História Imposto - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias KNK
Personagens Kim Ji-hun, Park Seung-jun
Tags Day1, Jihun, Knk, Kyt, Seunghun, Seungjun
Exibições 24
Palavras 1.078
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


como eu disse que ia fz #30 Days Writing Challenge FicWriter
esse é o primeiro dia e ja teve tanta treta pra eu n postar kkkkkkkk
porém está feito e com o casal mais amor do knk

Vão ler meus anjos

Capítulo 1 - Obey Me


Fanfic / Fanfiction Imposto - Capítulo 1 - Obey Me

Imposto

 

 

Capítulo 1 - Obey Me

 

 

A pequena cozinha da habitação do grupo de idols KNK tinha apenas um membro presente, este que havia acordado com o barulho das cartas sendo entregue, e após aquilo não conseguia pegar no sono. Seungjun foi até a sala, pegando o monte de papéis do chão e agora os estava analisando na cozinha, ao lado de um copo de cappuccino que ele preparara rapidamente. Seus olhos curiosos vasculhavam o remetente e o destinatário, tentando desvendar seu conteúdo.

 

 

Uma em especial, com um ar mais formal surgiu, vinda da prefeitura da capital. Mesmo que remetida ao manager, como membro mais velho ele se viu no direito de abrir a mesma. Dentro havia uma carta e um boleto, a carta explicava sobre os impostos que deveriam ser pagos, mas antes que ele pudesse sequer terminar de ler o primeiro parágrafo um peso somou sobre seus ombros. Empurrou a cabeleira loura de Jihun para longe de si, sem sucesso, enquanto o mesmo fazia barulhos que apenas ele julgava fofo.

 

 

- Seungjun, eu não consigo dormir- ele murmurou, se esfregando no outro que reprimiu o sorriso por ter o líder tão manhoso de manhã cedo.

 

 

- Eu também não – respondeu e fitou sua xícara, oferecendo-a - Café?

 

 

- Não – ele respondeu se endireitando e coçando os olhos - Vem comigo – exigiu, puxando-o pelo braço com tão pouca força que o maior nem se moveu.

 

 

- Eu? Porque? - o moreno questionou, se divertindo ao vê-lo ficar zangado.

 

 

- Porque eu mando em você! - retrucou dando a volta e empurrando-o com o corpo para fora da cadeira, sem sucesso.

 

 

- Eu sou mais velho! - exclamou o Park, se levantando e o encarando, não conseguindo se manter sério ao fingir que estava brigando com ele.

 

 

- Pelos cabelos brancos se vê – Jihun disse, correndo pro quarto sabendo que o outro se zangaria e correria atrás de si para se vingar. Mesmo que soubesse se surpreendeu ao ter o corpo agarrado e jogado na cama enquanto o mais velho subia em cima dele e o atacava com cócegas. Aquele era realmente seu ponto fraco e uma brincadeira normal entre eles, sem segundas intenções, não que Jihun as recusasse se fosse o caso.

 

O loiro se contorcia e grasnava, rindo freneticamente e perdendo o ar de vez em quando, implorando para que o outro parasse. Seungjun estava realmente se divertido, até porque o riso do Kim o fazia rir também e só parou quando julgou vingado o suficiente, se sentando sobre o outro, vendo-o ofegar, cansado da brincadeira. Ficou admirando o mais velho, ao seu ver, ele era muito bonito e fofo, mas nunca admitiria isso em voz alta.

 

 

- Seungjun, coce minhas costas – o menor ditou, virando-se de bruços.

 

 

- Não quero – retrucou fitando-o com admiração. Não conseguia definir os sentimentos que nutria pelo colega de banda, embora soubesse que o estimava muito.

 

 

- Seungjun, faça o que eu mandei – ele exigiu, a voz saindo abafada por ter o rosto enterrado contra o travesseiro.

 

 

- Porque? O que eu vou ganhar com isso? - Seungjun perguntou, vendo-o se virar e o fitar com raiva.

 

 

- Não vai ganhar um murro na cara. Coce. Logo. As. Minhas. Costas! - ralhou, ficando um tanto vermelho de raiva, o que Seungjun achou fofo já que a visão do outro corado era adorável.

 

 

- Não vou fazer algo que me é imposto – respondeu se deitando ao lado dele na cama de casal. O loiro se apoiou no cotovelo de forma a ficar de cara a cara com ele.

 

 

- Se você não fizer, eu vou chorar – e para provar que ia mesmo olhou fundo dos olhos do outro, se privando de piscar e pensando em toda as coisas ruins que podia pensar para que o entristecesse e seus olhos se enchessem de lágrimas.

 

 

Seungjun não pode resistir, fazendo o que ele lhe mandava. Podia fazer birra só para chatear o outro, mas a verdade é que não podia negar nada para ele e Jihun estava ciente disso. O loiro riu fazendo aqueles barulhinhos que apenas ele – e talvez Seungjun – achava fofo, enroscando uma perna no quadril do mais velho e abraçando seus ombros enquanto seus lábios percorriam a pele alheia numa trilha de selares, por cima do corpo do maior.

 

 

O mais velho ficou arrepiado com a surpresa, mas logo se acostumou, sentindo a maciez e o calor gostoso dos lábios alheios contra si. Ao tentar retribuir acabou selando os lábios do loiro, um selar rápido que fez Jihun se afastar com os dedos sobre a boca, sentindo a pele formigar. O mesmo corou fortemente sobre o olhar do maior que o abraçou com carinho. O momento ficou estranho, mas era estranhamente aconchegante por estarem abraçados daquela forma.

 

 

- Seungjun – o mais novo ronronou e recebeu uma afirmativa do maior – Me desculpe? - ele falou o que soou como uma pergunta.

 

 

- Não se desculpe, Jihun – o mais velho falou, sua voz grossa perto do ouvido alheio, voltando a coçar as costas alheias – Durma.

 

 

- Você vai dormir comigo? - ele perguntou tão manhoso que o Park sentia vontade de esmagá-lo em seus braços.

 

 

- Não se preocupe, eu vou estar com você enquanto você quiser – ele murmurou, os olhos já fechados, enquanto o Kim se remexia para abraçá-lo direito, encaixando completamente seus corpos um no outro.

 

 

- Você está preso para sempre. Você é meu – Jihun falou antes de adormecer, sentindo o maior coçar suas costas o mantendo calmo suficiente para poder voltar a dormir. Seungjun também o acompanhou ao mundo dos sonhos.

 

 

Quando Oh Heejun acordou e fez sua higiene, sentiu a barriga roncar de fome e como o maknae do grupo, pensou que poderia obrigar o líder a lhe alimentar, mas ao entrar no quarto dele, vendo-o dormir sobre o mais velho que também dormia mas suas mãos se mexiam inconscientemente no movimento de coçar as costas do loiro, resolveu deixá-los dormir e aproveitar o dia de folga.

 

 

Seungjun acordou, depois que Jihun o sacudiu, recebendo um leve selar nos lábios e uma nova visão do mais novo corado o que o fez pensar que primeiramente havia o imposto que devia ser pago e segundo, não importava que Jihun fosse mais novo ou mais baixo, o que quer que ele fosse impor, Seungjun ia obedecer, porque no fundo e na superfície, com o coração retumbando rápido pelo peito ou devagar enquanto dormiam juntos, ele amava o loiro.

 

 

 

***


Notas Finais


a ideia da fic foi boa mais eu caguei com ela fjbhghjsabkjngkjdds
o oppa deve ta vomitando -margarina- atras da unnie
eu sei que foi bem gay mau eu sou bem gay entao aceita
ficamos no aguardo das angsts <3 amem
até mais seus coisos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...