História Impossible Love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Yaoi
Exibições 13
Palavras 2.969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Beleza galera!!

Hoje lhes apresento o segundo casal de Impossible Love!

Espero que gostem. <3

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Impossible Love - Capítulo 5 - Capítulo 5

POV Hidaka

Prazer, meu nome é Hidaka Kojima. Tenho 29 anos e sou o novo empresário do cantor Ayato Matsumura. Nós estamos nos conhecendo ainda e parece que nossa relação não está sendo muito boa... ele reclama sobre eu ser chato. Que eu sou muito irritado e sério, não levo nada na brincadeira. Eu não tenho culpa, esta é a minha personalidade. Mas ele também é muito preguiçoso! Eu tive de fazer tudo para ele ontem. Fazer comida e limpar a casa... eu virei empregada dele por acaso?! Uff... nós brigamos bastante por conta de ele nunca querer fazer os seus shows ou levantar mais cedo. Sinceramente, mal estou o conhecendo e ele já está dando trabalho. Eu fui demitido por um outro cantor que não tinha jeito de fazer sucesso e se irritou com tudo. Resultado: acabei sendo demitido. Em busca de conseguir me empregar, apareceu esta oportunidade com Ayato Matsumura. Fui atrás e consegui. Mas realmente não sei... talvez eu deva me arrepender. Matsumura dá muito trabalho! Ás vezes parece até uma criança.

No momento eu estou muito irritado. É meia-noite e estou procurando insanamente por esse idiota! Onde é que ele pode ter se metido? Vou dirigindo pela cidade inteira de Tóquio desesperadamente em busca dele. Depois de um tempo o procurando, resolvo estacionar e ligar em seu celular. A primeira e a segunda vez deram em caixa postal. Eu estava com raiva e quase desistindo quando, quase na mesma hora, ele estava ligando. Atendi. Não era sua voz, era a voz de um homem um pouco sério. Ele disse que era o barman de um bar qualquer aqui em Tóquio e que Matsumura estava lá, bêbado. Fiquei mais estressado do que eu já estava. O homem me deu o endereço e eu entrei em meu carro e dirigi até o local onde ele falou. Quando cheguei lá, Matsumura estava bêbado e praticamente morto em cima da mesa no bar.

-Quantas ele bebeu e quanto ele gastou? - Comecei a falar com o barman e tirar a carteira do bolso.
-Eu até perdi a conta de quantos goles ele deu. - Ele disse pegando um papel. - Mas aqui está a conta.
-Ehh... - Eu não acredito que ele gastou tudo isso... irei matá-lo amanhã de manhã! - Tudo bem, irei pagar tudo que ele gastou aqui.
-Eeuuu quero bebeer...! - Matsumura estava bêbado e ainda estava pedindo mais? Vou ter uma boa conversa com ele amanhã.
-Aqui. - Paguei a conta que o barman me entregou.
-Está tudo bem agora. - Ele sorriu e voltou ao seu posto.

Eu acho que gastei quase tudo que eu tinha aqui... uff! Bom, não importa. Vamos levá-lo pra casa. O arrastei para fora do bar. Ele estava parecendo um zumbi. O joguei dentro do carro, no banco de trás. Ele reclamou por ter se machucado... eu não dei ouvidos, entrei no carro irritado e comecei a dirigir. Enquanto estávamos á caminho de sua casa, ele ficava gritando e chorando pelo nome de sua noiva, Katsura. Huh, o que será que aconteceu? Terminaram, talvez? ... isso não é da minha conta! Preste atenção no que tem que fazer, Hidaka! Chegando á casa dele, eu estacionei o carro dentro do estacionamento e o retirei de dentro do veículo. Apesar de ele quase cair no chão, conseguiu aguentar um pouco em pé. Novamente, o arrastei. O arrastei até chegarmos em seu apartamento. Antes mesmo de eu o levar até a cama, ele pesou e acabou caindo no chão. Eu caí junto, sentando no seu colo.

-Ahh, Katsura... não me deixe! - Ele me abraçou e eu corei. Droga, ele está bêbado e é maior que eu! Isso não dará certo...
-... - Fiquei calado, tentando em vão me soltar. Percebendo que a situação ia piorar, resolvi gritar e tentar empurrá-lo. - ME SOLTA!
-Katsura, não... - Ele amoleceu e eu finalmente saí de seu abraço e levantei-me. - Não me deixe... - Ele começou a chorar... isso está me dando pena.
-Deixa de ser idiota, eu não sou a sua Katsura! - Falei de modo grosseiro e logo o levantei do chão.
-Katsuraaa.... - Ele chorava feito um bebê.
-Cala a boca, Matsumura! - O arrastei até a cama e o pus deitado, quase morto.

Ele chorava com tanta tristeza que eu pensei em ficar ao seu lado até ele adormecer. Além de ter que cuidar das coisas domésticas, preciso cuidar dele também? Parece que virei babá. Mamãe não teria orgulho de mim... ou teria, pois estou com um cantor famoso. O nível onde cheguei, huh... talvez seja alto... bom, tanto faz. Matsumura me olhou enquanto chorava. Eu comecei a olhá-lo também e fiquei com mais pena ainda. Ele fechou os olhos e continuou a chorar. Tive a brilhante ideia de segurar sua mão por uns instantes. Quando o encostei, senti algum sentimento estranho em mim. Não sei explicar qual é, mas fiquei com algo diferente... apertei um pouco sua mão e pude senti-lo retribuir. Corei mais naquele momento. Parecia que ele se acalmava pouco a pouco.. isso deixou-me mais tranquilo. Percebi que sua respiração tinha voltado ao normal e as lágrimas não caiam mais. Ele dormiu... soltei sua mão cuidadosamente e saí do quarto, apagando as luzes.

 

POV Ayato

Meu nome é Ayato Matsumura, sou um dos cantores mais famosos do Japão. Ei, não estou sendo esnobe! Eu sou incrível, apenas estou admitindo isso! Continuando... eu recentemente mudei de empresário. Um tal de Hidaka Kojima, extremamente chato. Só sabe trabalhar, pensar em como as coisas ficarão, etc. Ele é viciado em trabalho! Como alguém consegue se esforçar tanto assim, cara? Ah, eu prefiro desistir.. não vou ficar tentando entender algo tão impossível de raciocinar. Ele sempre vive reclamando que sou irresponsável. Eu não sou! Apenas gosto de deixar o trabalho um pouco e curtir minha vida... é difícil de entender? Que merda! Inclusive... eu estava dormindo agora e acordei com vários gritos. Caí da cama por susto e adivinha quem era? Isso mesmo... Kojima.

-Ande logo, levante, Matsumura! - Ele falava com a mão na cintura e um pouco de raiva.
-Mas que porra... QUE HORAS SÃO?! - Gritei bem frustado.
-Uff.. - Ele tirou seu celular do bolso e me mostrou. - 6 horas.
​-6 HORAS?! - Me levantei do chão e o olhei com raiva.
-Não escutou direito, Matsumura? Não vou repetir, vá limpar esses seus ouvidos. - Ele disse num tom arrogante e saiu do quarto.

Como dá claramente pra perceber, nossa relação é complicada. Temos personalidades muito diferentes... não sei como ainda não nos matamos aqui dentro de casa. Eu estou com uma infernal dor de cabeça! O que aconteceu? Eu não lembro de nada de ontem, só lembro que... minha noiva terminou tudo comigo...

FlashBack ON

-Ayato, meu amor... tenho que te falar algo. - Katsura chegava até mim de uma maneira que me dava maus pressentimentos.
-O que foi? - Me virei para ela e a encarei. - É sobre nosso casamento? Está nervosa? - Rio meio sem jeito.
-Huh... não é isso.. é algo bem mais sério. - Ela falava de cabeça baixa.
-O que foi então? - Sentei numa cadeira enquanto bebia um pouco de café.
-Eu serei direta... acabou, Ayato! - Ela disse com firmeza e eu acabei derrubando o café de minhas mãos.
-O-o que você disse, Katsura??? - Eu simplesmente não estava querendo entender o que ela estava a dizer.
-Acabou! Estou desistindo do nosso noivado... - Ela parecia triste.
-Mas... por quê? O que eu fiz de errado? - Fiquei a sua frente, encarando-a.
-Você... uh... não está fazendo tanto sucesso. Você... - A olhei pasmo. Finalmente entendi o porquê de ela estar terminando...
-VOCÊ SÓ QUIS FICAR COMIGO POR CAUSA DO MEU SUCESSO?! - Gritei em um tom alto de voz.
-Não, não é isso... - Ela fechou os olhos. Parecia que ia chorar.
-Meu amor, vamos logo! Com quem está a falar? - Ouvi a voz de um homem. Espere.... ela.. estava com outro....?!!
-N-ninguém... já estou indo! - Ela gritou um pouco para que ele ouvisse.

FlashBack OFF

Foi assim que ela me abandonou, não é...? É, foi assim. E pensar que eu iria me casar com uma mulher que só tinha interesse no meu sucesso... fico até aliviado por ter levado esse fora dela. Mesmo assim, por outro lado... eu a amava. Eu amava Katsura demais! Calma.. acho que estou lembrando do que aconteceu... não vou perguntar á aquele empresário chato. É bem possível de ele explicar e jogar um sermão logo depois. Eu acho que... eu fiquei triste e fui beber num bar? Deve ter sido isso... isso explica a dor de cabeça. Ressaca. Cara, isso foi bem idiota... tanto faz! Fui em direção ao banheiro, com vontade de tomar um banho. Peguei uma toalha e fui em direção ao banheiro. Chegando lá, tranquei a porta, e comecei a me despir. Quando eu estava entrando no chuveiro, ouvi Kojima chamar:

-Ei, Matsumura! - Ele gritou pelo outro lado da porta.
-Que que foi? - Perguntei meio irritado.
-Você gosta de Gyudon como café-da-manhã? - Ao ouvir suas palavras, lembrei que ele estava mencionando o nome do meu prato favorito.
-Claro! Huh.. cof... sim, eu gosto. - Acho que me empolguei um pouco.
-Tudo bem. Irei cozinhar para nós dois. - Ouvi ele se afastando.

Nem é tão ruim tê-lo como empresário... ele é quase uma babá, tenho que admitir! Mas eu gosto da maneira dedicada que ele faz as coisas... só que, ás vezes, ele leva muito á sério. Como ele consegue? Eu amo cantar, amo meus fãs, minha carreira... mas não consigo gostar tanto ao ponto de querer fazer isso o tempo todo e dar praticamente TUDO de mim. Se meus shows já são cansativos... Deus, eu não aguentaria ser do jeito do Kojima e prosseguir na carreira. Em cerca de alguns 10 minutos, saio do banheiro, enrolado na toalha. Eu cheguei em meu quarto e vi que as roupas já estavam prontas em cima da cama. Ele irá fazer tudo para mim agora, é? Sequei-me um pouco e logo me desenrolei da toalha, jogando-a em cima da cama. Vesti minha cueca e calça e, pegando a camisa, fui direto para a sala. Vi que Kojima estava organizando a mesa para poder servir a comida. Ele me olhou e percebeu que eu estava sem camisa. Corou e desviou o olhar irritado, enquanto continuava o que estava fazendo.

Por acaso ele me acha bonito? Hm~, isso é certo. Quem não gosta de um loiro de olhos verdes assim, hein? Eu ri um pouco em voz alta. Graças a Deus, Kojima não percebeu. Isso foi bem esnobe, admito... mas claro, foi uma brincadeira. Vesti minha camisa e fui até mesa, sentando em uma das cadeiras. Kojima logo serviu a comida para nós dois. Sentou-se á mesa e pôs-se a comer. Eu fiz o mesmo. Comemos sem dialogar, pois toda vez que conversamos, acabamos gritando um com o outro. Eu estava com tédio... brinquei um pouco com a comida, mas claro, comi ela pois é a minha refeição favorita. Não curto muito manhãs... eu gosto mais das tardes. Para mim, manhãs são extremamente chatas. Observei um pouco Kojima... até que ele é bonito. Olhos azuis cinzentos e cabelos castanhos escuros. O engraçado é ele ser baixinho. Deve ter 1,69, por aí. Logo depois de terminarmos a refeição, ele pegou os pratos e deixou-os na pia. Fiquei sentado na cadeira mesmo, olhando para o nada.

-Vamos, levante-se. - Kojima falou rudemente. - Hoje você tem um Show ás 10hrs em Osaka.
-Ah. - Suspirei de forma preguiçosa. - Não estou com vontade...
-O SEU SHOW ESTÁ MARCADO, SENHOR MATSUMURA! VOCÊ TEM A OBRIGAÇÃO DE IR! - Ele começou a gritar.
-NÃO GRITE COMIGO! - Levantei da cadeira e fiquei frente a frente com ele. Percebendo isso, ele corou e se afastou um pouco.
-Por acaso quer desapontar seus fãs? - Olhou-me de modo sério.
-... - Suspirei. - Não. Obviamente não quero.
-Então pare de ser preguiçoso e se arrume logo. - Ele pegou a pasta de documentos dele e começou a sair de casa. - O carro vai chegar aqui ás 8hrs pra te levar ao Aeroporto.

Sendo assim, ele saiu. Até que por um lado ele tem razão... não devo desapontar meus fãs. Apesar de a maioria ser louca e alguns obcecados por mim, eu amo todos os meus fãs. Tudo bem, tanto faz... vou me arrumar, aquecer minha voz, treinar as músicas e etc.

Algumas Horas Depois...

Ás 8hrs, Kojima chegou em casa e me chamou para irmos ao carro. Saí de meu prédio calmamente, bem despreocupado. No carro, eu ficava olhando a janela e Kojima cuidava dos documentos. Sempre muito ocupado, trabalhador. Cara, ainda não o entendo... como consegue gostar tanto do trabalho?! Ele realmente é viciado nisso... me distraí em meus pensamentos e o tempo foi passando, até que chegamos ao Aeroporto. Eu não precisava fazer nada, Kojima já havia cuidado das passagens e do resto. Era apenas esperar o avião chegar e pronto. Sentei-me em um dos bancos do saguão do Aeroporto. Kojima ficava atento com o avião. Em alguns minutos, pude perceber uma legião de fangirls correndo insanamente até mim. Por sorte, na mesma hora, o avião havia chegado. Kojima me puxou e saiu correndo como louco de todas as fãs. Ah.. isso acontece diariamente. Nem preciso fazer academia, só a corrida das fãs me faz ter um bom físico.

Dava perfeitamente para ver os flash's das câmeras piscando sem parar para tirar fotos de minha pessoa. Numa corrida maluca, conseguimos chegar até o avião. Dá pra acreditar que as fãs tentaram entrar no avião juntamente com nós dois? Ainda bem que ali havia seguranças, pois sem eles, eu já teria sido sufocado por todas elas. De vez em quando eu tento dar autógrafos ou tirar fotos, mas na maioria das vezes, elas vem em grandes quantidades e eu não consigo dar atenção a cada uma delas. Kojima e eu estávamos ofegantes por ter corrido assim, mas logo a nossa respiração voltou ao normal. Em alguns minutos, todos se preparavam para o avião levantar voo. As fangirls estavam igual loucas, tirando fotos do avião onde eu estava. Finalmente o avião decolou e eu fiquei longe das fãs por um instante.

Primeiramente, olhei a janela. Eu gosto de viajar em aviões, para mim é legal. Peguei meu celular e pus-me a olhar as fotos. Havia eu e minha ex-noiva, Katsura. Eu olhava para as fotos com certa tristeza, mas nada que me faça chorar agora. Kojima estava cuidando dos documentos e percebeu que eu prestava atenção em coisas passadas:

-Ei, por que você não a esquece? - Kojima falou enquanto olhava atentamente as folhas onde mostrava que eu iria fazer meu Show.
-Eu.. eu não consigo esquecê-la. - Olhei para o lado, desligando o celular e pondo-o no bolso. - E... por que está se metendo na minha vida?
-Fique calmo, seu idiota. - Ele tirou os olhos das folhas e me olho sério. - Você precisar estar concentrado NO SHOW e não NELA.
-Está bem, está bem. Desculpe por irritar a madame. - Debochei de sua cara, soltando leves risadas.
-Se nós não estivéssemos no avião, eu já teria te batido. - Ele falou de olhos fechados e com a veia da testa pulsando fortemente.

Dei risada do que ele acabou de pronunciar. Me bater? Ah, mas é claro. Baixinho e irritadinho desse jeito, vai conseguir me bater.... claro, claro. Mas em uma coisa que ele falou, tem uma verdade: Eu devo realmente me preocupar com o Show e não com a Katsura. Não devo deixar uma ex atrapalhar na minha carreira! Mesmo que ela tenha sido boa para mim... tudo bem, já passou! Ela não vai mais voltar. Se eu quiser, namoro até uma das minhas fangirls. Enquanto me divertia com meus pensamentos, ri um pouco. Kojima me olhou de maneira confusa. Ele estava com uma cara: "Por que esse louco está rindo?". Eu ri mais ao ver sua feição. Ele continuou sem entender, até que desistiu e ficou cuidando dos documentos. Admito que nem é tão ruim tê-lo por perto. Apesar do seu jeito meio "mãe", viciado em trabalho e irritado, ele é alguém legal. O voo continuou sem diálogos a partir dali. Como eu estava com um pouco de sono, resolvi tirar um cochilo no avião. Kojima deixou, pois sabe que preciso ficar descansado para fazer o Show de melhor forma.

Depois do voo...

Kojima me acordou quando o avião pousou. Eu acho que passei a metade do voo dormindo. Bom, pelo menos me sinto descansado. Saímos calmamente do avião e adivinhe? Havia mais fãs no Aeroporto de Osaka! Novamente, tivemos que correr. Por sorte, tinha um carro nos esperando. Entramos lá e, sem lerdeza, fomos para o Hotel mais próximo, onde era perto do Show onde eu iria fazer. Fãs por aqui, por lá... foi quase impossível entrar no Hotel, mas, por sorte, conseguimos. Kojima decidiu que eu ficaria um pouco ali apenas para descansar um momento, pois o Show seria daqui a pouco. Aproveitei para aquecer um pouco minha voz. Em alguns minutos, saímos novamente e tivemos de enfrentar os fãs. Kojima prometeu contratar seguranças para mim da próxima vez...

Chegando ao local do Show, faltava 5 minutos para eu entrar. Me preparei pela última vez e respirei fundo quando a hora de entrar finalmente veio. Senti um pequeno nervosismo, mas não deixei isso me dominar. Ao subir no palco e ver vários fãs, fiquei com um sentimento de felicidade e orgulho. A empolgação tomou conta de mim. Quando minha banda começou a tocar, meu coração já bateu forte e eu inciei meu canto. Prevejo que esse Show será outro bem cansativo, mas animado!


Notas Finais


MEUS AMORES.... PELO AMOR DE DEUS, DESCULPA ATRASAR TANTO!!
;uuuu;
Tentarei não demorar tanto assim da próxima vez, okay?? TENTAREI! ;UUUUUUU;

Bom, sobre o Ayato: Ele é loiro e tem olhos verdes claros. <33333
Sobre Hidaka: Ele é moreno e tem os olhos azuis cinzentos. <3333

Bom, esse capítulo deve ter ficado meio bosta, meio parado, mas... PERDÃO!
Tentarei melhorar da próxima vez. ;u;

Comentem qualquer opinião, dúvida ou etc...
ATÉ O PRÓXIMO CAPÍTULO E BEIJOS DA CAMYA! '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...