É impressão minha ou a Dinah e a Ally entraram em uma máquina do tempo? Digo e Camila cai na risada me levando a cair também. -Brigada por me taxar como agressora. 

-Acho que dessa vez tenho que concordar com você, onde já se viu eu te taxar assim? Me desculpe amor, prometo que escrevo uma carta a elas mandando a conta do hospital. Ela aponta para os lugares das bengaladas e volta a rir caminhando em direção ao meu carro. -Agora sim, as coisas irão esquentar entre a gente. 

-Muito engraçado! Só espero que me recompense por apanhar as suas custas mocinha! E o que são essas coisas? Digo observando ela retirar de baixo do meu carro uma sexta. - Como é que isso foi parar ai? 

-Fourth Harmony esqueceu? Ela levanta a sexta e coloca no capô do meu carro. 

-Nós vamos transar em um piquenique? Digo rindo e então Camila me olha com um olhar bravo. 

-Quase isso, só que neste a comida será eu. Ela pisca me deixando sem palavras. 

-Quem é você? Pergunto novamente fazendo-a revirar os olhos. 

-Entra no carro Jauregui! Eu apenas puxo o ar olhando para cima e pensando no que mais poderia acontecer esta noite entrando no carro. 

-Cuidado com meu bebê! Digo a fazendo rir de canto. 

-Mas é claro que vou tomar amor, só espero que ele esteja com o seguro em dia. Eu arregalo os olhos e a mesma começa a rir. -Relaxa Lo, curte o passeio.

Tô ferrada...

 

CAMILA
 

Sentir a brisa do vento em seu rosto é a mesma sensação de estar sendo liberto pela lei áurea, olhar para ela e me sentir eu mesma fazia meu mundo florescer.

Estar indo em direção a minha dignidade era muito confortante, mas também excitante. Lauren observava as horas a cada minuto, tenho certeza que nem ela está acreditando que temos tempo suficiente para matarmos a saudade de anos:

-Está chegando? Ela me pergunta e seus olhos verdes se tornam escuros. 

-Sim, na verdade chegamos! Ao dizer isso estaciono o carro nas vagas da praia a fazendo me olhar sem entender nada.

-Camila? O que fazemos aqui? Ela me diz e saio do carro indo em direção ao mar. -Camz? Onde vai? Espera! Ela sai do carro indo depressa fixar-se do meu lado. 

-Te trouxe ao lugar onde minha vida recomeçou! Digo e num descuido as lágrimas rolam pelo meu rosto. 

-Hei, meu amor, o que foi? Lauren me abraça e me sinto completa novamente. 

-Foi aqui que perdi tudo Lauren! Ao dizer isso a apertei mais forte fazendo meu choro se tornar frequente e a saudade arder em meu peito. 

-Como assim? Não estou entendendo! Me explique! Ela me olha e então o pesadelo começa a ser desvendado novamente. 

-Foi a um ano mais ou menos, estava em um barco com minha família, eu ouvi estalos no convés e no motor, achei que era normal, pois papa tinha dado a partida no barco. Ela me olhava atentamente como se aquela história fosse dela. -O barco começou a se inclinar, como se fosse o Titanic sabe... e eu não sabia ao certo o que estava acontecendo... foi então que peguei Sofia e a coloquei no bote salva vidas, acho que a única pessoa que estava em minha cabeça naquele momento era ela. 

-Ela está bem? Lauren me interrompi e balanço a cabeça em sinal positivo. 

-Quando voltei para pegar meus pais, observei as piores cenas da minha vida, a mão dos dois na janela daquele barco e a água tomando conta do ar de ambos... Eu tentei resgata-los, até pulei para salvar pelo menos um eu te amo, mas ao invés disso eu vi as mãos entrelaçadas e percebi que o amor é o que dá paz para os humanos. Ao olhar para ela, seus olhos estavam em um tom claro e vermelhos pelo choro. -Agora além de irmã, sou mãe e pai de Sofia Cabello... não que isso me prejudique, afinal ela tem 9 anos agora, mas acontece que ela superou isso mais rápido do que eu... e isso me deixa bastante constrangida.

-Você é uma heroína Camila Cabello, uma inspiração para ela, e agora uma inspiração para mim. Ela limpa as lágrimas de meus olhos. -Você trouxe a infância perdida para sua irmã depois de tudo que ocorrera, trouxe paz para a alma dela mesmo com o sofrimento e ensinou a ela as maravilhas de continuar vivendo aqui. -Foi por essa Camila que luto e lutei a vida toda, não que seja ruim levar bengaladas por ela, mas... Eu a amo mais que tudo no mundo. Abro um sorriso e a mesma olha em meus lábios.

-Eu quero ser sua aqui, porque eu quero recomeçar com você de onde minha vida recomeçou! Ao dizer isso Lauren me beija de um jeito que arrepiou meu ser e me fez sentir como se tudo não passa-se de um sonho. 

Ela para o beijo:

-Hoje vamos criar o eclipse perfeito minha lua! Abro um sorriso e volto a beija-la. 

Paro o beijo:

-Lauren? Ela volta seu olhar para os meus olhos. -Me pegue! Levanto e começo a rir a deixando para trás sem entender nada. 

-Camila, volte aqui! Ela diz e olho seu corpo a metros de mim. 

-Vem Lauren não temos todo tempo do mundo! Grito e olho para aquela imensidão de um tom azul escuro. 

Der repente ao me virar depois de segundos, Lauren se encontrava com um sorriso lindo em seu rosto e os sapatos em suas mãos:

-Você me faz querer viver nesta terra por milhões de anos senhorita Cabello! Ela me puxa colando nossos corpos. 

-Você completa minha alma senhorita Jauregui! Digo a beijando deixando seu sorriso transparecer durante o beijo. 

Me apaixonei do mesmo modo que caímos no sono gradativamente, der repente e de uma hora para outra. Talvez tudo que venha a gostar é culpa das estrelas, eu amo elas, aliás ultimamente tenho amado o que está longe de meu alcance, uma dica, Lauren Jauregui.

 

LAUREN 

Andamos por toda a praia, beijando, caindo, rolando na areia, se molhando, confesso que me sinto uma adolescente de 16 anos novamente. Chegamos em uma espécie de gruta perto do farol, Camila retirava daquela sexta a qual tratamos de voltar a pegar no carro, um acampamento de 400 dias, fiquei surpresa com um mini cobertor, uma toalha de mesa e uma almofada, fiquei pensando como aquela sexta aguentou tudo isso. 

Foi então que as estrelas presenciaram uma explosão de fogos de artifício, agora sei, porque dizem que elas são culpadas, as mesmas gravam tudo o que acontece neste mundo. Estava eu e ela, o sol e a lua, finalmente em um eclipse depois de muito tempo separadas, olhos sempre grudados e um friozinho na barriga me torturava. A deito depois de estender o mini cobertor, olho para seu corpo, percebo as curvas latinas se mexerem no ritmo das ondas, eu saberia identificar quando minha lua estava cheia e radiante.

Ela lançou seu olhar sob mim e veio procurando por amor, e então me encaixei entre suas pernas a fazendo arfar, a respiração descontrolada me deixava ainda mais louca, beijei seu pescoço e senti suas mãos apertarem minha bunda. Beijei seu queixo até chegar em sua boca ao qual tive o prazer imenso de maltratar seus lábios e sua língua com um beijo feroz. Camila me empurrou e começou a tirar suas roupas rapidamente, fez um sinal de ordem para que me livrasse das minhas, e então a obedeci. O frio não incomodava, estava mais quente do que o próprio inferno, ela me deitou e ficou em cima de mim me fazendo sentir sua maravilhosa bunda em minha intimidade. 

Em poucos segundos ela esfregava sua intimidade na minha me fazendo gemer, meus pelos arrepiaram e minhas mãos foram de encontro com sua bunda a apertando e impulsionando para baixo, para frente e para trás. 

Me levanto e continuo a fazer o que estava fazendo, mas agora beijo sua boca descontroladamente. Uma de minhas mãos sobe para seus cabelos e os puxo beijando seu pescoço enquanto a mesma continua esfregando seu sexo no meu. Os gemidos de Camila se tornam cada vez mais frenéticos e altos, até que seu primeiro ápice chega me deixando a mercê de seus encantos:

-Lauren quero você dentro de mim! Ela diz ofegante e rapidamente pega minha mão levando até sua intimidade encharcada. 

A masturbo freneticamente fazendo-a jogar a cabeça para trás, e então a deito na toalha, olhos nos olhos até que começo a distribuir beijos por todo seu maxilar, vou descendo de encontro com seus seios onde chupo e mordo os bicos a fazendo arranhar minhas costas. 

Eu gemia ao sentir suas unhas cravando em minha pele, ao olhar minha lua seu brilho se torna mais intenso, e meus beijos descem em direção ao seu abdômen. Camila mal conseguia respirar, se engasgava com seus gemidos e percebera que estava ficando impaciente com a situação. Foi então que cheguei até a sua virilha onde depositei beijos molhados a fazendo contorcer em minha boca, no entanto suas mãos foram aos meus cabelos espalhando o fogo pelas minhas veias. 

Comecei a distribuir beijos no interior de suas coxas até chegar a sua intimidade onde subi meus olhos para ver sua expressão que se encontrava seria. Foi então, que lhe ofereci um sorriso cafajeste e lambi sua intimidade de cima a baixo a fazendo gemer roucamente. A olhei novamente e sem tirar os olhos de sua face voltei a chupa-la e em algumas vezes mordia seus "beiços" a fazendo contorcer em sintonia com as ondas. Enganchei meus braços em suas coxas, e desse modo Camila, acariciava sem ser vulgar seus longos cabelos castanhos me deixando embriagada de prazer. 

Só passou segundos e Camila se desmanchava em minha boca, seu gosto era doce e o cheiro de seu sexo era tão feminino que eu estava completamente alucinada. Ao subir beijei seus lábios a fazendo suspirar, então ela me virou e começou a distribuir beijos molhados por todo meu corpo até chegar em meu sexo, onde tratou de me maltratar das piores maneiras possíveis me deixando a queimar por completo. Nosso eclipse estava parecendo uma Big bang de céu e inferno e calor e gelo:

-Lolo me come de quatro?! Ela pediu e eu a obedeci. 

Sua bunda toda para mim era um sonho, não só pelo tamanho, fode-la tendo esta visão me deixaria mais pirada do que já estou. Foi então, que pedi para a mesma chupar meus dedos, Camila não exitou apenas obedeceu, e quando terminou mordeu ambos. Direcionei até sua entrada a fazendo respirar fundo, depois de segundos comecei a penetra-la devagar até sentir sua dignidade escorrer pelas minhas mãos e a mesma fechar os olhos:

-Camz? Você está bem? Quer que eu pare? Ela negou com a cabeça e me mostrou um sorriso cafajeste. 

-Mete com força Lauren Jauregui! Ao ouvir isso meus sentidos ficaram perdidos e estava completamente alucinada. 

-Como quiser! E então estalo um forte tapa em sua bunda a fazendo sorrir novamente. 

Meus dedos entravam e saíam de uma forma descontrolada de sua vagina, Camila gemendo era o melhor som que já ouvira em toda a minha vida, sua intimidade os mastigava de uma forma tão gostosa que poderia fode-la por três dias sem cansar. 

Ela empurrava com sua mão meus dedos mais fundo me deixando cada vez mais embriagada em seu corpo, o mesmo estava suado e sua bunda cada vez mais empinava-se para mim:

-Lauren... isso... mais fundo... Ela dizia repetidas vezes me fazendo sorrir. 

O barulho da sucção me deixava zonza de tesão, até que Camila chegou ao seu ápice me fazendo chegar também, no entanto ela caiu sobre a toalha ofegante. 

Sua mão apertava a minha, que a fodeu descontroladamente e seu peito estava sendo maltratado por minha outra mão. 

-Minha vez! Ela disse me jogando sobre a toalha. 

-Amor? Não acha melhor você deitar em meu peito e dormir? Você está exausta!

-Abre as pernas Jauregui! Camila diz brava e eu a obedeço. -Meu pai do céu que visão! Ela diz me fazendo gargalhar. 

-É que você não sabe o quanto foi difícil foder você de quatro, você já viu seu monumento? Ela me olha sapeca. 

-Lógico que já vi, ele é meu e a sua boceta também é. Ela pisca e eu abro a boca em surpresa. 

Foi então que senti os dedos de Camila dentro de mim:

-Você é muito gostosa Lauren Jauregui! Ela sussurra em meu ouvido. 

-E você é muito apertada Camila Cabello! Ela morde minha orelha e solta uma risada gostosa. 

-Isso é ruim? Ela me olha sem entender. 

-Claro que não, você é perfeita! Começo a rir a contagiando. 

-E você é maravilhosa meu sol! Ela pisca para mim. -Só espero que você me queime pelo resto das nossas vidas!

-Seu desejo é uma ordem minha lua! Digo a fazendo sorrir.

Essa noite será longa...


Notas Finais


Eita nois eclipse Camren... estou toda babada... não é mesmo? Issuuuuu mesmo Cristina!
Até a próxima pessoal... É nois...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...